Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

McPF continuará sendo apenas a refeição dos funcionários, diz McDonald’s

Em entrevista ao site de VEJA, o diretor da marca explicou que, mesmo diante da grande repercussão do assunto, empresa não tem intenção de expandir a oferta de pratos executivos

Um dos assuntos mais comentados nas redes sociais na terça-feira, 13 de maio, foi a refeição executiva do McDonald’s Brasil, opção que a rede de fast food diz existir desde 2010. O prato, composto por arroz, feijão, proteína, salada, sobremesa e bebida, sai por 23 reais e foi batizado de ‘McPF’ nas redes. Segundo a Arcos Dourados, empresa que administra a marca na América Latina e detém cerca de 665 dos 814 restaurantes no Brasil, todos os seus pontos de venda já comercializam o prato, mas não há propaganda para a refeição. A opção ganhou os holofotes, mas o McDonald’s Brasil afirma que não vai mudar sua estratégia de manter o McPF ‘escondido’, disse Hélio Muniz, diretor de comunicação da empresa no Brasil, para o site de VEJA.

Qual a demanda diária por pratos executivos?

Hélio Muniz – Desde que começamos a oferecer essa refeição a nossos funcionários, em 2010, decidimos disponibilizá-la a nossos clientes por uma questão de transparência. Mas a demanda é tão pequena, mas tão pequena, que não é medida. Não temos, com essa opção (de refeição), um objetivo de negócios.

O McDonald’s pensa em começar a divulgar os pratos e, possivelmente, até expandir seu portfólio de arroz e feijão aqui no Brasil para concorrer com outras redes de fast foods que já oferecem essa opção aos consumidores?

Apesar de ter sido bem aceito pelos que provaram, não é nosso objetivo ter esse prato no portfólio de produtos oferecidos aos nossos clientes.

Mesmo com a política de não divulgar a refeição, o Twitter oficial do McDonald’s Brasil citou o prato. Se não há plano de marketing, por que a divulgação?

Como somos uma das maiores e mais amadas marcas do mundo, o inusitado da refeição criou um movimento nas redes sociais. Usamos o Twitter, com sua linguagem própria, apenas para participar da conversa, já que nossos milhares de fãs desejavam uma resposta sobre o tema. Mas não haverá campanha de marketing com esse assunto, pois, como dissemos, é a refeição de nossos funcionários. Apenas a deixamos disponível por transparência e por confiar absolutamente na qualidade do que servimos, exatamente como no caso de nossos sanduíches, sorvetes e saladas. Esse sucesso e a repercussão são exemplos da enorme força da nossa marca.

Leia ainda: Por R$ 23, McDonald’s troca o Big Mac pelo arroz e feijão

Lucro do McDonald’s cai para US$ 1,2 bilhão no 1º trimestre

​Quanto custa o Big Mac no Brasil quando comparado a outros países