Blogs e Colunistas

27/03/2013

às 19:30

Feliciano, a Comissão de Direitos Humanos e a evidência escandalosa de uma fraude intelectual e política

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, expulsou da sala um manifestante que o chamou de “racista”. O rapaz integrava a turma que queria impedir uma nova sessão da comissão. A pauta do dia nada tinha a ver com direitos dos gays, mas com a contaminação por chumbo na cidade de Santo Amaro da Purificação, na Bahia, terra de Caetano Veloso. Caetano Veloso é aquele senhor que se destaca na música e que acredita, com acerto, que o Brasil precisa de um Congresso. Mas deu a entender também que o Congresso aceitável é aquele formado por pessoas com as quais ele concorda. Se jovens cantores e compositores se inspirarem em Caetano, estarão, creio, no bom caminho no que respeita à música popular. Se pessoas interessadas em democracia política tiverem Caetano como referência, aí estamos fritos.

Mas volto. “Racismo” é crime. Acusar alguém de “racista” corresponde a acusá-lo de ter cometido um crime. Não havendo provas, trata-se de calúnia, o que também é… crime!!! A imprensa brasileira tem sido vergonhosa nesse caso. Ela é livre para odiar Feliciano o quanto quiser; é livre para considerá-lo o mais despreparado dos seres para essa comissão ou qualquer outra. Mas é uma estupidez acusar alguém de homofobia por ser contra o casamento gay ou de racismo porque cita (e mal) um trecho da Bíblia. Isso é militância, não é jornalismo. Eu opino bastante, sim, quebro o pau a valer. Mas não atribuo nem às pessoas que mais desprezo crimes que não cometeram só para facilitar a minha crítica. Ao contrário até: prefiro a crítica difícil; prefiro demonstrar o erro de quem considero aparentemente certo a evidenciar o obviamente errado. Que graça há nisso?

Feliciano mandou retirar o rapaz da Câmara. Se quiser, pode processá-lo, sim, e aí o moço teria de provar que Feliciano cometeu racismo — se não o fizer, caracteriza-se a calúnia.

Muito bem! Expulso, e com motivos, da sala, Marcelo Regis Pereira, de 35 anos, antropólogo, gravou um vídeo, que já está no YouTube. Diz-se vítima de preconceito — e a imprensa está dando corda — por ser, atenção!, “negro, gay e pobre”. Vejam  o vídeo, Volto em seguida.

 

Voltei
Negro, como se vê, Pereira não é. Como ele mesmo diz, assim ele se “autodeclara”. Eu posso me “autodeclarar” índio, por exemplo. Tenho legitimidade pra isso. Meu bisavô paterno mal arranhava o português. Aliás, a melhor parte que há em mim é o Espírito da Floresta. Feliciano, que tem comprovadamente a mãe negra, deve ser mais negro do que o acusador.

Ele chama o outro de “racista”, é expulso da sala e diz “Fizeram isso porque sou gay”. Ainda que isso estivesse na cara, ser gay não lhe dá o direito de ofender os outros. Ou dá? Mas como Feliciano poderia saber? Está escrito na testa? Há gente que parece e é, que não parece e é, que parece e não é… A menos que devamos estabelecer agora um outro padrão. Ofendido por alguém, ao reagir, devemos antes indagar: “Por favor, cidadão, como o senhor define a sua sexualidade? Hétero? Ah, então vou responder”. Ou no outro caso: “Ah, o senhor é gay? Então eu peço desculpas por tê-lo levado a me ofender”.

O rapaz tem 35 anos e é antropólogo. Não existe faculdade de antropologia no Brasil. É uma pós-graduação. Isso quer dizer que ele tem um curso universitário e uma especialização. É esse o padrão da pobreza no Brasil? Tome tento, meu senhor! Tenha compostura! Não seja ridículo! Pobre não tem cara, não! Mas a pobreza, ah, essa tem!!! Revejam: é o caso dele? Ademais, meus caros, “universitário com especialização” se declarar  ”pobre”, num país como o Brasil, ofende a inteligência de qualquer pessoa de bom senso. 

Esse vídeo é a manifestação do mais escancarado oportunismo. Faltassem evidências da pantomima que está em curso, agora não falta mais, está aí.

De fato, há gente acreditando que é legítimo invadir uma comissão, subir na mesa, chamar o outro de racista etc. Uma vez coibida a agressão, então é hora de gritar: “Preconceito!”. Com a pressurosa colaboração da imprensa, esse troço está indo longe demais!

Se e quando, na comissão, Feliciano fizer alguma coisa que esteja fora de sua competência e de seu direito legal, então que se proteste — aliás, a praça é imensa! Tentar arrancá-lo de lá porque não gostam de suas opiniões é intolerância, sim. De resto, esses fanáticos não se dão conta de que, na prática, estão dando à luz um herói. Já volto ao tema.

A farsa, enfim, se revela.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

523 Comentários

  • gerson bastos santos

    -

    9/5/2013 às 1:38 am

    Sou católico e, ao contrãrio do que diz o IBGE, a imprensa e os acadêmicos, onde quer que vá somos menos de 10%.No prédio onde moro,no trabalho,mercados,rádios, tvs, onde há gente.Concordo com o Reinaldo e vejam o aspecto salutar: A adesão ao comentário do Reinaldo e a adesão ao M. Feliciano, não é polarização,totalitarismo é ser republicano. A nação evangelica já tem seus lideres e o poder executivo é uma consequência natural e certa.

  • severino

    -

    16/4/2013 às 11:11 pm

    vejam a que ponto chegou este movimento gay.
    vejam o vídeo que está no http://www.verdadegospoel.com
    é um grande absurdo esta gente querem transformar
    o Brasil em uma latrina. VIDEO DO DEPU. BOSSONARO

  • Wagner Barbosa Cândido

    -

    16/4/2013 às 9:20 pm

    Muito sensato o texto. Não sou defensor do Dep. Marco Feliciano, mas também não posso concordar com essa tentativa de imposição de uma “ditadura homossexual”. A isonomia já é garantida pela constituição, mas o que os ativistas gays querem é ser “mais iguais” que os heterosexuais

  • marcio

    -

    8/4/2013 às 3:12 am

    nossa! eu fiquei horas lendo os seus posts, foi de total interesse meu, fiquei tão ligado e atenado que até esqueci das horas.
    muito interessante o seu ponto de vista, meus parabéns!

  • Kleber

    -

    7/4/2013 às 4:03 am

    Sensacional Reinaldo!! É um prazer ler artigos com nível de sabedoria!

    abs

  • Gustavo

    -

    5/4/2013 às 3:37 pm

    Gostaria em primeiro lugar, entender como um país, que é tão pífio em sua educação, onde não se preserva os direitos das crianças, onde as drogas a cada dia destroi famílias e lares, onde as mulheres morrem por qualquer motivo, onde os crimes sexuais contra mulheres e crianças se multiplicam, onde bandidos só vão pra cadeia se pegarem mais de quatro anos de prisão, é este país que quer liberar a maconha! Ter casamento gay! Entre outros absurdos que ouvimos, será que isto é primordial? Será que é justo? Tantas coisas pra serem feitas, em saúde, educação, ética política, acho sinceramente que este tema pode esperar, e que temos coisas mais sérias e urgentes pra resolver! Espero que eles continuem com essas intransigências, que só promovem o Dep. Feliciano, e já tem uma corrente muito grande no meio evangélico querendo lança-lo a presidente! Alguém duvida?

  • flavio de lima

    -

    5/4/2013 às 12:44 am

    boa eles manipulao tudo mais deus e grande e faz tudo vim a tona querem derrubar mais nao conseguem

  • HPS

    -

    3/4/2013 às 3:17 pm

    Gostei também da parte do “Criando Herói”. Sabe, o Feliciano não tinha nem unanimidade entre os evangélicos e agora une todas as correntes evangélicas, católicos e outros em torno da pessoa dele. Virou um fenôneno mesmo com a imprensa fundamentalista contra!!!

  • HPS

    -

    3/4/2013 às 3:15 pm

    Parabéns. Até que em fim um artigo com a verdade, sem partidarismo e sem ressaltar a condição de pastor do nobre (todos são, bazinga!) deputado.

  • Alex Monteiro

    -

    3/4/2013 às 1:12 pm

    Muito bom!!!! Isso que é um jornalista responsável!!! Parabéns

  • Anónimo

    -

    3/4/2013 às 12:54 pm

    Parabens jornalista Reinaldo Azevedo pela matéria. Bom seria se outros com a mesma postura ética e seriedade também se comprometessem com a realidade de nosso país.

  • Anónimo

    -

    3/4/2013 às 11:37 am

    Enquanto a os CÃES ladram, a CARAVANA passa.
    ACORDA BRASIL… OBSERVEM A ÉTICA.
    Não se deixem enganar por esses movimentos PARTIDÁRIOS DE INTERESSES DUVIDOSOS.

  • Anónimo

    -

    2/4/2013 às 7:38 pm

    Parabenizo o jornalista Reinaldo Azevedo pela seriedade que demonstra as matérias escritas por ele. Como seria bom se tivéssemos pelo menos uma dezena de jornalistas assim em nosso país.

  • Aracy

    -

    2/4/2013 às 4:01 pm

    Excelente texto, é incrível o que andam fazendo alegando preconceito, absurdo mesmo!

  • Thiago Douglas

    -

    2/4/2013 às 1:00 pm

    Esse cidadão não representa qualquer pessoa ou a si mesmo. Somente aqueles que testemunharam sua falta de respeito na comissão sabe o que eu estou falando.

    Nota: Todo mundo tem o direito de ser o que quiser ser, e ninguém pode recusá-lo, nem o oprimilo, ou se ter preconceito contra isso, porém sou obrigado a dizer que a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros), tem que escolher melhor seus representantes, pois a falta de bom senso e educação que existe nesses protestos está passando dos limites. Como você quer para lutar contra a violência, se a violência é demonstrada em suas atitudes?

  • alessandro

    -

    1/4/2013 às 11:24 pm

    o diabo persegui aqueles que nao tem medo e falam a verdade, Deus vai te ajudar.

  • Anderson Rocha

    -

    1/4/2013 às 8:43 pm

    Matéria espetacular. Parabéns!!

  • Ana

    -

    1/4/2013 às 4:53 pm

    Concordo plenamente,cada um tem direito a ter sua opinião alis nos cristão temos o direito de acreditar na bíblia e expressar isso. Marcos Feliciano disse o que esta na biblia é julgado por todos isso é injusto, o gay tem direito de ser gey e o cristo não tem direito de diser o que esta na biblia. parabens pela materia.

  • jose sandro cardoso

    -

    1/4/2013 às 4:01 pm

    ele autodenomina-se “preto”? essa palavra é uma palavra racista! esse rapaz tem que voltar pra alfabetização! o mais engraçado é o fim do vídeo quando alguem diz: “só”? nem a pessoa que estar do lado dele se convence com um discurso tão aberratório! descubra-se primeiro meu caro, e depois tente convencer outras pessoas!!!

  • Tathi

    -

    1/4/2013 às 10:15 am

    eles estão comentendo um crime e querem dar uma de santos, é itolerância sim

  • Flávio Gibram

    -

    1/4/2013 às 9:32 am

    Onde andam as manifestações contra Renan Calheiros? Sumiram como mais um “passe de mágica” do Governo.
    E todos nó caimos em mais essa armadilha PeTralha: Marco Feliciano é o BOI DE PIRANHA de Renan.

  • acir alves

    -

    1/4/2013 às 8:02 am

    Concordo plenamente com Reinaldo Azevedo. Parabéns pela matéria!
    Todos têm direito de expressar suas opiniões e convicções, mas não devem e não podem ofender quem quer que seja: negro, branco, homo ou hétero.

  • Tony Moreira

    -

    31/3/2013 às 11:28 pm

    Apesar da liberdade que gozamos hoje em todos os sentidos, porém, na história “existiram escravos que foram libertados e homens livres que se tornaram escravos. Qual a maior prisão do mundo?
    É aquela que aprisiona o ser humano externa ou internamente? Sem sombra de dúvida é aquela que algema , a alma, que controla a inteligência! (Augusto Cury).
    Veja esse cidadão escravizado pela sua própria opção de estilo de vida, as janelas de sua emoção estão fechadas para o brilho da inteligência, e arte de pensar e ver a realidade e verdade. Parabéns Reinaldo Azevedo pela explanação de como você mesmo disse “está indo longe demais”. Meu muito obrigado!!

  • Antonio Claudio Alvares

    -

    31/3/2013 às 3:33 pm

    em se tratando de homossexualismo, homofobia é crime, isso não significa que uma pessoa é obrigada a ser a favor dessa cultura,muitas passoas dessa cumunidade tem confundido seu direito de opção com o direito de constranger os outros cidadãos, para ser homossexual não precisa ser fresco (a), a maioria dos brasileiros não faz descriminação a essa comunidade,o que tem acontecido é que alguns se aproveitam da cituação para constranger os outros e quando sofrem alguma repreenção acham que estãm sofrendo descriminação, é preciso pontuar o direito de todos e não de apenas um segmento da sociedade!os homossexuais tem seus direitos, mas não podemos esquecer que os heteros tambem tem os deles,logo se cada um saber seu lugar e como se comportar em publico certamente não havera conflitos.

  • Silva

    -

    31/3/2013 às 1:02 pm

    Esse indivíduo ainda acha que o uso do método de “engana trouxa” que há anos a esquerda vem fazendo pode enganar a quem hoje em dia? Nem os trouxas aguentam mais essas carinhas e falas mansas de pseudo-vítimas.Arranje um trabalho e procure respeitar os outros que a sua vida vai melhorar, cara. Quinze reais e um pão com mortadela não resolve a vida de ninguém.

  • Tony Vitor Pereira

    -

    31/3/2013 às 11:50 am

    Finalmente alguem com opinião propria. Li recentemente na revista Carta Capital um comentario (mais um) sobre Marco Feliciano, e o que percebi foi que o jornalista se limitou a reescrever o que muitos repetem todo dia à exaustão e acrescentar mais algum elementos discriminatorios de forum pessoal. O que me chocou bastante pois demonstra parcialidade e me parece que não deve ser essa a função da midia. O senhor como jornalista me fez ver todas as caracteristicas de um profissional em seu comentario. Eu tambem sou evangelico e me sinto muito mais descriminado no trabalho, na faculdade, nos programas de TV de maior audiencia, etc. Logo esses 70 milhões de brasileiros poderão querer ter seus direitos de ser politico, de ter opinião, de expressar opinião, de se reunir onde bem queiram, e até a hora que bem quiserem, e muitos outros que só sabe quem acompanha de perto, respeitados. Será que vão dar vez e voz à esses tambem? Fica a pergunta no ar.

  • nany

    -

    31/3/2013 às 9:58 am

    Sábias palavras,inteligência pura!Parabéns!

  • Mara Gleide Andrade Rodrigues

    -

    31/3/2013 às 8:25 am

    Reinaldo Azevedo,como sempre brilhante, destrinchou o “X” da questão…

  • Edmilson Almeida

    -

    31/3/2013 às 7:58 am

    Tenho que louvar a inteligencia escritora do nobre jornalista que de forma simples conseguiu arrancar da garganta dos brasileiros o grito de liberdade sufocado por ativistas radicais que se escondem atras de profissões tão digna quanto as demais para manifestar sua opção sexual que deve ser pessoal e de forum intimo.

  • Sérgio

    -

    31/3/2013 às 4:22 am

    Não concordo com quase nada do que diz o Pastor Marco Feliciano, apesar de ser evangélico. Acho suas frases mal formuladas e quase sempre (das que eu já li) dão margem a reações de repúdio. Até quis vê-lo ser retirado da presidência da comissão até que li um de seus textos. Fez-me enxergar o tamanho do risco que corre nossa frágil democracia, que a cada dia está mais cercada por interesses de grupos/segmentos da nossa sociedade, tornando-se refém de desejos de poucos, enquanto vemos a vontade da maioria (nesse caso representada por mais de 200 mil votos)ser posta de lado !! Obrigado por me mostrar um outro lado, o lado da democracia !!

  • carlos ribas

    -

    30/3/2013 às 10:33 pm

    finalmnte acho alguém escreve com imparcialidade e pensamento claro; sou cristão evangélico e há anos sonho com homens/mulheres q temem a Deus ocupando posições q ajudem esta nação a tomar um rumo decente, pois vejo q a cada quatro anos o país se deteriora moralmente e parece q não tem retorno em termos de bons costumes devido estar proibido proibir…

  • ESDRAS CORDEIRO CHAVANTE

    -

    30/3/2013 às 6:37 pm

    Prezado,há cerca de 15 cursos superiores em antropologia no Brasil, 2 deles com turmas já formadas (PUC Goiás e UFAM)

  • anna christina

    -

    30/3/2013 às 5:45 pm

    cara esperto daqui a pouco ta se candidatando a alguma coiisa e infelizmente até ganhando em cima disso , o outro nao foi eleito só por que é “BBB” entao mulek esperto esse

  • Rafael Castilho

    -

    30/3/2013 às 4:04 pm

    Temos que parabenizar o jornalista Reinaldo Azevedo por esse comentário brilhante neste blog.

  • Paulo Roberto Brito dos Santos

    -

    30/3/2013 às 3:35 pm

    Aqueles gays que desfilavam nas ruas quando eu era criança tinha trejeitos, jeito de falar e de se vestir de gay. Tuleravam chacotas até de crianças. Hoje eles são alvo do preconceito também de outros gays que se autodenominam representantes para a defesa dos direitos de toda a classe de homossexuais do país. Porque, esses “militantes” decretaram que aqueles que tem trejeitos, modo de falar e vestir de gay não honram a classe como deveriamm. Esses “militantes”, que na verdade não representam de fato o pensamento e o direito da maioria da classe, são oportunistas da demagogia de muitos políticos e lutam na verdade pela confecção de um kit de leis que o tornem intocáveis em relação aos demais cidadãos da sociedade brasileira. Com a cobertura desse kit de leis protecionistas, eles vão estar sem limites para cometer qualquer abuso na defesa de seusu próprios interesse. Quem se opor com firmeza a esses desmandos será acusado de “homofóbico” e a depender da lei, dificilmente estarão livres de condenação por preconceito.

  • João Firmo

    -

    30/3/2013 às 3:15 pm

    Eu diria que os ativistas gays estariam sendo manipuilados, se não fossem pessoas “tão esclarecidas…” Eles para exigirem direitos querem passar por cima de uma grande parte da população brasileira – querem ser respeitados, mas não respeitam o direito das pessoas pensarem contrário à eles. Enquanto isso o que de fato importa vai passando de fininho…acorda povo brasileiro.

  • vagner

    -

    30/3/2013 às 2:43 pm

    Concordo com o senhor,esse assunto ja foi longe demais e essa imprensa cada vez mais apelativa, sempre a espera; não mais de um corpo ou uma morte ou um assasino,o tempo da boa notícia acabou,a midia de um tempo para cá estão promovendo os mesmos ,lembram da menina Eloa e Maiara,muito ajudou a causar aquele incidente.Dia e noite a midia ficava sobrevoando especulando e passando pela tv informações vitais..e os policiais fizeram o que ninguem esperava ..Ja não chega dessa midia parar de ser um urubu deixar de promover a desgaraça alheia para vender ou dar ibope..chehga né? o Feliciano como o senhor citou é um herói sendo construido por essa pressão descabida..ja pensou que para ser um membro da comissão ou de qualquer outro cargo ,tivesse que ser gay?

  • Paulo Eduardo

    -

    30/3/2013 às 1:53 pm

    Texto sem contexto vira pretexto. Esta sim, é uma crítica com fundamento. Parabéns ! Precisamos de jornalistas sérios compromissados com a verdade dos fatos, e não uma meia dúzia de sensacionalistas !

  • Kris

    -

    30/3/2013 às 11:48 am

    É lamentável que vejamos tanto oportunismo. Porque não gastar toda essa energia com o que realmente traz perigo aos Brasileiros,ex: deputados condenados continuam atuante no congresso, nosso código penal precisa urgentemente ser revisto, nossa educação básica é um horror, a saúde é uma caos, corrupção etc. A mídia veda e manipula a mente de quem é guiada por ela. É lamentável!

  • Luciano Silva

    -

    30/3/2013 às 11:32 am

    Como diz a letra de uma música de uma grande banda de rock:”racismo é sempre racismo não importa de que lado está”. Acredito que o respeito, o cuidado e o amor ao próximo devem ser conservados e dados a cada cidadão, independente de sua crença, cor, religião ou opção sexual. Mas todos tem o direito de expressar suas opiniões e acredito que os ativistas homossexuais estão partindo ao extremo. Parabéns pelo excelente texto Reinaldo! Todos devem ler e repensar sobre suas idéias e opiniões.

  • Maria

    -

    30/3/2013 às 11:18 am

    oh, que dó!!!Tadinho dele. O cara do vídeo quer ibope e a mídia adora dá espaço pra pessoas assim. Francamente!!!!

  • Jackson Oliveira

    -

    30/3/2013 às 11:09 am

    O que temos visto é a mais pura intolerância dos que exigem tolerância. É uma vergonha o que temos visto nesse país nestes últimos dias em relação ao tema em pauta, tirar alguém que foi eleito democraticamente, de uma comissão por causa de um grupo (os homossexuais) que se dizem ser minoria e não é, estão inseridos nas mais diversas repartições da sociedade, na política, na imprensa, nas universidades, no governo, dizer que é minoria isso é uma brincadeira e de mau gosto. Os ativistas gays não querem só direitos eles querem dominar a sociedade, mamam na teta do governo para financiar essa estupidez que temos visto. ATENÇÃO SENHORAS E SENHORES depois de quase 30 anos do fim da ditadura militar agora começa a ditadura gay no Brasil.

  • valdetemgd

    -

    30/3/2013 às 7:53 am

    nòs estamos atravessando dias dificeis ,pessoas querem estar cheias de razão quando na verdade sò querem acabar com o brasil esta nação que sofre com pessoas abusadas oportunistas que querem se promover as custas de outrem ,isto tem que acabar por este bando de desocupado !!!acho que as medidas cabiveis e por um basta nestes dodoisinho, baderneiros

  • Enézio E. de Almeida Filho

    -

    30/3/2013 às 4:38 am

    Se Marcelo Regis Pereira for negro, eu sou preto!

  • frajobe

    -

    30/3/2013 às 4:12 am

    Sugiro aos ativistas gays abandonarem a farsa de serem vítimas de preconceito, de serem minoria, de pegarem carona de outros grupos sob o pretexto de tirarem vantagem particular na situação. Fundem uma “sociedade alternativa” em vez de atropelarem os direitos e valores dos quase 100% dos cristãos cidadãos brasileiros. O Negro reivindica seus direitos não por ser negro, mas por ser cidadão brasileiro. O Homosexual igualmente tem o mesmo direito, não por ser gay, mas por ser cidadão brasileiro… Respeitem a nossa constituição e os valores morais da família brasileira.

  • Jorge Augusto o. Jesus

    -

    30/3/2013 às 12:17 am

    Reinaldo Azevedo parabéns por sua colocação pois estou casado de ver esta situação com os evangélicos que não pode falar nada do pensa que são considerados racista ou que não gosta de gay´s. este é um dos maiores problema de aprovarem esta leis que favorece os homossexuais que eles querem direitos mas não respeita os direito dos outros! que bom que sabemos que são a minorias. mais são chatos d+. obrigado pelo testo. vou divulgar no face.

  • Silva

    -

    29/3/2013 às 10:59 pm

    Na idade dele eu trabalhava, estudava, locomovendo-me em trem superlotado e em péssimo estado de conservação. Almoçava quando podia, respeitava os poderes constituídos e lutava pela vida. Viram a calma e a vagabundagem desse sujeito, que vai atrapalhar o trabalho dos deputados em plena tarde e não quer ser posto para fora do recinto. E ainda pede que os católicos, evangélicos, os que têm família e trabalham fiquem do lado dele, que sintam “peninha” por se dizer negro, pobre e gay. Vou te contar…

  • ARISTIDES

    -

    29/3/2013 às 10:30 pm

    Eu não tenho preconceito contra: gay, negro, índio, mulher, etc. Pois entendo que não se avalia alguém pela raça, cor, sexo ou pelo que possui. se avalia alguém é pelo caráter que tem. E querer obrigar alguém a concordar com praticas que, por algum princípio a considera errada. Já constitui uma tremenda falta de caráter!

  • Kerline Silva

    -

    29/3/2013 às 8:51 pm

    …Rídiculo esse cara!!! atoa, deveria ter vergonha de se dizer antropólogo, nas academias apredemos democracia, respeitar a opnião dos outros, tolerãncia, enfim apredemos a ser cidadãos. Procura trabalhar cara. entenda esse Feliciano é voz da familia naquela câmara. Acredite Marcelo a nossa nação ainda é afavor da constituição natural da familia.O que você e seu bando desejam é acabar com os valores cristãos, da familia.

  • valeria correa

    -

    29/3/2013 às 8:42 pm

    Só faltou este idiota falar que era argentino ahahah… É um imbecil! Realmente é a expressão do mais escancarado oportunismo. E assim caminha a humanidade!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados