Pais costumam espiar filhos no Facebook, diz estudo

Empresa de segurança digital afirma que pais devem manter diálogo constante com os jovens

Mais da metade dos pais nos Estados Unidos, Itália, Canadá e Espanha entra, sem permissão, nas contas de Facebook de seus filhos para ver o que eles estão fazendo na rede. A informação faz parte de um relatório divulgado nesta sexta-feira pela empresa de segurança digital AVG, que estudou o comportamento de pais de jovens com idades entre 14 e 17 anos.

O documento aponta que 57% dos italianos e 65% dos espanhóis acreditam que a atividade de seus filhos na rede social possa comprometer suas carreiras no futuro. Nos Estados Unidos, aproximadamente 20% dos pais afirmam ter identificado trocas de mensagens impróprias – de conteúdo não revelado – entre as crianças e outras pessoas.

A empresa recomenda que os responsáveis tentem manter um diálogo aberto com os jovens, evitando sempre que possível o recurso da espionagem. No caso das crianças, os especialistas da AVG afirmam ser necessário manter regras e limites para evitar problema de segurança e privacidade.