Maria Silvia diz ter orgulho de fazer parte da história do BNDES

O diretor de Operações Indiretas, Ricardo Ramos, responderá interinamente pela presidência do banco

A presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, renunciou ao cargo nesta sexta-feira.  Aos funcionários do BNDES, Maria Silvia alegou motivos pessoais para renunciar. “

“Deixo a presidência do BNDES por razões pessoais, com orgulho de ter feito parte da história dessa instituição tão importante para o desenvolvimento do país”, diz o comunicado interno distribuído aos funcionários da instituição, fazendo referência à sua passagem anterior pela diretoria do banco, no início dos anos 1990.

No comunicado, Maria Silvia informa que toda a diretoria, que chegou ao banco junto com ela há cerca de um ano, seguirá no cargo.

“Informei pessoalmente ao presidente Michel Temer a minha decisão de deixar a presidência do BNDES”, diz Maria Silvia. Na agenda oficial da diretoria do BNDES, constava reunião com Temer, marcada para 14h30, em Brasília.

Maria Silvia buscou também enaltecer o quase um ano de gestão à frente do BNDES, durante o qual diz ter buscado “olhar para o futuro, estabelecendo novos modelos de negócios e estratégias para o banco, sem descuidar do passado e do presente, sempre tendo em mente preservar e fortalecer a instituição e seu corpo funcional”.

O comunicado interno termina desejando boa sorte a todos os funcionários.

O diretor de Operações Indiretas, Ricardo Ramos, responderá interinamente pela presidência do banco. Ramos é funcionário de carreira da instituição de fomento.

Em nota, o presidente Michel Temer agradeceu o tempo de Maria Silvia a frente do banco de fomento e disse que o trabalho dela “honrou o governo e moralizou um setor estratégico para o país, despolitizando a relação com o setor empresarial e elegendo critérios profissionais e técnicos para a escolha de projetos”.

Além disso, Temer também afirmou que Maria Silvia “deixará como legado um modelo a ser seguido em toda máquina pública”.

(Com Estadão Conteúdo)