Tarja BBB

Televisão

'BBB 13': Os campeões Bambam e Dhomini estão de volta

Outros quatro ex-BBBs ganharam uma nova chance na casa: Fani (BBB 7), Eliéser (BBB 10), Natália Casassola (BBB 8) e Anamara (BBB 10)

Kleber Bambam, na época do BBB1

Kleber Bambam, na época do BBB1 (TV Globo/Jaq Joner)

"Está no ar o BBB 13, mas também pode chamar de BBB-crazy". Foi com essa tentativa de rima bizarra que Pedro Bial abriu a nova edição do reality, na noite desta terça-feira. E um dos segredos que Boninho tentava guardar a sete chaves foi revelado - em partes, já que boatos aventados dias antes da estreia acertaram a volta de ex-campeões.

Dois ex-BBBs que venceram suas edições estão de volta ao reality: Kléber Bambam (BBB 1), que fez declarações de amor a uma boneca feita com vassoura, e Dhomini (BBB 3), o primeiro namoradinho de Sabrina Sato nas frentes das câmeras. Além deles, também ganharam uma nova chance na casa Fani (BBB 7), Eliéser (BBB 10), Natália Casassola (BBB 8) e Anamara (BBB 10).

E foi esta última quem bem resumiu a justificativa mais plausível para a escolha do retorno dela, de Fani e Natália: "Acho que somos as mais periguetes de todas as edições".

Enquete: Bambam e Dhomini mereciam uma nova chance no BBB? Vote.

Escolhas - Meses antes do início do programa houve uma votação para o público eleger quais ex-BBBs gostaria de ver novamente na casa. Chamado de Paredão Retrô, dois ex-participantes concorriam a cada semana. Ao todo, 56 participaram da votação. Mas Boninho já tinha avisado que essa era apenas uma maneira de testar a popularidade dos ex-participantes. Qualquer um poderia entrar - ao gosto dele, claro. Dhomini e Bambam, por exemplo, se enfrentaram em uma das disputas, e o primeiro perdeu.

A aposta é que desta vez os participantes sejam divididos em times e em cada grupo haja um mentor. Foi assim na versão americana do programa, que costuma ser copiada por aqui. Nos Estados Unidos, três duplas de ex-BBBs entraram no programa e o brother que se tornava líder imunizava também o seu parceiro.

Leia também: Ex-BBB, profissão de risco

A casa só estará completa na sexta-feira, quando entram dois integrantes (um homem e uma mulher) da casa de vidro - instalada em um shopping de São Paulo. Aí sim, estará aberta oficialmente a disputa pelo prêmio de 1,5 milhão de reais, pelas capas de revistas masculinas e por qualquer vaga que qualquer programa de TV possa oferecer na saída.

Chegada - Ainda no VT de apresentação, o primeiro beijo gay do BBB, entre Aslan e o marido. O pernambucano foi o primeiro a entrar, e não fugiu ao esperado clichê dos ex-BBBs: fez o sinal da cruz, agradeceu por estar ali, beijou o chão e a piscina. Aline já mostrou que tem um gênio forte e é uma das principais candidatas a barraqueira. "Psiclólogo... Psicólogo é coisa de pessoa maluca lá de onde venho", soltou, em uma das primeiras falas.

Ivan Marcondes, Marien e André foram de menos alardes. Fernanda já arrumou uma melhor amiga de infância, elegeu Andressa que, dos oito confinados, foi a última a entrar na casa. E Nasser já contou logo da escova progressiva, disse que “em relação ao cabelo, ele é uma moça”. Suspeito? Dias atrás, a mãe do brother declarou no Facebook que o menino, chamado pelos amigos de Gueri-Gueri, é heterossexual.

O clima inicial, assim como é tradição, é de amizade. Todos se amam, todos são legais, todos querem viver a casa ao máximo. Mas isso pode mudar já ao fim da primeira prova, que começou depois de feitas todas as apresentações entre novos e antigos BBBs. É resistência. O último a sair, ganha a preciosa imunidade da primeira semana.

Leia também:

Na casa de vidro, o purgatório das subcelebridades

Os casais que mais sacudiram o edredom do BBB

Os BBBs mais rejeitados de todas as edições do reality

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados