Servidores municipais e estaduais bancam eleição em João Pessoa

Prefeito Luciano Cartaxo recebeu R$ 284.810 em doações de subordinados; apoiada pelo governador, Cida Ramos arrecadou R$ 56.664 de funcionários estaduais

A eleição em João Pessoa (PB) marca um embate entre as administrações municipal, representada pelo prefeito Luciano Cartaxo (PSD), que busca a reeleição, e a estadual, personificada na ex-secretária estadual Cida Ramos (PSB), debutante nas urnas cujo maior fiador político é o governador Ricardo Coutinho (PSB). Os apoios a Cartaxo e Cida pelas máquinas públicas, entretanto, não se limitam ao campo político. Ainda que a resolução 23.432 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proíba doações eleitorais por autoridades públicas “que exerçam cargos de chefia ou direção na administração pública direta ou indireta”, o candidato do PSD recebeu 284.810 reais em doações de 46 servidores da prefeitura pessoense, entre os quais 11 secretários, e a candidata do PSB foi agraciada com 56.664 reais de vinte funcionários de alto coturno do governo Coutinho.

A fortuna destinada pelos servidores municipais à campanha de Luciano Cartaxo corresponde a 33,2% dos 858.053 reais recebidos pelo candidato até agora. Os campeões em aportes financeiros na campanha do chefe são os secretários municipais, que doaram 130.300 reais à reeleição do pessedista. Daniella Bandeira (Planejamento), Roberto Wagner Mariz Queiroga (Administração), Sergio Barbosa (Finanças), Maria do Socorro Gadelha (Habitação), Edilma Costa (Educação e Cultura) e o ouvidor-geral do município, Antonio Jácome Filho, investiram 15.000 reais cada um na campanha de Cartaxo.

Adalberto Fulgêncio Júnior (Saúde) e o procurador-geral Adelmar Azevedo colaboraram com 10.000 cada. Azevedo ainda trouxe consigo dois de seus assessores especiais, cada um doador de 2.000 reais. Os únicos secretários com doações com menos de cinco dígitos foram o controlador-geral Severino Souza de Queiroz, com 9.000 reais, Adriana Gonçalves Urquiza (Políticas para Mulheres), com 7.300, e Hildevânio de Souza Macedo, o chefe de gabinete de Luciano Cartaxo, com 4.000 reais.

Os secretários-adjuntos de seis pastas da prefeitura de João Pessoa doaram 48.000 reais à campanha do prefeito, enquanto um diretor, um coordenador e três chefes de departamento deixaram 17.100 reais no caixa dele.

O segundo lugar entre os mais generosos com Luciano Cartaxo, no entanto, pertence aos 15 servidores que ocupam cargos comissionados de direção e assessoramento e doaram 63.660 reais ao prefeito da capital paraibana.

Leia também:
Quem são os candidatos à prefeitura de João Pessoa

Quanto a Cida Ramos, o valor despejado pelos subordinados do governador equivale a 13,3% do caixa de sua campanha, onde há 425.064 reais. Em uma afronta integral à determinação do TSE, as doações vieram tanto de secretários e secretários-adjuntos da administração direta (36.900 reais) quanto de chefes da administração indireta (19.764 reais).

A controladora-geral estadual, Ana Cartaxo, doou 5.000 reais, assim como o defensor público-geral, Vanildo Oliveira Brito. Já os secretários Waldson Dias de Souza e Cláudia Luciana Veras, ambos de Desenvolvimento e Articulação Municipal, Marconi Marcos Frazão (Receita) e Paula Laís de Oliveira Santana (Casa Civil), doaram cada um 3.000 reais à campanha de Cida Ramos. Livânia Farias, a secretária de Administração, colaborou com 1.400 reais.

Os secretários executivos Deusdete Queiroga Filho (Infraestrutura e Recursos Hídricos), Gilberta Santos Soares (Mulher e Diversidade Humana), Gilma Germano (Mulher e Diversidade Humana) e Gilmar Martins (Controladoria-Geral) investiram 3.000 reais cada um na eleição da candidata apoiada pelo governador. Já o subdefensor público-geral da Paraíba, Jaime Ferreira Carneiro, gastou 1.500 reais em doações.

Entre os chefes de autarquias e companhias que integram a administração indireta da Paraíba, as doações vieram de Marcus Vinicius Neves (Companhia de Água e Esgotos, 5.000 reais), Nivaldo Moreno de Magalhães (Gestão Unificada, 4.000 reais), Emília Correia Lima (Companhia Estadual de Habitação Popular, 3.000 reais), Tatiana Domiciano (Companhia de Desenvolvimento da Paraíba, 3.000 reais), Ruth Avelino Cavalcanti (PBtur, 1.500 reais), João Fernandes da Silva (Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba, 1.200 reais), Simone Jordão Almeida (Fundação de Apoio ao Deficiente, 1.064 reais) e Gilmara Timoteo (Docas, 1.000 reais).

Cartaxo tem folga na liderança

Segundo o Ibope mais recente para a disputa em João Pessoa, Luciano Cartaxo atingiu 53% das intenções de voto e se elegeria no primeiro turno. Sua gestão na prefeitura é avaliada como “ótima ou boa” por 50% dos pessoenses.

Apoiada pelo também bem-avaliado Ricardo Coutinho, Cida Ramos saltou de 23% para 29% em relação à pesquisa anterior, número que não forçaria o segundo turno.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Daniela Almeida

    Em Santa Bárbara, Minas Gerais (100 quilômetros de BH), aconteceu igual. O Atual prefeito exonerou quase todos os secretários e vários funcionários, pagou indenização pela exoneração e obrigou a cada um a doar dinheiro para campanha. Teve gente que recebeu 40 mil de indenização e doou 8 mil reais. Virou escândalo na cidade que tem apenas 30 mil habitantes.

    Sem contar que se olhar na prestação de contas, essas mesmas pessoas que doaram estão na lista como possíveis fornecedores……..

    Curtir

  2. Fábio Luís Inaimo

    O coronelismo ainda domina o nordeste!

    Curtir

  3. Não por coincidência, esses estados também são campeões em baixo índice de desenvolvimento.

    Curtir

  4. Isso é crime e ninguém está nem aí?!?!?…
    O pt SEMPRE cobrou dízimo de quem é filiado ao finado-partido.
    Em TODOS esses casos o dinheiro É NOSSO! Mesmo dos que NUNCA tiraram título de eleitor igual a mim.
    E é CRIME!

    Curtir