Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Depois de sanções chinesas, Kim recua do plano de ataque a Guam

China, o maior parceiro comercial da Coreia do Norte, deixou de importar do país de carvão, ferro, chumbo e pescado

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, analisou nesta terça-feira (15) os planos para bombardear os arredores da ilha de Guam, um território americano no Pacífico, mas recuou no teste com mísseis. “Para apaziguar as tensões e evitar o perigoso conflito militar na península coreana é necessário que os Estados Unidos tomem a decisão adequada e o demonstrem com ações”, disse Kim, citado pela agência de notícias norte-coreana “KCNA”.

Na última quinta-feira, o governo norte-coreano havia dito que plano de lançar mísseis contra o território americano de Guam continuava em vigor e seria executado até a metade de agosto. A declaração foi feita pelo general do Exército norte-coreano, Kim Rak Gyom, que comanda as forças estratégicas do regime.

Dessa vez, no entanto, o recuo de Kim veio horas depois da China — o maior parceiro comercial do país — anunciar a proibição total, a partir desta terça-feira, da importação de carvão, ferro, chumbo e pescado da Coreia do Norte. A medida é uma aplicação das sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas em 5 de agosto.

A China, membro permanente do conselho, votou a favor da Resolução 2371, que contempla sanções econômicas contra a Coréia do Norte. O governo americano, porém, manifestou várias vezes dúvidas sobre o cumprimento das medida pelos chineses.

Diminuição da tensão

Os sinais de diminuição da tensão na península coreana ajudaram os mercados de ações a se reanimarem pelo segundo dia consecutivo nesta terça, ainda que EUA e Coreia do Sul estejam preparando mais exercícios militares conjuntos e especialistas alertarem que Pyongyang ainda pode seguir adiante com as provocações.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que não haverá nenhuma ação militar sem o aval de Seul e que seu governo evitará a guerra por todos os meios.

“Uma ação militar na península coreana só pode ser decidida pela Coreia do Sul, e ninguém mais pode decidir adotar uma ação militar sem o consentimento da Coreia do Sul”, disse Moon em um discurso de comemoração do aniversário da liberação nacional do controle militar japonês em 1945.

O feriado do Dia da Libertação, celebrado nas duas Coreias, será seguido de exercícios militares conjuntos de Washington e Seul na semana que vem que certamente irritarão Pyongyang.

(Com agências)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Kim nunca decide nada, ele não passa de um mero fantoche.

    Curtir

  2. Está na hora de lançar uns mísseis nessa didatura.

    Curtir

  3. Gilberto Mendes

    Ele é igual a COCA COLA, quando abre perde o gás.

    Curtir

  4. Donald Trump Conquistou O Gordinho
    Pelo Estômago… Disse Que Por 5 Anos
    Deixaria Suas Lombrigas Assanhadas
    Com Big Mac, Coca-Cola E Fritas
    No Café, Almoço E Janta…

    Curtir

  5. Confessou Que Nutre Um Amor Platônico
    Por Donald Trump Depois Que O Mesmo
    Acionou Ao Pacote De Bondades, Tortas
    De Maçãs Com Assinatura McDonald’s…

    Curtir

  6. Wilson A. Zamignani

    SOCIALISTA, PETISTA, COMUNISTA É TUDO F*D*P

    Curtir