Blogs e Colunistas

05/09/2013

às 5:10

STF pode viver hoje o 1º dia do resto de sua história: ou o triunfo da lei ou a chicana. Julgamento encerrado, 11 mensaleiros podem ter prisão imediatamente decretada. Caso sobrevenha o desastre legal e institucional, aí só o diabo saberá

O Supremo Tribunal Federal pode viver hoje o primeiro dia do resto de sua história. Ou se mantém conciliado com a lei, com o estado de direito, com o senso de moralidade da maioria dos brasileiros, composta de pessoas de bem — não fosse assim, o caos já estaria à porta —, ou faz o contrário: ignora a legalidade, despreza a racionalidade, dá de ombros para os justos reclamos dos brasileiros, que pedem uma Justiça mais ágil e eficaz, e marca um compromisso com a bagunça. Ou segue maiúsculo, apesar de algumas minoridades, ou, então, se toma pela menor medida e também se apequena. E, nesse caso, seja o que o diabo quiser. E não! Não estou, de modo nenhum!, a cobrar que o tribunal se vergue ao clamor das ruas.

Às vésperas do 7 de Setembro — contra o qual Dilma Rousseff já tomou medidas especiais —, não estou a recomendar que uma corte suprema se deixe pautar pelo medo. Eu sou, como talvez prove uma centena de textos, um adversário severo e intransigente do “direito achado na rua”, uma feitiçaria jurídica que pretende transformar a Justiça no terreno privilegiado da luta de classes. Eu não tenho, como sabem, nenhuma simpatia por esse submarxismo togado, que mistura, a meu ver, duas ignorâncias: a do próprio direito com a da sociologia. Ao contrário: eu defendo é que juízes apliquem O DIREITO ACHADO NAS LEIS.

E aqui já se expôs mais de uma vez: é o triunfo da lei que está a nos dizer que os embargos infringentes (novo julgamento para condenados com pelo menos quatro votos favoráveis) não existem mais. Estão previstos, sim, no Artigo 333 do Regimento Interno do Supremo, mas não da Lei 8.038, que disciplina os processos criminais de competência originária de tribunais superiores. Este blog foi o primeiro veículo da imprensa a tocar no assunto, num post do dia 13 de agosto de 2012. Até então, dava-se de barato que os infringentes eram uma etapa natural do processo.

Há exatamente um ano (aniversário amanhã), no debate da VEJA.com, lembrei que, quando menos, seria preciso que os ministros passassem por uma etapa prévia: antes de decidir se acatavam ou não embargos infringentes, seria preciso decidir se eles ainda existem — e entendo que não existem mais. Vejam o vídeo abaixo, a partir de 36min10s:

E por que não existem? Porque a Lei 8.038 não o prevê e porque o próprio STF já tomou decisão idêntica por ocasião de embargos infringentes em Ação Direta de Inconstitucionalidade. Também estavam previstos no Regimento Interno. Uma lei veio a disciplinar o assunto e não previu o expediente. O que fez o STF? Passou a considerar sem efeito aquele artigo de seu regimento. Por que agiria, agora, de maneira diferente?

O que farão os ministros? Eu espero que cumpram a lei — ao menos espero que assim aja a maioria, já que as minhas esperanças de ver o texto legal ter mais peso do que as afinidades eletivas, infelizmente, não se estendem a todos os membros da corte. As sessões do STF são transmitidas ao vivo e aos vivos. Os leitores sabem muito bem do que estou falando.

Sessão desta quarta
A sessão desta quarta parecia tranquila demais. Aí Teori Zavascki se encarregou de fazê-la desandar com um raciocínio que, entendo, toca todas as raias do absurdo (escrevi um post a respeito). O mais curioso é que passou, em questão de cinco minutos, do formalismo mais estreito e tacanho para a heterodoxia mais abusada.

Diante de uma evidente contradição do julgamento, que impunha penas distintas para réus que haviam cometido rigorosamente os mesmos crimes, no mesmo núcleo, com o mesmo número de imputações, com as mesmas agravantes e atenuantes — matéria, sim, então de embargo de declaração —, Zavascki resolveu divergir e não acatar o recurso. Alegou que se tratava de instrumento impróprio para aquele fim. Ao ser derrotado, então foi para o outro extremo: aí reviu votos anteriores seus em embargos de declaração e decidiu rediscutir as penas aplicadas aos condenados por quadrilha, que considerou excessivas — se ele for bem-sucedido, pode beneficiar José Dirceu, por exemplo. E onde estaria a contradição nesses casos? Segundo ele, a pena de quadrilha dos réus foi excessiva. Ele pode achar o que quiser, mas cadê a contradição? Segundo ele, as outras condenações desses mesmos réus, por outros crimes, partiram de patamares mais brandos. Isso é matéria de embargo de declaração? Não! Na melhor das hipóteses, é só uma tese maluca. O estranho, como notei, é que Zavascki não tinha como adivinhar que o tribunal reveria o outro caso, certo? Mesmo assim, tinha seu voto de revisão geral redigido, com quatro ou cinco laudas. Parodiando um personagem de Ariano Suassuna, não sei como aconteceu, mas sei que aconteceu!

Eu não quero que os senhores ministros pensem nas ruas. Eu não quero que os senhores ministros pensem no Brasil. Eu não quero nem mesmo que os senhores ministros pensem nos réus — Lewandowski vive apelando ao senso humanitário dos juízes, quase pedindo desculpas aos condenados. Eu quero é que os senhores ministros pensem nas leis. Para mim, está de bom tamanho. Se tiverem coragem de aplicá-las, estarão, por consequência, fazendo bem ao Brasil e aos brasileiros.

Se os embargos infringentes forem rejeitados, aí acabou! O Ministério Público poderá pedir a execução imediata da pena dos condenados, e 11 deles poderão, finalmente, ir para a cadeia. E a corte suprema do Brasil estará a dizer, no cumprimento estrito das leis, não com receio do clamor das ruas, que o crime não compensa.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

170 Comentários

  1. Edgar Soares

    -

    14/09/2013 às 10:33

    PTeori?

  2. ELEONORA FLEURY

    -

    12/09/2013 às 17:21

    REINALDO AZEVEDO,

    IMPEACHMENT JÁ

  3. ari machado portela

    -

    07/09/2013 às 8:09

    A postura jurídica de Teori Zavaski é simplesmente ridícula. Mais: é e fatura cobrada do governo pela sua nomeação ao STF. Temos urgentemente de acabar com esse critério. A nação brasileira no caso dos quadrilheiros/mensaleiros/corruptos exige respeito, ou é agora ou nunca mais.

  4. J. Gomes Jr.

    -

    06/09/2013 às 11:04

    Este Zavascki e os outros cupinchas querem transformar a Justiça Brasileira em um cão raivoso, que corre a trás da própria calda. “Querela que chegam ao STF e nunca tem fim!

  5. heraldo faskomy de sa

    -

    05/09/2013 às 23:10

    ARREBENTOU MEU REY, DISSE TUDO. VOU VER O VIDEO AGORA.

  6. fernando machado costa

    -

    05/09/2013 às 19:27

    Caríssimos debatedores! Como o Villa já disse, esse julgamento irrita! Não por ele em si, mas pela vergonha, ao ridículo e mesmo escárnio que esses ministros companheiros (agora no mau sentido, Reinaldo) estão expondo nossa Nação, não só aqui, mas a todo mundo!! É com extremo pesar que assisto a degradação da nossa suprema côrte! Uma pergunta: como se retira, ou melhor, expulsa, um ministro do STF? Grande abraço!

  7. Sandoval Alecrim

    -

    05/09/2013 às 19:08

    Caro Reinaldo:
    Parabéns pelo excelente trabalho jornalistico que, em palavras simples, desnuda por completo o esquema sórdido articulado pelos dirigentes do PT para defender os seus companheiros condenados no processo do mensalão. Tudo isso faz lembar o refrão da musica do Renato Russo – ” Que país é esse?”. Até quando vamos continuar aturando, sem qualquer reação, ministros sabidamente comprometidos pelo PT, participando de julgamento de crimes cometidos por personagens integrantes daquela organização partidária?.
    Ante tal descalabro,O Ministro Joaquim Barbosa está com razão quando perde o controle verbal ao contraditar as atrapalhadas teses de bloqueio articuladas pelos, agora 6, dos seus pares, nomeados pelos dirigentes do PT.

  8. Eleitora

    -

    05/09/2013 às 19:02

    Graças as nomeações “estratégicas” da Dilma o STF corre o risco de ficar desmoralizado.

  9. Jose Maria

    -

    05/09/2013 às 18:56

    Esperamos desfecho honrado desse caso. Parabéns aos ministros que estiverem cordatos com atos de justiça.

  10. Leifsbudir

    -

    05/09/2013 às 18:29

    E depois, esse país quer ser respeitado… Que lástima.

  11. augusto correa de oliveira neto

    -

    05/09/2013 às 16:48

    Genuino pede aposentaria por invalidez. Com certeza está com tendinite nos dez dedos das mãos de tanto contar o dinheiro do povo que foi para o mensalão. Se isso é pouco saibam que no STF tem uns quatro magistrados que estão do lado deles.

  12. Cláudia Bezerra de Menezes

    -

    05/09/2013 às 16:39

    Estou em estado de choque!!!! Tudo se encaminhava para um final feliz para a sociedade brasileira decente, quando um dos Ministros, que entrou por ultimo …, resolveu levantar questões complicadas sobre a diferença das penas de crimes iguais. Foi aí que os ministros petralhas já combinados e tendo trazido pronto de suas casas tabelas e o escambal, para criar todas as dificuldades!!!! Gostaria imensamente de saber qual será o fim desses Ministros que foram escolhidos tão e somente para defender seus amigos petralhas e não a LEI E JUSTIÇA DESSE NOSSO BRASIL!!!!!

  13. Eduardo

    -

    05/09/2013 às 16:23

    Reinaldo, boa tarde. Gostaria de saber como vai ficar a vida de dois ministros do STF ao final deste julgamento : Lewandowski e Toffoli.

  14. edinho gomes

    -

    05/09/2013 às 16:04

    Bravo, Reinaldo. BRAVÍSSIMO.
    Edinho Gomes

  15. JPS

    -

    05/09/2013 às 16:02

    QUE A JUSTICA SEJA FEITA.SE ASSIM OCORRER,POIS E O MINIMO QUE SE ESPERA,SO FICARIA COMPLETA SE O PODEROSO CHEFAO DA QUADRILHA FOSSE CONDENADO TAMBEM,MAS DERAM UM JEITO DE BLINDAR O TODO PODEROSO LULAO.

  16. Andnet

    -

    05/09/2013 às 15:23

    Aguardo a notícia com a data e hora da entrada de José Dirceu, José Genuíno e toda a turma do mensalão na CADEEEEEEEEEEEIA (pena que o chefe mesmo ficou de fora). Shiii! O pior que do jeito que andam as coisas lá eles irão criar o P P P (Partido dos Petralhas Presos).

  17. Castro

    -

    05/09/2013 às 15:20

    Pois é, mas os eminentes debatedores da Veja, por quem eu tenho grande admiraçao, criticaram duramente o Ministro Joaquim Barbosa quando ele alertou o país, em termos que o país entendesse, da gravidade da situaçao. Nao fosse a coragem do Ministro de usar a palavra correta na hora correta, os togados teriam ainda mais facilidade para conspirar contra o país e sabotar as instituiçoes.

  18. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 15:07

    …. MOTIVO DE SILÊNCIO! DIFÍCIL ACREDITAR QUE ALGUNS VÃO SE REGENERAR. SE TOFFOLI, MESMO SENDO ADVOGADO DELE E TRABALHADO PARA o ZÉ, JULGOU O ZÉ. E COMO SE ESPERAVA ATUOU MENOS COMO ADVOGADO DE DEFESA DO QUE WANDO (a quem foi dada a missão para não ficar feio – este era amigão de LULA, que não estava sendo julgado). NA CARA DO POVO (não, minto, na cara de uma minoria, que entende e pode assistir pela TV o julgamento)ELE SE FEZ DE DESENTENDIDO. IMAGINEM NA RETA FINAL. Vejam sua foto de espanto, legendada, em: http://www.flickr.com/photos/pietro_mascagni

  19. ALBERTO NETO

    -

    05/09/2013 às 15:06

    Infelizmente receio que o resultado não será o triunfo da Lei, a julgar pelas posições dos 2 novos Ministros, o triunfo será da bandidagem, dos picaretas, da quadrilha petista e Lulista.

  20. roby

    -

    05/09/2013 às 14:56

    É difícil acreditar que essa novela acaba mesmo, Tio Rei!
    Quer apostar um Chicabon que MAIS DE UM dos ministros “esquerdistas” ainda vão tentar algum golpe, ainda que aloprado?
    Uma vez petista…

  21. Alzira

    -

    05/09/2013 às 14:47

    A Abin estava tão preocupada com os protestos de 7 de setembro que não tomou conhecimento de que os EUA “espionavam” Dilma. Go figure!

  22. Maria Aparecida Reis

    -

    05/09/2013 às 14:43

    O futuro do Brasil está nas mãos do STF. Sem justiça o que nos resta?

  23. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 14:28

    Será que já estão prevendo que os mensaleiros ficarão impunes?
    Estaríamos rumo a Implantação da Ditadura Comunista Petista no estilo Venezuelano?

    Governo Agnelo do PT vai reprimir com rigor manifestações contra o governo de Dilma no 07 de setembro
    Oglobo
    Comandante geral da PM no Distrito Federal declarou que a corporação vai agir “com rigor”; efetivo policial terá um reforço superior a 300

  24. Dos Santos

    -

    05/09/2013 às 14:28

    Reinaldo,

    Sobre estes tempos do STF, Lenio Streck escreve um artigo para o site Consultor Jurídico (http://www.conjur.com.br/), com o título Senso Incomum, sobre a liminar que o Ministro Barroso proferiu em relação ao caso Donadon, (cabe ressaltar que o mesmo têm entendimento diferente do seu, com relação a cassações de mandato) onde destaco um trecho, ao final do artigo, onde ele diz: “o STF, em nome de argumentos morais, legislou. Como superego (Über-Ich) da nação (utilizo a expressão de Ingeborg Maus), o ministro relator arvorou-se no direito de corrigir não somente a atitude do Congresso, mas, também, a própria Constituição. Reescreveu a Constituição, dizendo, em outras palavras, que toda a perda do mandato de um parlamentar condenado a prisão não é automática, a não ser nas hipóteses em que…(basta ler a decisão)”.
    Atenciosamente,

  25. MURILO MENDES

    -

    05/09/2013 às 14:18

    TEORI

    Reinaldo

    Admiro o fato de você, jornalista, se debruçar sobre as questões jurídicas, formular teses e contestar as que lhe pareçam equivocadas. Direito também se aprende sozinho. Como diz você, com um pouco de boa vontade, leitura da lei, outro tanto de bom senso e ainda outra pesquisinha aqui e acolá, é possível, sim, àquele que não é do ramo interpretar corretamente um texto. Não advogo o monopólio da interpretação para os juristas. Direito não é física quântica.

    Essa introdução serve apenas para dizer que nada tem de absurda a intervenção do Ministro Teori. Teori foi coerente. Não admitiu os embargos em um primeiro momento. Depois, com o plenário os admitiu para um dos réus, ele então passou a admiti-los para todos. Nada mais coerente.

    O mérito. Quanto ao mérito, o voto dele foi muito fácil de entender. Se o Tribunal, partindo de premissas fáticas iguais, adotou um critério para elevação da pena mínima no crime de peculato, por exemplo, não poderia ter adotado critério distinto quando calculava a pena por formação de quadrilha.
    Você pode dizer que isso é revisão de pena, que isso somente seria possível em embargos infringentes. Mas esse era justamente o pensamento do Ministro Teori, somente alterado depois que o pleno admitiu os embargos modificativos para aquele outro réu cujo nome não sei de cor.
    Teori é jurista respeitado. Você, que diz admirar os argumentos, pode conferir o que estou dizendo se for ao site do STJ. Veja, por exemplo, o voto dele no caso da regra “interpretativa” da Lei Complementar 118, que alterou o prazo da restituição de tributos, fixando-o em cinco anos. É uma aula. Não vejo nada de estranho no ar.

  26. Heitor

    -

    05/09/2013 às 14:17

    Vai ter dancinha da pizza no plenário do STF? Chamem a Guadagnin.

  27. Carlos Pontes

    -

    05/09/2013 às 14:16

    Um exemplo de esperteza e de como ganhar dinheiro da viúva, acabei de ouvir na MEC FM, que o Deputado Genoino entrou com pedido de aposentadoria por invalidez.

  28. Artur.sul

    -

    05/09/2013 às 14:15

    Note como são rápidos, supersônicos: (a) para baixar atos, mesmo sem qualquer apoio em lei, para concederem a si mesmo expedientes diminutos, feriados, etc; (b) para conceder a si próprios sinecuras e benefícios financeiros (auxílios) de toda ordem; (c) para indeferir algo sem mesmo ler, fundamentar então é piada; (d) pichar qualquer ideia de controle externo; (e) para repudiar qualquer projeto tendente a moralizar a atividade judicante, e igualar seus direitos com os reles celetistas; (f) para afirmar que cursos e eventos na beira do mar, custeados por empresas, dizem com o interesse publico. Note como são lentos, paquidérmicos: (a) para julgar ofensas à legalidade, como as questões da tributação, os crimes. Note como dificultam tudo para que se instaure o império dos despachantes. O descompasso entre a vida real, e o que se conclui dos autos, é abissal. Torrentes de normas são produzidas, mas não efetivamente empregadas para dar a resposta àqueles problemas que afligem o mundo real. No Brasil, por purismos os mais diversos, ainda se está a discutir se um motorista ébrio tem, ou não, o dever de soprar o bafômetro. Quando uma resposta chega, pode vir onze anos depois. É a culminância de uma problemática mais paroquiana, todavia essencial: ingressam no poder togado uma grande quantidade de sumidades supostas, as que retiram autoridade de si mesmas, ignoram deliberadamente o primado das leis, e pretendem fazer ativismo. Quando cobradas por retardar julgamentos, ainda que todos os demais atores do processo tenham prazos fatais, menos elas, pretextam excesso de recursos. E o pior: não devem satisfação a ninguém, nem têm apego à coerência, mudam e ‘desmudam’ de ideia como o nosso povão compra chip de celular. Admira q este país seja chamado de Democracia. Todos os estudiosos forâneos são assentes em dizer que o Brasil não representa um ambiente para negócios justamente por falta de racionalidade e influencia política.

  29. lucas

    -

    05/09/2013 às 14:07

    Reinaldo,quem sou eu para discordar de você,mais com relação a achar que no Brasil vivemos uma Democracia,não concordo,acho que vivemos a ditadura do PT,que já deu o golpe,quando criou as condições para, controlar o executivo,o legislativo, e o judíciario,e acabar com a oposição,e a censura da imprensa,que já existe,com pouquísimos orgãos(Veja,e outros) e jornalistas(Reinaldo,Augusto,Ricardo e Constantino,entre outros) independentes .A prova dos nove,será se melarem o Mensalão,que acho vai trazer de volta a possibilidade de um contra golpe, pela Legalidade,com possibilidade,de uma revolução,que só deus sabe como vai terminar.Se acontecer,vai haver novo julgamento,só que o verdadeiro chefe sera julgado, podem implantar a pena de morte, para quem atentar ou atentou contra a democracia.tudo é possivél,a História esta aí.´

  30. Adriano

    -

    05/09/2013 às 14:07

  31. José Ailton

    -

    05/09/2013 às 14:01

    Nao querendo fugir do assunto, mas vejam o que aconteceu com o jornalista mais combativo e imparcial fo estado de alagoas.

    A notícia me chegou na última quinta-feira, dia 28 de agosto, e me levou a nocaute. Se eu já não esperava nada diferente, ainda assim foi como uma sentença definitiva a me atingir a alma, como raras vezes em minha vida.

    Fui condenado por “difamação”, pela juíza Adriana Carla Feitosa Martins, do 9º Juizado Cível e Criminal, contra o juiz Gustavo de Souza Lima, de quem espero nunca guardar ódio nem rancores.

    Devo prestar, em pena alternativa, serviços comunitários por duas horas a cada semana, durante quatro meses – é a decisão da magistrada (em primeira instância).

    Deparei-me com algo inusitado numa história que já ultrapassou 33 anos de atividade profissional.

    De pronto, decidi: não recorrerei e abandonarei o jornalismo. Dei-me por vencido.

    Se as noites ficaram mais longas, serviram-me, também, para ecoar a voz de tantos que me procuraram para manifestar sua solidariedade, até mesmo sua indignação, e me cobrar a reação que sempre esperaram do Ricardo Mota que conheciam.

    A eles – e a vocês – comunico: vou recorrer da decisão e permanecerei na mesma trincheira do jornalismo alagoano, defendendo os pontos de vista nos quais acredito sem temer o porvir.

    Mais do que isso, se pouco pude fazer pelo jornalismo ao longo dessa trajetória, a ele devo respeito e luta, para que outros que me seguirão não se acovardem – tomando-me como exemplo – quando tiverem pela frente personagens cujo poder poderá lhes ser fatal (ou quase).

    Seriam reféns do medo, mais destruidor ainda do que as armas de poderosos e endinheirados que me tomam por “inimigos”.

    Lutei pela Liberdade de Imprensa desde os tempos da ditadura, somei a minha pequena contribuição à de milhões de brasileiros que a perseguiram. E somos, finalmente, um país que a conquistou como um inestimável bem, sem o qual a Democracia seria apenas uma palavra nos livros de história.

    Não serei eu, portanto, a me omitir ante um ato que julgo atentatório à sua existência. Devo à militância no exercício da Liberdade de Imprensa, valor universal, a minha sobrevivência até aqui, e será por ela que me exponho ao julgamento dos leitores.

    Se não há jornalismo acima da lei, também não pode haver Justiça como território da vingança ou que seja “um matadouro, um açougue” (Shakespeare).

    E é assim que me sinto: retalhado, sangrando. É para estancar essa hemorragia que eu escrevo, contando esta história, o mais completamente quanto a memória puder me ajudar, sem que venha a temer pelas consequências futuras.

    Não é – esta – uma luta entre um jornalista e um magistrado, entre duas corporações, mas um embate que imagino de princípios.

    O fato

    Recebi de uma fonte – que preservo -, em 27 de abril de 2012, o ofício que publico na íntegra, abaixo:

    Ofício do juiz Gustavo Lima

    Após confirmar a sua veracidade, escrevi um texto em que considerei “abusivo” o pedido de adicional de combustível pelo magistrado, levando em conta que ele mesmo ressaltava – está no texto acima – ter uma propriedade em Pernambuco.

    (A postagem já não está mais disponível. Foi retirada da rede por ordem judicial. Pode ser lida, no entanto, na Ação Penal Privada nº001.2012.025.827-0, que pode servir de “estudo de caso” para operadores do direito e estudantes dessa bela criação humana.)

    Ante os comentários iracundos de vários internautas, para mim injustos quanto à honestidade do juiz Gustavo Lima, retirei o último parágrafo e ainda fiz um breve texto, em outra postagem, onde ressalto as suas qualidades de homem probo (está tudo no processo).

    Entendia, e estava claro na agressividade dos internautas, que a raiva se devia à demora do magistrado em decidir sobre os “taturanas”. Mas isso não poderia, como deixei claro em meu comentário seguinte, ser confundido com qualquer ato de sua parte que desconhecesse a decência. Fiz mais: coloquei este espaço à disposição dele, para a publicação na íntegra de qualquer texto que ele me enviasse (está no processo).

    No dia 12 de maio do mesmo ano, fui abordado pelo juiz Wladimir Paes de Lira, em uma mesa do Restaurante Akuaba, onde eu já me encontrava com dois amigos.

    Em tom cortês, ressalto, ele me cumprimentou e disse que tinha ficado “com muita raiva” de mim por causa do texto publicado sobre o seu colega.

    Comentou que havia discutido o caso na Almagis (Associação dos Magistrados de Alagoas), e em tom tão ameno quanto o da abordagem inicial, disse que gostava muito do juiz Gustavo Lima, encerrando a conversa sobre o tema com uma frase carinhosa: “Ele só tem aquelas vaquinhas para se distrair”.

    Desarmado e com sinceridade, disse-lhe que o texto, pela reação dos internautas, também a mim incomodou bastante, a ponto de “perder uma noite de sono”.

    Afirmei, porque de fato aconteceu. É da minha natureza. Não teria sido a primeira vez nem haverá de ser a última em que assim me sinto. A empatia, talvez por descuido, encontrou abrigo fácil na minha essência.

    Permanecemos no local por um bom tempo, ainda, assistindo à final do campeonato alagoano de 2012 entre CRB e ASA, pela TV Pajuçara. Deu “galo”, para a minha alegria.

    A surpresa

    Já no início deste ano, em abril, recebi uma notificação do 9º Juizado Cível e Criminal da Capital.

    Foi a motivação para a minha primeira perplexidade: estava intimado a comparecer a uma audiência no dia 26 de junho. O juiz Gustavo Lima apresentara uma queixa-crime contra mim, por conta da matéria postada neste blog.

    À luz do direito, ele estava absolutamente correto quanto ao prazo limite para a apresentação da queixa. À luz da razão que me guia, indaguei: por que apenas seis meses depois ele sentiu a honra atingida e buscou reparo na Justiça? Continuo sem resposta verossímil.

    Procurei descobrir quem era titular do 9º Juizado Cível e Criminal da Capital. Cheguei com facilidade ao nome da juíza Adriana Carla Feitosa Martins, a quem desconhecia. Só alguns dias depois, vim a saber que ela é esposa do juiz Wladimir Paes de Lira (a quem acompanhava no dia do meu encontro, casual, com o mencionado magistrado, sem que participasse da nossa conversa).

    Como não acredito na ‘teoria da conspiração’ e entendo que as coincidências estão no mundo para acontecer, me dispus a ir à audiência sem a companhia de um advogado, tamanha era – e é – a minha convicção de que não cometera crime algum.

    Apenas exercera aquilo em que acredito com todas as minhas forças, com igual certeza de que meu nome é este que assina o texto que vocês agora leem.

    Mais uma vez os amigos se fizeram presentes: fui convencido a buscar ajuda entre os profissionais que cuidam da sagrada atividade de defender os que se consideram inocentes das acusações que lhes são imputadas na Justiça.

    Encontrei no jovem, respeitado e bravo advogado Fernando Falcão o amparo de que iria necessitar. Foi uma atitude de coragem, a dele, em aceitar uma causa em que um magistrado era o “querelante”.

    O direito, bem sabemos, é interpretativo, por não ser ciência exata. Devemos a ele também a possibilidade de convivência, na harmonia possível, entre os homens. Afinal, somos a espécie com a maior capacidade de destruição dos seus iguais que a Natureza já produziu.

    Como diz, sabiamente, o pai da sociobiologia, Edward O. Wilson, somos “a mesma sopa de emoções da Idade da Pedra”.

    A psicologia evolutiva – Frans de Waal, Steve Pinker, Jared Diamond – nos ensina que todos os agrupamentos humanos, desde os mais primitivos e sem exceções, exercem a solidariedade preferencialmente em benefício dos seus mais próximos. Nenhum de nós há de ser impermeável aos afetos e aos sentimentos dos nossos “mais semelhantes”.

    Compareci à audiência em que me foi proposto um acordo: eu doaria algumas cestas básicas e faria algumas palestras, afinal, como disse o juiz Gustavo Lima, eu sou um “humanista”.

    Foi o que a vida fez de mim – para o bem ou para o mal (meu mal, tão somente, espero).

    Recusei por entender que aceitando o proposto, inclusive pela magistrada, estaria condenando a minha própria consciência de inocência.

    Faria, como faço, e com com grande alegria, as duas coisas. Mas não com a motivação de me esconder de um enfrentamento que já então me parecia inevitável.

    A magistrada, com esmero profissional, insistiu na possibilidade do acordo que encerraria a demanda.

    Lembro que numa pausa para um cafezinho, comentei com ela o quanto seria difícil, ali, a sua posição. Lembrei que se ela decidisse que eu estava certo, estaria dizendo também que seu colega estava errado.

    Ela descartou haver qualquer dificuldade para decidir sobre o caso.

    Ainda na primeira audiência, a de conciliação, eu repeti várias vezes que eu era apenas “um jornalista”. Foi uma forma, pouco sutil, talvez, de lembrar que aquele era um hábitat estranho para mim – não para eles.

    “A mentira”

    Na audiência de instrução (a primeira em quatro anos naquele juizado), o magistrado repetiu suas “acusações”. Continuei sem compreender, mais uma vez, qual o crime que teria cometido ou de que era acusado pelo juiz Gustavo Lima. Com estranheza, acompanhei suas intervenções, marcadas por um olhar oblíquo, a fala reticente – comportamento inesperado em um homem de grande saber jurídico, como ele.

    Citei, ainda que corresse risco pelo dito, a filósofa judia Hannah Arendt, em seu ensaio “Verdade e Política”. Afirma ela que uma das formas com as quais a mentira se apresenta é “o apagamento da linha que separa fato e opinião”.

    Reiterei: narrei um fato que se sobrepõe à opinião no texto por mim publicado. Não haveria de se apagar a linha entre os dois, sob o risco de se lidar tão somente com a mentira. Na postagem do blog estava o conteúdo, sem nenhum falseamento, do documento oficial aqui publicado.
    Era o que se apresentava de forma cristalina à frente de todos os presentes.

    Perguntas dos advogados, da própria magistrada, do sereno promotor Ubirajara Ramos, que a tudo assistia conforme o rito legal, sem poder opinar sobre a matéria, e encerra-se a audiência.

    A minha sensibilidade já me convencera de que a decisão, por tudo já explicitado, me seria desfavorável.

    Não haveria má-fé, estou convencido, apenas e tão somente ela seria adotada com base nos sentimentos que todos nós, da mesma espécie, carregamos nas nossas ações, inclusive cotidianas: ao próximo, quanto mais próximo estiver.

    Pedi licença ao estudioso e competente advogado Fernando Falcão, que repetia insistentemente para mim e para tantos outros que “não há dolo, não há crime, não há culpa” – mas havia o processo -, e fui ouvir a opinião de outras pessoas, todas da área jurídica, sobre a questão. Ele autorizou.

    Unanimemente, todos apontaram para o “vazio” da acusação. Repetiram, sem que nada lhes pedisse, que eu apenas narrara um fato, transcrevera, ainda que com as minhas palavras, o que era um documento oficial, sem nada alterá-lo.

    Esperei a condenação com serenidade.

    Recebê-la, porém, trouxe-me uma sensação de impotência e indignação, ao mesmo tempo, que eu nunca experimentara, nem mesmo diante das dezenas de ameaças de morte, dissimuladas ou explicitadas, recebidas ao longo de minha vida profissional.

    Não, eu não seria um Joseph K., personagem de Kafka, a se indagar sobre quem o acusava e de quê. A Almagis não me tomaria, estou certo, como inimigo, afinal sempre defendi com veemência a segurança individualizada para juízes que se sentem ameaçados. Continuarei a fazê-lo, independentemente desse momento atribulado. Acredito que solidariedade se dá, não se pede.

    Eu não poderia me vitimizar, tampouco deveria me acovardar. Pelo contrário, encontro agora mais motivação e entusiasmo para prosseguir no “bom combate”, sendo o mesmo jornalista de corpo e alma.

    Repito: vou recorrer, lembrando, mais uma vez, Hannah Arendt, em seu contundente e provocativo “Eichmann em Jerusalém” (ela escreveu “Verdade e Política” em resposta aos seus detratores, pelo que revelara no livro sobre o julgamento do carrasco nazista – inclusive sobre o apoio dado pela elite judia alemã aos primeiros anos de Hitler no poder).

