Mais Lidas

  1. Ex-ator mirim sobre pedofilia em Hollywood: ‘Fui molestado por várias pessoas’

    Entretenimento

    Ex-ator mirim sobre pedofilia em Hollywood: ‘Fui molestado por...

  2. Fã que atacou Ana Hickmann ia fazer 'roleta russa', diz delegado

    Entretenimento

    Fã que atacou Ana Hickmann ia fazer 'roleta russa', diz delegado

  3. Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

    Entretenimento

    Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e...

  4. Janot defende legalidade de grampo entre Lula e Dilma

    Brasil

    Janot defende legalidade de grampo entre Lula e Dilma

  5. Delação da Odebrecht 'vem como uma metralhadora ponto 100', diz Sarney em gravação

    Brasil

    Delação da Odebrecht 'vem como uma metralhadora ponto 100', diz...

  6. Produtores de ‘Game of Thrones’ ficaram chocados com três revelações do autor

    Entretenimento

    Produtores de ‘Game of Thrones’ ficaram chocados com três...

  7. Temer envia general para representá-lo na Guiana

    Brasil

    Temer envia general para representá-lo na Guiana

  8. Serra diz que Brasil é 'atacado' por causa do impeachment

    Brasil

    Serra diz que Brasil é 'atacado' por causa do impeachment

Salário mínimo ideal deveria ser de R$ 3.725, afirma Dieese

Levantamento mostra que uma família paulistana de quatro pessoas deveria receber quatro vezes mais do que o salário mínimo atual, de 880 reais

- Atualizado em

Bolsos vazios
O levantamento considera o custo de São Paulo por se tratar da capital onde o preço da cesta básica é mais elevado(VEJA.com/VEJA)

O salário mínimo ideal para que uma família paulistana de quatro pessoas pudesse se manter deveria ser de 3.725,01 reais, um número 4,23 vezes maior que o mínimo de 880 reais. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional de Cesta Básica de Alimentos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgado nesta segunda-feira.

O levantamento considera o custo de São Paulo por se tratar da capital onde o preço da cesta básica é mais elevado.

O estudo mostrou que o preço da cesta básica em fevereiro aumentou em 13 capitais, mas caiu em outras 14 localidades. A pesquisa aponta que as maiores altas na comparação com janeiro ocorreram na região Norte, enquanto as maiores quedas foram registradas em Vitória, Palmas e Campo Grande.

Em São Paulo, onde o custo da cesta básica é mais elevado (443,40), o indicador apresentou retração de 1,10% na comparação entre fevereiro e janeiro deste ano.

Os principais destaques de alta do mês ficaram por conta de Macapá (8,93%), Belém (8,64%) e Manaus (7,92%). Na outra ponta, Vitória (-8,45%), Palmas (-7,80%) e Campo Grande (-6,00%) registraram a maior deflação.

Quando considerado o período de dois meses, o primeiro bimestre do ano foi particularmente mais oneroso para os moradores de Manaus (19,05%), Aracaju (18,43%) e Belém (15,60%). As únicas capitais a apresentarem queda no período foram Porto Alegre (-1,78%) e Campo Grande (-0,15%).

Leia também:

Lego quer vender kits de educação para 10 mil escolas

Agronegócio teme efeitos da paralisia do Congresso

(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
Salário