Blog Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

sobre

Reinaldo Azevedo, jornalista, escreve este blog desde 2006. É autor dos livros “Contra o Consenso” (Barracuda), “O País dos Petralhas I e II”, “Máximas de Um País Mínimo — os três pela Editora Record — e “Objeções de um Rottweiler Amoroso” (Três Estrelas).

O PT pintou e bordou nos fundos de pensão de estatais, e o rombo passa de R$ 44 bilhões

Os associados dos fundos de pensão receberão uma aposentadoria menor do que esperavam em razão da gestão desastrosa desses entes, levada a efeito pelos petistas. Quinhentas mil pessoas serão diretamente prejudicadas. Mas, como é sabido, o dinheiro também sairá dos cofres públicos, uma vez que o Tesouro acabará socorrendo as estatais

Por: Reinaldo Azevedo

Caros, eu perdi a conta do número de vezes em que escrevi neste blog que o real poder do PT está nos fundos de pensão. E assim já era antes ainda de o partido chegar ao poder. Reportagem do Globo deste domingo informa a situação calamitosa a que os “companheiros” conduziram os fundos das estatais.

Em agosto do ano passado, na última medição oficial, o rombo na Petros (da Petrobras), Funcef (Caixa) e Postalis (Correios) chegava a R$ 29,6 bilhões. O balanço fechado do ano passado, a ser divulgado em abril, deve elevar esse número para espetaculares R$ 44,4 bilhões, sete vezes maior do que as perdas admitidas com as safadezas na Petrobras.

Peço licença para produzir trecho de um texto que publiquei aqui no dia 3 de fevereiro de 2009, há sete anos portanto. Prestem atenção:

“O PT TEM DOIS PODERES: O TEMPORÁRIO E O PERMANENTE. O PRIMEIRO DEPENDE DAS URNAS; O SEGUNDO É GARANTIDO PELO CIPOAL LEGAL QUE REGULA OS FUNDOS DE PENSÃO, QUE CONFERE AOS SINDICATOS O CONTROLE DE UM PATRIMÔNIO DE QUASE R$ 300 BILHÕES. E O PT COMANDA BOA PARTE DOS SINDICATOS, ESPECIALMENTE OS DE EMPRESAS ESTATAIS, O QUE LHE FACULTA O COMANDO DOS FUNDOS DE PENSÃO INDEPENDENTEMENTE DO QUE DIGAM AS URNAS.

POUCO IMPORTA QUEM SEJA O PRÓXIMO PRESIDENTE, JOSÉ SERRA OU DILMA ROUSSEFF, A, SEM TROCADILHO, REAL GRANDEZA DO PT SE MANTÉM PRATICAMENTE INALTERADA.

Se vocês procurarem no arquivo do blog, encontrarão centenas de textos em que sustento que o poder real do PT não está no controle das verbas do Orçamento. Sem dúvida, ali se encontra uma fonte imensa de recursos, mas o partido é obrigado a dividi-los com parceiros de igual ou maior apetite, a começar do PMDB – que é o que é, ou não estaria junto com o petismo. O dinheiro do Orçamento disponível para investimento, além de mais escasso, está sujeito a controles e a uma maior vigilância da imprensa. Já os fundos… Na prática, ninguém controla. Como boa parte da sua capitalização é feita com recursos públicos, eles representam uma apropriação do dinheiro público pela máquina sindical.

A própria história da privatização, vista pelo ângulo da participação dos fundos de pensão, nos revelaria que a economia brasileira é bem menos privada do que parece. Não! Escrevo de outro modo: os grandes beneficiários da privatização foram os sindicatos das empresas estatais – e isso quer dizer Central Única dos Trabalhadores.

Uma das maiores lambanças do governo Lula – a disputa entre o banqueiro Daniel Dantas e o petismo pelo controle da Brasil Telecom, finalmente vendida à Oi ao arrepio da lei então vigente, mudada só para possibilitar o negócio – teve os fundos como protagonistas. Os petistas mandaram, e eles romperam com Dantas, aliando-se a seus adversários. Alijado do controle da BrT, o banqueiro acabou concordando com a venda (…)

Retomo
Sabem quem vai pagar pelo rombo? Sim, em parte, os associados aos próprios fundos. Mas também vai entrar dinheiro das respectivas estatais. Vale dizer: nós todos arcaremos com as consequências dos investimentos feitos pelos “companheiros”.

Reproduzo um trecho da reportagem do Globo:
“A maioria dos responsáveis pelos déficits das fundações públicas tem em comum a origem no ativismo sindical. Nos últimos 12 anos, os principais gestores dos fundos de Petrobras, Banco do Brasil, Caixa e Correios saíram das fileiras do Sindicato dos Bancários de São Paulo.

É uma característica dos governos Lula e Dilma, e as razões têm mais a ver com perspectivas de poder e negócios do que com ideologias.

Os sindicalistas-gestores agem como força-tarefa alinhada ao governo. Compõem uma casta emergente na burocracia do PT. Agregam interesses pela capacidade de influir no acesso de grandes empresas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), fonte principal de recursos subsidiados do BNDES. Onde não têm hegemonia, por efeito do loteamento administrativo, convivem em tensão permanente com indicados pelo PMDB e outros partidos, caso do Postalis.”

Os associados dos fundos de pensão receberão uma aposentadoria menor do que esperavam em razão da gestão desastrosa desses entes, levada a efeito pelos petistas. Quinhentas mil pessoas serão diretamente prejudicadas. Mas, como é sabido, o dinheiro também sairá dos cofres públicos, uma vez que o Tesouro acabará socorrendo as estatais.

Só na Sete Brasil, a empresa que deveria construir navios-sonda e só produziu escândalos, Petros e Funcef já perderam R$ 828 milhões, e Previ, R$ 161 milhões.

Quem acompanha de perto o caso dos fundos de pensão não tem dúvida: no dia em que se fizer a devida radiografia do estrago neles produzido pelo petismo, as lambanças do petrolão vão parecer coisa de bandido pé de chinelo.

Texto publicado originalmente à 1h30
Voltar para a home
TAGs:

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

  1. Luiz

    Pelo amor de Deus, vocês que têm poder façam alguma coisa. Essa bandidagem não pode ficar impune!

  2. Renata

    Esqueceu de mencionar o rombo da FAPES, que é a previdência do BNDES e que também sofreu rombo bilionário.

  3. joão alves

    A oposiçao deveria encaminhar este texto,tato para o Ministro Gilmar Mendes.Mendes. Muito ROUBO,CHEGA, aposentadoria de pequenos trabalhadores dos Correios, da Caixa, Banco do Brasil,Petrobras e toda que terminam com BRAS

  4. Sheia

    Reinaldo:

    Não está na hora do MPF? PF? RECEITA FEDERAL? Prenderem os supostos DIRETORES DESTES FUNDOS DE PENSÃO? E, procurar onde foi ENFIADO ESTA DINHEIRAMA TODA? Quem beneficiou-se com o mau emprego do dinheiro?

  5. miguel 1º

    A bem da verdade, Senhor Azevedo, onde foi que o PT não afanou para manter seus agentes corruptos atuando na república particular criada pelo molusco?

  6. Wilson

    Parabéns os funcionários públicos e de estatais que votaram e votam no PT. Só não reclamem agora.

  7. Kevin Lomax

    Dia 23/02 – Amanhã – 20:30-

    O BRASIL inteiro tem que demonstrar sua insatisfação com tanta roubalheira, desmandos, corrupção, mentiras e deboche da Organização Criminosa-

    Vamos juntos fazer o maior PANELAÇO da história do país-

    O panelaço vai ser em apoio a LAVAJATO e ao Juiz Sérgio Moro-

    Contra o … Fujão que tem provas suficientes para ser preso-

    Contra a mentirosa e criminosa DILMA que quebrou e faliu o país e ainda quer jogar a conta nas costas dos brasileiros-

    Contra o STF Bolivariano que rasga a Constituição para defender a ORCRIM-

    E contra todos os petistas-

    Vamos divulgar nas Redes Sociais-

    ACORDA BRASIL!!!

  8. marilene

    fazem uns 6 ou 7 anos a Petrus literalmente estourou,com um buraco de seis bilhões de dolares – eu disse seis bilhões. E o que aconteceu°? a Petribrás, muito boazinha, fez um aporte de capital ao ao Petrus no valor de 6 bilhoes de dólares. soube que um advogado de Campinas propos uma ação judicial invalidando o aporte. Sabem o que aconteceu. ? adivinhem………

  9. jsilvaselva

    Se o PMDB fosse um partido sério, já estaria na oposição a tempos! Dilma caindo, ele tem que ir junto!!

