Mais Lidas

  1. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  2. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  3. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  4. Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

    Brasil

    Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

  5. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  6. Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

    Brasil

    Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

  7. FHC presta depoimento à PF sobre acusações de ex-amante

    Brasil

    FHC presta depoimento à PF sobre acusações de ex-amante

  8. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

A reestreia atrapalhada do Oreo no mercado brasileiro

Biscoito mais vendido do mundo já está em algumas prateleiras do Walmart nas regiões Sul e Sudeste — mas lançamento, de fato, ainda não tem data para acontecer

Por: Ana Clara Costa - Atualizado em

Pacote de bolacha Oreo
Biscoitos Oreo: lançado em 1995 e descontinuado em 2000(Mandel Ngan/AFP/VEJA)

O biscoito Oreo - o mais vendido do mundo - voltou ao mercado brasileiro no início de novembro em lojas da rede Walmart. Mas sua reestreia tem se mostrado (bem) atrapalhada. Presente em mais de 100 países (menos o Brasil), o produto volta às gôndolas trazido pela Mondelez, novo nome da Kraft Foods, dona da marca. Apenas as lojas das regiões Sul e Sudeste da rede varejista venderão o biscoito, por enquanto. O Oreo foi lançado no Brasil em 1995, mas sua fabricação foi descontinuada em meados de 2000. A concorrente Nestlé fabrica localmente um produto similar líder de mercado, o biscoito Negresco, que muitos consumidores desavisados acreditam se tratar do Oreo após uma mudança de nome.

Leia também:

​Dez coisas que você não sabia sobre o biscoito Oreo

Varejo - A Mondelez não fez qualquer anúncio oficial ou grande campanha publicitária para marcar sua volta ao país - fato estranho, sobretudo porque sua marca mais relevante se ausentou durante mais de uma década de um mercado que movimenta 7 bilhões de reais ao ano. As vendas tiveram início sem que houvesse informação sobre onde ou como comprar o biscoito. Diante do silêncio do fabricante, o Walmart fez as 'honras da casa' e anunciou o início das vendas no dia 6 deste mês (elas haviam começado em 1º de novembro). Questionada sobre o lançamento, a empresa de alimentos não deu qualquer informação. Sua divulgação se resume à imagem de um biscoito verde-amarelo postado na página da marca Oreo no Facebook. Uma entrevista coletiva marcada para apresentar a estratégia do produto foi cancelada na última hora.

A Mondelez não sabe dizer, até o momento, nem mesmo quando a marca Oreo será vendida em todo o país. A maior rede varejista local, o Grupo Pão de Açúcar, ainda não conseguiu fechar um contrato de venda do produto com o fabricante - e afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda não há previsão de que as lojas de sua rede tenham Oreo em suas prateleiras. O grupo Carrefour não respondeu ao pedido de informação até o fechamento da reportagem. O Walmart informou que tem um contrato de exclusividade com a marca Oreo até o final de novembro, mas, caso outros varejistas não consigam fechar acordos com a Mondelez, há estoque suficiente para garantir o fornecimento do biscoito até o fim de dezembro.

Leia também:

Marcas pegam carona no nascimento do bebê real

Oreo, o biscoito de milhões de fãs, comemora 100 anos

Propaganda - A estratégia do fabricante poderia ser classificada como 'misteriosa', a exemplo do que ocorre com a Apple sempre que está às vésperas de lançar um novo produto. Contudo, é difícil acreditar em tal guinada quando se trata de uma das marcas mais criativas e, por assim dizer, 'barulhentas' da publicidade mundial. No ano passado, a Oreo movimentou o meio publicitário ao endossar a causa gay criando um anúncio nas redes sociais de um biscoito com recheio em diversas camadas, cada uma de uma cor, remetendo ao símbolo do arco-íris. Nos últimos anos, foi autora de diversos virais de marketing em tempo real - que são ações criadas 'a toque de caixa' baseadas em eventos factuais (como o casamento do Príncipe William, por exemplo) para acompanhar o burburinho sobre um determinado assunto.

Um simples tweet da Oreo feito durante a final do SuperBowl deste ano ganhou alguns dos principais prêmios da publicidade mundial. Quando todas as luzes se apagaram devido a um blecaute antes do último jogo da temporada de futebol americano, a agência de publicidade 360i tuitou imediatamente a imagem de um biscoito Oreo numa tela escura, destacado por um holofote, com a seguinte frase: you can still dunk in the dark, algo como 'você ainda pode mergulhar seu biscoito no escuro'. A palavra 'mergulhar' se refere ao hábito que muitos americanos têm de embeber o biscoito no leite antes de comê-lo. A rapidez com que a ação foi veiculada fez com que a marca ganhasse exposição total no maior evento esportivo (e publicitário) dos Estados Unidos.

As agências Giovanni+Draftfcb e Lov (que representam as americanas Draftfcb e 360i localmente) são responsáveis pela campanha de lançamento da Oreo no mercado brasileiro. Suas matrizes nos Estados Unidos também atendem a conta da marca. A Giovanni informou ao site de VEJA que antes de 2014 não haverá qualquer campanha publicitária sobre o biscoito. A BFerraz é a agência responsável pelo marketing em ponto-de-venda. Até o momento, tal ação se resume a estandes de degustação do produto em algumas lojas do Walmart.

Leia também:

Nestlé fecha parceria com Walmart para vender Kit Kat

Batata frita Lay's volta a ser vendida no Brasil após doze anos

A americana Kraft Foods decidiu, silenciosamente, parar a fabricação de inúmeras marcas de biscoito no Brasil, em meados do ano 2000. A empresa acabava de adquirir a Nabisco (que fabricava produtos como Oreo e Ritz) globalmente por 20 bilhões de dólares. Com a compra, a Kraft direcionou sua estratégia nacional para chocolates, com a marca Lacta, deixando o segmento de biscoitos para a liderança folgada da Nestlé. Desde então, há petições on-line e grupos em redes sociais que pedem a volta da marca ao país. No site ReclameAqui, as únicas reclamações sobre o biscoito Oreo se referem a sua ausência nas prateleiras dos supermercados brasileiros.

Atualizada às 13h50: O Carrefour informou nesta quarta-feira que analisa a comercialização da marca Oreo, apesar de não haver data para o início das vendas nas lojas da rede.

Atualizada às 17h30: O Grupo Pão de Açúcar enviou uma nota nesta quarta-feira informando que está analisando com a Kraft Foods as bases de custos do produto e que, enquanto as negociações com a empresa não forem concluídas, não há previsão para o início das vendas do Oreo nas redes Extra e Pão de Açúcar.

10 coisas que você não sabia sobre o biscoito Oreo

TAGs:
Marketing
Alimentação