Gigantesco iceberg está a um passo de se romper na Antártica

Fenda cresceu 17 quilômetros na última semana. Quando se soltar, bloco de 5.000 km² será um dos dez maiores icebergs do mundo

Uma imensa rachadura em uma das cinco maiores plataforma de gelo da Antártica cresceu significativamente nos últimos sete dias, a um passo de originar um gigantesco iceberg. Segundo relatório divulgado pelos cientistas nesta quarta-feira, a fenda na plataforma de gelo Larsen C aumentou 17 quilômetros entre 25 e 31 de maio – o maior avanço desde janeiro. Com isso, apenas 13 quilômetros de gelo impedem que o bloco de 5.000 quilômetros quadrados se desprenda do continente e se torne um dos dez maiores icebergs do mundo.

“A ponta da fenda parece ter se virado significativamente para a frente da plataforma, indicando que o momento da ruptura está provavelmente muito próximo”, afirmaram em comunicado os cientistas do Projeto Midasda Universidade de Swansea, no País de Gales, que monitora a rachadura por meio de imagens de satélites e radares.

De acordo com os pesquisadores britânicos, quando o iceberg se soltar, a plataforma Larsen C perderá mais de 10% de sua área e terá a maior retração já registrada. O desprendimento do bloco de gelo irá mudar fundamentalmente a paisagem da Antártica, e a nova configuração ambiental será menos estável.

Como o bloco de gelo flutuará, ele não deve causar aumento no nível dos oceanos – contudo, futuras rupturas causadas pelo desprendimento podem levar ao descongelamento de geleiras e, como a água dessas últimas são integradas aos mares, podem levar ao aumento do nível.

Mapa mostrando a localização da fenda na plataforma Larsen C, em 31 de maio, feito com imagens de satélites e informações de radares. (Project Midas/Reprodução)

Mudanças geográficas

Plataformas de gelo flutuam no mar, na extremidade da geleiras, com uma espessura de centenas de metros. Por não estarem sobre a terra, pedaços podem se desprender. Os cientistas temem que a perda dessas plataformas ao redor do continente permita que, futuramente, geleiras internas se mexam mais rápido em direção ao mar, à medida que as temperaturas aumentem devido às mudanças climáticas.

Os pesquisadores têm acompanhado a rachadura em Larsen C por muitos anos. Nos últimos meses, porém, passaram a observá-la com atenção em razão de colapsos das plataformas de gelo Larsen A, em 1995, e Larsen B, em 2002.

Segundo os cientistas, o fenômeno que pode levar à ruptura do iceberg não é climático, mas geográfico. É provável que as mudanças climáticas tenham antecipado o rompimento, mas talvez não sejam a causa do fenômeno.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fabiana Diniz

    Em M ou Km * ! Esse corretor é um demônio.

    Curtir

  2. aparecido furlaneto

    Corram pessoal.. só vai sobrar a brahma !!!!

    Curtir