Mais Lidas

  1. Temer vence 1ª batalha e Congresso aprova meta fiscal

    Brasil

    Temer vence 1ª batalha e Congresso aprova meta fiscal

  2. Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

    Entretenimento

    Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e...

  3. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

  4. Afastado do Planejamento, Jucá ocupa tribuna do Congresso e provoca bate-boca

    Brasil

    Afastado do Planejamento, Jucá ocupa tribuna do Congresso e provoca...

  5. Em gravação, Renan fala em mudar lei da delação

    Brasil

    Em gravação, Renan fala em mudar lei da delação

  6. Miriam Belchior é exonerada da presidência da Caixa

    Economia

    Miriam Belchior é exonerada da presidência da Caixa

  7. Gilmar Mendes presidirá 2ª Turma do STF, responsável por julgar Lava Jato

    Brasil

    Gilmar Mendes presidirá 2ª Turma do STF, responsável por julgar...

  8. Bruna Linzmeyer sensualiza após ataques homofóbicos no Instagram

    Entretenimento

    Bruna Linzmeyer sensualiza após ataques homofóbicos no Instagram

Funk do 'Lelek lek lek' volta às mãos da Furacão 2000

Empresas brigam na Justiça pelo direito de usar nome do grupo, MC Federado e os Leleke's, e a música 'Passinho do Volante', que se tornou viral na internet

- Atualizado em

Os Leleke's: formação original foi desfeita logo após o sucesso da música
Os Leleke's: formação original foi desfeita logo após o sucesso da música(Maíra Coelho/Agência O Dia/VEJA)

A Justiça do Rio de Janeiro devolveu à produtora Furacão 2000 Produções Artísticas o poder sobre a marca MC Federado e os Leleke's e a música Passinho do Volante, que se tornou viral na internet, com mais de 31 milhões de visualizações no Youtube em quatro meses. A decisão foi tomada na sexta-feira pelo juiz de plantão Luiz Umpierre de Mello Serra, que suspendeu a liminar que proibia a apresentação do grupo contratado pela empresa de Rômulo Costa.

Leia também:

Leia também: Funk do 'Lelek lek lek' vai parar na Justiça

A briga judicial começou em março, entre a Furacão 2000 e a Lek Produções, de Edimar Pedro Santana. Ambas alegam serem as responsáveis pelo grupo criado em setembro de 2012. Em março deste ano, logo após o sucesso na web, três integrantes deixaram a formação original e assinaram contrato com Rômulo Costa, mantendo o nome. Foi então que a Lek Produções entrou com uma ação impedindo o uso da marca e da música - que estrelou até comercial da Mercedes para o lançamento do novo Classe A.

Em primeira instância, a vitória na Justiça havia sido de Rômulo Costa, que conseguiu em março passado uma liminar garantindo-lhe todos os direitos. No mesmo mês, o empresário registrou uma queixa na Polícia Civil e os quatro jovens do grupo da Lek Produções foram presos após um show em Minas Gerais. Na sexta passada, uma decisão da 16ª Câmara Cível determinou que somente a Lek Produções é quem poderia usar o nome do grupo e se apresentar com a música em shows e programas de TV. No mesmo dia, um novo pedido de liminar voltou a favorecer a Furacão 2000.

A produtora de Rômulo Costa afirma que tem contrato desde setembro de 2012 com o grupo, que teve participação gravada no DVD de dezembro passado. No sábado, a TV Globo exibiu a apresentação de MC Federado e os Leleke's no programa TV Xuxa. Os contratados da Furacão 2000 não só cantaram o "funk da discórdia" como ainda lançaram a nova música de trabalho, intitulada Desloca.

TAGs:
Rio de Janeiro
Justiça