Por apoio, governo indica que vai aliviar dívida dos estados

Presidente Michel Temer deve anunciar refinanciamento de débitos com o BNDES e securitização de dívidas dos estados após reunião com governadores

Em meio à crise política, o presidente Michel Temer segue na tentativa de emplacar uma agenda positiva do governo. Em jantar com governadores marcado para esta terça-feira no Palácio da Alvorada, deve anunciar a regulamentação do refinanciamento de 50,5 bilhões de reais em dívidas dos estados com BNDES, cuja autorização foi aprovada no fim do ano passado, e a retomada do projeto que permite ao setor público vender créditos de dívidas parceladas por contribuintes – a chamada “securitização” -, que beneficiaria os caixas estaduais.

O gesto político ocorre no momento em que Temer busca manter unida a sua base aliada no Congresso para barrar a denúncia contra ele que será enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para depois tentar retomar a votação das reformas.

Pelo menos uma dezena de governadores já confirmou presença no jantar. Também participam o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). A aprovação de uma resolução pelo Senado Federal é o passo que falta para que os estados possam assinar os aditivos contratuais que permitem a renegociação da dívida com o BNDES.

A medida representa um fôlego de caixa significativo para os governos estaduais, que enfrentam dificuldades financeiras diante da queda de receitas. As condições do refinanciamento, oferecidas para dívidas contratadas até 31 de dezembro de 2015, foram definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CNM) em fevereiro e incluem alongamento de 20 anos no prazo para o pagamento, além de carência de quatro anos. O Tesouro Nacional estima alívio de 6 bilhões de reais aos Estados em três anos, caso todos os contratos sejam renegociados.

Securitização

O governo também quer discutir a retomada do projeto de securitização das dívidas de estados. O Rio de Janeiro, com rombo de 26 bilhões de reais esperado para este ano, é um dos grandes defensores da medida. Cálculos preliminares da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) indicam que os estados têm um potencial de venda de 60,5 bilhões de reais em dívidas que foram parceladas. Considerando um desconto estimado de 50%, a arrecadação dos governos estaduais poderia atingir 30,2 bilhões de reais.

Apesar da pauta econômica, um interlocutor do governo federal admite que o jantar é também uma busca de apoio por parte de Temer. Nos estados, a avaliação é semelhante, já que não houve qualquer convocação dos secretários de Fazenda, que participaram ativamente das negociações sobre as dívidas e também atuam nas discussões sobre a securitização.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Bandarra

    Gastando o que não tem para se salvar da polícia. O povo que pague depois por ter sido enganado.

    Curtir

  2. Sandro Marcos da Silva

    Salvar a pele e enterrar o povo na lama, a vontade e grande de sumir deste pais.

    Curtir

  3. Daniel De Freitas

    Um presidente que faz o diabo para se manter no poder não vai solucionar os problemas do país. Deveria ter a hombridade de, sabendo que é inviável sua administração, pedir para sair.

    Curtir

  4. Leandros Parker

    Temer não pode fazer isso, A dívida dos estados não é com ele e sim com a sociedade.

    Curtir

  5. ADRIANOVIAJANTE007

    Gastando o dinheiro honesto dos cidadão de bens para ajudar governadores gastão e corruptos, visando sua permanência no poder. Que vergonha.

    Curtir

  6. Lascou: vem mais jantar por aí. Assunto principal será ” não me abandonem”.

    Curtir

  7. O nome disto, chame-se PROPINA. Só bobo não enxergar isso, se der apoio recebe ajuda, então isso é CORRUPÇÃO e será que tem alguém que não consegue ver isso?

    Curtir

  8. este Temer não representa esta nação, está envolvido com a escória, terroristas, recebeu um ladrão do dinheiro público dentro do palácio do planalto, as escondidas e ainda deu conselhos contra os interesses da nação, crime hediondo, traidor da pátria, cadê a pena de morte pra crimes hediondos e terrorismo, quantas crianças ainda morreram.

    Curtir

  9. antonio olympio costa e silva

    E o povo que se exploda! Propina oficial para facínoras oficiais.

    Curtir

  10. Temer vende o Brasil e o povo brasileiro em proveito próprio.

    Curtir