  10. clama

    Os sindicato foram os grandes responsáveis por isso….. Mas você bancário ajudou, voce trabalhador dos correios ajudou, você petroleiro ajudou, voce metalúrgico ajudou, você estivador ajudou, você professor ajudou, você funcionário publico federal ajudou, você funcionário publico dos estados ajudou, você jornalista ajudou. VOCEIS SÓ SABEM FAZER GREVE….E É ISSO QUE ESSA CAMBADA DO PT QUER……..enquanto isso levaram os fundos de pensão de sua classe , roubaram o que pertencia aos seus filhos….. Mas eles estão ricos e rindo de vocais…….espero que não possam rir de seus filhos……..

  11. leandro

    “Tudo que começa mal, acaba mal”, assim diz o provérbio português. A previdência privada no Brasil começou, vários foram os calotes no século passado de montepios como GBOEX, CAPEMI, quebraram e deixaram os “participantes” sem aposentadoria complementar ou resgate, feito otários acabaram mal. Nos fundos de pensão não foi diferente, a coisa começou mal.
    O maior fundo de pensão do Brasil, entidade fechada de previdência priva, a PREVI, CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL foi RECRIADA, em 1967, para DESOBRIGAR A UNIÃO E O BANCO DO BRASIL DE COMPROMISSO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIO assumido em 1947, compromisso de pagar as aposentadorias de 40.876 funcionários ingressados no BB antes de 1967. Tudo se confirmou em 1997, depois de demitir 40.000 funcionários e a PREVI se apropriar indevidamente das suas aposentadorias complementares, o BB transferiu para a PREVI o pagamento das aposentadorias de 40.000 funcionários, os PRÉ-67. Começou mal e lá no meio continuava mal, sendo que hoje os fundos de pensão nos EUA tem patrimônio e recursos de SETE TRILHÕES DE DÓLARES, mas no Brasil, Reinaldo nos informa, somente 300 bilhões de reais, NO BRASIL OS FUNDOS DE PENSÃO TÊM MENOS DE 100 BILHÕES DE DÓLARES. Por que a previdência privada não cresceu no Brasil como nos EUA, pois tanto num como noutro o início foi nos anos 60/70? Simples, apropriação indébita, legislação fraudada (FRAUDE NO DECRETO 81.240/78) e fraudulenta, falta de confiança, administração dos fundos entregue aos sindicatos ou ao PT. Continuando a história da PREVI e dos otarizados funcionários que ingressaram no BB depois de 1967, os aposentados do BB, os verdadeiros donos (não os petistas que se apossaram desses recursos) da PREVI, em 2008 disseram que as aposentadorias complementares deveriam ser pagas aos funcionários demitidos do BB. Porém, a administração do BB, petista, a Administração da PREVI, petista, negaram estes direitos, disseram que precisavam dos recursos do SUPERÁVIT daquele ano.

  12. Luiz Antônio

    Nessa roubalheira toda o Lula pode ser aquele cara que ensaca as galinhas,, tem que ter alguém inteligente por trás desse plano sórdido de capturar o País através do controle de sua riqueza.

  13. Jamildo Jurandyr Cordeiro Coelho

    Até os Correios passou a apresentar prejuizos, em 2015 passou de 1 bilhão de deficit, onde os petistas e essa esquerda atrasada e incompetente põem as mãos transforma ouro em barro.Nesses 14 anos de desgoverno o brasileiro está sendo castigado pelas 10 pragas do Brasil, pior que as 10 pragas do Egito.

  14. Margareth Morgado

    E o nosso Pope Love, vulgo papinha, pedindo a extinção da pena de morte, quando deveria pedir exatamente o contrário.

  15. Assis Pereira

    QUAIS FORAM OS MAIORES PREJUDICADOS PELA QUEBRA DA SETE BRASIL? ERRARAM TODOS QUEM AFIRMARAM QUE FORAM OS BANQUEIROS. OS MAIORES PREJUDICADOS FORAM PELA ORDEM: FUNDOS DE PENSÃO DA POSTALIS, PETROS E PREVI SEGUIDO DA PETROBRAS QUE DETÉM UMA PARTE DA SETE E NÃO VAI RECEBER AS ENCOMENDAS (SONDAS E FPSO’S) PARA O PRESAL.
    No Brasil injusto em que vivemos é assim mesmo e só vem a comprovar a máxima em que o sistema bancário nacional são verdadeiramente os intocáveis. Veja a situação de nossos principais plano de pensão: Petros, Previ e Postalis.

    Eles foram violentamente assaltado pelo aparelhamento político implantado na Sete Brasil, empresa criada pelo Gabrielli que colocou o Pedro Barusco para comandar o assalto. Qual o motivo do autor da postagem ficar preocupado apenas com os banqueiros credores (Banco do Brasil, CEF, Bradesco, Itaú e Santander)?

    Aliás, faltou o BTG Pactual de Esteves.

    O que Gestores dos fundos de Pensão tem a nos dizer? É preciso entender definitivamente que aplicação sem controle em Renda Variável (mercado de ações), principalmente no Brasil, constantemente em crise na sua economia, deve ser considerado um ato de suicídio quando administramos o nosso próprio recurso.

    Mais agravante ainda é quando o Gestor administra recurso de terceiros, recursos esses, obtidos pelo esforço de capitalização constante, decorrente da renuncia de uma massa gigantesca de trabalhadores que resolveu abdicar de um parcela simplificativa de seu salário, mês a mês, ate a sua aposentadoria, não bastasse a subtração natural do valor poupado pelo GOVERNO, quando somos bi-tributados pela Receita Federal nas fases de captação e utilização. Assim, só nos resta esquecer as perdas bilionárias ocorridas pela recente gestão temerária na PETROS e demais fundos de Pensão, que vai decretar mais aporte da massa trabalhadora e de aposentados e acreditar que essa filosofia de risco moderado pode ser praticada doravante.

  16. Andre

    Reinaldo, não é desastre, é fraude. Prova disso é a compra de títulos venezuelanos, quem seria burro de fazer isso a não ser que houvesse falcatrua?!

  17. Chris/SP

    Esta canalha, bando de filhos da mãe, que estão envolvidos nestas e outras falcatruas, têm de ir para a cadeia!

  18. Victor Alex Manganotti Lucena

    se for maior que o petrolão será o inception da corrupção.

  19. Rosangela Araujo

    Tenho um exemplo caseiro. Sou funcionária pública do Estado de Tocantins. O nosso fundo de previdência, o IGEPREV foi alvo de um verdadeiro desmonte pela administração do Estado. Milhões e milhões de prejuízo. E até agora nada de punir os responsáveis!

  20. Aloisio

    Onde tem dinheiro (mina), tem a erva daninha chamada petralha.
    O mesmo combate contra o aedes aegypti tem que ser contra essa tigrada que se apoderou do poder (governo).
    Enfrentamos duas pragas, uma do mosquito e a outra da petralhada.
    É uma luta sem trégua !

  21. Anticorrupto

    Acho que estou muito longe das cifras roubadas por este governo. Eu sempre disse que o roubo foi em torno de 200 bilhões de reais em 13 anos. Fundos de Pensões, Estatais(quantas são mesmo?), Ministérios(eram 39) e mais quantos órgãos federais roubados por este governo? E nos governos estaduais governados pelo PT e aliados? É coisa pra chegar perto de 01 trilhão de reais.

  22. Paulo

    Como venho falando a algum tempo: esse país vai desabar, preparem-se para tempos muito difíceis.

  23. Marcos F

    Este é o Grande Roubo, maior que o do Petrolão, que estava organizado como Plano B logo que o PT tomou o Governo.
    O Plano era apostar os fundos no “pior”, perder mas “trocando” pelo melhor (outros fundos, bons) em nome dos chefes. Pense inside-trading à la PT: Compram dólar barato, estragam com o Brasil, o dólar sobe, e repatriam o dólar ao dobro do preço – estão milionários e com dinheiro legalizado.

  24. Carlos Militão

    A infinita maioria destes associados é cãozinho fiel do petismo. Fale alguma coisa do PT ou de Lula na frente deles, que você verá um cão raivoso em fase terminal. São eleitores natos das Dilmas e Lulas da vida, e sabem de tudo que está acontecendo em seus respectivos fundos, CONTAM CONOSCO, CONTRIBUINTES, PARA TAPAR O ROMBO. Peço desculpas àqueles, exceções raras, que se sentirem ofendidos, mas a verdade dói senhores. Mais na frente quando a bomba estourar eles vão procurar um culpado no PSDB e nas oposições, no Imperialismo Americano(fui longe), ou no Capitalismo Selvagem(ufa), TODOS SABENDO QUE O SEU DINHEIRO FOI USADO PARA COMPRAR COBERTURAS, SÍTIOS DE LUXO, OU ESTÁ DORMINDO TRANQUILAMENTE EM PARAÍSOS FISCAIS. Quando eu vejo diariamente os petistas rindo da nossa cara, cientes da impunidade, e confiantes no usufruto do que roubaram, é o suficiente para não sentir a menor pena desta gente. Eles escolheram o seu caminho, todos conscientes; agora que uma coisa fique claro, O DINHEIRO DOS NOSSOS IMPOSTOS NÃO VAI PARA O BOLSO DE EMPREGADO DE CAIXA, BANCO DO BRASIL, PETROBRAS, CORREIOS… .

  25. Sergio Ferreira

    … os trabalhadores dessas estatais que votaram ao longo dos anos nos governos Ptralhas para usufruir de benesses trabalhistas(existem raras exceções). Pena que o governo vai meter dinheiro público nesse chiqueiro. Ou seja, o meu, o seu , o nosso.

  26. Manoel Neto

    É… Reinaldo! Tem jeito NÃO! Feliz quem já arrumou as malas e se mandou “destepaiz”. É muita podridão considerando a quantidade de canalhas aboletados no “desgoverno”. Mas, no fundo, no fundo, a culpa é dos brasileiros que colocaram essa gang para nos governar. Ou vão dizer que não sabiam de nada, como o chefe da quadrilha sempre diz?

  27. blindado

    Essa é a hora de trabalharmos a idéia de acabar com sindicatos que hoje parecem mais redutos do crime, e chocadeira de petistas assaltantes do erário. E os empregos? Não pergunte aos sindicatos. E os Fundos de Pensão? Não pergunte aos sindicatos. E os direitos adquiridos do trabalhador? Não pergunte aos sindicatos.E as cooperativas habitacionais? Não pergunte aos sindicatos…Enfim…Para quê sindicatos? Para quê contribuição sindical?.

  28. maria do céu

    Reinaldo, céus!!! Muito didático e esclarecedor teu texto. Mas o bom mesmo é que os petistas vinculados aos fundos tivessem suas aposentadorias como todos os comuns dos brasileiros! QUE DELÍCIA SERIA ISTO, DEUS DO CÉU! FAÇA JUSTIÇA COM GENTE QUE VOTOU E PRETENDE VOTAR NO PT. Conheço inúmeros CIDADÃOS que defendem o PT alicerçados em aposentadorias muitooo robustas! QUE DEBANDADA SERIA. E A JUSTIÇA DESTE PAÍS NÃO VAI IMPUGNAR ESTA LEI DE FAVORECER OS SINDICATOS. SÓ NO BRASILLLLLLLL.

  29. blindado

    Não tenho pena desses funcionarios covardes dessas estatais que possuem fundo; porque o tempo todo sabiam e sabem que os colegas petistas que trabalham lá, e eles existem aos montes; são salafrários, negativos, improdutivos, indisciplinados, incompetentes, preguiçosos etc…Enfim; trata-se de tragédia anunciada, de roubo escancarado onde se sabe os nomes, endereços, telefones.etc… Dos culpados. Alguém está preso? Lhufas! Abram os olhos idiotas! É o dinheiro de vocês! Pau nesse PT!!.

  30. levi

    Enquanto fundos de pensão nos EUA são geridos por consultorias financeiras serias, aqui e gerida por sindicalistas esquerdopatas. Da-se nisso valores que poderiam gerar mais produção e emprego, serve para encher o “r.,,” dos PeTralhas, Culpa também dos funcionários públicos dessas empresas que tem medo do capitalismo (ou economia de mercado) e entra na onda desses sindicalistas que não gostam de trabalhar.

  31. sene

    …É, MEU AMIGO, EU TAMBÉM ESTOU BATENDO NESSA TECLA HÁ MUITO TEMPO,…ESSES BANDIDOS ESTÃO A “DESTRAMBELHAR” TUDO JÁ HÁ ANOS, NÃO SÓ A PETROBRÁS E OS FUNDOS DE PENSÃO, MAS, TODO O RESTO: ELETROBRÁS, PRONATEC, OS CORREIOS EM SI, FGTS (…SE A MALUCA DA DILMA CONTINUAR, PODES ACREDITAR QUE ELES VÃO DESREGULAR POR COMPLETO O FGTS),…ETC, ETC, ETC..,,…E EU LI QUE TAMBÉM JÁ ESTÃO DE OLHO EM 16 BILHÕES QUE ESTÃO DEPOSITADOS NO BB E NA CAIXA PARA PAGAMENTOS DE DIVIDAS PRECATÓRIAS…,…O PRÓXIMO PRESIDENTE VAI SE DEFRONTAR COM UM CENÁRIO DE “TERRA ARRASADA” MUITO MAIOR DO QUE O ATÉ AGORA PINTADO… / …UM PARÊNTESIS: …SE NUMA ECONOMIA ANTERIOR APARENTEMENTE MAIS ESTÁVEL “ELES” PRECISARAM LANÇAR MÃO DE “PEDALADAS” NO MONTANTE DA CASA AÍ DOS 70 BILHÕES PARA TENTAR EQUILIBRAR A SITUAÇÃO FISCAL (AQUELA QUE VEM A PÚBLICO), COMO É QUE AGORA “ELES”, NUMA SITUAÇÃO ECONÔMICA PIOR, PRATICAMENTE PRÉ-FALIMENTAR, CONSEGUIRAM AQUELE MONTANTE DE DINHEIRO PARA QUITAR AS MALFADADAS “PEDALADAS” DE UMA VEZ SÓ? …PODERIA ME EXPLICAR? (…É ENGRAÇADO -PRA NÃO DIZER OUTRA COISA- COMO NINGUÉM FOI A FUNDO NESSA ESQUISITA HISTÓRIA…) // …E QUE OS CÉUS NOS ACUDAM!

  32. Darazoom

    Espantosa a facilidade com que os caras metem as mãos de rato no dinheiro dos fundos e nosso.
    Espantoso também que essa reportagem, mostrando os podres dos fundos e do pt, tenha sido produzida no Globo. Será que…?

  33. nino

    no meu entender, isso deveria ser elevado a escandalo equivalente ao Lava Jato e Petrolao e Zelotes. deveria haver investigacao. eh necessario que sejam punidos os responsaveis.

    nao entendo como as pessoas entregam o poder a incompetentes. o acougueiro do bairro sabe cortar carne, sabe diferenciar um pulmao de um figado e de um coracao. nem por isso alguem iria considerar fazer uma ponte de safena com o acougueiro. entao porque as pessoas permitem que um sindicalista preside um fundo de pensao ? ou um pais ?

  34. Luiz A.P. Arruda

    Recebi o texto, bastante longo mas que explica as maracutaias da PREVI do Banco do Brasil…
    “Senhores administradores do Grupo Acorda – BB, como o tema a ser tratado aqui é extremamente polêmico, não quero tirar o sono de ninguém, portanto os Srs. tem total liberdade para deletar a postagem, bem como para me excluir do grupo.

    Dito isso, caso eu não tenha sido excluído, vamos ao que interessa.

    A conversa é longa, mas necessária para o entendimento da coisa, num histórico onde muitos, ou até a totalidade, irão se identificar com determinadas “passagens”.

    O QUE É FUNDO DE PENSÃO FECHADO E COMO ELE SOBREVIVE PARA GARANTIR OS BENEFÍCIOS FUTUROS?

    O fundo existe para “juntar” dinheiro dos seus participantes, inclusive o patrocinador e isto é estabelecido na época da sua formação, fundação.

    Lá em 1967, quando a Previ foi re-fundada, a opção foi pelo SISTEMA DE REPARTIÇÃO SIMPLES, que consiste em estabelecer uma contribuição aos participantes, que possa fazer frente as despesas do exercício seguinte, ou seja por exemplo, você contribuía em 1975 com um valor suficiente para cobrir as despesas, entre elas benefícios que seriam concedidos, que na verdade naquela época eram restritos a auxílios doença, pensões por morte e algumas aposentadorias precoces por invalidez, até porque os participantes do plano eram “novos de casa”, portanto longe ainda da aposentadoria por tempo de contribuição. Esse Sistema de Repartição Simples é o mesmo do INSS até hoje.

    Com o advento da Lei 6435/77 e do Decreto 81.240/78, isso mudou. Foi deixada de lado a Repartição Simples e a Previ passou para o sistema de Capitalização Individual, grosso modo, se você tivesse um salário de 10 mil reais e na hora de aposentar o INSS bancasse 3 mil, a Previ completaria os 7 mil restantes. Era assim. Lembram?

    Diferente não poderia ser, que todos vivessem na maior tranquilidade, afinal a Previ era administrada por colegas, gente séria que cuidava do seu dinheiro e depois, com 4 ou 5 anos de BB, faltando ainda uma vida para chegar na aposentadoria, vamos e venhamos que não era hora para se preocupar com isso, era sim, hora de baixar a cabeça e trabalhar buscando os pontos mais altos da promissora carreira.

    Toda agência tinha aquele pessoal “mais antigo”, isso lá pelos anos 70 e 80 e todo mundo deve lembrar das festinhas para os aposentados e aquela tranquilidade com o nosso futuro, porque logo a seguir a gente via os aposentados receberem um contracheque igual o nosso, como se ainda

    estivessem trabalhando. Isto era o supra sumo da segurança, da certeza de futuro garantido.

    O problema é que ninguém parava para pensar, até porque com 3/4 anos de serviço ainda se sabia muito pouco sobre BB e Previ, pois as reais preocupações estavam voltadas para aquela vaguinha de caixa, quem sabe uma transferência para uma cidade mais perto da nossa casa, uma substituição em comissão, e por aí andava a coisa, de maneira que nunca nos perguntamos como aquele aposentado recebia salário integral.

    A bem da verdade, bastaria um esforço mínimo de raciocínio lógico para perceber, que se estava aposentando em 1980, é sinal de que empossado lá nos anos 50. Concordam? E aí vem a grande questão, porque em 1950 a Previ não existia, então como ele recebia salário integral?

    Ora, era o Banco do Brasil que pagava o salário dele e não a Previ, até porque se fosse participante da Previ, ainda não teria o tempo mínimo de contribuição para ter direito a benefício de aposentadoria, mas o que muita gente não sabe, é que esse aposentado sequer era associado da Previ e sabem porquê?

    AQUI VEM A GRANDE VERDADE, QUE POUCOS ACEITAM, MAS QUE O RACIOCÍNIO LÓGICO NÃO DEIXA DÚVIDAS

    A Previ não foi fundada para pagar benefício para ninguém, nem para você e nem para mim, foi fundada sim, para resolver um grande problema do Banco do Brasil, que não suportava mais pagar aposentadorias integrais dos seus cofres e ao mesmo tempo bancar a folha de pagamento dos funcionários da ativa.

    A participação dos rendimentos dos aposentados na despesa de pessoal do banco acendeu uma luz vermelha em 1965/66 e os números mostravam, que nos anos seguintes esta participação aumentaria mais ainda, então algo tinha que ser feito para evitar a sangria desatada nas contas do Banco do Brasil.

    Por outro lado, o momento do País, o plano de expansão das fronteiras agrícolas, a ideia de nos fazer “Celeiro do Mundo”, por óbvio, por necessário, por imprescindível, passava por um aumento expressivo do número de agências do banco buscando cobrir todo o Território Nacional e aqui muitos vão lembrar da Agência 1000 – Barra do Bugres(MT), que agora em novembro/2016 tem um evento comemorativo dos seus 40 anos de fundação.

    Assim, o quadro da época era extremamente favorável ao aumento do número de funcionários do BB, como consequência disso, já que a adesão ao plano de benefícios da Previ passou a ser compulsória, qualquer um, mesmo aqueles mais “tacanhos”, não poderiam negar, que o resultado dessa explosão de

    agências e novos funcionários, resultasse numa explosão na arrecadação da Previ nas mesmas proporções.

    Então qual era o plano macabro? Afinal porque a afirmação que a Previ não foi fundada para pagar benefício para ninguém?

    Ora minha gente, a grande cartada era fundar a Previ em 1967 e a partir daí livrar o BB do pagamento dos aposentados, aqueles que oneravam assustadoramente a folha de pagamento e passá-los para a responsabilidade da Previ. Esta é a verdade.

    Bem, se você tem um fundo de pensão, um fundo fechado, controlado por atuários(aqueles especialistas que calculam quanto precisa ser a contribuição hoje para garantir seu benefício amanhã), esse controle é feito tomando por base o óbvio, ou seja, o número de “pagantes”, que é a base de tudo, fixando assim uma contribuição para cada um, porque esses são os que estão dentro do plano de benefícios. Não é assim? Ou pelo menos não deveria ser assim?

    Porém meus amigos e minhas amigas, não há desastre maior para um fundo de pensão fechado, do que você ter que pagar benefícios para quem não contribuiu. Concordam aqui também?

    Pois então, foi justamente esta a intenção de fundar a Previ em 1967, ou seja, a sua contribuição, aquilo que era descontado mensalmente do seu salário, não tinha por objetivo pagar seu benefício futuro, mas sim pagar as aposentadorias daquele pessoal, que estava se aposentando e nunca tinha contribuído para a Previ. Dessa forma, a ideia era você pagar o benefício de quem nunca colocou um tostão dentro da Previ. Justo não?

    Mas aí surge uma questão, uma pergunta, que eu já sei que vocês estão fazendo.

    – Se era assim, então de onde tirariam dinheiro para pagar nossos benefícios, afinal estamos recebendo, certo?

    Resposta – Você lembra que pagava 8% de INSS? Não paga 8% até hoje? E porque é 8%?

    Bem, porque 8%, mais a contribuição patronal, é regra básica de qualquer atuário ( o especialista aquele lá de cima, lembra). Esses 8% são o básico, o usual que garante uma aposentadoria.

    E você pagava quanto de Previ? 13%? 15%? 17%?

    Não tem algo estranho aí? Se o usual é 8%, então porque você pagava mais?

    Eis o “X” da questão! É que os atuários fizeram um cálculo de contribuição levando em consideração duas coisas, a primeira e principal, formar um fundo garantidor para pagar as aposentadorias do pessoal pré/67 com o seu dinheiro e mais o dinheiro deles mesmos a partir do momento que aderissem ao plano de benefícios da Previ e também passassem a contribuir, e o restante, aquilo que ultrapassava os 8% usuais, formariam um outro fundo, ou parte dele, para

    que futuramente você recebesse algum benefício. Claro que já sabiam que não seria integral, isto já sabiam desde o início, mas com o passar do tempo, uma mexida na legislação aqui, outra mais adiante, um corte aqui, outro lá, as coisas iriam se ajustando tipo “no andar da carroça as melancias se ajeitam”. Prova disso, e você deve lembrar, que a contribuição do patrocinador era na proporção de 2 X 1 e não 1 X 1 como é o normal. Esse 2 X 1 foi feito para que o BB fosse aos poucos também ajudando na formação do fundo para garantir as aposentadorias dos pré/67.

    Não foi assim que aconteceu? Você recebe o salário integral?

    O DESASTRE – PORQUE DEU TUDO ERRADO

    Bem, quando você entrou no BB depois da fundação da Previ em 67, a adesão ao plano era compulsória, ou entra na Previ junto, ou não é admitido no Banco do Brasil, mais ou menos fazia parte do contrato de trabalho. Lembram?

    Pois é, mas antes de 1967, como a Previ não existia, quem foi admitido nessa época não tinha nada assinado, nenhum comprometimento com Previ, até porque nem poderia ter , afinal ela nem existia.

    Então, para o plano “macabro” de livrar o BB do pagamento das aposentadorias integrais dos pré/67, era necessário que todo esse grupo assinasse um “Termo de Adesão”, passando assim a ser participante da Previ, contribuindo para a Previ e recebendo dela seu benefício.

    O desastre aconteceu por motivos óbvios. Coloque-se no lugar daquele pessoal. Se você tinha a garantia do BB, do Tesouro Nacional, que sua aposentadoria seria integral, então porque você cometeria a irresponsabilidade de trocar isto por algo incerto e inseguro? Afinal você estaria trocando tudo o que tinha por um plano de benefícios recém fundado e com nenhuma garantia que iria dar certo.

    Assim, ninguém do grupo pré/67 aceitou o tal “Termo de Adesão”, portanto continuaram recebendo suas aposentadorias do Banco do Brasil e não da Previ.

    Para o plano “macabro” isto foi um verdadeiro desastre e assim a Previ começou a “engordar” em progressão geométrica, principalmente se vocês lembrarem que aquela contribuição normal, usual de 8% suficientes para garantir seu benefício, tinha sido fixada bem acima e mais, lembrem que a contribuição do patrocinador tinha sido fixada em 2 X1 e não 1 X 1, a forma usual.

    Então, de 1967 até 1997(Acordo BB X Previ), inevitável que essas contribuições não acabassem se tornando uma montanha esplendorosa de dinheiro, afinal foram 30 anos de dinheiro entrando aos borbotões e enquanto isso o Banco do Brasil continuava amargando o pagamento do pessoal pré/67.

    Porém, aquilo que tinha dado errado lá em 1967, não poderia permanecer assim, até porque o BB já não aguentava mais pagar a conta, porque tinha

    colocado dinheiro 2 X 1 dentro da Previ, justo para pagar os pré/67 e não conseguia botar a mão nele porque a legislação não permitia.

    Pelo jeito o tiro tinha saído pela culatra!

    Assim chegamos nos anos 90, no Governo Collor, ou melhor, no “Desgoverno Collor”, sim, porque aquilo foi um verdadeiro desastre na história do Brasil. Desastre igual ao de 1986, quando o Maílson acabou com a “Conta Movimento” e o BB só conseguiu respirar até os anos 90, porque o saudoso Camilo Calazans “empurrou” a Poupança-Ouro goela abaixo do Sarney. Lembram disso? Lembram do nosso empenho em captar recursos na poupança-ouro?

    Mas não foi suficiente para evitar o desastre dos famigerados Planos Collor 1 e 2, cujo resultado foi um Banco do Brasil quebrado, falido no início dos anos 90.

    Aos trancos e barrancos, passando pela desgraça do “Novo Rosto” do Policaro, chegamos ao Plano Real e a tão sonhada estabilidade monetária, dólar R$ 1,00, quilo do frango também R$ 1,00, lembro até da cerveja por R$ 0,80. Vocês lembram?

    Pois é, mas isto mudou alguma coisa para o Banco do Brasil quebrado? Não, certamente não mudou, porque continuou quebrado, não havia mágica no Plano Real que saneasse o banco sem que o Tesouro Nacional cumprisse seu papel de principal acionista, colocando lá dentro 10 ou 11 bilhões de reais para resolver o problema.

    Mas o Tesouro Nacional não assinou o cheque, até porque nem tinha de onde tirar e aí eu peço uma reflexão de vocês, se em 1995 eram necessários 11 bilhões com o dólar a R$ 1,00, com o dólar hoje acima de R$ 4,00, isto representaria atualmente uns R$ 50 bilhões de reais. Aí eu pergunto, nos dias de hoje, com a crise atual, você acha que o Tesouro Nacional assinaria um cheque de R$ 50 BILHÕES para botar no Banco do Brasil por pior que fosse a situação?

    Claro que não assinaria e ingênuo quem acredita no contrário.

    Voltemos ao Plano Real. O Tesouro Nacional dispor naquela época de R$ 11 BILHÕES para entregar ao BB, seria o fim do plano, teria o plano o mesmo destino de todos os plano anteriores, verdadeiras irresponsabilidades do Sarney e do Collor, que até hoje tem reflexos na economia, principalmente porque o judiciário reconhece direitos daqueles que tiveram prejuízos com os planos, coisas tipo cadernetas de poupança, FGTS e outras coisas mais.

    Porém uma solução deveria ser encontrada para sanear o BB e urgente, porque o banco já começava inclusive a passar vergonha no exterior.

    EUREKAAAAAAAAAAA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    A grande sacada foi o PDV/95.

    O que o Banco do Brasil “vendeu” para a coletividade e para os funcionários, é que um grande programa de demissão voluntária, reduziria a folha de pagamento, saneando assim as contas do banco. Uma mágica, uma sacada de mestre nunca vista na história, algo que os “burros” das maiores economias mundiais nunca tinham pensado, louros então para as mentes brilhantes brasileiras, que haviam encontrado a fórmula, melhor que encontrar a fonte da juventude.

    Só que tudo isso não passava de uma grande mentira, um grande engodo, porque em números, e números que ninguém se preocupou em apurar na época devido ao pavor que tomou conta dos funcionários, pavor que transformou as agências em verdadeiras “Cortes da Inquisição Medieval”, esses números apontavam, que a tal redução na folha de pagamento levaria pelo menos 20 anos para repor ao patrimônio do banco o buraco dos R$ 11 BILHÕES, porém o buraco tinha que ser coberto de imediato e não poderia esperar 20 anos.

    Então esta não era a “grande sacada”?

    Claro que não! A grande sacada não estava na redução da folha de pagamento, mas sim na retenção das contribuições das vítimas pedevistas dentro da Previ.

    Como foi? Bem, o BB anunciou que o “elegível” teria um incentivo proporcional ao tempo de serviço, na verdade uma merreca, mas o que chamou mais a atenção foi que até pouco antes do PDV/95, quem se retirasse do Plano de Benefícios quebrando o vínculo empregatício, tinha direito de resgatar 50% das contribuições.

    Previ e BB saíram correndo e fizeram uma alteração nos estatutos (retroativo, para quem não sabe e também para não dar na vista), que quem saísse do BB e da Previ teria direito de resgatar 100% das contribuições(descontando 2% de taxa de administração) a partir de 01.01.1995. A alteração foi feita em maio/95, as pressas.

    Bem, isto desviou o foco do tal incentivo “merreca” do BB e o resgate da Previ passou a interessar.

    Lembrando sempre, e aqui desafio qualquer um a dizer o contrário, que em todos os anos de trabalho no BB, qualquer que tenha tomado posse em qualquer época depois de 1967 e saído antes do PDV/95, que tenha recebido um extrato da Previ, por favor me mande que eu faço um quadro e boto na parede da minha sala. Era e sempre foi até 1995 uma verdadeira caixa preta.

    Só em julho/95 foram 13.500 “degolas”, mas não parou por aí e até o fim de 95 batemos nos 20 mil e o PAQ/96 se encarregou do resto. Em números exatos, entre 01.01.95 e 31.12.2002, foram 35.668 vítimas (dados do próprio BB).

    Quando se fala na “caixa preta” das contribuições e na “esperteza” de nunca dizer quanto cada um tinha lá dentro, isto vem à tona somente depois que as vítimas pedevistas andavam desempregados “variando” à beira do caminho.

    Primeiro se acreditou, que o que foi recebido era tudo que se tinha.

    Mentira 1 – Não era. Era só a contribuição pessoal. A patronal, aquela 2 X 1 ficou lá dentro(fazendo o que não se sabe, afinal se a patronal foi colocada lá para garantir o benefício de alguém e esse alguém se retirou, então onde foi parar esse dinheiro?).

    Mentira 2 – Disseram que o dinheiro estava devidamente corrigido e atualizado. Outra mentira, porque o dinheiro não estava atualizado, tanto que aos poucos os “degolados” foram descobrindo, que a Previ atualizou seus ativos conforme os expurgos dos planos econômicos, porém não repassou esta atualização para os resgates das contribuições dos pedevistas. Mato a cobra e mostro o pau! Mostro através da Súmula 289 do STJ, onde a Superior Corte reconheceu a verdade e mandou a Previ pagar todo mundo.

    Porém mesmo assim a Previ restou em enorme lucro. Sabem porque?

    Porque de toda aquela turma do número exato, 35.668 degolados, apenas uns 7 ou 8 mil conseguiram acesso ao judiciário em tempo de cobrar o que lhes era devido.

    Falei da Súmula 289 que garante o direito aos expurgos? Pois é, o problema é que junto saiu a Súmula 291, um primoroso “agrado” do STJ para a Previ, porque fixou a prescrição desse direito em 5 anos após o resgate das contribuições, resultando que quase 30 mil pedevistas perderam para o resto da vida o que lhes era devido.

    O ACORDO DE 97

    Verdade contada, PDV e seus “achaques” consolidado, “trafucas contábeis” em 1996 fizeram a mágica de transportar o fruto do achaque para os ativos tidos como disponíveis, a Previ assina um acordo com o Banco do Brasil em 24.12.1997(grande presente de natal, que mudaria a vida de vocês para pior para o resto da vida), surgem então os tão necessários R$ 11 BILHÕES DE REAIS(mais precisamente R$ 10 bilhões, oitocentos e setenta milhões de reais) e salvam o banco da falência iminente.

    O acordo era dividido em duas partes, mais ou menos uma metade se destinava a INDENIZAR o BB por tudo aquilo que tinha pago aos aposentados pré/67 desde a fundação da Previ até 1997 e daí em diante a Previ assumiria o pagamento, desonerando assim definitivamente o BB do compromisso.

    Na verdade quem está pagando é você!

    A outra metade, pasmem, foi “emprestado” ao BB, para que o banco pagasse a própria Previ. Mas pagar o quê? Acreditem, foi para pagar as contribuições patronais, os tais 2/3 que falei antes, que o banco nunca tinha pago para a Previ.

    Agora lembram que lá no início desse texto tem um título com o nome “O DESASTRE – PORQUE DEU TUDO ERRADO”? Pois justo nessa época, agora em 1997 o problema voltou, o risco do desastre voltou e voltou porque para aprovar o tal ACORDO 97, os aposentados pré/67 tinham que votar SIM, porque aí eles passariam a receber da Previ e não mais do BB.

    Bem, quem estava lá em 97 sabe muito bem tudo que aconteceu. desde “folgas e prêmios” para funcionários irem na casa dos aposentados e voltar com o voto “SIM” rolou e isto sem falar numa apuração dos votos bem longe da total transparência, na verdade outra caixa preta, numa página da história da Previ encoberta por uma espessa nuvem negra, todavia foi dado como aprovado o Acordo/97 e isso é o que realmente conta, pelo menos para eles.

    Consequência disso? Pois é, quem se aposentou a partir de 1998 sabe bem as consequências, porque você pagou por um benefício X e acabou recebendo X-1, é ou não é?

    Isto confirma o que então? Que a Previ não foi criada para pagar benefício para ninguém, foi criada para resolver o problema dos aposentados pré/67 e que depois (no andar da carroça as melancias se ajeitavam), não é isto que está dito lá no início? E é diferente disto que aconteceu? Não é o que está acontecendo com vocês?

    Então minha gente, depois de resolvido o problema pré/67, o que restasse seria dividido entre vocês exatamente na medida da capacidade do Plano 1. Não foi justamente o que aconteceu? E para que isto se tornasse uma realidade enquadrada totalmente dentro do que foi planejado, não “fecharam” o Plano 1?

    Isto significa, que o que realmente importava para eles foi feito e a sobra vocês que dividam, que é o que tem e vai diminuir cada vez mais, afinal o Plano 1 não foi fechado justamente para acabar o mais rápido possível? Afinal a grande finalidade dele já não foi alcançada, de livrar o BB do pessoal pré/67? Quem ficar pegue as últimas moedas e apague a luz!

    E O PASSIVO PEDEVISTA COMO FICA?

    Pois então, para a Previ, para o BB, para vocês, esse passivo não existe, é a informação que vocês tem, ou melhor, é a informação que interessa para eles que vocês tenham, o que me parece um tanto diferente da realidade.

    Gente, os pedevistas estão vivos, organizados, trabalhando, juntando migalhas para pagar bons advogados e do outro lado, se vocês não sabem, a Previ gasta uma fortuna do dinheiro de vocês para tentar nos barrar no judiciário.

    Esta é a verdade!

    Agora pensem bem, vocês já estão lutando para manter seus ganhos, cada vez mais achatados por tudo que a Previ possa inventar, como eu disse e repito, a grande finalidade de livrar o BB dos aposentados pré/67 já foi alcançada, agora vocês que se virem!

    Isto acontece porque o Plano 1 é fechado, não tem dinheiro novo entrando, só sai e embora todos continuem contribuindo, sai mais do que entra e a única forma de garantir um fôlego extra nesse patrimônio de vocês são as aplicações no mercado de ações, mercado de risco para ser mais preciso.

    Mercado de risco? Sim claro, risco e grande, tanto que a variação das bolsas vem trazendo perdas significativas para a Previ, ou melhor, para vocês, porque o dinheiro é de vocês e não da Previ.

    E se o mercado não se recuperar? E se as bolsas continuarem caindo?

    Bem, aí vocês viram um Postalis num primeiro momento, porque a primeira medida “saneadora” é aumentar a contribuição tipo “chamada extra”, onde todo mundo paga mais, porque assim o Plano 1 terá condições de cumprir seus compromissos, e quando nem isso adiantar mais, aí vocês deixam o estágio do Postalis e passam para o estágio do Aerus, onde se divide uma merreca, o que sobrou até acabar e, depois de acabar, que cada um se vire.

    Não é assim numa sociedade fechada tipo o Plano 1?

    Posso estar errado, pois a Previ pode ter uma máquina de imprimir dinheiro e eu não sei, porque só isto “Salva a Pátria”.

    Agora vocês imaginem o que vai acontecer, se de uma hora para outra o judiciário reconhecer o direito dos pedevistas e mandar a Previ pagar mais 10 ou 20 mil pessoas?

    O Plano 1 não é fechado, o bolo não é um só e você não tem lá sua fatia? Então, se o bolo é um só, o único jeito possível de atender mais 10 ou 20 mil é diminuindo sua fatia. É ou não é? É o raciocínio lógico! Concordam?

    Aí você está dizendo agora: É, até pode ser, mas acho difícil a Previ perder esta ação.

    Concordo, afinal o judiciário é imprevisível. Deixemos a chance em 50%. Pode ser?

    Com 50% de chance você dorme tranquilo? Você é que sabe, o sono é seu!

    Só que agora eu peço desculpas, porque vou ser obrigado a estragar os 50% de sono que lhe restaram.

    Vejam!

    Vocês conhecem o PL 4293/2008? É de autoria sabem de quem? Do Dep. Leonardo Picciani, Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, portanto quem escolhe os membros das comissões permanentes, inclusive o Presidente das comissões. Fala-se nos bastidores, que é forte candidato à Presidência da Câmara dos Deputados em 2017.

    É de grande interesse eleitoral dele aprovar esse PL 4293/2008, porque justo no Rio de Janeiro, base eleitoral dele, é que se concentra a grande maioria dos beneficiados desse PL.

    Querem conhecer o PL 4293/2008? “Dá anistia e reintegra ao serviço todos aqueles que aderiam a programas de demissão voluntária de 01.01.1995 em

    diante, nas empresas públicas, administração direta, indireta, fundacional, E EMPRESAS DE ECONOMIA MISTA”.

    Ôpa! Empresas de Economia Mista? Então o Banco do Brasil está nessa!

    Isso mesmo, o Banco do Brasil será o principal atingido, até porque vem justo do BB o maior número de pessoas a serem anistiadas.

    Se virar lei tem que ser cumprida. Concordam comigo?

    Agora uma pergunta para vocês: “Anistiar e reintegrar” não é anular e fazer voltar ao ponto de partida? Claro que o PL exime o banco de pagar salários atrasados desse período do afastamento e nem mesmo os pedevistas iriam querer receber pelo que não trabalharam, mas tem uma questão importantíssima aí: A PREVI!

    Esse pessoal todo não estava no Plano 1 quando saiu no PDV? Se a lei mandar “anistiar e reintegrar”, você acha que vão voltar para onde na Previ? Ora, para o Plano 1, é óbvio!

    E voltando surge uma outra grande questão: Onde está a parte patronal dos pedevistas que ficou lá em 95? O gato comeu?

    Então minha gente, nesse angu tem caroço, com certeza tem, mas aí vem o mais cômico, para não dizer trágico disso tudo, que é a relação dos pedevistas, desde lá em 95 até hoje com os aposentados e funcionários da ativa.

    Lá em 95, e quem estava lá sabe disso, principalmente depois de 03.07.95(dia do PDV), pouco gente dormia pelo temor de chegar no banco pela manhã e descobrir que tinha se tornado “elegível”. Por isso muita gente praticamente se escondia para não ser notado, evitando assim perder a “simpatia” de quem decidia e acabar na lista da degola.

    Foi ou não foi assim?

    Depois de consumado o PDV, o Banco do Brasil promoveu uma campanha de baixíssimo nível, uma coisa horrenda e indigna numa instituição com 200 anos de história, simplesmente disseminando entre os que ficaram, que o banco tinha se livrado das “laranjas podres”.

    Isto tomou forma por dois motivos, pela insistência do banco e ao mesmo tempo para aliviar a consciência dos que se seguraram de todas as maneiras, dos que aceitaram todas as imposições, claro que aqui fazendo uma ressalva para aqueles que não pensavam assim, para os que ficaram por esse ou aquele mérito, que não eram elegíveis, no entanto, afirmar que apenas as “laranjas podres” deixaram o banco, aí já é deixar o bom senso de lado e jogar a inteligência pela janela.

    Todo saco tem uma ou outra laranja podre e o saco das laranjas pedevistas não era nem um pouco diferente do saco dos que ficaram.

    Quem ficou sabe disso.

    E porque laranja podre milhares de pessoas com 10, 15, 20 anos de serviço, muitos detentores de cargos comissionados, com várias promoções por merecimento?

