Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas fecham em alta, após BCE cortar juros

Por Gabriel Bueno

Londres – Os principais índices das bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, após o Banco Central Europeu (BCE) surpreender e cortar sua taxa básica de juros em 0,25 ponto porcentual, para 1,25%. Também ajudaram os mercados as notícias de que o controverso plano grego para realizar um referendo sobre o pacote de resgate oferecido ao país na semana passada deve ser abandonado. O índice pan-europeu subiu 2,10%, ou 4,98 pontos, para fechar em 242,20 pontos.

A Grécia esteve no foco, com o primeiro-ministro George Papandreou enfrentando uma crescente revolta em seu partido após sua proposta de realizar um referendo sobre o último pacote de ajuda recebido pelo país. O Wall Street Journal informou hoje que Papandreou disse ao gabinete que desistiria do referendo, caso as conversas com a oposição levem a um consenso amplo sobre as medidas de austeridade necessárias para o país receber mais ajuda internacional. Outras reportagens afirmam que Papandreou abandonou o plano de referendo, após o principal partido da oposição afirmar que apoiará o pacote de ajuda fechado com a União Europeia.

As ações dos bancos gregos, que tendem a ser muito voláteis, tiveram altas, com National Bank of Greece avançando 11,1% e Alpha Bank ganhando 15,2%. Entre os principais índices, o CAC-40, da Bolsa de Paris, teve alta de 2,73%, para 3.195,47 pontos. Em Frankfurt, o DAX teve alta de 2,81%, chegando aos 6.133,18 pontos. Em Londres, o FTSE 100 subiu 1,12%, para 5.545,64 pontos.

Os ganhos também foram puxados pelo corte de juros feito pelo BCE, citando dados apontando para a piora na economia da zona do euro. Em entrevista coletiva, o presidente do BCE, Mario Draghi, disse que a zona do euro enfrenta um “leve” risco de recessão até o fim do ano.

Em Paris, as ações do BNP Paribas subiram 7,5%. O banco informou sobre uma queda de 72% em seu lucro líquido no terceiro trimestre, pois o banco precisou fazer uma provisão de mais de 2 bilhões de euros (US$ 2,7 bilhões) por causa de seus títulos da dívida grega.

As ações da Cable & Wireless Communications subiram 7,6%, após a empresa informar que seu lucro líquido na primeira metade do ano, excetuando-se itens excepcionais, subiu 9%, para US$ 163 milhões. A companhia comprou a Bahamas Telecommunications em abril e afirmou que a fase inicial de seu plano de reestruturação nas Bahamas foi concluído antes do prazo.

As ações da Tenaris subiram quase 15% em Milão, após a fabricante de tubos de aço informar sobre uma alta de 21% em seu lucro líquido no terceiro trimestre, para US$ 365,5 milhões. As vendas da empresa subiram 23%, para US$ 2,49 bilhões.

Os papéis da varejista alemã Metro subiram 9%, depois de ela informar que o lucro ajustado em 2011 pode subir 10%, se os negócios no Natal forem bem melhores do que em 2010. Se o quadro for normal, o crescimento ficará pelo menos em linha com as expectativas do mercado, de 5%, informou a empresa.

As ações do ING Group subiram 9,4% em Amsterdã, após o banco informar sobre um salto em seu lucro no terceiro trimestre e anunciar um corte de 2 mil postos de trabalho.

A companhia do setor automotivo e de defesa alemã Rheinmetall teve queda de 7,6% em suas ações, depois de reduzir sua previsão de lucro anual e informar que as condições para uma oferta pública inicial de sua divisão de automóveis não estavam favoráveis, por causa da volatilidade do mercado.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB subiu 3,23%, para os 15.766,16 pontos. Os bancos estavam entre as principais altas, com UniCredit (+4,3%) e Intesa Sanpaolo (+3,7%). Na Espanha, o índice Ibex-35 subiu 1,61%, para 8.712,60 pontos. Santander ganhou 1,2% e BBVA subiu 2,2%. Em Lisboa, o PSI 20 avançou 2,92%, chegando aos 5.806,61 pontos. As informações são da Dow Jones.