Gilmar elogia pacote anticorrupção aprovado pela Câmara

Ministro do STF participou de sessão no Senado ao lado de Sergio Moro. Juiz federal criticou duramente 'emenda da meia-noite' aprovada por deputados

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), elogiou nesta quinta-feira no Senado o papel dos deputados na aprovação do pacote anticorrupção, na madrugada de ontem. Gilmar avaliou que a Câmara “andou bem” ao retirar do projeto itens que tratam de habeas corpus e aceitação de provas ilícitas. O juiz federal Sergio Moro, que também participou da sessão na Casa, fez duras críticas à aprovação da emenda do abuso de autoridade por juízes, procuradores e promotores.

“A Câmara fez bem em rejeitar a questão do habeas corpus. Nesse ponto, a Câmara andou bem em rejeitar habeas corpus, a prova ilícita. Se esse projeto tivesse sido aprovado, isso acabava com o habeas corpus como o conhecemos”, disse Gilmar.

Ele também menosprezou o apoio popular que o pacote das dez medidas anticorrupção, apresentado pelo Ministério Público Federal (MPF), recebeu, reunindo mais de dois milhões de assinaturas. “Duvido que esses dois milhões de pessoas tivessem consciência disso, ou de provas ilícitas, lá no Viaduto do Chá (SP). Não vamos canonizar iniciativas populares”, ironizou.

O ministro ainda criticou o vazamento de gravações por autoridades. Em março, foram vazadas na imprensa gravações autorizadas por Moro entre a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. “Há vazamentos, e é preciso dar nome pelo nome (que é)”, provocou Gilmar.

‘Emendas da meia-noite’

Também na sessão de hoje no Senado, Sergio Moro disse ter “severas críticas” à decisão da Câmara dos Deputados de aprovar dispositivo que prevê a responsabilização de juízes e membros do Ministério Público, e afirmou que a aprovação pelo Congresso de uma nova lei de abuso de autoridade pode passar mensagem errada à sociedade no momento em que são investigados diversos casos de corrupção pelo país.

“Emendas da meia-noite, que não permitem uma avaliação por parte da sociedade, que não permitem um debate mais aprofundado por parte do Parlamento, não são apropriadas tratando de temas tão sensíveis”, disse Moro ao comentar o projeto aprovado pelos deputados.

(com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Tem que proteger Aecio Neves!!!

    Curtir

  2. Mitovaldo da Silva

    João Plenário!!! Tucanalha!! Invejoso da notoriedade do Juiz Sérgio Moro!!

    Curtir

  3. Gilmar Mendes foi covarde nessas declarações. Ele sabe muito bem que o Dr Moro, na hierarquia da justiça esta abaixo dele e aproveita pra ser ironico . Dr Moro obviamente fica numa situação constrangedora pra criticar o ministro que se aproveita dessa situação pois tem a caneta que pode alterar qualquer decisão do Juíz. Tem muito juiz do STF que tem uma inveja do DR Moro e ja nao conseguem mais esconder isso. Dois deles são o Gilmar Mendes e Marco Aurelio Melo . Pura vaidade. Em condições de igualdade o Dr Moro destruiria os argumentos de Gilmar Mendes da mesma forma que destruiu Lindemberg . Chegou a dar pena do Lindinho . não deu nem pro começo contra o Moro

    Curtir

  4. Marco Águila

    Carlos Marques, tb acho q o grande incomôdo para esses caciques do judiciário é justamento o despeito pela relevância do Moro. Um “juizinho” de 1ª instância q fez mais pelo país do q todas as “excelências” do STF juntas (mesmo de outros colegiados). Eu sinto tb q é isso q incomoda a esses “donos da verdade”, aos quais imputo tb um certo jornalista da Veja.

    Curtir

  5. Marco Águila

    Seria tb interessante lembrar a esse rábula do Gilmar Mendes q nossa opinião importa sim, e muito!
    Somos nós, o mero zé povinho, q pagamos suas mordomias, safado!

    Curtir

  6. Horta Jose Geraldo

    Depois que Gilmar Mendes conheceu o Toffoli,

    Curtir

  7. Horta Jose Geraldo

    Gilmar Mendes é amiguinho de Renan… Como diz o ditado francês: qui se ressemble, s’assemble!

    Curtir