    Ela colheu as palavras de uma camponesa, alemã e judia como ela, durante o julgamento:

    - Mesmo que não seja mais possível salvar a própria vida, pode-se ainda salvar a honra.

    A vida segue, mesmo que o resto do mundo ignore por sabedoria a nossa existência.

    Sei que este texto me deixará mais vulnerável para a sequência da demanda ou em relação a alguns belicosos senhores de Alagoas.

    Paciência!

    Fiz a opção pela luz do sol “como melhor detergente”, até porque nunca dominei e abomino o jogo das sombras. Pretendo e vou continuar a atuar no jornalismo da forma que sempre acreditei: somando inimigos até, mas agregando amigos e leitores – ouvintes e espectadores – que acreditam na honestidade do meu exercício profissional.

    Não sei até onde vou, mas já cheguei até aqui, apesar de tantos percalços, erros e algumas tristezas, e não estou disposto a despejar a minha história, de vida e profissional, no ralo da criminalidade.

    Seja por mim, seja pelos que me substituirão, deixo o meu depoimento para que cada um possa fazer o seu julgamento.

    Agradeço aos que tiveram a paciência de ler este longo texto – um desabafo, reconheço.

    Ricardo Mota

    Categories: Geral

  32. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 14:00

    Segura coração…
    Oglobo.com
    Genoino entra com pedido para aposentadoria por invalidez

  33. Alex Wie

    -

    05/09/2013 às 13:58

  34. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 13:58

    Brasil a beira da implantação de uma ditadura comunista corrupta

    Editorial do Ucho.info

    Editorial – A cizânia do Supremo e o atentado contra a democracia

    Dominado por magistrados que chegaram à mais alta instância do Judiciário brasileiro no vácuo de indicações espúrias e interesseiras, marca maior de um desgoverno que usa a corrupção como mola propulsora, o Supremo Tribunal Federal está a um passo de referendar o preâmbulo de um golpe anunciado e que instalará no País uma ditadura socialista, muito mais próxima da do comunismo chicaneiro que impera na América Latina.
    O que se desenha no plenário do Supremo pode ser facilmente rotulado como atentado contra a democracia, uma vez que a Justiça pode abrir caminho para a absolvição de corruptos que ela própria condenou. Isso será possível a partir da guinada patrocinada pelo ministro Teori Zavascki, que, na condição de juiz vogal e ausente no julgamento da Ação Penal 470, tenta mudar a pena de marginais que operaram o maior escândalo de corrupção da história brasileira, dele se beneficiando de maneira acintosa.
    Causou estranheza o fato de Zavascki ter decidido mudar os votos dados anteriormente durante julgamento de recursos apresentados por alguns dos mensaleiros, abrindo enorme brecha para que outros réus recorram para modificar os respectivos títulos processuais condenatórios, muitos dos quais, se mantidos, tirarão da cena política alguns delinquentes profissionais. E o fez com a mesma tranquilidade de um sacristão que, em ato vicioso e repetido, aciona a campainha missal para anunciar um rito litúrgico, quando na verdade serve para impor mudez aos ruídos da sacristia.
    É inaceitável que um ministro do Supremo, como se adivinhasse os desdobramentos do julgamento, leve ao plenário o prévio roteiro de uma ópera bufa que traz a marca dos donos do poder.
    A nação debruça-se inconscientemente sobre o fio amolado da cimitarra da impunidade, sem que a mais alta instância da Justiça impeça imolação descabida. Além de consumir o suado dinheiro do contribuinte, o julgamento da Ação Penal 470 avançou na linha do tempo e alimentou os parcos fios de esperança de um povo que não mais suporta conviver com a corrupção e seus muitos efeitos colaterais.
    Escondidos sob a sisudez da toga judiciária, alguns dos magistrados do Supremo se valem do linguajar castiço e formal, enodoado pelo vício do vocabulário détraqué do Direito, para justificar o injustificável. Nessa encenação pífia e antidemocrática, sob a desculpa de se fazer Justiça, a Corte coloca em risco o Estado como um todo, já vez que vilipendia a realidade dos fatos e dá as costas ao conjunto probatório, proporcionando, assim, a um grupo de pseudo-insurrectos a chance de permanecer no limbo da impunidade.
    Esse comportamento dúbio de parte da Suprema Corte transforma em profecia do presente as palavras pretéritas de Rui Barbosa, que do alto da sua sabedoria clarividente disse: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.
    A posição do Supremo diante da incerteza marginal do futuro de fato assusta, mas estupefata deixa uma nação o silêncio sepulcral de seus cidadãos, que não reagem ao que pode ser a senha de indesejável e perigoso caminho de mão única à exceção. A aquiescência de parte da Justiça verde-loura com esse sodalício criminoso que governa o País é empírica, pois a história nacional recente é marcada pela redundância burra de atos absurdos que ultrajam a cidadania como um todo e de forma pontual.
    Calar-se diante da escandalosa divisão que se instala na Corte é aceitar passivamente, como rês ao pé da manjedoura, os destinos obscuros impostos ao País por quadrilheiros que fazem de uma suposta notoriedade política a justificativa mambembe para conduta condenável. A se confirmar aquilo que a parcela esclarecida da sociedade mais temia, o Brasil estará a passos do precipício que representa um regime autoritário. Mudar é possível, mas antes é preciso estancar o que está perigosamente em marcha!
    o editor

  35. Mel

    -

    05/09/2013 às 13:57

    Hoje é a constatação se o Tribunal aplica a lei com imparcialidade ou se o critério de indicação (QI), transformará o STF em um clube de amigos.A impunidade será um choque mortal à República e democracia.
    http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/le-monde/2013/09/04/le-monde-protestos-sociais-no-brasil-acentuaram-a-desilusao-da-geracao-lula.htm

  36. Sandra

    -

    05/09/2013 às 13:52

    Reinaldo, o mais interessante foi o lewandovi$ki falar que teria que corrigir a pena do tal Breno, pois não poderiam condenar uma pessoa e depois revisar a pena “ainda mais com uma justiça lenta como a brasileira”. De que lado elle está? Por acaso o chicaneiro não é um dos principais a tornar essa mesma justiça lenta? Aff!

  37. sem noção

    -

    05/09/2013 às 13:52

  38. CRB

    -

    05/09/2013 às 13:51

    Desculpe discordar tio Rei mas “com o senso de moralidade da maioria dos brasileiros, composta de pessoas de bem — não fosse assim, o caos já estaria à porta”??? No brasil??? O caos nao soh nao esta mais “a porta”, como ja entrou, abriu a porta da geladeira e jah usa o banheiro deixando a porta aberta!

  39. Cactus

    -

    05/09/2013 às 13:51

    Reinaldo, esse políticos comunistas da boca pra fora tem de levar uma boa lição do STF. Só assim essa turma vai parar de meter a mão da grana do povo. Pelo menos será um dinheiro a menos roubado do povo, já que o pessoal da direita, esses roubam, ninguém incomoda, ninguém prende e o dinheiro nunca mais é visto.

  40. Ciro Lauschner

    -

    05/09/2013 às 13:50

    Lewandowski e Toffoli com certeza querem a total esculhambação do Supremo desde que seja para livrar a cara dos mensaleiros.Os outros 3 ou 4 são incógnitas, mas depois da porcaria que fizeram ao mandar para Camara o Donadon e ter que urgente voltar atras, acho que vão pensar melhor.
    Mas eu tenho a impressão que se os mensaleiros não forem condenados o STF vai levar ovo do povão e os protestos não serão apenas contra a Dilma e o congresso, vai se incluir também o judiciário.

  41. GVP

    -

    05/09/2013 às 13:46

    Não sei o que é pior: se a dicção do Teori ou se a teoria do Zavascki. Que notável saber jurídico é esse que não aceita que crimes diferentes merecem punições diferentes e agravantes diferentes? Qual o problema de exacerbar mais certos crimes do que outros? Será que é porque existem certos réus mais iguais do que outros? Está explicado o por que de Teori Zavascki foi escolhido faltando tão pouco tempo para se aposentar. Lewandovski e Tófoli agora têm um companheiro de peso para auxiliá-los na vexatória missão de dar credibilidade ao abjeto, ao inominável, à ignomínia.

  42. xande

    -

    05/09/2013 às 13:44

    Tá na hora do STF criar vergonha na cara ,e meter este bando de ladrões do dinheiro publico na cadeia e dar um exemplo para o povo brasileiro. Só assim os políticos que falam ser socialistas, e metem a mão no dinheiro publico pensar varias vezes antes de dar uma de espertinhos.Um país democrático de verdade tem uma justiça de verdade, e não enrola com lentidão.

  43. Adi

    -

    05/09/2013 às 13:42

    Caro Tio Rei

    É hoje, o bicho vai pegar, lugar de bandido é na cadeia, demorou demais. Duas hipóteses:
    1ª – Sentamos na calçada e choramos o leite derramado, ai liberou geral, pode até pintar uma Banania Bolivariana, nossos netos vão nos odiar.
    2ª – Soltamos rojões, as pessoas saem às ruas, festa, comemoração da justiça, mesmo que tardia, os infelizes arrogantes no seu devido lugar, comida no bandejão, uniforme padrão e numerado, poder de escolha no andar do beliche, visitas intimas serão permitidas como manda a lei e fotos só na entrada ou na saída, alias, cada visitante será devidamente revistado, por obséquio, alguém avisa o Lula que vão meter as mãos em sua intimidade.

  44. Bom senso

    -

    05/09/2013 às 13:41

    Passou da hora de o STF concluir este julgamento.
    Não acatar embargos infringentes e mandar logo todos os condenados para a cadeia. José Dirceu em regime fechado e os demais, também. É o que penso.

  45. macarrão com farinha

    -

    05/09/2013 às 13:25

    O que é isso? Esse senhor que por desviar dinheiro público, levou cidadãos à morte de fato ou socialmente por não ver seu imposto revertido em saúde, educação e infraestrutura, terá aval do Estado para se aposentar por INVALIDEZ?
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/09/1337262-genoino-pede-aposentadoria-por-invalidez-na-camara-dos-deputados.shtml

  46. Cris azevedo

    -

    05/09/2013 às 13:23

    Ah, sim colegas!

    Tô achando o Dirceu bastante debochado (vai lavar roupinha, é? E dar coletiva….) prá quem pode ser preso Ele sabe alguma coisa que nós não sabemos. Ainda.

  47. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 13:15

    Os principais “advogados de defesa togados”, todos conhecemos, e, não tenham dúvidas, não irão se preocupar com a reputação da casa. Eles são tais quais os esquedistas fanáticos, caracerizados e com o perfil traçado por uma escritora e especialista insternacional.
    – Algumm desvio mental os tornam cegos e não conseguem olhar ao centro ou a direita. Só o que está à esqueda é o que vale. Mas não deixem de vê-los em fotos com legendas e comentários duros e picantes em em: http://www.flickr.com/photos/pietro_mascagni

  48. Cris azevedo

    -

    05/09/2013 às 13:13

    REI

    tem cara ali cujo unico compromisso é com o PT. Que mané Constituição, que mané leis? O que vale é o PT. Se o Podval acertou, continuamos o baile.

  49. Zé da Silva

    -

    05/09/2013 às 13:10

    Rei,

    Hoje e’ um dia pra se descobrir que pais e’ esse.

    Espero que seja o da decência, onde ladrão vai pra cadeia.

  50. Ricardo R.

    -

    05/09/2013 às 13:05

    E ,será que vai amais um momento,”JOGANDO NA CARA DO POVO,HEIN???”

  51. Pedro

    -

    05/09/2013 às 13:05

    Mais um indício de que os mensaleiros vão se lascar: Genoíno pediu aposentadoria da câmara dos deputados por invalidez. Isso significa que ele está preparando o terreno para buscar a prisão domciliar e quer evitar a humilhação da cassação.

  52. Wanda

    -

    05/09/2013 às 13:03

    Reinaldo, boa tarde. Que eles executem as leis já estará de bom tamanho. É assim que eu penso, também. Um abraço.

  53. Ricardo R.

    -

    05/09/2013 às 13:01

    Sei não,hein?…Ah, mas como gostaria de ser um mosquito, mesmo se fosse a mosca varejeira(pois todos nós sabemos onde esta mosca gosta de sobrevoar e pousar,não é mesmo?), para saber lá no meu subinconsciente,o que se passa nos corredores do STF.Sei lá, parece que tem pessoas que rasgam à Constituição,o Código Penal sem ter lido uma vírgula sequer;…”de onde menos se espera alguma coisa,aí é que virá coisa nenhuma…”

  54. SILVIO

    -

    05/09/2013 às 13:00

    PARTE DE SEU TÍTULO FOI A “TRADUÇÃO LITERAL” DO FILME SAINT ELMOS’S FIRE OU FOGO DE SANTO ELMO QUE SÃO PARTÍCULAS CARREGADAS ANDANDO EM ZIG-ZAG PELO CÉU, NÃO INDO PARA LUGAR ALGUM… NÃO É UMA BOA ANALOGIA PARA O STF ?

  55. Jorge de Luca

    -

    05/09/2013 às 12:59

    O Diário Oficial da União divulgou hoje a desapropriação do hotel Unique Garden Spa & Resort, que funciona na cidade de Mairiporão, São Paulo que será transformado em presídio de segurança máxima.
    No referido estabelecimento prisional, os condenados pelo escâdalo que ficou conhecido por “Mensalão” cumprirão as penas em regime fechado.
    Segundo o ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, “a iniciativa faz parte de um projeto que tem por objetivo garantir mais dignidade aos brasileiros que cumprem pena. A dignidade da pessoa humana é um princípio constitucional”, afirmou.
    Questionado o motivo pelo qual o projeto somente será iniciado quando os mensaleiros forem conduzidos à prisão, Eduardo explicou que “foi uma grande coincidência. Já pensamos nisso há muito tempo, mas só agora foi possível viabilizar”.
    O ministro lembrou que as cadeias brasileiras estão entre ass piores do mundo. “Essa situação foi inclusive constatada pelo presidente do Supremo (Tribunal Federal). Está na hora de mudar essa triste realidade”, concluiu.

  56. Howard Rowark

    -

    05/09/2013 às 12:58

    Oxalá que o mensalão não passe para história como ” The Mensalão’s JOKE ” , antigamente no Brasil tudo acabava em samba, hoje acaba em piada. Ultimamente até os portugueses estão fazendo piada da gente.

  57. juka

    -

    05/09/2013 às 12:54

    “…mensaleiro graúdo não irá para a cadeia…”

  58. Carruagem de Fogo

    -

    05/09/2013 às 12:51

    Aaaai!….,se fosse um críme,esse foi críme triplo(corrupção ativa e passíva,formação de quadrilha e tentativa de subversão ideológica da democracia,visando ditadura),perpetrado por um funcionário público,mequetrefe!,já há muito, estaria prêso!

  59. Antonio

    -

    05/09/2013 às 12:51

    Só espero que os ministros cumpram a lei e façam o que é correto,colocar esse bando de mensaleiros na cadeia.

  60. M.Valvemark

    -

    05/09/2013 às 12:41

    Os Embargos Infringentes serão aceitos hoje pela maioria dos ministros do STF, para a tristeza dos que querem justiça!!

  61. Carlos Olimpio Alves

    -

    05/09/2013 às 12:38

    Ah, Reinaldo, estou achando que esses novos ministros vão acabar de avacalhar o STF, para beneficiar os criminosos do mensalão.
    Por que você acha que teori e barroso foram indicados pela bolivariana dilma ?
    Mas, rezemos para que os ministros tenham um mínimo de ética, vergonha na cara ou, como você pede, cumpram as leis e a constituição.

