Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Susep vai apurar leilão do Hotel Nacional

Por AE

São Paulo – A Superintendência de Seguros Privados (Susep) informou nesta sexta-feira que abriu sindicância para apurar denúncias que apontam possíveis irregularidades no leilão de venda do Hotel Nacional, localizado em São Conrado, Zona Sul do Rio de Janeiro. A operação foi realizada em 2009.

O tradicional hotel carioca faz parte da massa falida da empresa Interunion Capitalização, que comercializava o título de capitalização Papa Tudo. Como a regulação e fiscalização das empresas de capitalização são feitas pela Susep, é a autarquia quem vai cuidar das investigações.

Com a medida, a Susep pretende investigar todo processo de condução da massa falida, incluindo o liquidante responsável, advogados envolvidos e os procedimentos adotados para a realização do leilão do principal bem incluído na liquidação da Interunion.

A sindicância será presidida pelo procurador Federal lotado junto à Susep, Paulo Cesar Santos. O relatório deverá ser apresentado no prazo de 60 dias, prorrogável por igual período.

De acordo com notícias veiculadas na imprensa, um empresário ligado ao contraventor Carlinhos Cachoeira e ao senador Demóstenes Torres teria usado o esquema do grupo para se beneficiar no leilão do hotel.

O Hotel Nacional foi vendido em dezembro de 2009, por R$ 85 milhões. O comprador foi o empresário Marcelo Gonçalves, que atua no setor farmacêutico. Projetado por Oscar Niemeyer, ficou mais de 14 anos fechado.