TRE-RJ monitora candidatos suspeitos de integrar milícias

Lista com 30 nomes foi baseada em investigações da Secretaria de Segurança

- Atualizado em

Luiz Zveiter é presidente do TRE-RJ
Luiz Zveiter é presidente do TRE-RJ(Carlo Wrede/Ag. O Dia/VEJA)

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) monitora um grupo de 30 candidatos a vereador ligados a grupos milicianos que atuam na região metropolitana. A lista foi elaborada pela Secretaria de Segurança com base em investigações preliminares. Nenhum dos candidatos listados responde a inquérito policial.

De acordo com o presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Zveiter, todas as atividades de campanhas dessas pessoas estão sendo acompanhadas de perto pela Justiça Eleitoral. "Se nós recebermos alguma denúncia em relação específica a estes candidatos ou caso percebamos práticas irregulares, vamos abordá-los imediatamente", explicou o desembargador.

A lista de candidatos ligados a grupos paramilitares pode ser ainda mais ampla. Zveiter explicou que os nomes informados pela Secretaria de Segurança são apenas dos suspeitos. Parentes e outras pessoas usadas como laranjas pelos milicianos não fazem parte da lista.

Tropas - Zveiter já formalizou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido para que tropas federais sejam destacadas para monitorar a campanha e a eleição em pontos críticos do estado, como favelas não pacificadas e áreas de milícia. Já foi aprovada a participação de militares no dia da votação e durante o segundo turno (se houver), mas o desembargador quer antecipar o emprego das tropas. Na próxima segunda-feira, o TSE deve se manifestar.

LEIA TAMBÉM:

Oposição tenta compensar na internet falta de tempo na TV

O que o debate diz sobre os candidatos do Rio

No Rio, corrida eleitoral começa na esteira

(Com Agência Estado)

TAGs:
Milícia
Rio de Janeiro
Eleições