  62. Dany

    -

    05/09/2013 às 12:36

    Só para lembrar, Reinaldo… o STF põe em jogo a sua história, ok. Mas os senhores MINISTROS, de forma pessoal, também. Embora acho que alguns não tenham uma história para se orgulhar, de alguns outros a gente ainda espera alguma honra ao julgarem os mensaleiros. São esses, os que às vezes nos surpreendem com votos que beneficiam eventualmente os mensaleiros, é que a gente clama porque não se misturem com essa corja e honrem o seu diploma e, sobretudo, respeitem as leis vigentes e o povo decente brasileiro. Só para lembrar.

  63. Diego

    -

    05/09/2013 às 12:36

    Com a chicana que temos, se houvesse a possibilidade dos acusados que vão a juri solicitarem um julgamento estilo ao do mensalão, certamente esses morreriam de velhice sem cumprirem um dia de pena sequer. Imagine só uma ‘jurisprudência’ nesse sentido, seria cômico. O marginal que imediatamente é lançado a cadeia pedindo soltura, porque foi assim com mensaleiros, seria justo, pena que a justiça não é.

    Como dito, hoje é dia da consagração ou vergonha do Supremo.

  64. Sylvio Haas

    -

    05/09/2013 às 12:32

    A lei? Ora, a lei… A única lei que vale é a dos cumpanhero, você é nóis e nós são teu. Estou apostando: os mensaleiros NÃO serão trancafiados como merecem.
    São 12:30 h de quinta-feira. Vejamos à tarde.

  65. Dyana Cascavel

    -

    05/09/2013 às 12:31

    O min. Teori é, então, o único dos 11 atuais, e dos anteriores, que possui um notável, grande, enorme, imensurável “saber jurídico”?
    Valha-nos Deus, Todo Poderoso!

  66. Carlos Aurélio

    -

    05/09/2013 às 12:29

    O fato do Ministro Zavascki aceitar dois pesos e duas medidas para o mesmo crime, alegando que para tal os Embargos de Declaração era instrumento impróprio para tal, ao meu ver não passa de um aviso prévio de que fará ferrenha defesa dos Embargos Infringentes. Aposto na posição favorável aos Infringentes do Lewandowski, Tofolli, Roberto Barroso… Vamos ver e por enquanto fico acreditando na isenção e credibilidade dos ministros do STJ.

  67. Gilles Leporaci

    -

    05/09/2013 às 12:16

    Estou emocionado(mais uma vez)com seu texto.Que Deus proteja e orienta nosso STF!

  68. Eurico Marques

    -

    05/09/2013 às 12:16

    Teori demonstrou claramente ao que veio. Veio para absolver os vagabundos a mando de Lula e Dilma. E cumpriu uma parte. Nos infringentes vai com tudo ( até com voto redigido e pronto que alguém lhe enviou para dar-lhe o norte…) badernar tudo junto com Levandowsky e com o caudatário Tófoli na arquibancada. Hoje sabeemos quem está a mando de quem. O único perdedor é a honra do país.

  69. LOIRA INTELIGENTE

    -

    05/09/2013 às 12:04

    Caro Reinaldo
    Ainda agradecida por postar aqui os meus textos, que eu estrategicamente uso para descer lá no 24/7 e colar como aqui está para deixar a PETRALHADA fula da vida, como de fato ficam. Adiante reproduzo na íntegra os “debates” meus com a PETRALHADA, ontem toda eufórica em função da luz no fim do túnel chamada TEORI.
    Eles acham que eu sou você ou fui escalda para defendê-lo “incorporando o próprio” conforme reproduzirei adiante. Agradeço a ajuda que estou tendo lá provavelmente de seus leitores, e se não forem, conclamo os que ora leem este comentário para irem lá também aporrinhar a PETRALHADA, aliás; como eles tentam fazer aqui sobrecarregando por certo os moderadores. Segue a resenha:
    A escolha da vítima:
    “Marcelo 5.09.2013 às 00h33min
    PIOR DE TUDO! — OS RETARDADOS, OS DÉBEIS MENTAIS, LEEM A FOLHA, GLOBO E VEJA PARA SE “INFORMAREM” –KKKKKKKKKKKKKKK — NÃO É INACREDITÁVEL? – KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK”
    Minha resposta:
    “LOIRA INTELIGENTE para Marcelo 00:33 5.09.2013 às 00:55
    Querido: Tu lês o blog cafezinho, conversa “fiada”, os amigos do presidente lula, blog da Dilma, e outros “noticiários” congêneres para conseguir estampar uma curta frase aqui sem nexo, desinformada, inconsistente, e de procedência leviana! – Sabe por que os bons jornalistas estão no globo, folha, veja estadão? – Por uma simples questão: – Suponhamos que a renomada BIBI FERREIRA fosse convidada pelo SBT por 1 milhão de reais para fazer uma minissérie de 10 capítulos. Ela por certo não iria, pois a logística para dar respaldo ao seu talento, e os coadjuvantes de quinta categoria que teria disponíveis maculariam a sua imagem com o devido destaque que merece. Há um momento na vida de uma personalidade já satisfeita com o retorno ao seu trabalho em termos financeiros, que este ultimo é de somenos importância quando se trata da manutenção auferida com a REPUTAÇÃO profissional. Entendeu, ou quer que eu desenhe!”
    Mais tarde chegou um aliado daquele ou o próprio. Aquele talvez vazou ou retornou com outro pseudônimo, pois é comum temendo invertidas este artifício ou apenas um enunciado genérico de provocação. Prosseguindo:
    “Syk4ryo para LOIRA INTELIGENTE 5.09.2013 às 01:20
    Lemos esses ai e o viomundo, murilo, etc, mas Veja a gente não lê não. Nem pela Internet. Em mim, causa ânsia de vômito.
    Minha réplica, quem sabe para o anterior travestido:
    “LOIRA INTELIGENTE pra Syk4ryo para LOIRA INTELIGENTE 5.09.2013 às 01:20 5.09.2013 às 01:49
    ANSIA DE VÔMITO: – Principais causas: – Gravidez; labirintite desencadeada por balanços em viagens ou navegação; congestão; choques traumáticos como ver sangue, por exemplo, sujeira, esterco, embriagues,ou outros fatores de natureza emocional. Em muitos casos comprovados cientificamente pelos estudiosos do psiquismo, as causas podem estar associadas ao extremo esforço mental aplicado para entender determinadas matérias na escola ou universidade, notadamente de física ou matemática avançada. Os alunos não conseguindo assimilar o conteúdo em função do baixo QI, entram numa espécie de “colapso estomacal”. Isso também ocorre na literatura com esses indivíduos, prejudicando o desenvolvimento intelectual pela fuga destes diante de tais desafios, detendo-se apenas no conhecimento superficial, portanto improdutivo. Temos observado; dizem os estudiosos da psique humana respaldados em recentes estudos antropológicos, que este fato é típico de uma nova raça surgida no Brasil denominada PETRALHA por Reinaldo Azevedo que cunhou o vocábulo, e segundo os antropologistas, tal raça é o resultado de um provável cruzamento do homem com o macaco… E TENHO DITO! Vai dormir trouxa…”
    Réplica da figura que não respondi:
    “Para Syk4ryo 5.09.2013 às 01:46
    Alguns aqui acham que essa pessoa é o próprio Reynaldo Azevedo, eu nunca tinha lido nada dessa pessoa, mas hoje, por acaso, tive curiosidade de ver o que ele achava de uma figura ai, e fiquei impressionada, é igualzinho; ou incorporou o “jornalista” ,ou é próprio mesmo, desesperado, fazendo sua auto-ajuda na captação de leitores.”
    Antes de encerrar o meu “expediente”, fiz a colagem lá de tudo o que arquivei das conversas eletrônicas, e repostei dizendo o seguinte:
    “LOIRA INT. para LOIRA INTEL. pra Syk4ryo para LOIRA INTELIGENTE 5.09.2013 às 02:02 5.09.2013 às 02:20
    MUITO OBRIGADO: Vou organizar toda a salada que abaixo eu colo, e postarei no blog do REI amanhã de manhã. Consultem! – Depois de postado repasso por e-mail e “face” para divulgar o meu protesto. FORA PT. – E TENHO DITO: – Segue material já arquivado:Para Syk4ryo 5.09.2013 às 01:46 Alguns (…) … “Vocês irão ter um minuto de fama em um blog com 150 mil acessos diários. Tenham um BOM DIA.”
    Aquele cara anterior ao qual não respondi com a tréplica retornou dizendo:
    “LOIRA INT. para LOIRA INTEL. pra Syk4ryo para LOIRA Para INTELIGENTE 5.09.2013 às 02:02 5.09.2013 às 5.09.2013 às 02:31
    Acho que ele não vai colocar nossas falas: deve cortar e pôr só as suas. Mas, não faço questão de ver nada que venha dessa origem.“
    Ps. Se quiserem brincar protestando, com bastante divertimento, passem lá depois das 23 horas, e o material reproduzido aqui está postado nos comentários referentes à matéria “DILMA QUER PEDIDO DE DESCULPAS DE OBAMA”, ontem.
    Um abraço

  70. Nelson Marchetto (76)

    -

    05/09/2013 às 11:56

    Caro Reinaldo li: (Ou segue maiúsculo, apesar de algumas minoridades,) não vou por palavras na sua boca, mais entendi que você “talvez” o quisesse dizer com minoria:
    zavaski, leva-leva, toffoli e agora também o barrozinho, e não sei, talvez também o (“Collor” de Mello), confesso que fico bem preocupado com alguma das senhoras, que as vezes podem ir no embalo!!!

  71. Sandra

    -

    05/09/2013 às 11:50

    E quando as ruas só pedem justiça? Por exemplo, que condenados cumpram suas penas?

  72. Nagib

    -

    05/09/2013 às 11:43

    Todo Brasileiro honrado esta torcendo que a Lei prevaleça sobre os “acordos”, não deixemos os Lewandowski da vida vencerem.

  73. Adhemar Bento Gomes Filho

    -

    05/09/2013 às 11:43

    Epa, os mandatos devem antes ser extintos ou cassados, para que as penas restritivas de liberdade sejam aplicadas, senão a imunidade parlamentar restará violada, haja vista a prerrogativa atribuída ao parlamentar, de não ser preso – vide o artigo 55, parágrafo 2º da Constituição -, a não ser em flagrante delito de crime inafiançável. Antes, portanto, das penas restritivas de liberdade serem executadas, no que se refere aos 4 deputados federais condenados, a Câmara dos Deputados deverá deliberar. A Constituição – no seu artigo 55, parágrafo 2º – diz que deve deliberar o seu Plenário. O STF, ao que parece, dirá que deve deliberar a Mesa diretora da Câmara, em decisão vinculada – interpretação contrária a literalidade do texto constitucional. Ou seja, deve a Câmara dos Deputados, antes de os deputados condenados serem presos – uma vez transitada em julgado a condenação -, deliberar sobre a perda dos mandatos parlamentares.

  74. Ana Maria Soares

    -

    05/09/2013 às 11:43

    Chegou a hora da verdade. Hoje o dia pode entrar para a história, seja porque podemos continuar acreditando que a justiça existe, ainda que lenta, ou que não passa apenas de mais um instrumento para beneficiar que tem e estar no poder. Vamos aguardar os fatos.

  75. maria amelia junqueira franco

    -

    05/09/2013 às 11:42

    desejo muita energia e coragem [a dra Carmen Lucia e dr. Joaquim Barbosa

  76. INDIGNAÇÃO

    -

    05/09/2013 às 11:40

    JOSÉ DIRCEU – CHEFE DA QUADRILHA – PENA 10 ANOS E 10 MESES
    MARCOS VALÉRIO – MERO INTERMEDIÁRIO – PENA MAIS DE 40 ANOS.IGUALZINHO AO CASO DO GENU.
    LEWANDOVSKI, ZAVASKI, TÓFOLI, ROSA, CARMEM, MARCOS E BARROSO, VOCÊS NÃO VÃO REPARAR ESTA INJUSTIÇA, DANDO PENA IGUAL PARA OS DOIS??? (DE PREFERÊNCIA A MAIOR).

  77. Roberto K.

    -

    05/09/2013 às 11:37

    Não acredito que os nobres ministros do STF queiram jogar suas biografias no mesmo esgoto em que já estão a dos petistas. Além do que, temos todos os manifestantes que tomaram as ruas em junho, de forma pacífica então, aguardando ansiosamente o cumprimento das penas dos mensaleiros condenados. Não tem chicana jurídica e nem força policial para conter essa massa, caso ela seja desrespeitada outra vez. Quero crer que os nobres ministros também consigam enxergar e entender o que está acontecendo fora das paredes dos seus gabinetes, coisa que os seus vizinhos congressistas insistem em desdenhar. Não nos subestimem, senhores!

  78. João Moura

    -

    05/09/2013 às 11:36

    Concordo em parte. Direito é argumento e água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Lewando_Wiski, não parou de explicitar a incongruência na pena do crime de quadrilha. Chegaram a 2 anos e 11 meses, porque se cai um pouco caira no tempo prescriscional. Teori verifificou a mudança de comportamento da Corte e foi leal ao que mencionara antes. ED não servem para modificar julgado e sim a Revisão Criminal quando oportuno, o que o deixaria livre para uma apreciação melhor. O que fez o tribunal engendrou a CONTRADIçÂO INTERNA dentro dos declaratórios o que norteou os efeitos modificativos, ou seja, fora recebido com efeitos infrigentes. Teori observando isto e a tendência antes sinalizada por Barroso e o Decano, viu que oportunizara a condição de mudança de voto e o fez. Que efeito prático tem isto? Nenhum. Que feito teórico tem isto? Demonstrar que os declaratórios não foram protelatórios e existe correção a ser feita. Tudo indica que será sopesado a mudança do seu voto e ainda tem a implicação do ED do Genu. Acho que não teremos um 7 de setembro dos sonhos e sim um pesadelo, pois os mensaleiros não irão este ano para a prisão. É o que vejo que acontecerá caso os infringentes sejam aceitos e parece-me que o STF será uma casa de justiça, onde não se faz justiça.

  79. CLAUDIUS

    -

    05/09/2013 às 11:33

    A manobra do Zavascki pode dar certa pelo Princípio da Fungibilidade. Dar caráter infringente aos embargos de declaração. A dúvida já vem sendo embelecida há muito tempo neste Julgamento. Será uma atitude imoral más no STF quem anda se importando com a moralidade?

  80. Jorge de Luca

    -

    05/09/2013 às 11:33

    O Diário Oficial da União divulgou hoje a desapropriação do hotel Unique Garden Spa & Resort, que funciona na cidade de Mairiporão, São Paulo que será transformado em presídio de segurança máxima.
    No referido estabelecimento prisional, os condenados pelo escâdalo que ficou conhecido por “Mensalão” cumprirão as penas em regime fechado.
    Gostaram ? Isso é comunismo !

  81. Sísifo

    -

    05/09/2013 às 11:33

    Caro Reinaldo,
    Vivemos uma ditadura semelhante a anterior.Com algumas exceções,não há editoriais na grande mídia:UOL Globo e tantos outros, fazem o jogo da besta em troca de verbas e privilégios.Torcemos para que hoje o país respire o ar da justiça,do contrário,nem é bom pensar…

  82. Mass

    -

    05/09/2013 às 11:29

    No executivo a incompetência e corrupção, visando o “socialismo bolivariano”; no legislativo o servilismo corrupto e a falta de ética; se no judiciário aventurarmos para o descumprimento de leis, os poderes da república perdem a função e a representatividade, daí estaremos em situação análoga à 64, ou ainda pior. Estarei enganado em minha análise?

  83. Lobachevsky

    -

    05/09/2013 às 11:27

    Para quem adentra a elite da psicopato-cracia (o estado controlado por psicopatas), expandir a doença psíquica — caracterizada por fazer o mal sem sentir remorsos — levar essa doença a todos os escalões da sociedade é uma questão de sobrevivência.

