Blogs e Colunistas

12/10/2009

às 6:47

Rentabilidade das exportações do Brasil é a menor da história

Por Raquel Landim, no Estadão:
Exportar se tornou um mau negócio no Brasil. A rentabilidade das exportações está no menor patamar de sua história. O real valorizado derrubou o indicador da Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex) para o nível mais baixo desde 1985, quando a série começou a ser calculada.

As empresas relatam que a demanda externa começou a se recuperar lentamente, depois da queda abrupta nas vendas provocada pela crise global. Os preços dos produtos embarcados pelo País também tiveram uma pequena alta, puxados pelo desempenho das commodities. Mas o real valorizado anulou os ganhos.

“Se não fosse pelo câmbio, as exportações seriam até bastante positivas”, disse a diretora de exportação da A. Grings, dona da marca Piccadilly, Micheline Grings Twigger. Segundo ela, a fabricante de calçados gaúcha percebe uma movimentação do mercado, mas o câmbio deixou seus produtos fora do preço ideal. “Para recuperar os mercados que perdemos, um preço competitivo era essencial.”

O indicador de rentabilidade da Funcex é calculado com base na taxa de câmbio, nos preços das exportações e em uma estimativa de custo das empresas. Em agosto, o índice estava 3,9% abaixo de julho e 11,6% abaixo de agosto de 2008. Segundo Fernando Ribeiro, economista-chefe da Funcex, uma projeção preliminar aponta mais uma queda da rentabilidade da exportação de 1% em setembro.

“As perspectivas são negativas para as margens de lucro dos exportadores, porque não sabemos para onde vai o câmbio. O Brasil está muito atraente para os investidores. A tendência de entrada de capital no País é significativa , o que provoca a valorização da moeda”, explica Ribeiro. Aqui

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

28 Comentários

  • Ivanete Martins

    -

    29/4/2010 às 9:14 pm

    Os desmandos do PT não param. Aqui na Bahia, invariavelmente, temos que engolir as ações autoritárias e anti-democráticas de um governo que se diz “do povo”.

    No início do ano letivo de 2010, todas as escolas da rede estadual foram obrigadas a reduzir a carga horária das disciplinas de Lingua Portuguesa e Matemática para atender á obrigatoriedade de incluir temas como “Cidadania e Cultura” e outros e à exigência de oferecer as disciplinas de Filosofia e Sociologia em todas as séries do ensino Médio. E agora o governo promete distribuir camisetas e mochilas com a logomarca da administração estadual para todos os alunos, mas alega não ter dinheiro para a educação! É pura campanha!

  • marcelo

    -

    13/10/2009 às 10:31 am

    Prezado Reinaldo,
    Estive viajando, e não consegui ler o seu blog. Hoje, fiquei espantado com a quantidade de comentários petralhas que não foram VETADOS….
    A economia e as exportações vaõ de mal a pior por> EXCESSO DE GASTOS DO GOVERNO FEDERAL, EXCESSO DE TRIBUTAÇÃO E VALORIZAÇÃO EXCESSIVA DO REAL.
    No caso da valorização exagerda do real, eu atribuo aos dólares do narcotráfico…. Chavez e as FARC estão canalizando muito dinheiro para o Brasil, o que valoriza ARTIFICIALMENTE o real.
    O Brasil é um paraíso para o dinheiro sujo que circula no mundo. Se as Farcs conseguem levar drogas para os EUA, aqui é muito mais fácil trazer dinheiro do narco tráfico. Pense nisso.

  • Marcus Meyer

    -

    13/10/2009 às 7:24 am

    Vejam como todos interpretaram mal as promessas do Lula. Ele disse que diminuiria a desigualdade social no país, não que melhorarira a vida dos pobres. Assim, se ele destruir nossa indústria todos ficarão mais pobres e portanto mais iguais. De quebra, todos ficarão mais dependentes do estado, como em Cuba, Coréia do Norte, Venezuela. Este é o bolivarianismo que vamos ter nestipaiz.

  • daniel akatsu

    -

    13/10/2009 às 7:17 am

    A culpa é duzamericano, não do Hussein, que é um santo.

  • Mauricio A

    -

    13/10/2009 às 5:43 am

    Assim, lutar contra o “custo Brasil” e contra o câmbio é heróico. Quando deixa de compensar, o pobre e a classe média vai pra rua. Simples assim.

    Exportar soja e álcool é bom, mas dá pouco emprego em comparação com exportação de produtos manufaturados. O governo não ajuda, na maioria das vezes só atrapalha.

