Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças

J&F aposta as fichas na suspeição do árbitro para manter Eldorado

Juíza que suspendeu transferência da empresa para a Paper Excellence ainda vai ouvir os argumentos dos indonésios

Por Josette Goulart Atualizado em 26 mar 2021, 09h53 - Publicado em 25 mar 2021, 16h07

Apesar de ter conseguido uma decisão que suspendeu a transferência da Eldorado Brasil para o grupo indonésio Paper Excellence, a J&F Investimentos ainda precisa convencer a juíza do caso que deve manter a liminar. Isso porque a juíza Renata Maciel disse que ainda vai ouvir os argumentos da Paper para manter ou não sua decisão. A transferencia de 100% da Eldorado estava prevista para começar a partir desta quinta-feira, 26, depois que a J&F perdeu uma arbitragem com os indonésios. Mas a Justiça pode postergar a disputa.

A J&F está apostando suas fichas no argumento de que um dos árbitros era suspeito para julgar o caso.  Anderson Schreiber não teria informado que teve uma ligação anterior com os advogados da Paper, do escritório Stocches & Forbes. No pedido para anular a arbitragem, a empresa de Joesley Batista apresentou documentos que mostram que Schreiber e Stocches despachavam em escritórios que ficavam nos mesmos endereços, tanto no Rio quanto em São Paulo, entre os anos de 2013 e 2016. E que em 2018, poucos meses antes de começar a arbitragem, assinaram petições em conjunto em acordos judiciais para clientes em comum. 

O Radar Econômico ouviu dois advogados especializados em arbitragem e que atuam como árbitros em casos diversos. Um deles diz que o argumento é potencialmente bom desde que o vínculo seja suficientemente forte para ou acabar com a imagem de independência do árbitro ou ter gerado um dever de informar. Já o outro advogado acredita que o argumento é fraco porque mesmo que os advogados fossem sócios não haveria o dever de informar, portanto, não haveria suspeição. 

Leia também:

  • Pesquisa mostra que brasileiro subestimou a pandemia e culpa Bolsonaro.
  • Bolsonaro marcha firme para impor agenda ideológica no ensino.
  • Em busca do tempo perdido, UE vai restringir exportações de vacinas
  • Brasil ainda perde tempo em debates sobre a falsa dicotomia entre saúde e economia.
  • Ministério da Infraestrutura: governo espera arrecadar R$ 10 bilhões com pacote de concessões.
  • STF se prepara para julgar uma ação decisiva para a quebra de patentes.
  • O futuro incerto de Sergio Moro depois da derrota no STF.
Continua após a publicidade
Publicidade