  84. DARCY

    -

    05/09/2013 às 11:27


    O OUTRO LADO DOS COMUNAS-PETISTAS – VALE A PENA VER E DIVULGAR AOS 32 VENTOS – REPLICAR NO FACEBOOK , TWITTER , ORKUT, NAS PADARIAS , NAS FEIRAS , NOS BOTECOS , NAS PRAIAS , NOS CINEMAS – VAMU Q VAMU FAZER O EFEITO FORMIGUINHA – OS BRASILEIROS DE BEM TÊM DE SABER QUE ESTÃO SENDO MANIPULADOS PELO PT E PELAS TVS ABERTAS…
    .
    CHEGA DE ESTUPIDEZ – BASTA DE ALIENAÇÃO , VENHAM PARA A REVISTA VEJA , LEIAM OS COLUNISTAS REINALDO AZEVEDO E AUGUSTO NUNES. ( PODEM NÃO CONCORDAR COM TUDO QUE ELES DIZEM , MAS CERTAMENTE UNS 90% SERÁ LIQUIDO E CERTO – ALÉM DA INQUESTIONÁVEL COMPETÊNCIA ELES TÊM CONHECIMENTO DE CAUSA ) – E FIQUEM À VONTADE PARA COMENTAR OS SEUS TEXTOS … ( fiquem à vontade para replicar esse texto e o vídeo abaixo pela a internet – o mundo tem que saber o q está acontecendo aki no NOSSO BRASIL )

    http://www.youtube.com/watch?v=_dUTJ8kNSTk&feature=c4-overview&list=UU-VTjv__X80MXxt-5dwJBzg

  85. Abreu

    -

    05/09/2013 às 11:17

    .
    Sou ouvinte da Rádio Jovem Pan de São Paulo – AM 620 khz, mas nesta quinta-feira, 06/09/2012, a partir de 7h30min, terei motivo especial para estar ainda mais atento: sua participação no ‘Jornal da Manhã’
    .
    Contudo, quando estiver ao lado de Joseval Peixoto e de Anchieta Filho — ambos de posicionamento político (para meu gosto) muito dúbio (pois vivem soprar as ‘mordidelas’ que eventualmente são obrigados a dar em lulla, dilma, et caterva — sendo que Anchieta é irmão caçula do inefável — sem ironia!, José Nêumane Pinto), desejo-lhe boa sorte, não sendo de dispensar pelo menos “uma boa porção” de sal grosso e uns raminhos de arruda…(hehe!).
    .

  86. GUGA

    -

    05/09/2013 às 11:17

    Demorou algumas sessões mas o Sr. Teori mostrou a que veio. Com sua “improvisação” de 8 laudas não nega seguir a linha Lewandowisk de agir. Quanto ao Sr. Barroso, após dissertar sobre o “cocô de cachorro” na primeira intervenção, demonstrou sua expertise no assunto.
    A Sra. Rosa após a intimidação tresloucada de Lewandowisk, com direito a se jogar sobre sua poltrona após a carraspana, deve ter entendido seu papel e deverá seguir a horda petista. O Sr. Toffoli, com sua voz sempre se esganiça quando prega os maiores absurdos continuará em sua insignificância moral e ética. O Sr. Marco Aurélio Mello como sempre escolherá o lado pior. Resta a nós que alguma luz surja no espírito dos membros da Corte e a justiça retome seu posto.

  87. Augusto

    -

    05/09/2013 às 11:11

    CONTRA OS INFRINGENTES:
    .
    1) Gilmar Mendes;
    .
    2) Barbosa;
    .
    3) Fux;
    .
    4) Cármen Lúcia;
    .
    5) Rosa Weber.
    .
    A FAVOR:
    .
    1) Lewandowski;
    .
    2) Toffoli;
    .
    3) Teori;
    .
    4) Marco Aurélio;
    .
    5) Barroso;
    .
    6) Celso de Mello.
    .
    Portanto, lamento dizer, mas acho que os infringentes vão passar.
    .
    Porém, a discussão NÃO SE ENCERRA HOJE! Lewandowski vai trazer um “SUBSTANCIOSO VOTO DE 200 LAUDAS”, e o debate vai se estender até a semana que vem.

  88. Maria Soares

    -

    05/09/2013 às 11:11

    Que Deus nos proteja e ilumine os ministros para que valorizem o país decente e punam exemplarmente os corruptos.
    Nossa história não merece uma página em que a corrupção vence no final. Acredito e confio em pessoas do BEM.

  89. josé reis barata

    -

    05/09/2013 às 11:04

    Raciocinando por analogia. Se é que ainda é permitido raciocinar.
    .
    Necessitar de votação para cassar deputado (mormente com direitos políticos suspensos) com sentença transitada em julgado,admite que qualquer servidor público de outro poder – executivo, judiciário e mesmo do legislativo – na mesma situação, sentenciado, necessite para ser demitido, também do aval de seus pares ou do Chefe do Poder respectivo.
    Não se pode confundir mera formalidade administrativa com competência jurisdicional.
    .
    Arrego!

  90. Heitor

    -

    05/09/2013 às 11:02

    Os bandidos são assim, o Tribunal deu um dedo, quiseram as mãos, de posse das mãos, pediram os braços, o resto do corpo foi mera casualidade. Os trouxas amasiados e penosos dos bandidos deram penas mínimas, das penas mínimas para o zero o caminho é curto.

  91. Valencia

    -

    05/09/2013 às 10:59

    O Brasil está esperando saber quando o Supremo vai terminar com o registro do partido que é formado por uma quadrilha.

  92. Lança afiada!

    -

    05/09/2013 às 10:58

    Esta mais do que na hora, é agora que o STF provará que está a serviço da nação ou de um partido politico. Aparelhar o STF, é a ultima brincadeira de democracia que o PT faz.

  93. antonio

    -

    05/09/2013 às 10:56

    hoje vc nao dorem’alias nem eu.
    hoje ‘e o primeiro dia do brasil rumo ao abismo.
    nao se poe o pt no poder impunimemte.

  94. Gabriel

    -

    05/09/2013 às 10:55

    Caro Reinaldo,
    Veja que situação grave – descobri que o meu vizinho o Américo, estava atrás do muro ouvindo eu conversar com a minha esposa Vilma. Esse ato de espionagem deixou minha esposa muito brava. Ela vai levar a ofensa para o BRICS ( grupo que reúne Barangas Ricas Incomodadas Com Sua vida). Minha esposa disse que se o Américo não pedir desculpas ela vai propor sanções, primeiro vai proibir as crianças de ir na casa dele e também quer de volta o secador de cabelo que emprestou. O pior de tudo é que o Américo é bem de vida e domingo tem churrasco na casa dele, não sei se vou resistir quando a cheirinho da picanha passar para o meu lado. Por falar nisso, estou sentindo a tal vergonha do outro, imagine a gargalhado dos americanos ouvindo uma conversa entre o apedeuta e a você sabe quem rsrsrsr. Abraço

  95. José Brenand da Silva

    -

    05/09/2013 às 10:55

    a historia tem nos revelado de maneira muito velada, que a “LEI” brasileira só se faz presente quando é para mandar para a cadeia o trabalhador sem eira e beira, aquele que desempregado, furta uma coxa de galinha em um SUPERMERCADO, para aplacar um pouco da fome de seus filhos, e lá fica mofando, porque não tem que os defenda, exceto certos Jornais que ao saber do ocorrido dar plublicação, porem mas interessado em vender materia, dai, um cero Juiz, da liberdade ao infeliz. A “LEI”, nesse caso. é durona e rispida, pois se trata de um pé rapado sem eira e beira; logo a cadeia é o lugar desse “marginal”, onde se viu furtar coxinha de galinha, tem que roubar milhoes, superfaturar obras, desviar dinheiro publico, isso sim, são pessoas serias e muito prosperas, e merecedoras de todo respeito da sociedade e da Lei.

  96. Adilio Belmonte

    -

    05/09/2013 às 10:47

    O Ministro Zavaski, mais do ninguém, sabe muito bem que em Embargos de Declaração somente se pode resolver omissões ou contadições encontradas na própria decisão embargada. É portando um recurso limitado a uma decisão, não podendo ampliar seus efeitos a outros processos. E isso é elementar em Direito Processual Civil sob pena de contrariar e desrespeitar a lei e as demais fontes do direito, especialmente o “devido processo legal” que é princípio constitucional. Demais, nosso direito vigente em todas as fontes, como a Constituição Federal e o Código Penal em seu artigo 92 determina, taxativamente e sistematicamente que a condenação penal em pena de reclusão transitada em julgado tem como efeito a perda de cargo, função pública e mandato eletivo. O que falta para esses piratas do dinheiro público irem para a cadeia?
    O Direito é ciência e método, sendo incompatível com a chicana, o apadrinhamento e as tendências ideológicas. Isso num Estado Democrático de Direito, pois na anarquia tudo é possível. Por fim deve ser esclarecido que tanto o Regimento da Câmara Federal como o do Supremo Tribunal em muitos pontos já foram superados pela Consrituição e por novas leis. A propósito, na mesma Câmara onde proibido fotografar as sessões, estas são transmitidas em tempo real para todo o mundo pela WEB e pela Televisão. Os vícios e os costumes não se alteram no Brasil! Cadeia nos Mensaleiros!

  97. Fernando X

    -

    05/09/2013 às 10:45

    Lei é lei, Levandovisqui é Levandovisqui, Tofoli é Tofoli, e os dois não estão nem aí para as leis.
    .
    Simples!

  98. josé reis barata

    -

    05/09/2013 às 10:44

    Sim Jorge , sim.
    .
    “Jorge
    -

    05/09/2013 às 9:58

    Sim, aplicar o direito achado nas Leis. Mas nas Leis que reflitam moralidade, bom senso, enfim a evolução do homem no caminho do progresso.
    Pois, sabendo como são esses legítimos representantes desse povo pateta,eles podem facilmente achar uma Lei que eles mesmos já elaboraram em benefício próprio, assim como fazem seus colegas dos morros cariocos.”

  99. Nicolau Demétrio

    -

    05/09/2013 às 10:43

    Belo texto, PARABÉNS! Hj o SUPREMO define seu rumo e diretrizes, ou está com o POVO e pessoas de bem deste País, ou teremos a certeza, que o ROUBO, A CORRUPÇÃO, A FALTA DE VERGONHA serão banais e legalizadas, pois é assim que o PT e seu “CHEFE” LULA, querem….e perseguem.

  100. toninho malvadeza

    -

    05/09/2013 às 10:39

    Isso é o mínimo que os pagadores de altíssimos impostos querem,o cumprimento das leis ! Hoje se fará história no STF,ou será uma reprise da vergonha da Câmara !

  101. DARCY

    -

    05/09/2013 às 10:38

    .
    ATT…OBS…
    .
    -… e o TEORI ZAVASCKI desencantou…heheehe…TÁVA DEMORANDO NUM TÁVA…??? aiaiaiai…!!! meu deus do céu!!!
    .
    - eles são perigosos , ôces não tão acreditando não…???
    .
    - eles foram contratados para esse fim , e ponto final , se liguem gente…!!! NÃO ADIANTA QUESTIONÁ-LOS – ELES SÃO FIEIS – O TEORI ESTAVA ESPERANDO O MOMENTO CERTO PARA DAR O BOTE , como esse momento não veio , ELE TENTOU A SORTE MESMO SABENDO DE QUE NÃO SERIA FELIZ ; contudo ele honrou o prometido – TALVEZ ELE TENHA FEITO ESSA “JOGADA” PURA E SIMPLESMENTE PARA DAR SATISFAÇÃO ( … ), mas esperando , na realidade , que fosse vencido ante a ação temerária , MAS ELE TINHA QUE FAZER ALGUMA COISA – TINHA QUE TENTAR – FOI UM SUICÍDIO PENSADO , REPENSADO, ARQUITETADO ( ele sabe muito bem que ultrapassou um sinal fechado numa rodovia de alta velocidade – FOI UM KAMIKAZE – ROLETOU COM UM REVOLVE DE 6 TIROS COM 5 MUNIÇÕES = DEU NO QUE DEU = MORREU = SE MATOU-SE PARA DAR VIDA-LIBERDADE AOS MENSALEIROS ; ESSE AÍ REALMENTE É FIEL.
    .
    - [[[ BEM , A GRANDE VERDADE É A SEGUINTE , ESSES AÍ SÃO O QUE SÃO E, PONTO FINAL ; EU QUERO É SABER DA CARMINHA E DO MARQUINHO - ... ]]]
    .
    …DOTÔRA CARMEM LÚCIA e DOTÔ MARCO AURÉLIO – ESSES DOIS FICARÃO PARA A HISTÓRIA DO BRASIL , OU SERÁ PARA AS ESTORINHAS PRA BOI DORMIR…??? hehehe…kkk…rsrsrs…

  102. bpistelli

    -

    05/09/2013 às 10:35

    Rei, a sessão decidirá sobre o tribunal, se é STF ou SCN.
    SCN = supremo circo nacional.
    -
    GAME OVER ao STF se decidir pelos E.Infringentes, que mandem os homens da PELZ fazer um galpão com mastro central (circo),dentro os palhaços começarão o espetáculo.

  103. Antonio Casca

    -

    05/09/2013 às 10:29

    Chega de reticências e amadorismo!
    Capilé e Regina Casé para ministros, já!

  104. ANTI-PETRALHAS

    -

    05/09/2013 às 10:20

    A SITUAÇÃO DO STF É SIMPLES OU SEGUE AS LEIS VIGENTES E MANDA TODOS PRA CADEIA JÁ OU SIGA A PATRULHA PETRALHA E TRANSFORMA O BRASIL EM VERGONHA MUNDIAL EM NÃO CONDENAR BANDIDOS PERIGOSOS QUE GOLPEIAM O ESTADO BRASILEIRO ,OFENDEM OS BRASILEIROS E DEIXAM CLARO QUE AS MAIORES AUTORIDADES DO JUDICIÁRIO NÃO SERVEM AO PAÍS E SE SERVEM DELE PARA SE MANTER NO PODER OS PIORES ELEMENTOS QUE NUNCA SE PREOCUPARAM COM A POBREZA E APENAS A UTILIZAM COMO MANOBRA PARA PERPETUAÇÃO E DESMORALIZAÇÃO DESSA NAÇÃO E COM AS SUCESSIVAS TENTATIVAS DE INSTAURAR UMA DITADURA BOLIVARIANA A QUALQUER PREÇO ,PARA ALIAR-SE AO QUE SE TEM DE PIOR NA POLÍTICA EM 10 ANOS DE DESTRUIÇÃO DA ECONOMIA BRASILEIRA E DA DIGNIDADE DESSE POVO,VEREMOS EM BREVE A QUE PONTO PODEMOS CHEGAR SE CERTOS MINISTROS SOB O COMANDO DESSA QUADRILHA PODEM DECIDIR MUDAR OS VOTOS E MUDAR O CURSO DA CARTA MAGNA .

  105. beaujolais

    -

    05/09/2013 às 10:12

    Desculpe-me a grosseirice luliana: se os ladrões mensaleiros fossem Zés-Ninguém sem a influência perniciosa óbvia do poder central, haveria toda essa frescurice? É bom lembrar que alguns dos votos favoráveis a safardanas como o Dirceu foram de juízes que o povo considera serem a serviço do Don Juan de Garanhuns.

  106. Maria Alice

    -

    05/09/2013 às 10:09

    Rei, uma pergunta. Se o Zé Dirceu foi o chefe e abriu as portas para Marcos Valério fazer toda bandalheira , ele não teria que ter a pena maior que todos? Se não fosse ele abrir as portas nada disso teria acontecido. Porque ninguém fala sobre isso?

  107. roberto

    -

    05/09/2013 às 10:09

    se o stf amarelar na hora h,eles não perdem por esperar,o que vão fazer o que acontecerá no Brasil num futuro próximo.Já vi este filme no passado,na década de 60.