    O bolsa Miami volta a deixar os novos ricos felizes da vida. E o Mulla pensa que com isso consegue anestesiar a classe média. Que vai começar a perder emprego já, já.

  • Mauricio A

    -

    13/10/2009 às 5:43 am

    Provavelmente já ocupam seu espaço e não têm como se expandir por aqui, por isso procuram o mercado externo. Perder mercado externo para essas empresas não significa baixar os preços no mercado interno. Significa demitir.

    Com relação ao aumento de produtividade, as coisas têm limite. Apesar de ter mão de obra barata – nem tão barata assim – a infra-estrutura brasileira é péssima. Portos ruins, burocracia pior ainda, impostos escorchantes, estradas ruins e inseguras(roubo de cargas) e falta de transporte ferroviário têm como consequência um alto “custo Brasil”, coisas que o exportador não tem controle.

    continua …

  • Mauricio A

    -

    13/10/2009 às 5:41 am

    Exportar!

    Minha contribuição de leigo aos amigos que acham que é só aumentar a produtividade ou é só olhar pro mercado interno.

    Me parece claro que, já que o Brasil apesar de “ter tudo” e não “produzir tudo”, necessita importar. Com isso há a necessidade de exportar para compensar as importações.

    Além disso, o Brasil precisa de emprego para se desenvolver. Exportações são uma boa fonte de empregos.

    Existem mais, mas acima temos duas boas razões para tentar exportar.

    Quem não prestou atenção na reportagem não percebeu que as empresas citadas também trabalham no mercado interno.

    Continua …

  • Maximus

    -

    12/10/2009 às 9:34 pm

    Imagina só o que vai acontecer quando o tal do pré-sal começar a inundar esse país com o dinheiro dos petrodólares! Como sempre acontece nos países ricos em recursos naturais e que não sabem aplicar o dinheiro corretamente, a valorização do câmbio vai tirar completamente a competitividade da nossa indústria e destruir o nosso sistema produtivo. Ficaremos pobres e dependentes das esmolas estatais. Exagero? Basta olhar para a nossa vizinhança rica em recursos naturais: Bolívia, Venezuela… O governo tem dinheiro e o povo? Ah, o povo, que viva das esmolas e ainda ache bom…

  • Rovison

    -

    12/10/2009 às 8:47 pm

    É claro que o real valorizado é ruin para as exportações, entretanto se tivéssemos uma carga tributária decente, estradas em boas condições de uso e portos modernos e eficientes e menos burocracia, com certeza essa valorização do real não estaria provocando tal impacto negativo nas exportações brasileiras.
    Esses bilhões que o governo Lula vai gastar nas Olimpíadas daria para dar uma boa arrumada na infraestrutura de transportes do país.

  • Rovison

    -

    12/10/2009 às 8:38 pm

    O problema principal não é a valorização do real, mas a pesadíssima carga tributária brasileira aliada às péssimas condições de infraestrutura de transportes e portuária que roubam a competitividade dos produtos brasileiros.

  • Esperança

    -

    12/10/2009 às 4:08 pm

    cont 03 Economia pode ser o general inverno de Lula
    custear a equação que se apóia no aumento do gasto para injetar dinheiro no consumo,…Mas nada foi feito e a farra do gasto continua. A roda viva chegará em 2010 capenga e prenunciando um cenário ainda mais problemático uma vez que a equação de Lula secundarizou o investimento público em infra-estrutura, trocando pela miragem de se viver no nirvana social onde todos estão contentes com dinheiro no bolso. CUIDADO, LULA: QUE PODE FALTAR DINHEIRO, O QUE SIGNIFICA QUE PODE FALTAR VOTO.
    Blog Léo Mota Neto.

  • Esperança

    -

    12/10/2009 às 4:00 pm

    cont 02 Economia pode ser o general inverno de Lula
    Foi uma fórmula perfeita, enquanto durou. Todos ganhavam com ela, do banqueiro ao cliente do Bolsa Família. Até que sobreveio a crise ecônomica internacional que atingiu uma das pernas da equação de Lula-a remuneração da roda do consumo. Faltou dinheiro na ponta da indústria, que parou de produzir, e por consequência vender, pelo estreitamento dos mercados, desempregando centenas de milhares de funcionários. Com a queda da produção oPIB caiu, a arrecadação federal desabou.
    Teoricamente, o governo precisava com rapidez se ajustar à nova situação, cortando despesas para compensar a perda de recursos
    (cont) …3

  • B H

    -

    12/10/2009 às 3:55 pm

    Sr Reinaldo:

    Gostaria de saber se existe alguma coisa mais NEOLIBERAL que o CÂMBIO FLUTUANTE.
    Onde estão as esquerdas para denunciarem isso.
    Versejando?
    Ptralhas e canalhas rimam.Mas não são soluções.