    Era laranja podre sua esposa ou seu marido que saiu e você ficou? Era laranja podre seu parente que trabalhava em outra agência? Era laranja podre seu amigo, que frequentava sua casa, que jogava com você na AABB? Que era padrinho dos seus filhos e você dos filhos dele?

    É por isso minha gente, que eu digo que o Banco do Brasil não precisava ter feito isto: Virar o cocho que comeu!

    Bem, nós pedevistas continuamos com a mania de BB, talvez pela separação traumática, quem sabe pelo drama de um amor traído e justo por isso, nenhum de nós, tem ou teve a intenção de prejudicar quem quer que fosse, qualquer um que tenha ficado no Plano 1 e que hoje viva dele.

    Não queremos quebrar, inviabilizar o Plano 1. Aqui ninguém quer vingança, queremos só o justo, por isto tudo que foi escrito até aqui nesse texto.

    Hoje, nós só queremos justiça, até uma justiça mínima serve, algo que amenize o sofrimento de tanta gente, algo que mate pelo menos a fome de quem não se recolocou no mercado de trabalho e passa necessidades, sem aposentadoria, sem plano de saúde, sem nada!

    Aí vocês vão dizer: Procurem a Previ!

    Ora minha gente, quantas vezes já tentamos, mas a Previ mostra duas coisas: A primeira que não está nem aí com a fortuna que gastam com advogados, também pudera, o dinheiro não é deles, é de vocês!

    Segundo, porque se eles perderam as ações pedevistas, também não estão nem aí para o benefício de vocês, afinal o bolo não vai aumentar e nem diminuir “sob a administração deles”, vai diminuir é para vocês, mas como a finalidade principal do Plano 1 já foi cumprida, livrar o BB dos aposentados pré/67, vocês que se virem com o que sobrar!

    Amigos e amigas, se é que me permitem chamá-los assim, porque eu posso ser uma laranja podre no conceito de vocês e não saber, mas aquilo que realmente se quer é a forma menos traumática para todos, ou seja, que as coisas se resolvam por acordo, mais rápido atendendo as necessidades daqueles em pior situação e menos traumático para vocês, que com uma merreca conseguiriam resolver o problema.

    Gente, nós não somos burros ao ponto de matar a galinha, só queremos alguns ovos, mais nada!

    Mas o que entristece nisso tudo é que a maioria de vocês é manipulado por interesses espúrios sem saber.

    Querem um exemplo?

    Até pouco tempo a Previ não alardeava superávit? Não eram bilhões e bilhões sobrando? Não teve a festa do BET? Vocês não receberam BET para que o banco pudesse botar a mão na parte dele do superávit? Não apareceram vozes e mais vozes, de vorazes candidatos a cargos eletivos(bem remunerados), defendendo o BET e esperando seu votinho para aquele cargo pretendido por eles?

    Pois é, mas algum deles disse para você, que aqueles bilhões poderiam resolver a demanda pedevista e daí em diante vocês estariam garantidos e dormindo em paz?

    Ninguém disse não é? Ninguém sequer falou de demanda pedevista, certo? E sabem porque não falaram? Porque botar dinheiro no seu bolso garantia voto. Porque resolvendo demanda pedevista o banco não receberia a parte dele no superávit. É ou não é?

    E agora como fica? O superávit sumiu, mas a demanda pedevista continua lá e cada vez mais viva!

    Perguntem para eles agora sobre isto. Posso adiantar a resposta? Vão dizer: “Fiquem tranquilos, que isto não vai dar em nada”. Será? E se der? Eles vão tirar do bolso para tapar o buraco?

    Então minha gente, fiquemos por aqui, nós esperando e vocês gastando fortunas pagando advogados para evitar o inevitável!

    Bons sonhos!

    Ary Taunay Filho

    PDV/95 “

  35. cesar

    E vem o mINISTRO da fAZENDA em entrevista na GloboNews ,dizendo da necessidade da aprovação da CPMF ,já que o Brasil e o “resto do mundo” passam por um período de crise!?1? Reinaldo me desenhe isto, não consigo entender!!, em que dimensão me encontro ??

  36. Eurico Marques

    A pergunta é se, e quando, existirá alguém com coragem suficiente para estancar a sangria. Todo mundo sabe e todo mundo vê o que acontece. Mas até agora só cogitações. É visível , principalmente em São Paulo, sutis diferenças de patrimônio vistas na rua, em carros mirabolantes, e em restaurantes chiques – nesta época de Dilmas e Lulas? Este dinheiro subtraído de quem trabalhou está circulando. Enquanto isso acontece, tenho amigos que estão à beira de um colapso cardíaco de medo de perder o emprego e a aposentadoria. Dois já se foram.

  37. Paulo Fernandes

    Quero ver o Tesouro bancar o rombo que é muito maior que este. Os cálculos em 2013, quando houve aquela falcatrua em que modelos seduziam políticos em estados e municípios para que usassem fundos de estatais estaduais e municipais para investir em títulos financeiros fraudulentos de uma quadrilha, já chegavam na ordem dos 700 bilhões. Agora já deve passar de 1 trilhão. E ainda não foram escarafunchados os porões do BNDES e das estatais de energia elétrica, o tal eletrolão. O roubo PTista irá para o Guinness Book of Records, com certeza.

  38. Bruno Sampaio

    Bem feito para todo funcionário público que votou em peso no PT ao longo dos quase 14 últimos anos, pensando apenas no ditado “farinha pouca, meu pirão primeiro”. Para fazer pirão decente é preciso peixe ou carne, coisa que estes comunas fazem desaparecer das prateleiras cedo ou tarde. E depois some a farinha também. A m¨%$da é que levaram junto toda a população para o buraco.

  39. wilson

    Tenho “N” amigos dependentes destes fundos que agora é fundo de poço e que não é de petróleo, mas eles não admitem que tomaram toco dos companheiros e agem que nem mulher de malandro quanto mais apanha mais gosta.

  40. Giovani

    Me desculpe te contrariar Reinaldo, mas a ‘conta do Postalis’ já está sendo ‘paga’ com descontos mensamente dos salários de todos os trabalhadores dos ‘Correios’ desde abril de 2015, que entrega realmente tudo. Um ‘trabalhador’ que recebe em média 2.000,00 tem descontados 350,00. E ‘até agora’ ninguém foi preso. Ah, o ‘desconto’ tem o ‘aval’ da Justiça Federal do DF.

  41. Wilson Rodrigues

    Os Fundos de Pensão estão em praticamente todos os setores privatizados pelo Brasil durante os governos Itamar e FHC. Aqui na Bahia por exemplo, fez-se um estardalhaço danado com a “venda” da Coelba para os espanhóis da Iberdrola e hoje, eles são minoritários na Neoenergia, que engloba a Coelba, a Celpe e a Cosern, além de mais alguns ativos, enquanto o BNDES e os Fundos detém a maioria das ações. Isto ocorre na Vale, na OI e em tantas outras empresas “privadas”. Sei que podem dizer que não existe relação entre uma coisa e outra, mas vou me permitir falar aqui sobre uma cidade baiana que ilustra muitíssimo bem a admirável forma de governar do PT, trata-se de São Francisco do Conde, a cidade mais rica do Brasil. Pois bem, São Francisco do Conde tem 36.000 habitantes e 5.700 funcionários públicos!!. Sua Câmara de Vereadores tem 13 vereadores e 293 funcionários, dos quais, apenas 06 (seis) são concursados. A cereja do bolo, no caso da Câmara é que ela ocupa um imóvel que tem um contrato com uma empresa de paisagismo que custa R$100.000,00 (cem mil reais) ao mês. Ganha um doce quem adivinhar de quem é a empresa de paisagismo. Ah, o sócio do PT na dura empreitada de comandar o destino dos 36.000 habitantes é o PP que inclusive, agora, com a morte da titular é quem governa, para ver se melhora o IDH desse colosso financeiro, que atualmente não passa de 0,736. Vergonha municipal, estadual e federal.