  108. Edson Caçarola

    -

    05/09/2013 às 10:07

    O PAÍS DA SAFADEZA INSTITUCIONALIZADA

    À primeira vista o que vou escrever não tem a ver com o assunto do post, mas tem tudo a ver!
    Depois da maldita Constituição de 88, que os bobalhões sempre a postos diziam ser a mais avançada do mundo, passamos a conviver com formas estranhas de se lidar com situações, tais:
    - o passador de cheques sem fundo pode processar a vítima do seu calote caso prove que este exibiu em público o objeto do crime (o cheque) para terceiros.
    - os devedores de taxas de condomínio podem ficar eternamente devedores e, da mesma forma, podem processar o condomínio caso este exiba em público a listagem com os seus nomes.
    Neste caso, o devedor onera os outros condôminos que, na teoria, estariam na mesma situação financeira sua.
    - criminosos com uma extensa folha corrida recheada com os mais diversos e perversos tipos de crimes, andando soltos pelas ruas graças à justiça que foi buscar nas entranhas da nossa legislação uma “explicação” para permitir tal disparate.
    Então não é nenhuma aberração a composição e certas decisões de alguns taiguaras do STF atual.
    Estão sintonizados com o momento atual.

  109. GERALDO

    -

    05/09/2013 às 10:00

    Tenho refletido muito sobre a DEMOCRACIA e a REPUBLICA, sobre a independencia dos tres poderes, executivo, legislativo e judiciario, é triste ver a falata de grandeza dos ocupantes dos tres poderes da Republica, ver a incompetencia manifesta em todos os atos dos seus membros.
    Não sou daquele que acham que as pessosas não podem errar, acredito na grandeza da admissão do erro e na sua correção, mas quando escolhemos pessoas para chefiar qualquer um dos tres poderes, pensamos estar escolhendo os melhores pessoas infaliveis, verdadeiros semi deuses, porque estou dizendo isto, porque não se trata de pessoas comum, não se trata de cidadãos comums, são pessoas de grande sabedoria.
    Quando olhamos para o nosso legislativo e comparamos com os legislativos anteriores vemos claramente a sua gradual piora ou deteriorização membro a membro ano a ano. Quando olhamos o executivo do presidente ao servente faixineiro a constatação é a mesma, e ai cabe uma resalva para os que afirmam que escolaridade é sinonimo de melhora e evolução social, no Brasil tivemos presidente “analfabeto” e temos faixineiros com mestrado e doutorado. Mas quando olhamos para o judiciario a nossa ultima instancia, a nossa ultima esperança de sabedoria, pois para ser um grande juiz não basta ser um grande conhecedor de leis, precisa tambem ser sabedor de sociologia, ciencias, matematica, filosofia, principalmente na Suprema corte onde nem todos os membros são juizes de carreira, onde os julgamentos não se restringem as letras das leis, onde a interpretação das leis é necessaria a luz da justiça, legalidade e justiça não são sinonimos, o conceito de justiça é muito e infinitamente mais amplo que o conceito de legal, ai quando comparamos os membros do STF de hoje com os que ja passaram pela suprema corte a diferença é gritante. Fazendo uma analogia com o futebol, no futebol arbitro bom é aquele que não aparece, para o STF penso o mesmo.!!!

  110. alex

    -

    05/09/2013 às 9:59

    O que me irrita é que esses “honestos cidadões” tem sempre o nome de agentes do leste europeu… coincidência?

  111. jorge

    -

    05/09/2013 às 9:58

    Sim, aplicar o direito achado nas Leis. Mas nas Leis que reflitam moralidade, bom senso, enfim a evolução do homem no caminho do progresso.
    Pois, sabendo como são esses legítimos representantes desse povo pateta,eles podem facilmente achar uma Lei que eles mesmos já elaboraram em benefício próprio, assim como fazem seus colegas dos morros cariocos.

  112. Alex Wie

    -

    05/09/2013 às 9:57

    Acho que o Diabo não quer concorrentes, pois são fortes e podem derrubá-lo.
    Enfim, o STF esta a um passo de ser a instituição mais bizarra do Planeta, perderá apenas, para Uganda, Sudao,Somalia, Siria
    E Arabia Saudita, acho que tambem o Chad e a Bolivia rs
    Brasil “Um Paiz de Bovinus”

  113. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 9:54

    Se o julgamento for melado, espero que você solte os cachorros no debate de hoje.

  114. xLuiz

    -

    05/09/2013 às 9:53

    Mestre Rei
    Há um ditado popular que diz: ” nada é tão ruim, que não possa ser piorado!” Pois é!, está aí o Zavascki para provar essa máxima. Espero que ele faça por merecer o respeito daqueles que o admiram.

  115. aNTONIO

    -

    05/09/2013 às 9:49

    Pois é, meu caro Reinaldo, você acertou na mosca quando diz que o Lewandowski esta quase pedindo desculpas aos condenados.

  116. Manoel

    -

    05/09/2013 às 9:49

    Mostrarão se são homens honrados no cumprimento do dever público ou se são vassalos do PT.

  117. AUGUSTO

    -

    05/09/2013 às 9:43

    Apelo aos leitores para que me respondam;PORQUE É TÃO DIFÍCIL PRENDER OU PUNIR UM CORRUPTO? JUÍZES VENDIDOS,JUSTIÇA LENTA? LEIS FROUXAS? (NÃO PARA O BATEDOR DE CARTEIRA) PORQUE?

  118. João Abel

    -

    05/09/2013 às 9:39

    Bom dia Reinaldo, no 8º parágrafo vc quis dizer: embargos de declaração, certo? abraço

    Corrigido, obrigado.

  119. Tito

    -

    05/09/2013 às 9:36

    O Genuíno sendo condenado, teremos que aguentar mais algumas choradeiras de Eduardo Suplicy no senado. Haja paciência. Este Senador terá que procurar outra legenda pois nem o PT o quer mais. Só ele não sabe.

  120. Caio

    -

    05/09/2013 às 9:35

    Vai depender do gigante moral ou do anão moral chamado Zavasky ,hoje vai ser um dia para se mostrar a que veio ,não acho que só o resultado de hoje mostrará isso tem uma carreira pela frente pode vse diminuir depois ,mas hoje é um retrato importante da quantas anda a corte.

  121. Marcello Castellani

    -

    05/09/2013 às 9:32

    Me atenho a seu último parágrafo, caro Reinaldo. Infelizmente, no Brasil, o crime compensa. Será que vai mudar? Creio que não tão cedo…

  122. alfredo quadros

    -

    05/09/2013 às 9:31

    se, apesar dos ministros amigos dos ilegais(?????), o povo brasileiro consciente vencer, o zé dirceu vai para a cozinha e o zé genoino vai para a lavanderia, lavar sungas e cuecas dos presos, como fazia quando era “preso político” e lavava as dos cabos e sargentos como disse o bolsonaro.

  123. Humberto Pinto

    -

    05/09/2013 às 9:30

    Ilustre Jornalista e Pensador
    Reinaldo Azevedo

    Nesse Egrégio Tribunal não está dificil separar o joio do trigo…

  124. Helio

    -

    05/09/2013 às 9:29

    Tem gente aqui dizendo que se o Zezão e o Genoino forem condenados já estará de bom tamanho. NÃO! ELES PODEM SER CONDENADOS, MAS ESCAPANDO DAPRISÃO FECHADA (ZÉ)! SÓ COMEMORO SE O ZEZÃO PASSAR PELO MENOS 1 ANO NA CADEIA DIRETO!É UMA QUESTÃO DE HONRA! SERÁ UM “V” DE VITÓRIA DA SOCIEDADE CONTRA OS BANDIDOS DA CÚPULA DO PT. BOM MESMO SERIA O ENGAIOLAMENTO DO LÍNGUA PLESA!

  125. Marcello Castellani

    -

    05/09/2013 às 9:24

    Bom dia caro Reinaldo. Peço vênia no sentido de colocar em seu espaço (caso você concorde) um artigo do Carlos Chagas que demonstra tão bem quanto você o descalabro/hospício da era petista. É um governo/estado feito para não funcionar.

    “Legislativo, Judiciário e Executivo batem cabeça como se estivessem perdidos, desarvorados no exercício de suas funções, não apenas no relacionamento entre eles, mas dentro de suas próprias atribuições. Com todo o respeito, parecem na situação daquelas vacas que não conhecem os próprio bezerros. Senão vejamos:

    A Câmara não conseguiu, na última semana de agosto, número suficiente para cassar o mandato de Natan Donadon. Eram necessários 257 votos, 233 votaram pela cassação. Em favor da absolvição, 131, sendo que 41 se abstiveram e 108 faltaram. Como explicar, assim, que na noite de anteontem 452 deputados tenham se pronunciado pelo fim do voto secreto, declaradamente redimindo-se da decisão anterior, considerada pelo presidente da casa o ponto mais baixo na história da instituição. Demonstraram que no voto aberto condenariam o indigitado parlamentar. Mudaram de opinião por medo da opinião pública? Falta de convicções? Mas tem mais. O presidente Henrique Eduardo Alves, que marcou a sessão onde a cassação foi apreciada, logo depois deu posse ao suplente, Amir Lando. Demonstrou que Donadon não era mais deputado, até mandou cortar seus vencimentos, ou seja, cassou o colega. Por que, então, antes submeteu seu mandato ao plenário? Para culminar, a Câmara aprovou a emenda constitucional do voto aberto que necessita ir para o Senado, quando poderia ter aprovado outra proposta igual já votada pelos senadores. Resultado: no Congresso, o voto ainda é secreto.

    Não menos grave é a confusão no Supremo Tribunal Federal. Durante o processo do mensalão decidiram os ministros que a condenação penal de parlamentares determinaria a perda automática de seus mandatos, já que perderiam os direitos políticos. Assim manifestou-se o presidente Joaquim Barbosa. Com o ingresso de mais dois integrantes naquela corte, mudou tudo: os meritíssimos entenderam que só a Câmara poderia cassar deputados. Em seguida, nova alteração: o ministro Luís Roberto Barroso suspendeu os efeitos da sessão onde Donadon escapou da cassação. Além de haver criado singular figura de Direito, no caso a anulação de decisões tomadas em outro poder, de acordo com a Constituição, o mais jovem integrante daquela corte embaralhou as cartas ao admitir que um deputado continue deputado pela metade. Se tiver sido condenado a regime semi-aberto, poderá exercer seu mandato de dia e, à noite, ficará obrigado a recolher-se à cadeia. Por conta disso ignora-se até agora quem dá a última palavra sobre a condição funcional dos parlamentares.

    No governo, a mesma balbúrdia. Há um mês surgiu a denúncia de estarem os Estados Unidos espionando o mundo inteiro através de sofisticados sistemas que invadem telefones, e-mails e demais mecanismos de comunicação abertos pela avançada tecnologia. Como não havia vítimas personalizadas, o palácio do Planalto omitiu-se, apesar de saber da óbvia existência de um ser humano atrás de cada computador. Foi necessário que novas denúncias indicassem a presidente Dilma como alvo identificado, espionado e fotografado. Reunião especial de parte do ministério levou apenas à decisão de pedirem contas a Washington, além da convocação do embaixador americano ao Itamaraty. Hipóteses foram aventadas mas não concretizadas, como o cancelamento da visita da presidente da República aos Estados Unidos, a retirada temporária de nosso embaixador da capital dos Estados Unidos e uma veemente denúncia junto às Nações Unidas. Continua tudo em suspense, ao tempo em que o Secretário de Estado, John Kerry, confirmou que a espionagem continuará, até em defesa “dos interesses do Brasil”.

    Convenhamos, são três poderes perturbados, em estado de perplexidade e tumulto, sem conhecer os próprios bezerros.”

  126. Mairalur

    -

    05/09/2013 às 9:24

    O ministro Joaquim que tome um calmante, pois a bancada petralha do STF vai causar.

  127. Marcos

    -

    05/09/2013 às 9:22

    Enquanto criminosos ainda participarem do governo e do controle do partido,como é o caso desse delinquente chamado José Dirceu,o país vai continuar turbinando a violência.Como disse o ex prefeito de Nova York,Rdolph Giuliani,”a melhor forma de combater o crime é manter criminosos o maior tempo possível presos”.Isto é o oposto do que ocorre aqui,a justiça da embromação.

  128. Sergio

    -

    05/09/2013 às 9:17

    Nossa tradição é de esbórnia e esculhambação. Adoramos transitar entre o caos e a ordem. O lema costurado em nossa bandeira expressa, por enquanto, apenas um anseio. Eu diria que hoje sabermos que iremos trilhar para todo o sempre o caminho da sacanagem definitiva ou se podemos almejar algo melhor, ainda que seja para as futuras gerações.

  129. gente rica

    -

    05/09/2013 às 9:14

    O STF amarelando na reta final – e livrando um Tubarão graúdo como o Zé Dirceu da cadeia -, só está dando Nitroglicerina para os manifestantes quebrarem tudo nas proximidades das eleições ano que vem.

  130. Franklin_1989

    -

    05/09/2013 às 9:11

    Reinaldo,entre aqui e veja a crítica que Lênio Streck faz a Luiz Roberto Barroso.A respeito do que ele decidiu quanto a questão da cassação de mandatos…http://www.conjur.com.br/2013-set-05/senso-incomum-supremo-nao-guardiao-moral-nacao

  131. STF reafirma seu poder para detonação imediata de mandato de deputados condenados no Mensalão

    -

    05/09/2013 às 9:10

    O Legislativo levou ontem uma trombada do Judiciário, colaborando ainda mais a confusão institucional tupiniquim. E os deputados mensaleiros se deram mal. O Supremo Tribunal reafirmou sua decisão de que a perda de mandato dos parlamentares condenados na Ação Penal 470 deva acontecer automaticamente com a conclusão total do julgamento de todos os recursos.

    O STF interpretou que cabe à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados apenas declarar vago o posto do deputado condenado. Assim, tão logo o Mensalão seja considerado, de verdade, “transitado em julgado”, ficam sem emprego os deputados João Paulo Cunha (PT-SP), José Genoíno (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP). Assim que se transformarem em cidadãos comuns, sem imunidade do mandato, os quatro migrarão do paradisíaco parlamento para o infernal parlatório da cadeia – mesmo que em regime semi-aberto. Mas o grande golpe para os mensaleiros é perder os direitos políticos.

    O Super Presidente do STF, Joaquim Barbosa, aproveitou para dar seu recado cuidadoso ao parlamento: “Os cuidadosos votos proferidos pelos ministros desta Corte não deixaram qualquer margem para dúvida sobre a atribuição do Supremo Tribunal Federal nessa matéria, cabendo a esta Corte a decisão final sobre a perda dos mandatos eletivos pela prática de crime contra administração pública, reservando-se à Câmara dos Deputados a providência meramente declaratória desse perda”

    Agora, o grande mistério do julgamento do Mensalão é se o STF aceitará ou não os embargos infringentes como recursos válidos. Barbosa queria que a questão fosse resolvida antes dos protestos de rua marcados para o feriado de sábado, 7 de setembro, quando o Brasil comemora sua suposta Independência. Por enquanto, nada está certo para uma polêmica sessão extra de sexta-feira no STF. De repente, empurrar a decisão para semana que vem pode alimentar, ainda mais, a bronca dos manifestantes que cobram uma solução final para o caso dos mensaleiros – até agora, na prática, ainda impunes.

    Pela atual pressão de opinião pública, será muito complicado, politicamente falando, se a maioria do STF resolver que os embargos infringentes podem ser aceitos para alterar sentenças do Mensalão, como prevê o regimento do STF, ao arrepio da legislação em vigor sobre o assunto. O casuísmo de fazer um regulamento ficar acima de uma lei pode ter um custo institucional muito alto. Tal golpe disfarçado, dependendo dos protestos que gerar, tem consequências imprevisíveis.
    (Alerta Total) Cássia

  132. GEROLOZANON

    -

    05/09/2013 às 9:04

    Se os terroristas DIRCEU e o GENUINO forem condenado no julgamento do mensalão já esta de bom tamanho

  133. DEMOCRATA

    -

    05/09/2013 às 8:56

    Bom dia a todos
    Estamos nós os brasileiros, esperando confiantes que o STF demonstre ser o fiel da balança da justiça, pautado nas leis e blindado às pressões externas. Se esta balança da justiça pender por algo mais que as leis, então os tribunais deste país perdem a legitimidade e seus julgamentos passarão a ser meros posicionamentos dos togados a favor deste ou daquele. Ou seja anarquia completa.
    Em resumo, ou somos um estado de direito ou uma republiqueta corrupta e sem rumo.

