Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CNH ganha QR-Code para evitar fraudes e falsificações

O velho modelo, sem código de barras bidimensional e dados criptografados, será substituído gradualmente, à medida que os motoristas renovarem o documento

As carteiras nacionais de habilitação (CNHs) brasileiras estão sendo emitidas com um novo item de segurança para dificultar fraudes e falsificações, o QR Code (do inglês, Código de Resposta Rápida).

Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), cerca de 300 mil carteiras já foram emitidas em todo o país desde 1º de maio. O velho modelo, sem código de barras bidimensional e dados criptografados, será substituído gradualmente, à medida que os motoristas forem renovando suas habilitações, que têm validade de cinco anos. A nova carteira não exige a substituição das CNHs cujo prazo de validade não tenha expirado.

De acordo com o diretor do Denatran, Elmer Vicenzi, a nova tecnologia permite que a foto do documento apresentado pelo cidadão seja comparada à imagem armazenada no banco de dados do Registro Nacional de Condutores Habilitados (Renach). A checagem pode ser feita offline, permitindo que policiais rodoviários e outros agentes de segurança usem a tecnologia mesmo quando estiverem em rodovias e estradas distantes dos centros urbanos.

“O código permite a agentes de segurança pública e a qualquer outra pessoa conferir a imagem da carteira de motorista”, explicou Vicenzi, destacando que a nova carteira beneficiará também as atividades econômicas nos quais a CNH é requisitada para comprovar a identidade do portador, como bancos, estabelecimentos comerciais, entre outros.

“As informações que estão disponíveis no QR Code são as mesmas informações biográficas disponíveis na CNH, um dos principais documentos de identificação do cidadão. O QR Code é o primeiro elemento de segurança para a conferência das fotografias, já que a modalidade de falsificação mais comum é manter os dados biográficos [pessoais] do titular, mudando apenas a foto. Agora, qualquer pessoa interessada pode conferir a autenticidade do documento, o que traz segurança jurídica e agilidade aos negócios.”

O Denatran não prevê nenhum custo adicional aos motoristas, mas, como a emissão da CNH é regulamentada pelos estados, caberá às unidades da federação regulamentar a taxa a ser cobrada. Desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), o aplicativo (Lince) usado na leitura do código digital está disponível para o sistema Android e iOS e pode ser baixado no celular.

A diretora-presidenta da empresa pública de tecnologia, Maria da Glória Guimarães, reforçou a amplitude do uso da CNH, “um dos documentos mais seguros do país”. “Temos muitas utilizações para esse documento e é um marco partirmos para um modelo digital, que permitirá sua autenticidade.”

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Quanto atraso, ainda terá informações nos dois lados da carteira. Deveria ser como um cartão de banco. Mas, como sempre, tudo aqui é mais complicado, caro e mau feito.

    Curtir

  2. Faremos títulos de eleitor, identidade, carteira de motorista, quase de que – de ano a ano; os bancos vão continuar mudando às senhas de dígitos dos cartões mês a mês e a vagabundagem e a impunidade vão continuar. Falta tudo nesse país. Seriedade, então nem se fala!

    Curtir

  3. Antonio Augusto Simoes

    Será que algum idiota acredita nisso? É claro que continuarão falsificando, estamos no Brasil. A “nova carteira” é mais uma forma usada, por algum canalha do governo corrupto do Rio e de Brasília, faturar mais alguns milhões. Essa gente pensa e maquina dia e noite uma forma de roubar mais o erário público. País de ladrões e vigaristas.

    Curtir