  42. Pedro Henrique de Mattos

    Meu prezado Reinaldo,
    Esse assunto é deveras complexo. Talvez a vivência de 24 anos dentro de um desses fundos poderia dar um pouco de luz – testemunho – de algumas realidades que fogem ao conhecimento de muitas pessoas. Da maioria, diria eu, que não conhecem este segmento da economia brasileira. Apenas gostaria de fazer um registro, de forma especial, a um grupo de pessoas que hoje passa por sérias dificuldades e, tudo indica, não foi a má gestão que provocou isso e sim a omissão do órgão regulador, na época Secretaria de Previdência Complementar – SPC, hoje Previc, e o próprio governo. Existe ação a favor desse grupo no STF, e contra o governo, cujo presidente à época, Joaquim Barbosa, tentou agilizar porém, me parece, parou de vez. Estou falando do AERUS.
    Quanto ao resto, preciso esclarecer um ponto, Reinaldo. Essa parte que você fala que, em última análise, somos nós que vamos pagar, pertence apenas a um grupo de planos denominados de Benefício Definido ou, como são conhecidos no segmento, os BDs. Os planos CD, que hoje ocupam boa parte deles, são planos de cotas, onde o participante perde quanto o patrimônio perde e ganha quando o patrimônio ganha. É, ao final e ao cabo, um um plano como se fosse um Fundo de investimentos, na sua essência é mais ou menos isso. Neste caso não há que se falar em déficit. Perdeu, perdeu. Vai receber um benefício menor, ganhou, ganhou, vai receber um benefício maior. Daí a importância de saber escolher o momento de optar pelo benefício.
    Quanto à ingerência nesses fundos, gostaria da fazer uma pequena ressalva. Quando a estrutura organizacional e de decisões está bem estruturada, é muito mais difícil tomar decisões “temerárias” ou conduzidas por outros interesses que não os do participante do fundo. Faço este comentário em função de que o fundo Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, tinha, quando tive contato com ele, um estrutura bem definida nesse ponto. Talvez em razão de que praticamente 99% dos empregados eram cedidos pelo próprio banco, daí o zelo pelo que também lhes pertencia. Não estou sendo advogado de defesa deles, pois sei que eles não precisam disso, o que quero dizer é que, não obstante meus argumentos, o Pizzolato, que fugiu para Itália e agora retornou, estava envolvido no mensalão, fez parte da diretoria daquele fundo.
    Gostaria de ressaltar, também, a competência de muitos empregados desses fundos, e a sua probidade. Pessoas com que tive contatos e admiro.
    Com relação a influência do Sindicalismo, aí Reinaldo, não tenho como argumentar contra. Apenas um pequeno exemplo do que ví, convivi e lamentei. O Conselheiro Deliberativo de uma EFPC é, por lei, o órgão mais importante do fundo. Como seria possível que o tesoureiro de um sindicato pudesse fazer parte desse órgão. Para quem conhece um fundo de pensão e todas as decisões estratégicas que precisa tomar, e o CA é o órgão estratégico dos fundos, isso seria inconcebível. Entretanto, acredite, não sei se conseguiram, mas havia o desejo de elevar essa pessoa ao cargo da presidência desse Conselho. Coisas desse tipo eles fizeram.
    Quanto ao Postalis, citado por você, perguntem ao PMDB e ao PT, que fatiaram o comando, como explicar uma provisão de perda de mais de R$1 bilhão de reais? Será que o carteiro que enfrenta esse sol escaldante, diariamente, sabe exatamente os motivos dessas perdas.
    Se o brasileiro tivesse ideia dos estragos provocados pela ingerência das patrocinadoras/partidos políticos nesses fundos, ficaria estarrecido.
    Desculpem me alongar, mas algumas citações aqui são com o objetivo de esclarecer as pessoas que não conhecem este segmento da economia.

  43. SENTADOS NO VELHO BUTECO! LISOS!

    O VELHOTE VELHACO
    E SUA GANGUE
    FUNDADORA DO
    PT,
    PARTIDO DOS
    TRABALHADORES,
    TINHA UMA ÁRDUA
    MISSÃO PARA
    AQUELA
    IMPORTANTE
    REUNIÃO
    ENCACHAÇADA!
    ONDE ESTÁ O
    DINHEIRO?
    INDAGA O
    RETIRANTE!
    NOS BANCOS!
    RESPONDERAM
    OS BOBINHOS,
    SE ACHANDO!
    NÃO!
    NÃO!
    RESPONDEU
    O ENTÃO
    SINDICALISTA!
    QUANDO EU
    TOMAR O PODER,
    NÓS VAMOS
    ATACAR ONDE
    ESTÁ O
    DINHEIRO
    GROSSO
    DESTE PAÍS!
    PETROBRAS!
    ESTATAIS
    EM GERAL!
    BNDES!
    FUNDOS
    DE PENSÃO
    DOS CORREIOS,
    CAIXA FEDERAL,
    BANCO DO BRASIL
    E MUITOS OUTROS!
    E COMO VAMOS FAZER?
    ASSALTO À MÃO ARMADA?
    NÃO! ISTO VAMOS
    DEIXAR PARA ESTES
    GRUPELHOS METIDOS
    À TERRORISTAS,
    QUE VOLTA E MEIA
    APANHAM NA
    PRISÃO!
    NÃO DESTE JEITO!
    QUANDO EU
    ASSUMIR,
    VAMOS APARELHAR
    O GOVERNO!
    APARELHAR?
    É!
    VAMOS COLOCAR
    PESSOAL NOSSO
    NAS DIVERSAS
    DIRETORIAS
    E A RAPINAGEM
    SE DARÁ NA
    BASE DA
    CANETADA!
    OS CONTRIBUINTES
    DOS FUNDOS,
    OS FUNCIONÁRIOS,
    NADA
    PERCEBERÃO!
    ESTARÃO TODOS
    OCUPADOS
    TRABALHANDO
    E CUMPRINDO
    INALCANÇÁVEIS
    E ESTÚPIDAS
    METAS!
    IMPOSTAS
    POR NÓS,
    O DITO
    “GOVERNO
    SÉRIO”!
    ENQUANTO
    ISTO?
    A GENTE FAZ
    DISCURSOS
    ANTI POBREZA
    E METE A MÃO!
    BRAVO! BRAVO!
    PINGA! VOCE
    É UM GÊNIO!
    EU SEI! EU SEI!
    MAS TEM UM
    DETALHE!
    QUAL É?
    SE ALGUM
    DE VOCES
    FOR PEGO,
    FICA POR
    CONTA PRÓPRIA!
    E NÃO PODE
    ME ENTREGAR!
    SENÃO?
    SENÃO O
    QUE? CHEFE?
    BEM, PODERÁ
    SURGIR O MEU
    LADO CANGACEIRO
    MATADOR DO SERTÃO!
    É MESMO, CHEFIA?
    EXPERIMENTE, VAI!
    OUSE! OUSE!
    ARRE ÉGUA!
    UÁI!
    VÍXI!

  44. Nelson André Hofer de Carvalho

    Assino embaixo de tudo que foi escrito.
    Precisamos de um Moro para iniciar este processo.

  45. teodosio

    Concordo plenamente com você William, tempos atrás se falasse-mos mal desse miserável governo éramos agredidos, principalmente pelas classes menos privilegiadas. Imagine esses mais graúdos mamando nas tetas gordas do governo. Povo brasileiro que gosta de levar vantagem em tudo, pensa que esta ganhando, esmolas e pequenas benesses, bolsa isso, bolsa aquilo. Se quisermos vencer e com trabalho, luta e muito estudo. FORA PT, DILMA e PAPUDA para LULA e cia Ilimitada.

  46. wall de oliveira

    Gostaria de saber onde estao os funcionarios destes fundos que nao concordam com essa forma de gestão (ruim), que venham a publico se manifestar (aqueles que sabem e tem documentos), está na hora de mostrar a sociedade que os mantem com o suor dos impostos pagos, o direito de saber e exigir medidas de prevenção a esse tipo de gestão (fraudulenta) contra voces mesmos participantes deste fundo, quanto a população em geral que os banca.

  47. Silvando

    Partido dos Trabalhadores que arrebenta com os trabalhadores, isso é para esses idiotas perceber que são mera massa de manobra. Tem 10 milhões de desempregados, realmente eles gostam de trabalhadores

  48. costa

    E os associados desses fundos de pensão, não se manifestam, estão borrando nas calças da quadrilha.
    Façam uma convocação extraordinária, com a diretoria do respectivos fundos, exijam esclarecimentos, pois é o seu direito.
    Quem cala consente.
    Depois não vão reclamar o leite derramada.

  49. Cirval

    Sugiro duas ações aos cotistas dos Fundos: 1) Formem um grupo e movam ações para eliminar os sindicalistas pelegos da administração dos Fundos, por improbidade administrativa e 2) quem puder peça o seu dinheiro de volta devidamente atualizado.

  50. Franco

    Funcionários do BB, CEF, Petrobrás, entre outras empresas de capital misto ou inteiramente estatais, na sua maioria, votaram e ainda votam no PT, sem nenhum questionamento crítico. Desonestos eram e são sempre os adversários do PT. A conta chegou e veio amarga. Engulam asnos.