  134. Franklin Rondon

    -

    05/09/2013 às 8:56

    Boa, Tio Rei! Vamos torcer para que o dia de hoje seja mesmo o divisor de águas da história deztepaiz.

  135. fan_do_cara

    -

    05/09/2013 às 8:50

    O STF escolhe o que quer ser: O supremo orgulho ou a suprema vergonha da nação.

  136. LUG

    -

    05/09/2013 às 8:50

    Num STF respeitável, a lei seria cumprida e os embargos infringentes, rejeitados.
    Mas a composição deste STF deixa dúvidas sobre s sua respeitabilidade.
    Todos os brasileiros conhecem as limitações éticas, jurídicas e até o baixo alcance intelectual de alguns ministros.

  137. Melquisedec Oliveira da Silva

    -

    05/09/2013 às 8:48

    Bom dia Reinaldo Azevedo.

    A companheirada(PT) da minha cidade (Limeira/SP) já esta preparando a recepção de José Dirceu. Veja o que está sendo divulgado em nossos jornais locais: http://www.jlmais.com/

    Abraço,
    Melquisedec

    PT sonda Limeira para prisão de Dirceu

    Escrito por Gabriela Garcia
    Qui, 05 de Setembro de 2013 00:07
    tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte
    Imprimir
    E-mail
    Seja o primeiro a comentar!

    Avalie este item

    1
    2
    3
    4
    5

    (0 votos)
    Integrantes do partido procuraram funcionários do CR do município.

    Com o julgamento do mensalão em fase final, alguns dos réus condenados já se preparam para o cumprimento das penas. Em Limeira, o nome do CR (Centro de Ressocialização) vem ganhando força como um dos prováveis destinos dos réus condenados. É o caso do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. O Jornal de Limeira apurou que integrantes do PT (Partido dos Trabalhadores) de São Paulo fizeram sondagens a respeito do funcionamento da unidade.
    Por meio de ligações telefônicas, funcionários do CR foram questionados sobre as características de funcionamento, atividades e qualidade do presídio.
    Ontem, o Estadão divulgou que Dirceu tem dito a pessoas próximas que não acredita em um novo julgamento pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e que gostaria de cumprir a sua pena de dez anos e dez meses nas proximidades de Vinhedo, cidade onde mora – um dos destinos seria o CR de Limeira.
    Outras duas possibilidades para o cumprimento da pena seriam o CR de Mogi Mirim e a Penitenciária de Tremembé. Algumas situações, no entanto, fazem com que as especulações sobre o CR de Limeira ganhem força.
    O primeiro ponto é que – desde sua inauguração, em 2001 – o CR é considerado “um presídio modelo” no Estado. Não há qualquer histórico de fugas ou rebeliões. Apesar de contar com algumas celas em seu interior, os réus dormem em alojamentos. Além disso, a unidade opera muito abaixo de sua capacidade – atualmente, são 140 presos para 250 vagas. As visitas são realizadas duas vezes na semana, aos sábados e domingos.
    Em sua maioria, os presos cumprem penas em regime semiaberto, mas a unidade também aceita réus condenados a penas em regime fechado, levando em conta alguns critérios – como não fazer parte de qualquer organização criminosa, não ter cometido crimes de extrema violência, ser réu primário, entre outros.
    Na unidade, os detentos podem trabalhar de diversas maneiras – oficinas de montagem, horta comunitária, limpeza, cozinha, entre outros. Para cada três dias trabalhados, há a remissão de um dia da pena. Depois, em regime semiaberto, o preso pode trabalhar fora da unidade. Os detentos também têm acesso a serviços de saúde do município e assistência social fornecida pela SAP.
    Outro fator que contribui para que o CR se torne um provável destino para os mensaleiros é a proximidade política – o governo municipal é comandado pelo PSB, aliado do PT.
    Em menor escala, o CR de Limeira também se torna uma possibilidade para o cumprimento de pena de João Paulo Cunha, condenado a nove anos e quatro meses, e José Genoino, condenado a seis anos e 11 meses – este em regime semiaberto.

    PENA
    O JL também apurou que advogados de José Dirceu estavam se preparando para que as prisões fossem cumpridas ainda hoje. Porém, segundo o Estadão, a prisão imediata dos condenados deve ser proposta pelo presidente do STF e relator do mensalão, Joaquim Barbosa – segundo o jornal, em casos recentes, o tribunal só determinou a prisão dos condenados após os julgamentos dos segundos embargos de declaração.
    Também é responsabilidade de Barbosa determinar o local de cumprimento de pena dos condenados. Uma vez feita esta determinação, os réus podem pedir transferência para outra unidade.

    GAZETA DE LIMEIRA -
    Possível vinda de Dirceu a Limeira volta a ser citada

    Possível vinda de Dirceu a Limeira volta a ser citada. Caberá à Administração Penitenciária definir a unidade onde ele deverá cumprir pena. CR local tem boa estrutura é o preferido (Arquivo Gazeta)Possível vinda de Dirceu a Limeira volta a ser citada. Caberá à Administração Penitenciária definir a unidade onde ele deverá cumprir pena. CR local tem boa estrutura é o preferido (Arquivo Gazeta)

    Caberá à Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) definir a unidade onde ele deverá cumprir pena

    Renata Reis

    A possibilidade de o ex-ministro José Dirceu cumprir pena no Centro de Ressocialização (CR) de Limeira voltou a ser cogitada. Ontem, reportagem do jornal O Estado de São Paulo citou que o personagem central do mensalão gostaria de ficar preso nas proximidades de Vinhedo, cidade onde mora, como no CR de Limeira. Mas a outra alternativa seria o presídio de Tremembé. A Gazeta publicou reportagem sobre as duas possibilidades em outubro de 2012 e, em novembro daquele ano, outra matéria reproduziu a repercussão do assunto na grande mídia, como na revista Época, que também abordou a preferência de Dirceu pelo CR de Limeira, pela boa estrutura e o regime de segurança mínima.

    Leia matéria completa na versão impressa da Gazeta de Limeira de hoje.

  138. eusabia

    -

    05/09/2013 às 8:43

    Os malfeitores tomaram conta de tudo. Quem vê, na tv, as atitudes de alguns no Supremo percebe o que aconteceu. Tá na cara, na cara mesmo! Não acredito em mais nada.

  139. ivanor

    -

    05/09/2013 às 8:42

    Aberta a porteira ou quebrada a cerca a boiada passa toda. Um Pizzaiolo tem a sua disposição todos os ingredienntes a mão, para levar ao forno a Pizza de acordo com o pedido do cliente. Assim procedeu o Pizzaiolo Teori. embora já tendo proferido seu voto mas verificando que a porteira estava semi-aberta, apresentou seu “improviso” já devidamente elaborado a mais de uma semana. Aliás desse tipo de improviso para aproveitar a porteira aberta, já ficara patenteado no caso do Bispo, pelo Lewandowiski. Não entendo nada de STF, mas como pode uma pessoa, qiue não seja um Pizzaiolo, ter a disposição uma argumentação tão farta de mais de 20 minutos, para proferir seu voto de arrependimento e refazer seus votos anteriores com tantas minúcias. Tudo estava preparado. Cá com meus botões, Teori apresentara esse seu “improviso” a Presidenta, na hora de sua indicação.

  140. VALMIRO-BA

    -

    05/09/2013 às 8:42

    Não conseguir pegar no sono esta noite, pensando no absurdo dos absurdos da TEORIA de teori… (com letra minuscula mesmo).

  141. castanholobo

    -

    05/09/2013 às 8:39

    Cuidado com esse homem, ele armou a bomba que vai cair no colo de todo brasileiro de bem. Ontem, na seção do STF ele balbuciou (não sem vergonha ou sem preço) que acatava todos os embargos de declaração de todos os mensaleiros. Ele é o garçom da pizzaria comandada por Lewando e Barroso (garçonete Cármen).
    Hoje o circo abre E TEM PALHAÇADA.

  142. Marilene L'Abbate - São Paulo

    -

    05/09/2013 às 8:32

    BARBIE-COMUNISTA + CARCARÁ-REI jamais esquecerão a Comemoração do “7 de Setembro-13″ = Sabor-Amargo-na-Boca = FIM-DE-SONHO = Princesa-Diana-na-Índia = Solidão-Plena! É o destino dos “grandes” ditadores… Hitler, até hoje, experimenta o terror, na Eternidade, pelo infinito egoísmo.

  143. Olho vivo

    -

    05/09/2013 às 8:30

    É possível que o STF determine, nas próximas horas ou dias, a prisão de José Dirceu e dos seus companheiros de mensalão. Mas o julgamento mais importante da história do Brasil ainda pode acabar como “piada de salão”, como profetizou, anos atrás, o ex-tesoureiro petista Delúbio Soares.
    Dirceu e colegas de partido planejam fazer um discurso após a definição sobre a ordem de prisão, dizendo-se vítimas de perseguição política –como se estivessem em plena ditadura ou sendo julgados por uma corte de exceção. É o que os advogados chamam jocosamente de “jus esperneandi” ou “direito de espernear”.
    Articula-se, inclusive, a realização de atos de desagravo à turma pelo país, se é que os mensaleiros conseguirão reunir mais do que algumas dezenas de incautos dispostos a ampará-los publicamente. Lula e Dilma, com certeza, não estarão entre eles.
    Aliás, não é preciso lembrar a ninguém que o PT está há dez anos no comando do país e que os dois presidentes citados indicaram a maioria dos ministros que participam do julgamento no Supremo –Joaquim Barbosa, inclusive.
    Tampouco é segredo que um deles, José Antonio Dias Toffoli, não apenas foi advogado de campanhas de Lula como assessorou Dirceu na Casa Civil. E nem assim se considerou impedido de julgar o ex-chefe. Perseguição política?
    Mas, em se tratando de Dirceu, é melhor ficar atento. O petista tem uma biografia intensa e espetaculosa. Foi um dos líderes estudantis presos no famoso congresso de Ibiúna, fez treinamento guerrilheiro em Cuba, viveu clandestinamente no interior do Brasil após fazer uma plástica que alterou seu rosto, participou da fundação do PT e tornou-se o homem mais forte do governo Lula até cair com o escândalo do mensalão.
    Não seria por falta de audácia que o ex-ministro deixaria de pedir asilo político a alguma embaixada latino-americana. (Rogério Gentili-Folha) Claudia

  144. Heitor

    -

    05/09/2013 às 8:28

    Acho que sou pessimista, mas se avizinha o maior conto do vigário da história do Brasil. Escandaloso. Começou com o atraso de anos para o inicio do julgamento. Barbosa disse que o processo estava digitado e disponível muito antes, anos antes. Fomos feitos de trouxas. http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/joaquim-barbosa-entrega-relatorio-sobre-o-mensalao

  145. INDIGNAÇÃO

    -

    05/09/2013 às 8:23

    VERGONHA, VERGONHA, VERGONHA!!!! CADÊ O NOTÁVEL SABER JURÍDICO DOS MINISTROS?? ATÉ VOTO DE ADIVINHAÇÃO ACONTECEU!!!O LEVANDOWSKI A DIZER A TODO INSTANTE QUE O CONDENADO “NÃO TEM NADA QUE O DESABONE”. ELES AGEM COMO SE OS CONDENADOS ESTIVESSEM SENDO VÍTIMAS DE UMA TREMENDA INJUSTIÇA. UMA PENA VAI DE 2 A 10 ANOS. O CARA É CONDENADO A MENOS DE 3 ANOS E ELES ACHAM A PENA “EXACERBADA”. SERÁ QUE ELES AO SE OLHAREM NO ESPELHO NÃO SE ENVERGONHAM DE SUAS AÇÕES?? CADÊ O DECORO?? CADÊ A APLICAÇÃO REAL DA LEI?? DEPOIS QUE O DUDA MENDONÇA FOI ABSOLVIDO APESAR DA CLAREZA DO CRIME COMETIDO E ATÉ CONFESSADO, NÃO RESTA ESPERANÇA QUANTO AO DESFECHO DESSA PANTOMIMA. DIA SETE DE SETEMBRO VAMOS TODOS PARA A FRENTE DO STF, DO CONGRESSO E DO PALÁCIO DO PLANALTO MOSTRAR A NOSSA INDIGNAÇÃO CONTRA TODA ESTA FARSA QUE ATUALMENTE REPRESENTAM OS TRÊS PODERES DA REPÚBLICA.

  146. Cancai

    -

    05/09/2013 às 8:22

    O diabo já sabe,duvido que algum bandido desse vai pra cadeia.Só por DEUS mesmo.

  147. josé reis barata

    -

    05/09/2013 às 8:20

    O Direito e o “clamor das ruas”.
    .
    (Justeza é a concordância da vontade com o que deve ser; verdade é o da concepção com o que é – R. von Jhering)
    .
    Não vou ficar repetindo que considero Reinaldo um homem público (é mais do que jornalista e “Blogueiro”) sério, dedicado, inteligente e culto. Não me prestaria a opinar sobre discursos que denotassem tendenciosíssimos francamente escusos, embora não os lesse, escutasse e avaliasse. Usar o “a priori” no livre jogo de opiniões é derrotar o processo dialético no nascedouro.
    Não me interessa a opção colegiada que tomará o STF, tanto quanto um aspecto de fundamentação da sentença que Reinaldo tem constantemente avaliado e tomado posição da qual discordo e tenho, insistentemente, deixado firme.
    Não tenho, também, conseguido identificar objetivamente as razões que o levam a uma intransigência que reputo como a mais pecaminosa para a aplicação do Direito pátrio que vem das formação do bacharel que é péssima.
    Adilson Abreu Dallari, em Direito Administrativo na Constituição de 1988, 1991, Editora Revista dos Tribunais Ltda bem coloca:
    “….um Judiciário sem recursos e sem controle, sem poderes e sem responsabilidades, mal estruturado e sofrendo por causas que surgem da própria formação do Bacharel em Direito, que é péssima.”… “….sem o exercício da jurisdição não existe democracia, não existe liberdade… A Constituição de 88 evoluiu no tocante ao Executivo e ao Legislativo e regrediu no tocante ao Judiciário; a parte mais reacionária, mais retrógrada da nossa Constituição é a que diz respeito ao Judiciário.”

    No texto em comentário o interesse de minha discordância se resume nestes breves excertos:

    Reinaldo:
    “E não! Não estou, de modo nenhum!, a cobrar que o tribunal se vergue ao clamor das ruas.

    Eu não quero que os senhores ministros pensem nas ruas. Eu não quero que os senhores ministros pensem no Brasil. Eu não quero nem mesmo que os senhores ministros pensem nos réus — Lewandowski vive apelando ao senso humanitário dos juízes, quase pedindo desculpas aos condenados. Eu quero é que os senhores ministros pensem nas leis. Para mim, está de bom tamanho. Se tiverem coragem de aplicá-las, estarão, por consequência, fazendo bem ao Brasil e aos brasileiros.”
    .
    A parte final trai a intenção textual de afastar o STF das ruas ao se fixar no “, fazendo bem ao Brasil e aos brasileiros”. Bem e mal são visões morais e não legais.
    Desde o antigo primeiro contato com um ensinamento de Émile Durkheim ainda não consegui uma antítese que pudesse se opor a:
    “Para cada povo, num determinado momento de sua história, existe uma moral, e é em nome dessa moral reinante que os tribunais condenam e a opinião pública julga”
    Não imagino que os julgadores estão livres para buscar suas convicções fora do aparato legal mormente em seus deslocados interesses, compromissos e afinidades político-partidárias; tanto quanto também não que atuem no absurdo campo da fidelidade estrita à lei; o tal Direito Puro de Hans Kelsen que bem observa:
    “Que tal conducta sea prescrita por el derecho no significa que lo sea igualmente por la moral. Esto no significa que sea menester renunciar al postulado de que el derecho debe ser moral, puesto que ,precisamente, solo considerando al orden jurídico como distinto de la moral cabe calificcarlo de bueno o de malo”

    Ao continuar justificando a tese da objetividade, pureza do Direito, Kelsen desenha os extremos do cenário, sem, no entanto, considerar que há um meio termo:
    “Em el diálogo Las Leyes, Platón distingue las mentiras permitidas de las que, no lo son. Uma mentira está permitida si es útil al governante. Se puede , por ejemplo, enseñar que solo hombre justo es feliz, aunque esto seja contrario a la verdade. Si es uma mentira, es muy útil, ya que garantiza la obediencia al derecho. De la misma manera, la doctrtina del decrecho natural tratrueca la verdade al pretender ser apta para determinar de manera objetiva lo que es justo, pero que sus partidários pueden considerarla como una mentira útil”
    Voltaire aponta este “meio termo”:
    “O direito natural é aquele que a natureza indica a todos os homens…O direito humano não pode estar baseado em nenhum caso senão nesse direito de natureza e o grande princípio , o princípio universal de um e de outro é, em toda a terra: “Não faça o que não gostaria que lhe fizessem.” Ora, não vemos como, segundo este princípio, um homem pudesse dizer a outro: “ Creia aquilo que eu creio e o que você não pode crer ou morrerá”.
    Encontro em Erasmo de Rotterdam, “Elogio da Loucura”, sec. XV/XVI uma analogia que tem se feito presente que em muito retardam a justiça tornando-a injusta:
    “Entre os eruditos, os jurisconsultos ocupam o primeiro lugar, não havendo ninguém mais vaidoso do que eles. Empenhados com assiduidade numa fadiga como a de Sísifo (*),acumulando inumeráveis leis sobre assuntos sem importância alguma , acrescentando glosa sobre glosa, parecer sobre parecer, e dando a entender que seu estudo é o mais difícil de todos. Para eles, de fato, tudo o que apresenta dificuldade é meritório…briguentos , a tal ponto que chegam a puxar da espada por questões sem sentido algum e a perder, de tanto discutir, toda preocupação com a verdade. (*) Sísifo, segundo a lenda, foi condenado a rolar uma pedra montanha acima, sem parar até o topo. Mal conseguia, a pedra voltava a rolar montanha abaixo.”.
    Não Reinaldo, não! Juízes não são máquinas. O Direito também é produzido de alguma forma pelos tribunais com independência e harmonia.
    O “clamor das ruas” transmite uma mensagem orientadora para o poder discricionário sempre presente em um julgamento. O dever de vigiar intransigentemente para que esta liberdade interpretativa das leis não seja usada pelos julgadores para fins pessoais, não justifica pretendê-los deuses afastados dos reclames sociais que vão moldando silenciosa ou ruidosamente a moral.
    .
    Concluo com R. Von Ihering:
    “Não é a estética, mas a moral que nos deve dizer o que seja a natureza do Direito; e longe de expulsar a luta pelo direito, a moral proclama-a como um dever”

  148. Badger Vicari

    -

    05/09/2013 às 8:18

    Excelente!

  149. Anónimo

    -

    05/09/2013 às 8:13

    O Executivo é uma vergonha!!! O Legislativo é uma vergonha!!! Sobrava para mim o Supremo, pois tem-se ali (pelo menos hipoteticamente) homens e mulheres com “notável saber jurídico”. Que nada, outra vergonha!!! Ouvir o “meritíssimo” Levandowski dizer diversas vezes que o condenado “não tem nada que o desabone”. Ver um Zavaski tirar do bolso do colete um voto premonitório, pois adivinhou que ia ser aberta uma divergência e aproveitou para fazer coro com a tese de que as penas para corrupção estão “exacerbadas”. Como pode estar exacerbada uma pena para o CONDENADO José Dirceu, considerado pelo PGR o “chefe da organização criminosa”. E os demais, são “anjinhos” q

  150. Abaixo a Ditadura Petista!!

    -

    05/09/2013 às 8:12

    Os juizes do STF estão decidindo o futuro da república e não apenas uma tramóia de corrupção. O programa mais médicos e o asilo do senador boliviano são a prova que o país está sendo governado pela ditadura assassina cubana. E agora o STF decidirá se beneficia os pigmeus da filial cubana, o PT. É simples assim!

  151. nei Brasil

    -

    05/09/2013 às 8:09

    Vamos indicar livros para eles lerem na prisão!

  152. Marconi Soldate

    -

    05/09/2013 às 8:04

    Aos que sonham com a prisão dos mensaleiros, venho trazer-lhes um pouco de verdade. O Brasil é o país da impunidade. No Brasil, não existe democracia. Muitos esquerdistas, na juventude, crescem sem conseguir acreditar no óbvio, ou seja, o sistema é incompatível com o ser humano. Simplesmente não funciona, gera cada vez mais escassez, desanimo, mesmice, pobreza. O mesmo ocorre com jovens que acreditam na democracia tupiniquim. Isso aqui não é, nunca foi, real democracia. E, por não ser, ainda precisa nascer. Só com uma ditadura de bons homens, impondo o império das leis, poucas e boas, é que nascerá a real democracia que você tanto defende Reinaldo. Da esquerdice você se libertou, mas dá falsa democracia, não. Hoje você vai descobrir o que eu já sei e é óbvio, pois sempre foi assim aqui. O julgamento do mensalão só acontece pois juntou-se a tempestade perfeita contra os criminosos. E, agora, eles terão de revelar o óbvio. Estão no comando.

  153. Joel

    -

    05/09/2013 às 7:58

    Bom dia, Reinaldo!

    Acredito que você trocou uma palavra no trecho: “com as mesmas agravantes e atenuantes — matéria, sim, então de embargo infringente —, Zavascki resolveu”. O correto seria: “matéria, sim, então de embargo de declaração”, já que os embargos infringentes não existem mais, não?

    Grande abraço!

    Joel

    Corrigido, obrigado.

  154. Maria Ruth

    -

    05/09/2013 às 7:55

    Senhores Ministros do STF,
    O Brasil e os Brasileiros esperam que os senhores cumpram com o seu dever e apliquem a Justiça!!! Abaixo a corrupção! Cumpra-se a Lei!!!

  155. Carlos

    -

    05/09/2013 às 7:53

    No Brasil, infelizmente o crime compensou, compensa e compensará para sempre. De outro modo seria insano, ou coisa de outro mundo, eles, essa bandidagem toda de gravata colocar-se atrás das grades. Isso não é somente os mensaleiros. Conheço um pouco dos corredores destes podres poderes. Seria possivel contar nos dedos das mãos os poucos que salvam-se. Verdadeiramente tenho desprezo por quase tudo o que esta corja faz.

  156. Marilene L'Abbate - São Paulo

    -

    05/09/2013 às 7:51

    O DIABO saberá o que fazer, pois houve incríveis erros de cálculos de penas. Os ladrões-políticos transformaram-se em “anjinhos”, e Marcos Valério foi demonizado. Quem procurou quem??? Quem aceitou “o que”? Defendo a redução de pena do mineiro e de seus funcionários. O Tribunal dos Homens deve curvar-se ao Tribunal do Povo = Cidadãos-Conscientes = JUSTIÇA DIVINA. O STF sempre rendeu-se aos governos. Nas especiais Energias do Terceiro Milênio, os Cidadãos-Conscientes deverão ser respeitados, pois são eles que SUSTENTAM espiritual e materialmente a Nação. Existe Hierarquia, no Universo, senhores. É necessário corrigir os equívocos-comunistas da Constituição-88 = Plena em direitos e ausente em deveres. Os ministros da Onda-Vermelha foram escolhidos com “determinados” compromissos. Defendo, portanto, a substituição desses irresponsáveis profissionais = Viciosos-Eleitoreiros-da-Ditadura-Esquerdista. CONCLUSÃO: Novos ministros NÃO deveriam participar dessas hilariantes sessões.

  157. Bruno Sampaio

    -

    05/09/2013 às 7:49

    Mal posso esperar voltar do trabalho e ver que bicho deu? Será que vai dar cobra?
    Aguardemos…

  158. Silvio Baptista

    -

    05/09/2013 às 7:45

    Não acham que estão muito otimistas quanto ao novo supremo? com esses novos membros petistas e mais um que vira ainda este ano, teremos um outro supremo .Creio que se o mensalão começasse agora, teríamos que pagar indenização por calunia aos petralhas.

  159. Francisco Carlos Sales

    -

    05/09/2013 às 7:45

    Que vergonha! a grande armação que os mensaleiros tramararam no STF é maquiavélica. O ministro Barroso, na uotima sessão da semana passada, pediu vistas do processo do Genu e reapareceu ontem com um parecer apresentando contradições nas penas aplicadas a dois condenados do grupo publicitário. Na semana anterior o ministro Barroso tomou duas decisões (pedido de abertura de processo contra o governador do PT Agnelo e cancelou uma sessão da Camara dos Deputados), claramente para passar a ideia a população de que é um ministro independente que toma decisões corajosas.Tudo isso faz parte do plano para livrar os mensaleiros. A tacada final foi na sessão de ontem, onde conseguiram aprovar o entendimento do Barroso, alterando a pena de um dos condenados, abrindo espaço para que o o ministro ZXAVASCKY (gravem bem o nome dele)disse que com base na mudança de postura do tribunal DISSE QUE IRIA REVER TODOS OS SEUS VOTOS NO QUE CONCERNE A FORMAÇÃO DE QUADRILHA, o que livra o Zé Dirceu e o Genuino do regime fechado. Observem que esse ministro já estava com um voto fundamentando essa sua mudança radical de opinião PRONTO, COM MAIS DE 6 PAGINAS. É armação ou não é? Pelo que tenho acompanhado do julgamento quem vai decidir a votação é a ministra Rosa Weber, caso vote com os ministros Joaquim Barbosa, Celso de Melo, Gilmar Mendes, Fux e Carmem Lucia, pois os outros cinco votos a favor dos mensaleiros já estão definidos, ou seja. os de Zavascki, Lewandovski, Barroso, Tofoli e Marco Aurelio (que deve ter sido enquadrado pelo seu primo Collor e virou defensor de mensaleiro). Portanto, está mão da Rosa Weber.

  160. Trocando o nickname

    -

    05/09/2013 às 7:27

    Caro Reinaldo,
    Longe de querer ser o revisor,
    No 8º parágrafo …
    “Não!Não…melhor da hipósteses,…”

  161. Gisele

    -

    05/09/2013 às 7:21

  162. Jose Bonna

    -

    05/09/2013 às 7:11

    Quero estar muito enganado… mas a “Pizza Delúbio” sairá do forno hoje ou na semana que vem.
    Jabuticaba Vergonhosa !

  163. ic

    -

    05/09/2013 às 7:07

    “O diabo quando não vem manda o secretário”, diz um ditado antigo. Pois está ai: o secretário do diabo chegou na pessoa desse ministro zawaski. O povo brasileiro está esperando, faz tempo, pelo desfecho de um correto julgamento e, agora, parece que será “melado”. Será? Deus se apiede do Brasil.

  164. Marcus Meyer

    -

    05/09/2013 às 6:47

    Não sou tão otimista assim. Segundo a Lei de Murph,se algo pode dar errado… A Lei que impera para alguns destes Ministros,como Zavascki, Toffoli ou Lewandowski, entre outros, é a Lei do mais forte, do que tem o poder de tornar suas vidas mais confortáveis do que os seus vencimentos comportariam. Assim,o que tende a vigorar é a Lei do QI (Quem os indicou)!

  165. Marília

    -

    05/09/2013 às 6:32

    Um post extraordinário, relatando a verdade e, como sempre,estimulando a reflexão. A Lei é a Lei, ora bolas: se cumprida, tudo o mais estará fazendo bem ao país e de bem com o país! Assisti ontem à sessão, e tb fiquei espantada com a atitude de um dos mais recentes ministros da Corte. O que seria isso, meu Deus?

  166. bereta

    -

    05/09/2013 às 6:18

    “DE ONDE NADA SE ESPERA, É DAÍ QUE NÃO SAI NADA”. Essa frase foi atribuída ao famoso Barão de Itararé, o gaúcho Aparício Torelli. Frasista de pena de ouro, teria cunhado essa frase, cujo teor é o que menos se espera do Supremo. O país espera que o SUPREMO se atenha a LEI. O SUPREMO jamais poderá viver de chicanas. Já basta um chicaneiro. O país não precisa de mais ninguém que use desse recurso, tão próprio de advogados de porta de cadeia. Porém, ao que tudo indica, teremos um segundo, quem sabe um terceiro ou até mesmo um sexto chicaneiro. Se o teor da CONSTITUIÇÃO é tão elástico como os senhores do SUPREMO querem que ele seja, aí haverá um grande erro. ULYSSES GUIMARÃES, quando da promulgação da última CONSTITUIÇÃO, disse que aquela era a CONSTITUIÇÃO CIDADÃ. Sarney, o mal falado, falou mais. Disse que com aquela CONSTITUIÇÃO, o país se tornaria ingovernável. Quem está com a razão? Hoje o país chega as margens do Rubicão. A sorte está lançada. Por ora prevalece no país o “azar” ideológico, que tudo corrompe. Aguardemos.

  167. Fagundes

    -

    05/09/2013 às 6:00

    Caro Reinaldo, dignos leitores:
    -
    Lendo sua frase “STF pode viver hoje o 1º dia do resto de sua história” ocorreu-me uma comparação entre o Sr. Teori Zavascki e o escritor polonês Henrique Sienkiewicz (Nobel da literatura em 1905). Teori é autor de obras jurídicas e Henrique autor de Quo Vadis.
    -
    Pois bem, Sienkiewicz nos leva a uma visão bíblica de Pedro fugindo de Roma, quando vê Cristo e pergunta: Quo Vadis, Domine? (“Aonde vais, Senhor?”)
    Jesus respondeu:
    “Vou a Roma, para ser de novo crucificado, visto que tu a abandonas e ao meu rebanho”.
    -
    O que estamos vivendo não é uma visão: presenciamos a fuga de Teori à aplicação da Lei.
    -
    Teori Zavascki está a nos dizer que prisão é punição é por demais severa, que cadeia não foi feita para abrigar homens de destaque político, sendo reservada a ralé. Portanto busca adequar, esta é a palavra exata, a pena ao “status” do condenado.
    -
    Lavendowski, Toffoli, Weber, todos sobrenomes de Ministros do STF, a um desatento, pode dar a impressão que estamos em outro pais. Mas não, estamos presenciando ao vivo e em cores uma prova de fogo de um Tribunal Maior. Henrique Sienkiewicz escreveu algo como “antes de passar pela prova de fogo, ninguém é capaz de aquilatar, por assim dizer, o material com que Deus fundiu a alma humana”.
    -
    Sim, senhores Ministros do STF, adequem a pena dos condenados, segundo o quilate de suas mentes, mesmo que seja absolvição, porque conhecimento jurídico os Srs. possuem, afinal são ou não são juízes? Precisam de ajuda?
    -
    STF, Mostre-nos a sua utilidade. Ou a falta dela (como diria Reinaldo).
    -
    QUO VADIS, STF?

  168. Marcos F

    -

    05/09/2013 às 5:55

    Amanhã, caso os criminosos sejam finalmente condenados, veremos e ouviremos afirmações categóricas de lulistas dizendo “está muito certo” e, na explicação, mostrar que está tudo errado, que tudo foi perseguição política, e que a salvação para o futuro será a reeleição da Dilma.
    Confio muito mais em quem não confio, que nos “escondidinhos” do bem.

  169. Rapadura

    -

    05/09/2013 às 5:41

    Caríssimo.
    Que possamos dizer com orgulho.
    No Brasil ainda existem juízes!

  170. capitão

    -

    05/09/2013 às 5:40

    Aguardemos.
    Mas estes são tempos muito estranhos.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados