Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Termina greve de bancários da Caixa em São Paulo

Funcionários do banco estatal da capital, que mantiveram a paralisação após a categoria ter aceitado o reajuste proposto, revisaram suas decisões

Os trabalhadores da Caixa Econômica Federal em São Paulo decidiram encerrar a greve nesta sexta-feira. Os funcionários da instituição representados pelo sindicato de São Paulo, Osasco e região estavam entre os poucos da categoria que não tinham aceitado na quinta-feira as condições de reajuste de salário e benefícios propostas pelas empresas. A maioria dos trabalhadores – inclusive da Caixa em outras localidades -aceitou ontem um aumento de 8%, encerrando uma paralisação de 31 dias, a maior desde 2004.

Leia também:
Deputados da oposição vão ao STF para suspender PEC do gasto
PEC dos gastos é inconstitucional, diz Procuradoria-Geral

Os bancários da Caixa em São Paulo decidiram reavaliar a proposta rejeitada na quinta, que desta vez foi aceita. Além da capital, trabalhadores em  Mogi das Cruzes (SP), Niterói (RJ), e da Bahia decidiram revisar suas posições. Segundo o site de notícias G1, também reconsideraram as propostas os bancários da instituição nos estados do Amapá, Maranhão, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Na quinta, a maior parte dos sindicatos da categoria seguiu recomendação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro e aceitou a contraproposta da Fenaban, que representa as empresas, de reajuste salarial de 8%, além de abono de 3.500 reais e aumento em outros benefícios. O acordo também prevê reajuste de 1% mais a inflação medida pelo INPC para 2017.

Até a rodada de negociação feita nesta quarta, os grevistas reivindicavam reajuste salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real, considerando uma inflação acumulada de 9,31%. Além disso, o sindicato pedia o pagamento de três salários mais 8.297,61 reais em participação nos lucros e resultados, além da fixação do piso salarial em 3.940,24 reais.