Temer diz que pedirá a ministros empenho em reformas

O texto da reforma trabalhista deve ser colocado em votação em comissão especial da Câmara na terça-feira

O presidente Michel Temer disse que vai pedir aos seus ministros políticos na reunião da tarde desta segunda-feira, no Palácio do Planalto que se empenhem junto às suas bancadas para garantir a aprovação das reformas da Previdência e trabalhista.

“Vou pedir para eles fazerem o que deve ser feito pelo Brasil”, declarou Temer, ao chegar ao Itamaraty para o almoço com o primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, que está em visita oficial ao país.

O texto da reforma trabalhista deve ser colocado em votação em comissão especial da Câmara na terça-feira. A expectativa é que a matéria seja votada em plenário na quarta-feira. A reforma da Previdência deve entrar em votação na comissão especial no dia 2 de maio.

Temer evitou afirmar que ia “cobrar” os ministros para assegurar os votos. Mas ressaltou que ia pedir apoio para “trabalhar pelas reformas, agora ancorado pelas palavras do presidente do governo da Espanha”. Temer lembrou que Mariano Rajoy citou que “lá, depois de duas greves gerais, hoje o povo aplaude o governo pelas reformas”.

O presidente convocou os ministros que têm mandato parlamentar e representam suas bancadas no governo para uma conversa no Planalto às 16h30. A reunião de hoje foi marcada em outro encontro, realizado ontem à noite, no Palácio do Jaburu, quando o presidente avisou que não há mais espaço para ceder às pressões das corporações. Temer ficou muito irritado com o gesto do relator da reforma da Previdência na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), que, na semana passada, surpreendeu o governo ao acatar mudanças no texto – atendendo a pedidos dos servidores públicos – que não estavam previstas.

A previsão é de que a reunião seja eminentemente política, sem a presença da equipe econômica dando novas explicações. Com isso, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo de Oliveira, não estarão presentes, e os parlamentares terão esta semana para se inteirar do texto do relator.

O Planalto quer o engajamento de seus ministros e todos os deputados da base. O ideal é que os partidos fechem questão pela aprovação da matéria, mas o governo sabe que isso é difícil de conseguir. A intenção é que, pelo menos, o PMDB faça isso, para dar demonstração aos demais aliados.