    Saudações.

  • Esperança

    -

    12/10/2009 às 3:53 pm

    Economia pode ser o general inverno de Lula
    Napoleão indagou de um de seus generais a razão da catástrofe na campanha da Rússia, qaundo seu exército foi esmagado por vários fatores imprevistos. “Foi o general inverno que nos derrotou”, justificou um deles… Aqui poderá ser o general economia que irá destroçar as tropas do presidente Lula que se apresentam em antecipar a campanha de 2010. Lula está caindo na armadilha que ele próprio armou- a sensação do paraiso social com o consumo incentivado por transferências diretas de renda via orçamento público e pelo empreguismo em massa no governo (20% a mais nas despesas de custeio em 2009, sobre 2008) (cont)… 02

  • José VIctor

    -

    12/10/2009 às 2:02 pm

    No governo FHC exportávamos bem mais. Esse governo está acabando com o País. Que venham logo essas eleições: Serra vai dar um jeito nisso.

  • realista

    -

    12/10/2009 às 1:59 pm

    Nunca antes na história dessepaíz estivemos tão mal. Ficam dizendo que estamos indo bem, mas são os mesmos que deram o Nobel da paz ao Obama. Na verdade, nunca estivemos tão mal, reduzindo nossa importância no mundo…..

  • Homo Anômallus

    -

    12/10/2009 às 1:46 pm

    Tio Rei,
    Rentabilidade das exportações é a menor da história
    Quer dizer então que toda estas empresas que exportam não vão ter que colocar seus produtos em nosso mercado interno?
    E isso, caso aconteça não vai fazer crescer a concorrência deste mesmo mercado interno?
    E os preços médios destes mesmos produtos também não irão diminuir?
    E ainda assim, com todas estas perspectivas, mais a provável queda dos índices de inflação, já que os preços devem cair, e tendo uma economia interna em plena expansão, com tudo isto a nosso favor, o “Locutor oficial do BC”; Inexplicavelmente, antecipa que as taxas de juros devem começar a subir, com o arremedo de desculpa, de que as demandas podem superar a capacidade produtiva, (essa é mais deslavada das mentiras), já que a capacidade de produção da industria nacional encontra-se com bem mais do que 20% de sua produtividade ociosa.
    Enquanto em todas as economias de mercado do mundo, as taxas de juros diminuem quando o fluxo de investimento externo explode, como esta acontecendo aqui.
    Mas em nossa prodigiosa República dos Bruzundangas acontece exatamente o contrário!
    Concretos do Absurdo in Versus Absolutos.
    abçs

  • Tiago

    -

    12/10/2009 às 1:40 pm

    Acho que está mais que na hora de parar com essa história de só exportar e as empresas começarem a dar mais valor ao mercado interno.

  • Chico Atibaia

    -

    12/10/2009 às 1:31 pm

    não é so a valorização do real que torna as exportações dificeis.
    Não ha infraestrutura, as estradas estão pessimas, os portos mal aparelhados,o transporte ferroviario inexiste, e a burocracia para exportar é asfixiante …

  • Caruso

    -

    12/10/2009 às 1:13 pm

    Ué?! E tudo que é produzido aqui tem que ir pra fora? Criem vergonha se não vendem lá fora porque não vendem aqui. Acho que esse “empresários” não valorizam o mercado interno.

  • naldig

    -

    12/10/2009 às 12:05 pm

    Realmente, não é nada fácil para a indústria de calçados brasileira competir com a China, India, enfim, os asiáticos. Claro que o governo pode proteger seu mercado interno com altas tarifas de importação, mas não resolve o problema das exportações. Quase sempre, tais medidas significam em alta dos preços e queda da qualidade para os consumidores brasileiros, A exportação é uma via de mão dupla. Para exportar é preciso importar para manter preços e qualidade estabilizada. Quando uma empresa importa matéria-prima para produzir para exportação, o efeito cãmbio desaparece, porque o dólar pago para importar é recebido ao exportar. Fatores como produtividade, são determinantes para o sucesso.

