Blogs e Colunistas

04/04/2011

às 6:31

Ignorantes de bom coração. Ou: quem pode queimar o quê?

A quantidade de besteira que o caso Bolsonaro vem suscitando é um espanto! A questão essencial, para mim, já disse, diz respeito à liberdade de expressão. Por mais detestáveis que sejam as suas opiniões, fazer o quê? A liberdade existe também para pessoas que dizem coisas detestáveis. Citei aqui o caso da Igreja de lunáticos nos EUA que invade velórios de soldados americanos que serviam no Iraque e no Afeganistão para agradecer a Deus pelas mortes: seriam punições porque os EUA são condescendentes com o homossexualismo!!! Pode? A Suprema Corte diz que sim! Um pastor decidiu queimar um exemplar do Corão, e o Taliban usou isso como pretexto para desencadear atos terroristas. Há gente por aqui achando que é tudo culpa do… pastor! Em breve, vamos ter de perguntar aos clérigos afegãos o que se pode desenhar, queimar, falar ou pensar no Ocidente. Além de politicamente corretos, teremos de ser “islamisticamente” corretos. A tese seria mais ou menos esta: a era das liberdades individuais esgotou o seu ciclo de virtudes. Vão se danar!!!

Eu acho correto ou aceitável que se perturbem velórios ou se queimem livros religiosos? Eu não! Essa gente é asquerosa! E daí? Mas não reconhecerei os sectários islâmicos do Afeganistão como tribunal competente para decidir o que se pode ou não se pode fazer no Ocidente!

Aos cretinos salta-pocinhas do multiculturalismo chinfrim, lembro que a liberdade que queima livros imprime milhões de livros. No Afeganistão, onde não se imprimem livros, só não se pode queimar um livro!

Voltemos a Bolsonaro.  Vamos botar a bola no chão. Vão querer puni-lo segundo a lei ou vão querer puni-lo “porque a gente não gosta dele, e faz tempo que merece uma lição”? Vão querer puni-lo segundo o estado de direito ou segundo a discricionariedade das “pessoas boas”? Digamos que seja segundo o “estado de direito”, já que o Brasil, por enquanto, é uma democracia.

No caso da acusação de homofobia, o caso está sendo superdimensionado porque existe aí uma agenda: aprovar a tal lei. Se alguém acha Bolsonaro “fascistóide”, é porque não leu o texto. O deputado diz lá as suas besteiras, mas não tenta mandar ninguém para a cadeia. Já aquilo que pretendem aprovar pode meter um sujeito em cana por expressar uma simples convicção religiosa contrária à prática homossexual.

Muito bem: ninguém pode ser punido, senhores apressadinhos, a não ser na forma da lei. E inexiste uma lei que caracterize a “homofobia”. Bolsonaro parece que não aceitaria filhos gays; acha que não correria o risco de tê-los; sugere até que uns bons petelecos na hora certa corrijam o “desvio”… São idéias, assim, “pterodáctilas”? São, sim! Mas existem pessoas assim no mundo! Devem ser encarceradas por isso? Aí o sujeito ainda mais apressado diz: “Ah, te peguei no argumento, Reinaldo! Então é por isso que precisamos ter a lei”! Vocês acham mesmo que uma lei que proibisse Bolsonaro de dizer essas coisas faria o Brasil ser mais democrático?

Então vamos ver: por homofobia, dada a inexistência de lei — vejam que ainda não toquei na imunidade parlamentar —, não haveria como puni-lo. Resta a acusação de racismo.

“Racismo” não é o que eu considero “racismo”, mas aquilo que a lei tipifica como tal. Mesmo que Bolsonaro não tivesse se enganado na resposta que deu a Preta Gil — e eu acho que ele se enganou; basta ver que o vocabulário empregado não se coaduna com a pergunta —, seria preciso dizer que artigo da lei ele transgrediu. Já tratei do assunto aqui. Não acho que seja o caso.

Atenção! Se a gritaria contra Bolsonaro estivesse circunscrita ao repúdio àquilo que ele disse, eu teria escrito aqueles meus dois primeiros textos, em que o desanquei, e parado. Mas não! Decidiram levar a questão para o terreno legal, para o questionamento sobre os limites da liberdade de expressão, para a relativização da imunidade parlamentar. Aí a coisa mudou muito de figura! Aí estão querendo combater opiniões particularmente boçais com a generalização da boçalidade antidemocrática.

“Então um parlamentar pode defender o homicídio, a pedofilia, o roubo?” Não! Não pode, não! A pergunta é burralda porque, além de tais práticas estarem devidamente categorizadas como crimes, haveria a questão do decoro, que um parlamentar não pode transgredir nem no uso da imunidade. “Ah, mas o racismo também tem uma lei que o pune”. É fato! Mas será preciso, antes, provar que houve racismo, entenderam? Provar segundo a lei, não segundo o fígado dos que não gostam do cara porque ele se opõe a cotas raciais, por exemplo.

“E o terrorismo? Um parlamentar pode defender o terrorismo em nome da liberdade de expressão?” Então… A Constituição diz que o terrorismo também é crime inafiançável e imprescritível e que será punido na forma da lei. Se o animal em questão for hábil o bastante para fazer uma defesa genérica, sem especificar atos que possam estar categorizados em leis específicas, será difícil puni-lo — a não ser por quebra de decoro. É que não temos, no Brasil, a lei que pune o terrorismo. Por essa razão, inclusive, há um monte de terroristas livres, leves e soltos, operando alegremente no Brasil, conforme fica claro da reportagem de capa da VEJA desta semana. A propósito: já se publicou resenha de livro na imprensa brasileira defendendo o terror. Ninguém protestou! Ou melhor: eu protestei!

Há várias formas de debater essa questão, inclusive a honesta e a desonesta. A desonesta tenta confundir a defesa da liberdade de expressão e da imunidade parlamentar com o endosso às besteiras que Bolsonaro diz. A honesta distingue a preservação de direitos fundamentais, inegociáveis, do conteúdo tacanho que o exercício desses direitos pode trazer à luz. Debate parecido se viu na questão do Ficha Limpa. Aprovou-se uma lei escancaradamente inconstitucional em nome do bem, e, depois, tentou-se pespegar nos defensores da Constituição a tacha de lenientes com a corrupção.

Infelizmente, boa parte dessa confusão é feita por jornalistas, que não vêem mal nenhum em propagar a ignorância, desde que seja de bom coração.

PS – Esse escarcéu todo só está em curso por aqui porque há a cultura de recorrer ao “papai Estado” para punir os meninos maus, que fazem aquilo de que a gente não gosta… Nos EUA, por exemplo, seria absolutamente impensável a hipótese de cassar um parlamentar porque ele expressou opiniões consideradas incômodas, idiotas ou incorretas. E olhem que aquela é a pátria do politicamente correto. Mas lá deixam o embate para a sociedade.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

170 Comentários

  • Phantom

    -

    5/4/2011 às 7:46 pm

    A relativização dos direitos é o primeiro passo para sua abolição. A filosofia do “não é bem assim”, tão diligentemente exercitada por nossos jornalistas (foi mal, Reinaldo), políticos e outros tantos “pensadores”, ainda vai custar muito caro ao nosso país. Liberdade de crença? Não é bem assim. Você só pode acreditar no que os iluminados quiserem que acredite. Liberdade de expressão? Não é bem assim. Você só pode dizer o que os iluminados quiserem que diga. Afinal, a liberdade é relativa. Não podemos esquecer do interesse público sobre o privado, certo?
    Aqui mesmo, nos comentários, li algo nesse sentido.
    Pois bem, o princípio do interesse público, esse sim, é relativo. Interesse público não significa interesse da maioria (muito menos interesse de uma minoria que se pretende representante da maioria). Significa interesse da coletividade – isto é, de todos. Logo, apenas uma interpretação tendenciosa, fundamentada na filosofia do “não é bem assim” poderia invocá-lo para reger as relações interpessoais. E, no que me consta, o que uma pessoa pensa ou fala acerca de outras pessoas está no âmbito das relações interpessoais. Não, na esfera pública.
    Concordo com o Reinaldo. O Bolsonaro tem falado muita bobagem. Mas é um prazer poder ouvir essas bobagens.

  • Não católico

    -

    5/4/2011 às 7:20 pm

    Outra questão grave para o ateísmo é o início do tempo. Tudo na cosmologia indica que o tempo teve um início, e isso é extremamente desconfortável para os ateus. Alguns tentaram a todo custo encontrar hipóteses que resguardessem o estado constante, mas desistiram. As esperanças do ateísmo são os universos pulsantes ou os universos simétricos, mas todas as soluções propostas até hoje mostraram-se impossíveis.

    Note que isso não é para provar que Deus não existe, é para permitir que possa haver alguma possibilidade do ateísmo manter o nariz fora d’água, continuar sendo considerado uma opção respeitável.

  • Não católico

    -

    5/4/2011 às 7:03 pm

    Quanto à sua afirmação de que não existe espírito, tenho de discordar. Visto que você se expressa assim, devo supor que você é ateu. Uma posição difícil de defender num debate.

    Atualmente, a principal argumentação a favor do ateísmo fica dependente da hipótese de existencia de múltiplos universos. NOTE QUE ESSA É UMA CONDIÇÃO NECESSÁRIA MAS NÃO SUFICIENTE, PARA DEFESA DO ATEÍSMO. Há duas dificuldades aqui.

    1. Se essa hipótese for verdadeira, supõe-se que nunca poderá ser provada. Não pode ser considerada, portanto, uma hipótese científica, no sentido das ciências naturais.

    2. Se os lógicos estiverem certos, a existência de um número infinito de entes reais é impossível, é ilógica. Estude isso e verá. Portanto, além de ser uma hípótese cientificamente impossível de ser provada, parece ser uma hipótese excluída pela lógica. A não ser que seja encontrada alguma falha na prova de impossibilidade citada. Mas ninguém consegui encontrar tal falha até hoje.

    continua …

  • Não católico

    -

    5/4/2011 às 6:32 pm

    Kaos

    Engenharia social é a própria essencia do regime totalitário. Funciona? Em grande parte sim, caso contrário nenhum regime totalitário se manteria por mais do que alguns meses. Mas quem a advoga, certamente odeia a liberdade. E odeia a república, pois um regime republicano faz do estado uma propriedade do povo. E um regime que usa da engenharia social, faz do povo um escravo do estado.

