‘Vassouras contra a corrupção’ são roubadas em Brasília

A organização da manifestação optou por retirar o restante das vassouras depois de perceber que todas acabariam sendo mesmo arrancada

Ambulantes, servidores e até mesmo seguranças dos prédios da Esplanada dos Ministérios roubaram muitas das 594 vassouras nas cores verde e amarelo que desde a manhã desta quarta-feira estavam fincadas no gramado em frente ao Congresso Nacional como protesto contra a corrupção. A organização da manifestação optou por retirar o restante das vassouras depois de perceber que todas acabariam sendo mesmo arrancadas, mas acabou doando outra grande parte delas às pessoas que pediram para levar para casa uma vassoura novinha em folha.

Cada vassoura representa os 513 deputados e 81 senadores que compõem o Legislativo nacional. A ONG que organizou o protesto é a mesma que integrou a Marcha Contra a Corrupção no Rio de Janeiro e realizou uma manifestação similar nas areias da Praia de Copacabana.

Em 19 de setembro, o cartão-postal carioca amanheceu com vassouras fincadas na a reia e um cartaz que dizia que a função delas era “varrer a corrupção do Brasil”. No dia seguinte, 2.000 pessoas tomaram as ruas da Cinelândia, também na capital do Rio de Janeiro, com as vassouras nas mãos e gritos de ordem que se dividiam entre o fim da impunidade aos corruptos, aumento de salário dos bombeiros, reinvindicações de aposentados e até protestos contra a usina de Belo Monte.

O movimento contra a corrupção no Brasil ganhou força no dia 7 de setembro, quando 25.000 pessoas tomaram a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, com o rosto pintado de verde e amarelo, atraindo para si os holofotes que seriam para o primeiro desfile da Independência do qual a presidente Dilma Rousseff participou. Na mesma data, 4.000 manifestantes fizeram o mesmo na Avenida Paulista, em São Paulo.

(Com Agência Estado)

LEIA TAMBÉM

Para alcançar resultados práticos, manifestantes terão de entrar no jogo político