Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministro da Agricultura se queixa de que pasta não foi consultada

Blairo Maggi se comprometeu a informar os nomes de empresas investigadas na Operação Carne Fraca que exportaram nos últimos meses

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, criticou neste domingo a “narrativa” da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal. Maggi reclamou que o Ministério da Agricultura não foi consultado e disse que poderia ter esclarecido pontos que foram considerados irregulares pela PF, mas são práticas do setor. “Em função da narrativa é que se criou grande parte dos problemas que temos hoje”, afirmou. Após a entrevista coletiva, Maggi disse que não ficaria “batendo boca” com a PF via imprensa.

Ele citou um áudio sobre papelão e disse que ficou claro que se tratava de embalagem, e não que o material seria misturado à carne, como indicou a polícia. “É uma idiotice. As empresas gastaram milhões de dólares para conquistar mercados, e vão misturar papelão?”, questionou. “A narrativa nos leva a criar fantasias”, disse Maggi.

Maggi também citou outro áudio que mostra um dono de frigorífico adquirindo carne de cabeça de porco para usar em linguiça. “Carne de cabeça de porco pode ser utilizada em determinados porcentuais, em determinados produtos. Está no regulamento”, completou.

Maggi disse que o governo respeita as investigações, mas que questionou a PF a razão de o Ministério da Agricultura não estar presente nas investigações. “Por que não estávamos presentes para dizer que cabeça de porco pode ser utilizada ou que ácido ascórbico é vitamina C?”, afirmou. De acordo com o ministro, a PF explicou que a Agricultura era parte da investigação, por isso não foi consultada, mas que a investigação agora terá o apoio técnico da pasta.

Maggi disse estar preocupado com a repercussão da operação em relação aos mercados importadores. “Uma atuação forte de países impedindo o recebimento de mercadorias significaria crise muito grande, por isso nosso apelo a embaixadores e os esclarecimentos de que estamos trabalhando muito fortemente para resolver esses assuntos”, acrescentou.

O Ministério da Agricultura se comprometeu a informar os nomes de empresas investigadas que exportaram nos últimos meses, quais os produtos e por onde as mercadorias circularam. “Os levantamentos iniciais que nós temos é que pouquíssimas empresas tiveram movimentação nos últimos 60 dias”, completou.

Maggi disse ainda que serão verificados os motivos para trocas de fiscais em determinadas plantas, apontadas pela PF como indicativos de corrupção. Uma das acusações é que fiscais que começavam a “apertar” a fiscalização eram trocados de locais. De acordo com o ministro, há mais de um ano já não é possível trocar os fiscais sem cumprir uma série de regras.

Outro ponto que será verificado é saber se toda a cadeia ligada aos frigoríficos suspeitos está sendo alvo de fiscalização e se todos os procedimentos estão sendo cumpridos. “Poderíamos tomar medida mais drásticas de interditar todas as plantas, mas o efeito na cadeia seria muito grande”, afirmou.

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Em um país descente esse corrupto já teria ido pro inferno junto com os comparsas da quadrilha.
    A polícia não tem que dar satisfação de suas operações, principalmente, quando se trata de vagabundos, corruptos, ladrões, políticos bandidos, que estão roubando o dinheiro do povo.

    Curtir

  2. Wendel Marcelino Mendes de Souza

    Esse Maggi é mesmo um comediante. Ele acha que a PF deveria “combinar” antes com ele antes de fazer uma investigação em que ele próprio é alvo da mesma. O que se poderia esperar de um Maggi, que tem maquiagem já no nome? Todo mundo sabe que “caldo Maggi” é uma porcaria química para maquiar o sabor de um prato.

    Curtir

  3. Tem lógica a PF estar investigando uma suposta quadrilha e ir combinar com ela como deve ser o procedimento nas investigações? Tá todo mundo “malhando” a PF, principalmente políticos, que vai haver um grande prejuízo para a economia brasileira, e vai realmente, mas o que estão fazendo mesmo, é “cortina de fumaça” para todo mundo esquecer que a PF relatou que tem partidos e políticos envolvidos nessa falcatrua.

    Curtir

  4. Camargo Eliézer

    Neste Caso da ” Carne Fraca ” Veja por questões práticas/éticas suspende o patrocínio do ” Luis Augusto ” até que prove o contrario ? Ou a Carne é realmente fraca ?

    Curtir

  5. Consultar a raposa sobre a segurança do galinheiro?

    Curtir

  6. Osmar Serrragem

    Essa é boa! Consultar o principal suspeito, pois é o chefe de uma gangue de fiscais corruptos…

    Curtir

  7. Osmar Serrragem

    Por que não te calas, Ministro?

    Curtir

  8. Osmar Serrragem

    Por que não te calas, Ministro Knorr…

    Curtir

  9. Henrique Katz

    A Polícia Federal tem o nosso irrestrito apoio;
    A classe política, como um todo, NÃO tem moral alguma para criticar nossa gloriosa PF!

    Curtir

  10. Josemar Silva Dos Santos

    Eu se tivese a condição fuzilava a todos sem dó nem piedade, por CRIMES HEDIONDOS CONTRA A HUMANIDADE em TEMPOS DE PAZ.

    Curtir