  • Maria Dulce de Souza Almeida Prado

    -

    5/4/2011 às 4:40 pm

    Sr. Reinaldo,

    O país precisando de tanto debate sério e as pessoas perdendo tempo com o Bolsonaro! Eu posso até estar errada, talvez esse seja um debate sério: liberdade de expressão etc. Mas, ainda assim, continuo achando perda de tempo.

  • Não católico

    -

    5/4/2011 às 3:22 pm

    Kaos

    Você disse: “Mas isto não é, DE MANEIRA NENHUMA, motivo para se ofender/bater/matar outra pessoa.”

    Quantas pessoas você conhece que ofendem/batem/matam homossexuais por serem homossexuais? Tenho mais de 40 anos. Faz uns 20 anos, conheci um rapaz que havia participado, quando adolescente, de uma gang de, acho que Skin reds, ou algo assim, que agredia pessoas diversas, inclusive homossexuais. Quando o conheci, ele já havia caído em sí e ambandonado esse tipo de violência.
    Considerando que tenho mais de quarenta anos, e que esse foi o único sujeito assim que conheci, devo supor que deve ser um tipo relativamente raro. A grande maioria da população não xinga ou bate em ninguém pelo fato de ser homossexual.

    Mas quem são as pessoas tipificadas pelo projeto de lei proposto como “homofóbicas”? São as pessoas que agridem homossexuais? Os proponentes do pl dizem que a imensa maioria da população (mais de 90%) são homofóbicos, apesar da imensa maioria da população não ofender nem agredir homossexuais. Logo, o espírito do projeto de lei é criminalizar não apenas a agressão aos homossexuais, mas a simples aversão ao sexo homossexual. É portanto uma lei totalitária, que talvez deixasse envergonhados e assustados Hitler, Stalin, Pol Pot e Mao.

    Quem os

  • Kaos

    -

    5/4/2011 às 11:24 am

    Amor/raiva, fé/não fé, dependência química/não dependência química, alegria/tristeza, vontade/preguiça, homossexualismo/heterossexualismo, e tantas outros sentimentos/comportamentos são APENAS estados do nosso cérebro, pois não existe alma, espírito, muito menos deuses. Somos apenas animais que evoluiram durante milhões, milhões de anos e fomos inventando as tais religiões por causa do medo do desconhecido. Pena que as religiões foram levadas tão a sério em detrimento do conhecimento científico. A neurociência já está provando que sentimentos/comportamentos/pensamentos podem ser alterados, ou seja, num futuro (ou talvez já no presente) poder-se-á moldar a personalidade de uma pessoa. A famosa “lavagem cerebral” é uma técnica científica. Moral ou imoral, ética ou não ética. Simplesmente pode ser feito.

  • Kaos

    -

    5/4/2011 às 11:06 am

    Não católico – 04/04/201 …. Voce está perfeito no seu raciocínio. Homem transando com homem é uma coisa repugnante. Repugnância é uma característica de todas as espécies animais, inclusive na espécie animal humana. Mas isto não é, DE MANEIRA NENHUMA, motivo para se ofender/bater/matar outra pessoa. Cada um faz o quer, dentro do seu quarto.

  • Teresa Costa

    -

    5/4/2011 às 1:59 am

    Só percebo o que é DEMOCRACIA quando leio os “comentários” de seus seguidores, Reinaldo. É um blog eclético e sensato. Fantástico! Porém, repito como alguns postaram, o foco é outro: o mensalão! Vamos acordar. Bolsonaro tem sua assessoria jurídica, é só anexar em sua defesa o vídeo de Luiz Inácio, no RS etc etc. E como engoliremos se o mensalão prescrever??????

  • Lúcia R.

    -

    5/4/2011 às 1:16 am

    O CQC de hoje defendeu com unhas e dentes Preta Gil.
    Debocharam do Deputado. Fizeram ele rever as gravações,
    Esegundo o Deputado, ele confundiu a pergunta, não foi sobre racismo que respondeu.Inclusive mostrou uma foto de um rapaz negro dizendo que é irmão de sua mulher, que não é racista que somente é contra as cotas, que todos somos iguais perante a lei.. Por outro lado Marcelo Tass,rebateu (bastante inflamado) mostrou uma foto de uma menina que estuda e mora nos EEUU, dizendo que é sua filha e que é gay “que a ama muito etc.e tal..)completou viu deputado?”.
    Depois de toda essa polêmica, a torcida é grande, contra o Deputado..
    Também penso como Marcelo 20:05
    A petralhada vai deitar e rolar nesse caso.Essa história de homofobia, racismo já cansou, mas elles vão insistir em ficar na pauta, e colocar mais lenha na fogueira.
    Só por Deus, que tenha piedade de nós.

  • Marcelo

    -

    4/4/2011 às 8:05 pm

    Pode apostar que em no máximo 20 anos as pessoas vão dar razão a esse deputado. Ele está correto quem defendo o contrário é esse bando de vagabundos que não querem mais trabalhar porque recebem bolsa tudo. Auxílio presidiário. É só nesse lixo de país mesmo. O melhor que tem a fazer quem concorda com esse deputado não é ficar discutindo com esse povo ignorante. Vamos mudar daqui e assistir de camarote em uma país que tenha cultura.

  • terceira via

    -

    4/4/2011 às 7:28 pm

    ninguem tem o direito de queimar o livro deles. E o que eles fizeram com as maiores estatuas de BUDA, se não me engano no Afganistão???? Os budistas, pacificos, deveriam matar alguem muçulmamo, assim a esmo. Seria justo?????

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ’0 which is not a hashcash value.

  • Não católico

    -

    4/4/2011 às 7:17 pm

    Quanto à suposta necessidade de uma lei “protegendo” os homossexuais, é bastante simples perceber que a imensa maioria de agressões e homicídios sofridos por homossexuais, decorrem de fatos outros que não os chamados “homofóbicos”.

    Homossexuais morrem em brigas, em assaltos (como qualquer pessoa), agredidos por ladrões (inclusive garotos de programa, mas geralmente a imprensa oculta quando esse é o caso), agredidos por parceiros em brigas domésticas (a imprensa também oculta), atacados por seriais killers (se o serial killer for homossexual, a imprensa ocultará e dirá que o motivo foi “homofobia”).

    O Brasil é o país “em tempos de paz” com maior índice de assassintos. Todos podem ser assassinados. Mas se for um homossexual, dirão que eles precisam de uma lei específica para proteje-los.

    O único grupo de agride ou mata específicamente homossexuais pelo fato de serem homossexuais são certos garotos de pais irresponsáveis, filhinhos de papai, que também agridem negros, índios (se houver algum por perto) mendigos, nordestinos, e o número de homossexuais que eles matam é minúsculo comparado com os trabalhadores em geral, mortos por assaltantes. A solução para esse caso seria simplesmente que os assassinatos em geral fossem punidos, independentemente da condição social do assassino. Não é um problema homossexual, é um problema brasileiro.

  • Não católico

    -

    4/4/2011 às 7:04 pm

    Reinaldo

    Sexo é só atração ou é também aversão? A maioria das pessoas, na maioria das culturas, não faz sexo com animais. Porque? Tem aversão. A maioria das pessoas não faz sexo por dinheiro. Porque? Porque tem aversão. A maioria das pessoas não faz uma montanha de coisas que consideram estranhas e nojentas.

    Se é natural do ser humano sentir aversão, é criminoso, anti-natural, desumano e intolerante criminalizar a aversão. Inclusive homossexuais sentem aversão a determinadas coisas (muitos sentem aversão ao sexo entre macho e fêmea, que é simplesmente a forma de reprodução da espécie, que é o motivo original da existência do sexo).

    Quem criminaliza a aversão? Certamente o movimento gayzista (inventado pela esquerda) faz isso. A “lei” que querem aprovar (plc 122), na letra e na intenção, proibe toda a população do país de expressar qualquer forma de aversão a certas formas de sexo, inclusive em particular, pois poderá ser denuciado.

    O projeto de lei transforma em criminosa qualquer forma de pensamento, livros sagrados, filosofias, sentimentos, e até qualquer conhecimento cientifíco que possa vir a ser estabelecido no futuro, que não endosse o sexo homossexual.

    Claramente é um projeto totalitarista e desumano, na sua intenção. É um projeto de lei criminoso. A pretexto de protejer homossexuais de ameaças e agressões (coisas já perfeitamente tipificadas na lei), impõe sobre toda a população (a imensa maioria da qual jamais agrediu um homossexual) a ameaça de destruir a vida de pessoas inocentes, fazendo-as apodrecer na cadeia, pelo simples fato de ter expressado algum pensamento ou sentimento que não seja do agrado da militância gay-petista.

  • David

    -

    4/4/2011 às 6:10 pm

    Reinaldo, o pastor americano que queimou o Corão poderia ser impedido em virtude da supremacia do interesse público sobre o particular. Não é um ato conveniente para o Ocidente em geral e para os EUA em particular, porque pode suscitar novos atentados terroristas. O direito que um tem de fazer cagada termina quando começa o direito dos outros.

    Algumas vezes o respeito pela liberdade de expressão é bem relativo. Eu, particularmente, sou contra essa queima de Corões, embora não me oponha ao direito que Bolsonaro tem, como cidadão brasileiro e ser humano, de expressar suas opiniões. E o fato de eu ser católico, como se vê, poderia me orientar apenas em uma direção: aprovar ambas as condutas.

    Essa é um prova que, acima de convicções ideológicas, o bom senso deve ser preservado. Para o bem de todos. Numa sociedade plural, faz-se mister manter o equilíbrio entre o que se quer e o que se pensa; forçar a barra é cometer suicídio intelectual (não por acaso as Universidades públicas se ornaram QG’s da esquerda).

  • joão silva

    -

    4/4/2011 às 6:09 pm

    Desculpem-me de voltar ao tema. A medicina ainda não sabe o que é homossexualidade. Há inúmeras hipóteses. Os americanos a retiraram da classificação de doença MENTAL somente, numa votação apertada entre os psiquiatras.
    Não há estudos conclusivos sobre mais nada.
    Obrigado por dar oportunidade de poder ajudar a colocar o tema em nível de ciência e não ideológico.

  • Thiago

    -

    4/4/2011 às 5:39 pm

    Reinaldo, o Noblat escreveu hoje em sua coluna semanal sobre o tema. Apesar de ele defender o PLC 122, acho que foi muito bom em seu texto no que tange à liberdade de expressão, tolerância e convivência democrática. O próprio título já dá a deixa: “fascismo do bom”.
    Não sei se posso colocar o link aqui, mas deve estar publicado em seu blog, na portal do jornal O Globo. Se já não o leu, vale a pena conferir.
    Recomendo a todos.

  • Míriam Martinho

    -

    4/4/2011 às 5:33 pm

    Um adendo ao meu comentário anterior, sobre o fim da classificação da homossexualidade como doença, já que parece ainda haver tanta desinformação.

    Desde 1973, a homossexualidade deixou de ser classificada como tal pela Associação Americana de Psiquiatria. Em 1975 a Associação Americana de Psicologia adotou o mesmo procedimento, deixando de considerar a homossexualidade uma doença. No Brasil, em 1985, o Conselho Federal de Psicologia deixou de considerar a homossexualidade um desvio sexual e, em 1999, estabeleceu regras para a atuação dos psicólogos em relação às questões de orientação sexual, declarando que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão” e que os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e/ou cura da homossexualidade. No dia 17 de Maio de 1990, a Assembleia-geral da Organização Mundial de Saúde (sigla OMS) retirou a homossexualidade da sua lista de doenças mentais, a Classificação Internacional de Doenças (sigla CID). Por fim, em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais uma violação aos direitos humanos.

  • cecilia

    -

    4/4/2011 às 5:25 pm

    Porque o cqc Não processa os parlamentares que lutam em favor das cotas raciais e sociais.
    A maior prova da descriminação é iludir a massa de receber um beneficio sendo qual na verdade ela esta sendo obrigando a uma confessar a sua incapacidade.
    Assim chamando todos os funcionários da rede de ensino publico de incompetente.
    São incapazes de ensinar, e por isso tem que beneficiar as pobres almas que recebem seus serviços com a promoção de cotas.

  • indignada

    -

    4/4/2011 às 5:21 pm

    REINADO, SERÁ QUE OS GAYS QUEREM QUE SEJA APROVADA ALGUMA LEI PARA QUE O SUS FAÇA CIRURGIAS “DE GRATIS” DE MUDANÇA DE SEXO PARA A RAPAZIADA??? SERÁ QUE A DILMA VAI TOPAR ESSA?? PARA SE MANTEREM NO PODER O PT/LULA/DILMA JÁ FIZERAM PACTO COM O DIABO. MAIS ESSA PARA QUE N’SO, CONTRIBUINTES PAGUEMOS A CONTA. ENQUANTO ISSO OS MENSALEIROS ESTÃO LIVRES, LEVES E SOLTOS, AGUARDANDO O PRAZO SER ESGOTADO E ELLES FICAREM LIVRES.
    GENTE, VAMOS MUDAR O FOCO, ISSO TUDO É JOGADA DO PT PARA ENCOBRIR O CAOS NA ECONOMIA E O BURACO NEGRO QUE O BRASIL JÁ ENTROU.

  • Guto Borelli

    -

    4/4/2011 às 5:08 pm

    Resumindo, tô contigo Reinaldo. Acho que a questão é a liberdade de expressão. O deputado fala besteira, cabe ao eleitor indignado expurgar o cara da vida pública , é fácil.
    Quanto á opinião, ele tem a dele e também o direito de expressar. Ponto final.

  • Paulo Fernandes

    -

    4/4/2011 às 5:00 pm

    Eu posso ser cntra gays, negros ou judeus desde que fique somente na expressão e a ação não se tipifique. Essa ideia absurda, muito comum por aqui, em que as pessoas não podem manifestar as suas escolhas e preferências é cultura de um povo primitivo institucionalmente e acostumado ao cabresto totalitário.
    Por que a Preta Gil pode manifestar em seu blog a sua preferência por surubas e não ser criticada? Será que é por ser filha do Gil? Isto lhe concede um valor moral maior?
    A verdadeira democracia, que inexiste no Brasi, exige muito discernimento no trato com o direito alheio e isto o brasileiro ainda está muito longe de alcançar.

  • Dawran Numida

    -

    4/4/2011 às 4:57 pm

    Olha, o mundo já tem complicações demais para que panacas quaisquer fiquem ai, uns provocando de uma lado e outros respondendo de outro. O pior, nessa história, é que pessoas morrem, são assassinadas. Nada pode justificar tal desatino.

  • cecilia

    -

    4/4/2011 às 4:43 pm

    Não existe lei que pune o medico que monstruosamente pratique a mutação neurológica do bebe no ventre da mãe.
    Se o meu filho fosse gay eu mataria o medico que me cuidou durante o pré-natal.
    Segundo o editor ALLAN BARBOSA PEASE segundo no seu livro “porque os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor” ele deixa claro essa possibilidade do crime de mutação.
    Porque esses loucos que saem querendo punir tudo e todos a qualquer custo não buscam um pouco de informação onde possam se firmar para uma defesa da própria espécie.
    A espécie Homes estão em extinção, eu não acredito em uma humanidade do do sexo feminino e muito menos nos gays.
    Vão me cassar como casa uma agulha no palheiro por causa da minha opinião.
    Graças ao PAI ETERNO os medico que curaram do meu pré-natal estão livres não se aprisionam desse mal.
    Mas não condenaria nenhuma mão que por ventura venham a praticar tal absurdo.

  • Wunder

    -

    4/4/2011 às 4:37 pm

    O povo de Pelotas deveria processar o LULLA.

  • Roubocoop

    -

    4/4/2011 às 4:29 pm

    SURUBA INTELECTUAL DOS HOMFÓBICO NO BLOG DO OUTRO LADO
    blog do Marcelo Tas que foi invadido por um monte de homofóbicos praticantes desse tipo de sacanagem.
    O OUTRO LADO DO LADO ANTERIOR
    O Bolsonaro também é exímio praticante da suruba intelectual: Afirma que se recusaria a subir num avião comandado por cotista ou a ser operado por um cotista. Ora! Um sujeito pode entrar por meio de cotas na carreira, mas ao se formar vira ex-cotista como escreveu sutilmente Reinaldo Azevedo, (que foi único a notar a incoerência que seria um prato cheio para o outro lado)
    .
    SURUBA POLITICAMENTE CORRETA
    Bolsonaro tem um cunhado e um sogro que pelos padrões politicamente corretos impostos hoje em (conceito importado dos EUA) são considerados negros. Portanto ele não pode ser acusado de racismo. Na resposta que deu a Preta-Gil evidentemente houve alguma suruba mental dele ou alguma suruba técnica do programa, que promete esclarecer tudo hoje, quando provavelmente fará nova perguntas a Bolsonaro (um prato cheio), que é portador da pior das maldades: a burrice.

  • Zeca

    -

    4/4/2011 às 4:28 pm

    Um jornalista da Folha no Editorial de hoje, entra com uma conversa aparentemente para defender o direito do deputado expressar sua opinião. Mas em seguida, ou misturando tudo, joga mais lenha na fogueira ainda e pior, acusa quem não reza pela cartilha gay de ser e esconder-se atrás da crítica, ou seja, mostra ser tão radical quanto o político.

  • Jefferson Turbay

    -

    4/4/2011 às 4:20 pm

    e mais uma….é tão errado queimar o alcorão, oq ue dizer dos Cristãos queimados vivos no oriente médio? decapitados, mortos, perseguidos….e os gays querem a mesma coisa…o taleban fundamentalista homossexual já está de prontidão para agredir as outras classes e rodar a baiana se alguém diz algo que não agrada… esse assunto de homofobia já cansou e é uma das maiores palahçadas da história desse país..

  • nilson matias de medeiros

    -

    4/4/2011 às 4:10 pm

    Parabéns Reinaldo pelos esclarecimentos corretos e precisos e pelos os ensinamentos para aqueles quer não compreendem que as pessoas podem e devem ter o direito de expor suas opiniões certas ou não afinal de contas isso aqui ainda é uma de,ocracia.Viva a liberdade de expressão

  • TITO

    -

    4/4/2011 às 4:10 pm

    Não tenho procuração para defender o Bolsonaro e não advogo muitas das suas teses,mas não sejamos hipócritas -
    ele fala o que muitos gostariam de falar mas por covardia e oportunismo, preferem o politicamente correto.Quem apoia essa frente
    parlamentar de GLT ? Os católicos,os evangélicos,os ruralistas,os defensores da família, da moral,da ética,etc…?Negativo,quem “apoia” objetivando os seus interesses partidários é a patota da esquerda !!!!
    É mais uma oportunidade de dividir a sociedade,em negros e brancos,ricos e pobres,cotistas e não cotistas,com terra e sem terras,com teto e sem tetos, vagabundos e trabalhadores…
    Se com a saída do Roger Agnelli da presidência da Vale,a Rainha Dilma e o mafioso do Mantega celebraram com champanhe, já dá prá escutar o gargalhar da petralhada com o achincalhamento do Bolsonaro.
    No que depender desse jornalismo chapa branca e das redações forradas de petralhas e gays o assunto será mantido na pauta por longa data. Tô fora !

  • Ex-petista

    -

    4/4/2011 às 4:09 pm

    Paulo, e parece que os “burgueses-conservadores” fracassaram, porque a corja comunista sobreviveu e, mesmo depois de 20 anos de ditadura, está aí firme e forte gerando filhotes como o Stédile, os Mensaleiros e você.

  • joão silva

    -

    4/4/2011 às 4:08 pm

    O que foi decidido e votado pelos psiquiatras americanos é que o homossexualismo não é doença mental. Mais nada. A medicina ainda não sabe o que o homossexualismo é na verdade.Há inúmeras hipóteses.

  • pipoca

    -

    4/4/2011 às 4:03 pm

    na historia deste pais nunca se avacalhou e se roubou tanto. Quanto mais pior melhor não é petralhas??

  • Ex-petista

    -

    4/4/2011 às 4:02 pm

    Paulo, os milhões que morreram na reforma agrária de Pol Pot no Camboja eram burgueses-conservadores?
    E as dezenas de milhões de mortos pelo Maoismo eram de elitistas reacionários?
    E Stálin matou dezenas de milhões de capachos do imperialismo ianque?
    Quer matar um comunista? Jogue nele um livro de História sério.

  • Ex-petista

    -

    4/4/2011 às 3:51 pm

    Ao Paulo das 12:33.

    Verdade: havia tudo isso na ditadura militar brasileira. E isso, comparando com meio século de prisão castrista, é troco de bala. Isso levando-se em conta que a população de Cuba é uma fração da brasileira. Noves fora: uma ditadura comunista no Brasil, que Jango e curriola certamente instalariam, mataria milhões de brasileiros e, muito provável, ainda estaria em vigor. Sem falar na estagnação econômica e no racionamento, de comida inclusive, que viveríamos.
    E cara, vocês têm de abandonar essa lenga-lenga de burguês, elite. Já não são muito levados a sério… falando isso, dá vontade é de dar um cucuruto pra calar a boca.

  • diego almeida

    -

    4/4/2011 às 3:50 pm

    o pior de tudo é ler o ancelmo góis dar pitaco e ter pose de superior…

  • Míriam Martinho

    -

    4/4/2011 às 3:41 pm

    Reinaldo, de fato não dá para inferir que houve racismo na fala do Bolsonaro em resposta a Preta Gil. Também acho que, por mais desprezíveis que sejam suas declarações, ele tem o direito de dizê-las assim como eu tenho direito de contestá-las. Igualmente não creio que se aplique a cassação de seu mandato parlamentar.
    No entanto, por outro lado, o direito à livre expressão está sendo usado, nesse caso, como desculpa para se referendar o comportamento incivilizado do sujeito. Se todo o mundo começar a se achar no direito de botar seus preconceitos para fora, seus bichos para fora, agredindo os outros gratuitamente, a convivência social se tornará impossível.
    A homossexualidade, que ele chama de homossexualismo como na época que ela ainda era considerada patologia (desde 1990 deixou de ser vista como tal pela CID), sequer é matéria de opinião para ele ficar criticando. A sexualidade humana é da ordem do inconsciente, das idiossincarisas, não passa pelo racional. Achar-se no direito de criticar o homossexualismo é como se achar no direito de condenar quem prefere doces só porque o crítico prefere salgados. Mas, enfim, ele tem o direito de dizer que a Terra é quadrada, não é?, ainda que ele tente mandar alguns hereges para as chamas para provar seu ponto de vista.
    Agora, o problema maior é que, além de dizer besteiras a torto e a direito, ele faz uso do mandato parlamentar para tentar obstaculizar a igualdade de direitos para a população homossexual como previsto na Constituição. Por essas e mais outras, é que foi formulado o polêmico projeto contra a homofobia.
    A propósito, não é a primeira vez que leio você afirmar que o PLC 122 “pode meter um sujeito em cana por expressar uma simples convicção religiosa contrária à prática homossexual.” Mas não há referência à religião na versão atual do projeto (ler aqui http://goo.gl/kUHHs). Havia na antiga. Depois, você sempre argumentou que o projeto é anticonstitucional, mas ele é de fato uma emenda à lei nº 7.716, de 1989, que pune o preconceito racial. Você também considera essa lei anticonstitucional?
    Como já disse em comentário anterior, tenho minhas reticências quanto ao projeto, mas ainda o apóio. Todos os pareceres prós e contras me interessam.

  • Lucas não-petralha

    -

    4/4/2011 às 3:36 pm

    E o Bolsonaro vai voltar pro CQC hoje. Já vi comentários de alguns integrantes do programa q o “melhor ainda está por vir”.

  • Lucas não-petralha

    -

    4/4/2011 às 3:33 pm

    Reinaldo, crime inafiançável e imprescritível é o de grupos armados contra o Estado democrático: art.5º,XLIV. É o q a Dilma fazia, por exemplo.

    Já o terrorismo é apenas crime inafiançável: art. 5º,XLIII. É o q a Al Qaeda faz, por exemplo.

    São crimes distintos…

  • Polvo

    -

    4/4/2011 às 3:26 pm

    Para

    Paulo
    -

    04/04/2011 às 12:33
    Lamentável a sua réplica, pois expressa o quanto você é, com todo respeito, recalcado e vazio de valores e não sabe julgar com equidade, o que demostra ser uma pessoa refém de uma ideologia da Morte, com capa de luta pela libedade e democracia, o que a História da Humanidade sempre mostrou o contrário.
    Quanta bobagem vem de você, pois bobagem jamais sairá de mim. Eu tenho conhecimento da Verdade, e essa me liberta da opressão do pansamento bolchevista, nazista ou fascista, pois cultuo a Verdade e não iniquidade e a injustiça. Eu não tenho recalques, pois sou cristão, que é tanto criticado e perseguido nesse mundo de politicamente “corretos” e sem valores morais e éticos, vazio de espírito.
    Seus heróis são os comunistas (Che, Lula Fidel, Gil, Caetano…), a sua fé é a teologia da libertação, o meu é Jesus Cristo e a minha fé é na vida eterna.

  • Anónimo

    -

    4/4/2011 às 3:21 pm

    Uma quadrilha se apossou do Brasil. Uma quadrilha que nao tem o menor escrúpulo , em tentar calar a voz do povo brasileiro.

  • Levi

    -

    4/4/2011 às 3:11 pm

    Estão fazendo muito barulho por nada.
    Em Pelotas-RS, o apedeuta foi flagrado dizendo que a cidade era um grande exportador de veados – ou viados, sei lá -, e a esquerdalha achou muito bonitinho, muito engraçado, muito legal e ninguém se mostrou escandalizado com a fala do molusco, nem mesmo o movimento gayzista, até onde me lembro. O mesmo molusco se jacta da história do menino do MEP e foi acobertado mais uma vez pela militância.
    O quê fez mesmo o Deputado Bolsonaro? Não vi nada de racismo naquele vídeo, escancaradamente editado para servir aos propósitos daquele programinha sem graça. Quanto ao homossexualismo, há mesmo certeza firmada sobre suas causas? Eu não sei e ainda não vi ninguém com autoridade suficiente para afirmar peremptoriamente se é inato, comportamental ou mesmo se uma mescla das duas causas. A fala do Deputado dá a entender que ele pensa que a causa do homossexualismo é comportamental.
    Por fim, ainda bem que existe um Bolsonaro no Congresso. Errado ou certo, é dos poucos capazes de enfrentar com coragem a esquerdalha militante.
    Irritante mesmo é essa afetação de dignidade ofendida, usada como arma por esses humanistas de plantão.

  • Polvo

    -

    4/4/2011 às 3:09 pm

    Obrigado Lúcia R., fiquei feliz e motivado em sempre expressar o meu pensamento, sempre pautando-me do respeito e da ética, numa ótica isenta de falsas ideologias. Parabéns para você também.

  • Olegário Montes

    -

    4/4/2011 às 3:05 pm

    “SBT libera beijo gay em nova novela
    Tiago Santiago escreveu, e Luciana Vendramini e Gisele Tigre já gravaram a cena de um beijo na boca apaixonado em “Amor e Revolução”, do SBT, que estreia amanhã. A despeito do tabu, o autor garante que a cena não será cortada. Ambientado no regime militar, o folhetim terá outros personagens homo e bissexuais e será exibido às 22h15, recomendado para maiores de 14 anos.”
    Será que algum adolescente no segundo grau desconhece que existem homosexuais de ambos os sexos e que estes são seres humanos cujas leis já existentes lhes garantem os mesmo direitos de qualquer cidadão brasileiro comum? Vamos acabar com esta palhaçada de lei contra homofobia e de orgulho gay. Isto parece mais coisa de casta! A seguirmos por este caminho, quando torcedores do time A espancarem torcedor do time B, logo teremos leis contra palmeirofobia, flamengofobia e por aí vai… Vamos nos indignar, minha gente, é com a falta de educação de qualidade para os jovens na rede pública! Isto sim é a vergonha nacional.

  • Delmar Philippsen

    -

    4/4/2011 às 2:52 pm

    E quando o velhaco afirmou (divulgado pela Internet o filme) que Pelotas era um grande centro exportador de veados, ninguém atacou o vigarista

  • Fábio

    -

    4/4/2011 às 2:50 pm

    Simplificando o pensamento comunista: no país, todos serão cordeirinhos, o governo será o pastor e os depositantes tributários será a oposição que não entende o governo.

  • Roberto Domingos

    -

    4/4/2011 às 2:47 pm

    Se Preta Gil prefere os brancos da Bahia porque são queimados pelo Sol e por isso sem preconceitos, segundo suas palavras. Eu como branco Carioca digo a você Preta fique longe do Rio, fique na Bahia, os brancos cariocas não são piores nem melhores que os brancos da Bahia. Preconceituosa!

  • MLLAGO

    -

    4/4/2011 às 2:47 pm

    Na verdade poucos sabem o que é de verdade racismo. Poucos sobreviveram aos campos de Auschwitz-Birkenau!

  • jose oliveira

    -

    4/4/2011 às 2:40 pm

    OhMyGod – o verdadeiro! – 04/04/2011 às 13:43
    Voce se refere a Vassoura de Bruxa, praga disseminada pela turma do pt que queria terminar com os produtores tradicionais do cacau que dominavam economica e politicamente a região. Esta história é escandalosa. Disseminar a doença. ELES SÃO CAPAZES DE QUALQUER ATROCIDADE. SOCORRO!

  • Lúcia R.

    -

    4/4/2011 às 2:34 pm

    Nossa como valeu a pena, ler seu Blog Reinaldo, como sempre ótimo, só não entendeu o assunto “n” vezes explicado a petralhada que precisa de “DESENHO”.
    Quero deixar aqui PARABÉNS ás pessoas de mente aberta que fizeram excelentes comentários.
    Em especial POLVO 11:55 e NANA 11:54 PARABÉNS.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados