Boko Haram sequestra cerca de 20 mulheres na Nigéria

O crime ocorreu próximo à cidade onde mais de 200 meninas foram raptadas

O governo do estado de Borno, localizado ao norte da Nigéria, confirmou nesta quarta-feira o sequestro de aproximadamente vinte mulheres por um grupo de homem armados. O governo acredita que o crime tenha sido cometido por integrantes da milícia radical islâmica Boko Haram. O fato ocorreu na quinta-feira passada em um assentamento da etnia fulani, próximo à cidade de Chibok, onde mais de 200 garotas foram sequestradas pela organização terrorista em 14 de abril. Mesmo com o auxílio da comunidade internacional, as meninas ainda não foram resgatadas pelo Exército nigeriano.

Leia também:

Nigéria proíbe protestos a favor da libertação de meninas sequestradas

“Tenho medo de voltar para a escola”, diz estudante que escapou do Boko Haram

As autoridades locais disseram que ficaram surpreendidas com o novo ataque dos extremistas, uma vez que a região está com forte presença de segurança militar. A imprensa nigeriana reportou que os radicais aproveitaram o momento em que não havia homens no assentamento para atacar. Além das mulheres, três jovens do sexo masculino que estavam no local também foram raptados. “Fomos avisados três horas depois do crime. Tentamos ir atrás (dos sequestradores), mas os veículos que temos não podem ir muito longe”, relatou um dos vigilantes do assentamento. Acredita-se que a mesma rota utilizada no sequestro das meninas de Chibok foi utilizada neste crime.

Saiba mais:

Boko Haram, o terror que ameaça a maior economia da África

No final de maio, o presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, prometeu uma ‘guerra total’ contra o Boko Haram. A organização terrorista ameaça civis com sequestros e ofensivas ao norte do país, como também realiza atentados de grandes proporções em centros urbanos. Os radicais assassinaram 12 mil pessoas e feriram outras 8 mil nos últimos cinco anos, segundo Jonathan.

(Com agência EFE)