FGTS: Polícia prende 17 por fraude em contas inativas

Suspeitos foram detidos em flagrante tentando sacar recursos de terceiros usando dados do PIS e senha do cartão

A Polícia Federal prendeu 17 pessoas em flagrante no último sábado por tentativa de fraude nas contas inativas do FGTS. Os suspeitos foram detidos na cidade de São Paulo, em nove agências diferentes, enquanto sacavam ou tentavam sacar dinheiro de contas de outras pessoas.

Os detidos foram presos pelas polícias Civil e Militar e depois encaminhados à PF. Foram encontrados dados de 177 pessoas com os suspeitos Os recursos das contas inativas do FGTS têm procedimentos diferentes de saque de acordo com o total disponível. Valores de até 1.500 reais podem ser retirados somente com os dados do PIS e a senha do cartão cidadão.

Segundo a PF, todos os 17 presos no sábado tentavam realizar a fraude nos caixas eletrônicos das agências usando apenas os dados, sem uso de cartão magnético. A Polícia Federal disse que vai investigar quais contas tiveram prejuízo, se há ligação entre os grupos e qual método foi usado para conseguir os dados pessoais dos trabalhadores vítimas da fraude.

A Caixa antecipou para o último dia 10 a etapa de saques das contas inativas para trabalhadores nascidos entre setembro e novembro. Mais de 2.000 agências ficaram abertas entre as 9h e 15 horas do sábado para este tipo de atendimento, e o banco também abre mais cedo até quarta-feira com este mesmo fim. A instituição calcula que serão liberados cerca de 11 bilhões de reais nesta etapa.

Procurado por VEJA, a Caixa diz que está cooperando com as investigações da PF e recomenda aos trabalhadores para que utilizem somente canais oficiais do banco. “A Caixa orienta os trabalhadores a encontrar informações seguras e atualizadas no site do banco (http://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/fgts), em seus perfis oficiais nas redes sociais, e por meio do 0800-726-0207, ou pelo app FGTS CAIXA.”, diz o banco em nota.