  • Daniel Barcia

    -

    12/10/2009 às 11:50 am

    Falta aulas de educação en todos los nivel.
    economia nunca teve uma mão so,de tempos
    en tempos a balança muda de lugar, nada mas
    que normal,deveria se saber que con a grande
    entrada de moeda que não gera produção,so
    lucro Bancario,o consumo de produtos agroindustrial
    disminuiria,mas al mesmo tempo o mercado interno
    continua sendo penalizado,pelo alto valor por que?
    os juros extorsivos federales,e o custo transporte
    pela deficiencia de estradas,portos e aeroportos.
    Los exportadores reclaman,o governo quer mas juros
    o povo pagara esta conta maior,Nos somos OLIMPICOS

  • carlos

    -

    12/10/2009 às 11:45 am

    reinaldo, enquanto o lula possa de estadista criticando os loiros de olhos azuis, garndes culpados da bolha financeira internacional, da qual o brasil foi um dos grandes beneficiados e continua falando besteiras, quando o brasil e um dos paises de economia mais fechada do mundo. Por outro lado vai no G 20 falar em sistemas regulatorios contra a especulação financeira internacional, os especuladores fazem a festa na bovespa, uma semana em baixa a outra em alta com ganhos de 3 % na semana e la fora os rendimentos chegam no máximo a 1 % ao ano.

  • O BRASIL VAI QUEBRA AO FINAL DO GOVERNO PT.

    -

    12/10/2009 às 11:38 am

    Disso, jamais tive dúvidas. O brasil entrará numa crise econômica sem precedentes ao final do desgoverno Lulla. Tudo é mentira nesse governo de incompetentes. Mascaram tudo e dirigem o país com a mesma competência dos organizadores da baderna grevista.
    Esperar o que de ignorantes. Fico abismado quando afirmam que o Sr. Lulla da Silva é um gênio político. Estão todos cegos ou surdos.
    Ou a alma do brasileiro já está entegue ao demônio desde o nascimento!
    Brasileiros, preparem-se: o país vai falir em pouco tempo por culpa de um estado perdulário. Pobre do próximo presidente!

  • ZÉ BRASIL

    -

    12/10/2009 às 9:32 am

    Tributa menos Borracho-Lula… os empresários lucram; corte despesas. Vosso governo é o mais perdulário da história desse país…

  • ESBOFETEADOR

    -

    12/10/2009 às 8:51 am

    O VALE TUDO DE LULLA PARA TORNAR OS NUMEROS DA ECONOMIA BRASILEIRA VERDADEIRAMENTE OBRA DE FICÇAO CIENTIFICA, VAI CUSTAR MUITO CARO AO PAIS. E QUANDO ISSO ACONTECER, MEIRELLES JA’ NÅO ESTARA’ MAIS NO BANCO CENTRAL E ALGUEM DA OPOSIÇAO VAI SER CULPADO PELO DESASTRE QUE SE AVIZINHA.
    ENQUANTO ISSO, O PROJETO DE 1 MILHÅO DE CASAS PARA O TONTO DO POVO QUE ACREDITA NUMA PALAVRA DESTE APEDEUTA, VAI PELO CAMINHO DO FOME ZERO, DO PAC E POR AI AFORA. DE CERTO MESMO SO’ O ENRIQUECIMENTO DOS AGENTES DA PROPAGANDA QUE BELISCAM PELO MENOS 20% DA CONTA DE PROPAGANDA INCALCULAVEL DO GOVERNO DA DELINQUENCIA TOTAL DE LULA.

  • Cris

    -

    12/10/2009 às 7:42 am

    UHU! E entra dólar como nunca antes! Até EU queria poder sair daqui e ir até lá no país vizinho, só prá investir um dinheiro a 8,75% ao ano, SEM pagar impostos! Baita taxa, sÕ!
    Não tem igual no mundo, Rei. Livre de impostos? Delicia, gente! A merda é que eu não posso, moro aqui, e recebo no máximo 6% ao ano nas minhas aplicações.
    Eu só não entendo qual é o grande negócio no BC se encher de dólar, digamos, a 1,78, e ver ele baixar para 1,72 no dia seguinte. Prá mim, o BC perdeu dinheiro! Pro governo, todavia, é um baita negócio. Alguém me explique!

  • Luiz Vicente

    -

    12/10/2009 às 7:20 am

    Voltamos mesmo à era do Brasil colônia e agora subjulgados pelo império chinês.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados