Corinthians perde para o Tolima e está fora da Libertadores

Pela primeira vez, um clube brasileiro perde o confronto mata-mata que antecede a fase de grupos da Taça Libertadores da América. O Corinthians foi derrotado por 2 a 0 pelo Deportes Tolima, no estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, na Colômbia. Santoya e Wilder Medina marcaram os gols colombianos, ambos no segundo tempo.

O Tolima vai ocupar um lugar na chave sete, ao lado de Cruzeiro, Estudiantes, da Argentina, e do Guarani do Paraguai.

Os ânimos corintianos estavam abalados desde o empate por 0 a 0 no jogo de ida, na quarta-feira passada, no Pacaembu. A equipe exagerou na cautela ao optar pela troca do meia Bruno César, um dos destaques da equipe em 2010, pelo volante Paulinho. O lateral-esquerdo Roberto Carlos ficou fora da partida por contusão.

Nos trinta minutos iniciais, houve predomínio total do Tolima. O destaque corintiano foi o goleiro Júlio César, autor de pelo menos duas boas defesas. O estado de nervos do time pode ser medido por uma falta muito mal cobrada por Ronaldo aos 36 minutos.

O Corinthians esboçou uma reação no começo do segundo tempo, pressionando o adversário. O Tolima resolveu a partida aos 21 minutos da etapa final. Santoya, que tinha entrado no gramado minutos antes, recebeu um passe preciso na entrada da área e, sem marcação, tocou para as redes.

Imediatamente, o técnico Tite buscou acertar a equipe ao colocar em campo Danilo e Ramirez nos lugares de Paulinho e Dentinho, aos 26 minutos. O peruano Ramirez foi o auge da decepção: foi expulso um minuto depois ao agredir um atleta do Tolima.

Os colombianos ampliaram o placar aos 33 minutos de jogo. O time de Ibagué soube administrar o resultado com maestria, sem receber pressão e tocando a bola tranquilamente, com as arquibancadas embalando a troca de passes com olé.

Rio Grande do Sul – Em Porto Alegre, o Grêmio fez sua parte e derrotou, de virada, o Liverpool, do Uruguai, por 3 a 1. A primeira partida, em Montevidéu, terminou empatada em 2 a 2. Os gols foram marcados por Alfaro, para os uruguaios, e André Lima e Vinicius Pacheco, por duas vezes. Os gaúchos entraram no grupo 2, ao lado de León de Huánaco, do Peru, do Oriente Petrolero, da Bolívia, e do Júnior de Barranquilla, da Colômbia.