Mais Lidas

  1. Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre caso de estupro

    Entretenimento

    Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre...

  2. Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

    Mundo

    Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

  3. Lula sabia que mensalão era propina, diz Corrêa em delação

    Brasil

    Lula sabia que mensalão era propina, diz Corrêa em delação

  4. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  5. Operador do PMDB, filho de Sérgio Machado fecha acordo de delação

    Brasil

    Operador do PMDB, filho de Sérgio Machado fecha acordo de delação

  6. Receita publica redução de IR para despesas com viagens internacionais

    Economia

    Receita publica redução de IR para despesas com viagens internacionais

  7. Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de invasão de terras

    Brasil

    Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de...

  8. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

TRE-RJ monitora candidatos suspeitos de integrar milícias

Lista com 30 nomes foi baseada em investigações da Secretaria de Segurança

- Atualizado em

Luiz Zveiter é presidente do TRE-RJ
Luiz Zveiter é presidente do TRE-RJ(Carlo Wrede/Ag. O Dia/VEJA)

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) monitora um grupo de 30 candidatos a vereador ligados a grupos milicianos que atuam na região metropolitana. A lista foi elaborada pela Secretaria de Segurança com base em investigações preliminares. Nenhum dos candidatos listados responde a inquérito policial.

De acordo com o presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Zveiter, todas as atividades de campanhas dessas pessoas estão sendo acompanhadas de perto pela Justiça Eleitoral. "Se nós recebermos alguma denúncia em relação específica a estes candidatos ou caso percebamos práticas irregulares, vamos abordá-los imediatamente", explicou o desembargador.

A lista de candidatos ligados a grupos paramilitares pode ser ainda mais ampla. Zveiter explicou que os nomes informados pela Secretaria de Segurança são apenas dos suspeitos. Parentes e outras pessoas usadas como laranjas pelos milicianos não fazem parte da lista.

Tropas - Zveiter já formalizou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido para que tropas federais sejam destacadas para monitorar a campanha e a eleição em pontos críticos do estado, como favelas não pacificadas e áreas de milícia. Já foi aprovada a participação de militares no dia da votação e durante o segundo turno (se houver), mas o desembargador quer antecipar o emprego das tropas. Na próxima segunda-feira, o TSE deve se manifestar.

LEIA TAMBÉM:

Oposição tenta compensar na internet falta de tempo na TV

O que o debate diz sobre os candidatos do Rio

No Rio, corrida eleitoral começa na esteira

(Com Agência Estado)

TAGs:
Milícia
Rio de Janeiro
Eleições