Pais, não pressionem demais

'Por ansiedade e despreparo, pais põem pressão demais sobre os filhos', diz a especialista Sharon Lynn Kagan. 'E pressão desmedida é um perigo.'

Reconhecida no mundo todo como uma das maiores especialistas em primeira infância, a americana Sharon Lynn Kagan costuma rodar o planeta prestando consultoria a governos — inclusive o dos Estados Unidos — sobre como implantar métodos eficientes de ensino na etapa pré-escolar. Lynn, da Universidade de Colúmbia, em Nova York, já percorreu 75 países, sempre enfatizando a ideia de que a criança que recebe os estímulos certos desde cedo terá vantagens excepcionais ao longo de toda a vida. Nesta edição de VEJA, Lynn fala de como países podem dar o grande salto ao investir em educação nos primeiros anos e diz que o Brasil tem muito a se beneficiar com isso. A seguir, um trecho da entrevista.

“Os estudos mostram que os pais que contam histórias interessantes e leem todo dia para o filho estão dando um enorme empurrão para a sua formação. Outro hábito que tem impacto é pôr a criança para pensar sobre o mundo que a cerca, fazendo perguntas menos óbvias e mais abrangentes do que ‘qual é a cor do seu sapato?’. Melhor seria: ‘Para que servem os calçados?’, e por aí vai. Assim, ela começa a desenvolver o raciocínio e o uso da linguagem. Mas atenção, sem excessos: às vezes, por ansiedade e despreparo, os pais põem pressão demais sobre os filhos. E pressão desmedida é um perigo: ela pode trazer um retorno exatamente contrário ao esperado.”

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Pais, se os senhores conseguiram constituir uma família, repitam com seus filhos aquilo que seus pais lhes ensinaram. Os senhores tem a estrutura necessária para educá-los e não precisam de espcialistas para preencherem os vazios nas mentes de seus filhos.

    Curtir

  2. Pais, simplesmente esteja lá quando seus filhos precisarem. E nenhum socialista irá transformar seus filhos em petralhas.

    Curtir

  3. André Carioca

    Sim , sim, não pressionem e assistam essa nova geração de 14,16,18,20,22 anos que não sabe se dá ou desce….

    Curtir

  4. Francisco Lemos

    isso nao vale pra o Brasil. Aqui as criancas sao treinadas desde cedo a fazer testes. As escolas consideradas boas sao aquelas que treinam vestibular desde 2 anos de idade.

    Curtir

  5. Especialista?

    Curtir