Blog Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

sobre

Reinaldo Azevedo, jornalista, escreve este blog desde 2006. É autor dos livros “Contra o Consenso” (Barracuda), “O País dos Petralhas I e II”, “Máximas de Um País Mínimo — os três pela Editora Record — e “Objeções de um Rottweiler Amoroso” (Três Estrelas).

Cidades do interior Brasil afora levam muitos milhares às ruas

Vejam alguns exemplos

Por: Reinaldo Azevedo

O que o Movimento Brasil Livre e o Vem Pra Rua trouxeram de novo na política de mobilização, entre outras coisas? Cidades do interior dos vários Estados também se manifestam. Não é mais preciso se deslocar até a capital. E são manifestações fortes, de milhares de pessoas. Vejam.

Catanduva - SP

Catanduva – SP

Caxias do Sul - RS

Caxias do Sul – RS

Jundiaí -SP

Jundiaí -SP

Paragominas - PA

Paragominas – PA

Uberaba - MG

Uberaba – MG

.
.
.
.
.

Voltar para a home
TAGs:

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

  1. JANSCER NOMURA

    NÃO VAMOS ESQUECER ARARAQUARA C/ 8500 EM MÉDIA…

  2. Alviverde

    Vejam só Tangará da Serra – MT…incrível… http://www.diariodaserra.inf.br/mnoticia.asp?codigo=164403#.VubzcjEoEdU

  3. Israel Salvador

    Joinville-SC, maior cidade do Estado e cidade-polo do Norte e Nordeste catarinense, teve a maior manifestação pública de que se teve notícia. Certamente reuniu manifestantes das cidades vizinhas (Garuva, Araquari, São Francisco do Sul, Itapoá, Balneário Barra do Sul, São João do Itaperiú, Guaramirim).

  4. Edu Conde

    Aqui em Ribeirão Preto o Datafolha não apareceu para subfaturar. A PM contou 70 mil cidadãos.

  5. JOSE GERALDO

    EM VIÇOSA, MG MAIS DE 3.000 PESSOAL
    UMA PERGUNTA…. CADE OS ESTUDANTES? NAO VI NEM UM E AQUI TEM MAIS DE 20.000 ESTUDANTES, SERA QUE COMPRARAM A UNI

  6. Ricardo Teles

    A maior manifestação que Uberaba MG presenciou,com a participação de tratores,caminhões,carros antigos,motos,bicicletas,,cavaleiros e um carro de boi com uma pessoa vestido de Presidente Dilma ao lado do Japonês da Federal.População estimada 40.000 pessoas.

  7. Ramon

    VIVA BLUMENAU!!!!!!! Mais de 60 mil pessoas mobilizadas. A maior proporção do Brasil em termos da população: 300.000 habitantes – 20%. Chega de bandalheira

  8. MF (Serious)

    Uberaba meu orgulho. O maior numero de manifestantes por habitante.
    Que se cuidem PT e PMDB nas eleições municipais, nós uberabenses sabemos o que queremos, está provado, e desta vez não venham com enganações.

  9. ramilla borges

    Bom dia!!
    todos os jornais que eu assisti vi falando apenas que o maranhão fez protestos a favor da Dilma, mas não é verdade, varias cidades tivemos protestos a favor da constituição, fora Dilma e foto o PT.

  10. Ricardo-MG.

    A PM aqui em Uberlândia, estimou 22 mil.
    No mínimo foram 30 mil.

  11. ALBA

    Londrina no Paraná reuniu 90 mil pessoas.

  12. Fátima Regina Ferigato

    Jundiaí-SP, aqui foram quase 40 mil pessoas na Avenida Nove de Julho,Fora PT,DILMA e LULA NA CADEIA!!!!

  13. maya

    Parabéns Paragominas interior do Pará 300 km de belém,mostrou que tem garra,vamos em frente.

  14. bruno

    Sertãozinho/SP foram 15 mil pessoas,a cidade tem 120 mil habitantes.

  15. Jerciano

    Parabéns irrepreensível e brilhante Reinaldo Azevedo por incansavelmente esclarecer e instruir a todos os brasileiros e colocar os pingos nos is, por uma Pátria próspera e feliz. Aqui em Pelotas/RS a maior mobilização jamais vista na cidade e na região Sul do RS: milhares e milhares (números ainda não confirmados). Viva o Brasil! Viva a Democracia! Fora Dilma! Fora PT!

  16. Luiz

    Verdade, na manifestação em BH que seria melhor se fosse. No.lugar descampado pois a praça da Liberdade é imensa porém totalmente coberta com árvores o que esconde o grande público. Conn ver sei com uma família que saiu cedo para poder participar de outra manifestação em Ibirite cidade a 30 minutos de BH.

  17. Bruno

    Movimento em uberaba foi mais de 90% organizado bancado e liderado pelo ACORDA UBERABA, movimento independente de comerciantes e empresarios locais!!!50 mil pessoas numa cidade c populacao de 300mil pessoas…sensacional!!!

  18. Juliana

    Londrina, uma cidade de 500mil habitantes, foram 90mil para as ruas, segundo a PM.

  19. Vagner Rodrigues

    Reinaldo, aqui em Maringá a estimativa apontada pela polícia militar de é de 50 mil participantes na manifestação de hoje. Maringá tem 400 mil habitantes. Portanto, 1 em cada 8 habitantes da cidade saiu de sua casa, foi até o centro da cidade para protestar. Foi algo inimaginável de ver tempos atrás.

  20. Fernando

    Dezenas de milhares protestam em Blumenau, SC:
    http://www.blogdojaime.com.br/foi-de-arrepiar-mais-de-60-mil-pessoas-em-blumenau-participaram-da-manifestacao-pedindo-o-impeachment-da-presidente-dilma-e-o-fim-da-corrupcao-o-grande-boneco-pixuleco-foi-o-destaque-da-manifesta/

  21. Roberta Moreira Salles Gonçalves

    Atibaia – 6.000

    A terra do sítio! !!!

  22. Tulio Shibata

    Em SJC foi lindo. Das três últimas manifestações esta foi a mais grandiosa e definitiva. Mais de 40 mil pessoas nas ruas da capital do avião.

  23. Simone Pereira

    Caro Reinaldo
    A multidão que saiu às ruas em Uberaba, MG é emblemática
    Uberaba sempre foi reduto do PT. Lula se elegeu por lá nos dois turnos e o mesmo aconteceu com Dilma. O ex-ministro de Lula e envolvido no Mensalão, Anderson Adauto, foi prefeito da cidade em 2 ocasiões.
    E a origem da família da Dilma, do lado materno é de Uberaba. Sua mãe nasceu lá. A casa onde morava foi tombada pelo patrimônio local.
    Pois não é que agora Uberaba surpreendeu a todos, se redimiu e saiu em massa às ruas contra Dilma, Lula, PT e a favor da Lava Jato?
    Uberaba merece nosso aplauso.

  24. Roberto Zuim

    Em Dourados, MS presença de 24.000 pessoas na manifestação…10% da população

  25. Henrique Cardoso Tardelli

    Aqui em Ribeirão Preto a PM calculou 70.000 pessoas e os organizadores 100.000.
    O que dá entre 12 a 17% da população total da cidade!

  26. cesar galvan

    No Espaço Alternativo em Porto Velho – Rondônia, a PM calculou em 10 mil pessoas, mesmo número apresentado pelos organizadores.

  27. Cesar

    Em Timbó/SC foram 5 mil.
    Ah, e claro, parabéns pelo reconhecimento RA.
    Sou teu fã.

  28. Angela

    Em Belo horizonte teve manifestação á tarde na praça da Estação,onde o acesso é mais facil pra quem vai do interior ou chega de Metrô ,via bairros. Meu filho foi com a familia. nesta á tarde,

  29. aotc

    Em Piracicaba/SP, a Manifestação da população nas ruas centrais da cidade foi mais que o dobro das nossas melhores previsões… estima-se, umas 20.000 pessoas. Reinaldo, não sei porque não foram publicadas fotos no seu blog, pois este é muito acessado aqui na cidade.

  30. Ronaldo

    Excelente, Brasil de parabéns!
    Em Americana SP 15.000 pessoas nas ruas. Show!!!
    Fora PT

  31. Fernanda

    Em São José do Rio Preto foram estimadas 20.000 pessoas. Foi de arrepiar!

  32. Gaucho

    Caro ReinaIdo, eu , meu fiIho , minha famiIia e meu irmao que è vereador e que è pre-candidato a prefeito por Caxias do SuI fomos no protesto que deu em torno de 10% da popuiacao, ou seja, 50 miI caxienses estavam nas ruas da juIio de castihos e sinimbu, nao tem ideia quantas pessoas pararam meu irmao para cumprimenta-Io, escreve este nome , caro ReinaIdo , DanieI Guerra ,

  33. Luis Henrique

    São José dos Campos. 40 mil nas ruas

  34. BRUSSE WILLIS

    PHA como , já ha muito tempo, não quase nada de substancial para apresentar em seu blog, hoje apresentou um vídeo completamente idiota para poder mostrar algum serviço e receber seus pixulekos chapa-branca.
    No Metro de SP houve alguma discussão entre um senhor de idade, com uma bandeira brasileira nas costas, e um atendente no guichê de venda de bilhetes. Não se sabe o motivo da discussão, e nem o PHA explicou. Desavergonhadamente escreveu , mais ou menos assim, COXINHA PAULISTA DESACATA TRABALHADOR NEGRO
    Covardia de alguém que se diz jornalista. A discussão não tinha nada a ver com raça, ideologia ou discriminação. Era um bate boca, aliás acirrado, aparentemente por morosidade no atendimento. É uma nojeira as coisas que esse jornalista divulga em seus comentários na sua coluna. Espero que em breve , assim que dilma for defenestrada e seus sicários, êle também vá para o olho da rua. Tipinho desagradável e pegajoso.

  35. Fernando Danras

    Empresas recusaram acordo de R$ 1 bi para se livrar da Lava-Jato
    Negociação foi proposta por Thomaz Bastos. Acerto administrativo poderia por fim à Lava-Jato

    SÃO PAULO — Seis meses após o início da Operação Lava-Jato, em setembro de 2014 advogados das maiores empreiteiras brasileiras sentaram-se à mesa do ex-ministro da Justiça e advogado Márcio Thomaz Bastos para ouvir o seu diagnóstico: era melhor que todos fizessem um grande acordo para tentar encerrar as investigações. O preço era assumir a culpa em atos de corrupção envolvendo a Petrobras e pagar uma indenização a ser rateada entre as empresas. Algo estimado, na época, em R$ 1 bilhão, valor que teria sido surgido a partir de conversas de Bastos com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

    A proposta foi recusada. Dois meses depois, a Polícia Federal começou a prender executivos de empresas como Camargo Corrêa, OAS, Engevix e UTC.

    Veja também

    Rodrigo Mudrovitsch e parte de sua equipe de 25 advogados: crescimento de 30% para fazer frenteà operaçãoSofisticação da operação obriga advogados a mudarem estratégias
    Juiz Sérgio Moro: maior legado da Lava-Jato é fortalecer as instituiçõesLava-Jato completa dois anos com impacto nos sistemas político e judiciário

    Em processo de delação, parlamentar acusa colegas de envolvimento em corrupção na Petrobras
    IstoÉ: Delcídio diz que Temer, no governo FH, foi padrinho de operador
    Segundo os advogados que participaram das conversas, a oposição mais contundente veio das empresas Odebrecht, OAS e Engevix. Bastos, ex-ministro do governo Lula, mirava o futuro pelo espelho do retrovisor. Primeiro, conhecia o rigor do juiz da 13ª Vara Federal em Curitiba, Sérgio Moro, de outros carnavais — principalmente em processos que envolviam lavagem de dinheiro e corrupção.

    O advogado já detectava a ação de uma força- tarefa bem articulada, com profissionais dispostos a chegar longe. E percebeu cedo que, do Palácio do Planalto, não viria o bombeiro (ou bombeira) disposto a apagar aquele fogo.

    Minuta com base na lei anticorrupção

    Bastos, que foi ministro da Justiça por quatro anos e meio e, em 2014, advogava para Camargo Corrêa e Odebrecht, encomendou a redação de uma minuta à luz da então recém-aprovada Lei Anticorrupção, para circular entre as empresas investigadas. O GLOBO obteve acesso ao documento que poderia ter sido a peça-chave de uma outra narrativa para a Lava-Jato — que completa dois anos na próxima quinta-feira. Pela minuta, “colaboradores e dirigentes” das empresas assumiam terem estado em “situações de potencial conflito com dispositivos legais” e manifestavam “inequívoca disposição em colaborar com a administração na elucidação dos fatos supracitados”.

    As empresas se comprometeriam a “cessar a prática” de atos de corrupção relatados no acordo, que seria formalizado pela Controladoria-Geral da União (CGU). Obrigavam-se a “cooperar plenamente com as apurações”, ressarcir “integralmente o dano ao Erário” que viesse a ser identificado, para poderem continuar a ser contratadas pelo poder público. E incluía uma cláusula benéfica às empresas: a qualquer momento poderiam “desistir das obrigações previstas”, ficando “sem efeito” eventuais declarações apresentadas à autoridade.

    “Se arrecadar R$ 1 bilhão para fazer dez penitenciárias, estou satisfeito”, teria dito Rodrigo Janot a Bastos, segundo relato do advogado José Francisco Grossi, testemunha do encontro dos dois. Duas fontes próximas a Bastos também confirmaram o valor.

    — Ali buscávamos pontes para uma conversa. Era tudo preliminar. Naturalmente, Janot precisaria ainda conversar com os procuradores — conta Grossi.

    Na época advogado da UTC, Alberto Toron confirma ser de Thomaz Bastos a ideia original do acordo, sobre o qual conversou com ele e em encontros com outros advogados.

    — É preciso lembrar que o contexto de hoje é bem diferente do que havia em setembro de 2014. Não havia empresário preso, apenas uma suspeita de participação de empresas em atos investigados — diz.

    PUBLICIDADE

    Mesmo prestando serviços para a Odebrecht, o ex-ministro ouvia da empresa as ressalvas mais contundes à proposta, segundo os relatos. A maior dificuldade da multinacional brasileira era assumir responsabilidade por crimes, com repercussão em contratos internacionais.

    — As empresas só consideravam a ideia de pagar multa e finalizar a investigação, sem assunção de culpa — disse Toron.

    No encontros, advogados contra o acordo mencionavam haver elementos para anular a ação policial em tribunais superiores. Segundo relatos de participantes da reunião, diziam que “o primeiro time de criminalistas ainda não havia entrado em campo”, e que a morte da Lava-Jato era questão de tempo.

    “O Brasil mudou, é preciso tomar cuidado”, respondia Bastos, que também mencionava a necessidade de se considerar melhorias em políticas de governança das empresas, inclusive com participação direta de órgãos do governo.

    A proposta de acordo foi tocada por Bastos bem antes de várias descobertas da Lava-Jato — como as contas da Odebrecht e de diretores da Petrobras no exterior, repasses a ao ex-ministro José Dirceu e a ação de operadores de propina.

    — Naquela época, havia um movimento, uma sucessão de delações com menções às grandes empresas. O agravamento da crise já ocorria e era previsível — conta o criminalista Celso Vilardi, que nos meses seguintes se tornaria o responsável por acordo de executivos da Camargo Corrêa com a força-tarefa da Lava-Jato.

    Vilardi lembra o alerta feito por Bastos, desde o início, para o papel das colaborações premiadas. O próprio Vilardi considerava que a anulação de provas — principal estratégia apresentada por advogados que atuaram contra o acordo — não surtiria o efeito esperado:

    — Paulo Roberto Costa (ex-diretor de Abastecimento da Petrobras) confessou a existência de contas no exterior para receber propina de empresas, dinheiro que voltou para o Estado. Anular a operação implicaria aceitar devolver esse dinheiro para pessoas que assumiram crimes. Que magistrado de tribunal superior concordaria com isso? — pergunta Vilardi.

    No início de novembro, poucos dias antes da fase da Lava-Jato que ficou conhecida como “Juízo Final”, advogados tiveram um encontro com procuradores. Souberam que seria preciso entregar muito mais informação à polícia e assumir responsabilidades para evitar qualquer ação da Justiça. Como noticiou O GLOBO, a CGU também tentou levar adiante a ideia de viabilizar algum acordo após a morte de Bastos, em 20 novembro de 2014.

    O procurador-geral da República não chegou a defender publicamente a proposta de acordo de Bastos. Em encontros com advogados após a morte do ex-ministro, ele se opôs à ideia de formalização de acordo em conjunto e, principalmente, sem assunção de culpa. Quando vazaram informações sobre a continuidade das conversas, sofreu forte reação da força-tarefa, o que resultou no sepultamento de qualquer iniciativa da procuradoria pelo acordo.

    Advogada da Odebrecht nos encontros com Bastos, Dora Cavalcanti disse não ter recebido a minuta redigida por encomenda do ex-ministro, de quem afirma ter sido bastante próxima.

    PUBLICIDADE

    — Se chegou a nós, não passou por mim — afirmou Dora, que completou “não ter a lembrança de reunião específica sobre a proposta”.

    Responsável pela defesa da Engevix no início da Lava-Jato, o advogado Augusto de Arruda Botelho também disse não ter tratado do assunto com Bastos. O advogado da OAS, Roberto Telhada, não respondeu ao GLOBO.

    Por meio da assessoria, Janot disse desconhecer a estimativa de R$ 1 bilhão para encerrar a Lava-Jato. Afirmou que considerava, desde aquela época, a força-tarefa em Curitiba a autoridade competente para conduzir qualquer negociação.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/empresas-recusaram-acordo-de-1-bi-para-se-livrar-da-lava-jato-18863315

  36. samuel

    Aqui em Campos dos Goytacazes foram mais de 3.000 pessoas….Uma verdadeira festa democrática!

  37. Ronaldo Ribeiro

    em Passos-MG tivemos mais de 2 mil pessoas, maior manifestação até hoje na história.

  38. Novocredo

    São milhões de pés que pisam na cabeça da jararaca. Agora está morta.

  39. Diego

    Aqui em Assis-SP, segundo estimativas, foram cerca de 10 mil pessoas! Estou orgulhoso da minha cidade!

  40. Novocredo

    Por Marcia Santos
    Jornalista PMPR

    O planejamento prévio da Polícia Militar do Paraná em todo o estado para as manifestações deste domingo (13/03), que contou com viaturas, policiais, equipes hipomóveis e helicóptero, garantiu a ordem e a segurança públicas nos municípios onde houve algum tipo de ato. O maior público foi registrado em Curitiba (PR), onde 200 mil pessoas passaram pela manifestação na área central da cidade e apenas uma ocorrência foi registrada: um rapaz de 27 anos foi preso ao ser flagrado com oito foguetes embaixo da blusa, apontando para pessoas. Nas demais regiões do Paraná, os atos transcorreram de forma pacífica, não houve ocorrências, e reuniram mais de 200 mil pessoas.

    Todos os seis Comandos Regionais da PM (CRPMs) empenharam seus respectivos Batalhões, Companhias Independentes e demais unidades da Polícia Militar para garantir o livre direito de manifestação aos cidadãos de bem. Na capital do estado, onde houve um público histórico os trabalhos foram coordenados pelo 12º Batalhão de Polícia Militar, comandado pelo tenente-coronel Antônio Zanatta Neto, que durante o ato passou orientações de segurança ao público.

    “A manifestação foi ordeira, pacífica, com o objetivo de demonstrar a insatisfação do povo com a situação do País.Vimos que houve adesão de famílias inteiras, desde crianças até idosos, movidos por um mesmo ideal”, avalia o Subcomandante-Geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Arildo Luis Dias, que acompanhou a manifestação em Curitiba no local e na Central de Comando.

    Ainda de acordo com o coronel, o planejamento antecipado por parte da PM trouxe este excelente resultado: “Apenas uma ocorrência, e de natureza leve, foi registrada em todo o estado e na cidade que reuniu mais pessoas, a capital. No restante do Paraná, sem ocorrências, isso demonstra nossa organização, pois fizemos contato com os organizadores dos eventos, passamos orientações, definimos estrategias juntos e mostramos que estaríamos presentes para proteger a todos os cidadãos bem intencionados e fazer com que o direto de manifestação se cumprisse da melhor maneira possível”, destaca o coronel Arildo.

    Cada cidade do estado optou por fazer a manifestação em um determinado momento, sendo assim, algumas cidades cumpriram o ato no período da manhã e outros à tarde, mas por volta de 18 horas, todo o estado já havia encerrado as atividades.”Em todas as cidades, ode a PM conseguiu levantar informações de que haveria manifestação foram empregados efetivos para acompanhar, seja por meio do Serviço de Inteligência ou ostensivo fardado, porém respeitando sempre o direito do cidadão”, frisa coronel Arildo.

    CENTRAL DE COMANDO – Além da Central de Comando Móvel instalada na praça principal de Curitiba, coordenada pelo 12º Batalhão de Polícia Militar, durante toda a manifestação, a Polícia Militar teve apoio do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), situado no 5º andar da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SESP), na obtenção de informações e monitoramento do deslocamento de público nas principais cidades paranaenses. A troca de informações entre as equipes policiais que estavam nos locais dos eventos e os controladores do CICCR favoreceu a agilidade e eficiência do policiamento preventivo.

    Na capital, a concentração do público foi na Praça Santos Andrade às 14 horas. Dali, os manifestantes seguiram pela Avenida Marechal Deodoro da Fonseca e Rua XV de Novembro até a Boca Maldita, próximo à Praça Osório, onde permaneceram até por volta de 18 horas, quando começou a dispersão natural das pessoas e a operação da PM se encerrou. Todo o trajeto do público foi acompanhado pelas equipes do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e pelos demais policiais militares da operação, de todas as unidades da capital. O trânsito nas ruas da região foi desviado e os motoristas foram orientados a procurar caminhos alternativos.

    O policiamento foi reforçado por equipes policiais da Radiopatrulha (RPA), da Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM), da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), pelo Serviço Reservado e pela Companhia GIRO (Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva). O 12º Batalhão batalhão contou ainda com uma base de comando e monitoramento móvel, com o qual o acompanhou o deslocamento dos manifestantes.

    Houve patrulhamento a pé, com motos, viaturas, módulos móveis e até com um helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA). “O BPMOA contribuiu com imagens e visualização em tempo real dos acontecimentos na capital, além de ajudar na contagem de público, pois possui equipamentos de monitoramento privilegiado”, destaca o coronel. O policiamento também teve apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), além de equipes hipomóveis do Regimento de Polícia Montada (RPMon).

    Segundo o Comandante do 1º CRPM, que atende a capital paranaense, coronel Péricles de Matos, os cidadãos tiveram o livre direito de manifestar sua opinião e a segurança foi garantida pela PM. “Acompanhamos todo o deslocamento de público e contabilizamos 200 mil participantes por meio de uma análise do Centro de Comando e Controle Regional (CICCR) e outras ferramentas já tradicionais na Polícia Militar. Mesmo com o número elevado de pessoas, a PM cumpriu seu papel e garantiu a ordem e a segurança públicas”, disse.

    Cidades do Paraná que registraram público nas manifestações:

    – Curitiba: 200 mil; um rapaz de 27 anos foi encaminhado por estar com foguetes embaixo da blusa;
    – Londrina: 90 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Cascavel: 8 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Ponta Grossa: 20 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Guarapuava: 4 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Foz do Iguaçu: 7 mil; sem ocorrências;
    – Maringá: 50 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Jacarezinho: 50 pessoas; sem ocorrências;
    – Carlópolis: 80 pessoas; sem ocorrências;
    – Cornélio Procópio: 500 pessoas; sem ocorrências;
    – Astorga: 200 pessoas; sem ocorrências;
    – Mandaguari: 200 pessoas; sem ocorrências;
    – São Jorge do Ivaí: 80 pessoas; sem ocorrências;
    – Goioerê: 750 pessoas; sem ocorrências;
    – Paranavaí: 2 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Campo Mourão: 2,5 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Medianeira: 600 pessoas; sem ocorrências;
    – Itaipulândia: 100 pessoas; sem ocorrências;
    – Marechal Cândido Rondon: 1 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Palotina: 600 pessoas; sem ocorrências;
    – Terra Roxa: 100 pessoas; sem ocorrências;
    – Guaíra: 300 pessoas; sem ocorrências;
    – Arapongas: 3.500 pessoas; sem ocorrências;
    – Cianorte: 2,3 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Pato Branco: 3 mil pessoas; sem ocorrências (apenas cinco pessoas do MST tentaram falar de ordens mas foram convidadas a se retirar pelos próprios manifestantes);
    – Coronel Vivída: 500 pessoas; sem ocorrências;
    – Toledo: 500 pessoas; sem ocorrências;
    – Santo Antônio da Platina: 400 pessoas; sem ocorrências;
    – Loanda: 200 pessoas; sem ocorrências;
    – Irati: 1000 pessoas; sem ocorrências;
    – Francisco Beltrão: 1000 pessoas; sem ocorrências;
    – Dois Vizinhos: 100 pessoas; sem ocorrências;
    – Quedas do Iguaçu: 60 pessoas; sem ocorrências;
    – União da Vitória: 2 mil pessoas; sem ocorrências;
    – Assis Chateubriand: 60 pessoas; sem ocorrências;
    – Santa Helena: 20 pessoas; sem ocorrências;
    – Nova Santa Rosa: 10 pessoas; sem ocorrências;
    – Corbélia: 100 pessoas; sem ocorrências;
    – Quedas do Iguaçu: 60 pessoas; sem ocorrências;

  41. Eduardo

    99.5% dos promotores NÃO ASSINA nota contra pedido de PRISÃO de LULA. Vejam o show da esquerda. Decepção com alguns articulistas.
    13 de março de 2016
    99.5% dos promotores NÃO ASSINA nota contra pedido de PRISÃO de LULA.

    Vejam o show da esquerda. Decepção com alguns articulistas.

    Só em Minas Gerais existem mais de 1.500 promotores. No Brasil inteiro são cerca de

    14 mil (*). Portanto, 60 é uma amostra insignificante que de maneira alguma representa o pensamento da categoria.

    Poderíamos então dizer, bem a moda esquerdista, que 99.5% dos PROMOTORES não assinaram manifesto condenando PEDIDO DE PRISÃO de Lula? Ou que 99% dos promotores APOIAM pedido de PRISÃO de LULA?

    Todo promotor sabe de uma coisa. NÃO é ilegal, se de acordo com a visão do Ministério Público houver indícios para isso, pedir a prisão de qualquer pessoa. É uma ação inteiramente subjetiva. O profissional entende que há risco de fuga, risco para alguma testemunha ou outro motivo e decide pedir a prisão. Por isso existem os juízes. Aprovam ou não de acordo com seu juízo.

    Nisso também querem endossar a tese de que LULA é um ser superior, digno de tratamento diferenciado. Podem pedir a prisão do João zinho, que roubou uma galinha, e ninguém faz manifesto ou abaixo assinado. Mas, com o LULA é diferente.

    Acreditar que a atitude do Promotor Conserino foi precipitada é uma coisa, é uma opinião particular. Contudo, sabe-se que é extremamente antiético para um profissional da área emitir juízo público sobre decisão de colega. E é incomum que isso ocorra. Apenas seis dezenas em um universo de mais de 14 mil destoaram da ética reinante no círculo.

    Mas, não se trata apenas de anti-ética, antes fosse.

    A questão obviamente é política. Emitir uma nota dizendo, entre outras coisas que o Brasil está em risco de mergulhar em um estado de exceção é algo extremamente submisso a determinação da cúpula petista de criticar por todos os meios possíveis a busca pela justiça.

    Não poderíamos deixar de mencionar que na lista de PROMOTORES que condenam a ação de MP de São Paulo estão alguns DOADORES de campanha do Partido dos Trabalhadores. Ha até gente que se candidatou pelo PSOL. Esse tipo de descoberta obviamente endossa a nossa tese de que o documento se presta mais a fins políticos do que a esquerda faz parecer.

    Será que não é a mesma pessoa? Duvidamos. O candidato é de Pernambuco, é advogado, a procuradora é de Pernambuco!

    Vejam aqui

    Se trata de franca tentativa de intimidar a juíza e outros possíveis pedidos de prisão que obviamente estão por vir.

    Na nota assinado por 60 promotores percebe-se alguns trechos bastante identificados com a determinação da esquerda de enquadrar como golpista qualquer ação para apurar os crimes de Luis Inácio Lula da Silva.

    Ressaltamos um trecho em que os ilustríssimos membros do Ministério Público colocam a culpa da POLARIZAÇÃO nas forças insatisfeitas com a condução do país.

    Vejam o texto do grupo insignificante de promotores.

    “”Os/as Promotores de Justiça, Procuradores/as da República e Procuradores/as do Trabalho abaixo nominados/as, integrantes do Ministério Público brasileiro, imbuídos da defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos direitos fundamentais, individuais e coletivos, previstos na Constituição Federal de 1988, vêm a público externar sua profunda preocupação com a dimensão de acontecimentos recentes na quadra política brasileira…

    Neste contexto de risco à democracia, deve-se ser intransigente com a preservação das conquistas alcançadas, a fim de buscarmos a construção de uma sociedade livre…

    Mostra-se fundamental que as instituições que compõem o sistema de justiça não compactuem com práticas abusivas travestidas de legalidade, próprias de regimes autoritários, especialmente em um momento em que a institucionalidade democrática parece ter suas bases abaladas por uma polarização política agressiva, alimentada por parte das forças insatisfeitas com a condução do país ”

    Prezados promotores. As forças insatisfeitas com a condução do país prezam pela união nacional, amam as cores da bandeira e desejam que todos se foquem na reconstrução de um país cada vez mais justo, sem privilégio com base em ideologias políticas. TODOS sabem que foi a esquerda que destruiu a coesão nacional. Dividiu a sociedade em diversos nichos, onde infiltrou seus ativistas assalariados para que cada grupelho fosse devidamente transformado em um pelotão de fanáticos do exército esquerdista.

    Não senhores sessenta promotores. As bases institucionais desse país ainda não estão abaladas. Uma das provas disso é o simples fato de coerente ou não existir ainda a oportunidade de enquadrar na lei um ex-presidente da república. Ele tem todo o direito ao contraditório e ampla defesa. Como tem qualquer cidadão.

    Estranha-nos e decepciona bastante o fato de um grupo, pequeno que seja, de promotores, indo contra sua atividade fim, posar de advogados de Luis Inácio Lula da Silva. Na verdade, parece apenas mais uma listinha de gente ligada a esquerda obedecendo as ordens de Lula e companhia.

    Agora a tarde ficamos felizes em saber que nada menos que 600 promotores assinaram manifesto em apoio ao promotor Cassio Conserino, que processou e pediu a prisão de LULA. A nota saiu no estadão.

  42. Heitor

    Policiais a paisana no Rio prendem petistas que criaram confusão
    13 de março de 2016t

    Policiais a paisana no Rio prendem petistas que criaram confusão

    Petistas tentaram criar confusão no Rio ao final da manifestação, mas a polícia estava atenta, havia policiais a paisana no meio dos manifestantes.

    Fora esse episódio isolado o ato se deu dentro de enorme tranquilidade e apoio ao trabalho da polícia militar.

    Os MELIANTES foram levados para a delegacia. Marcou o ato a presença de famílias inteiras e até da classe artística que demorava a se posicionar, talvez fosse medo da patrulha ideológica.

    Nos carros de SOM Suzana Vieira e outros artistas declararam seu FORA PT.

    artistas fora dilma

  43. Edmar

    Tem muito blogueiro da blogosfera progressista agora preocupado, pois vai ter que bater ponto, igual todo mundo!

  44. José Umberto Goulart

    Fora Dilma e o pt e PMDB queremos renovação

  45. Heitor

    Rodrigo Janot negociou fim da Lava Jato: aceitava 10 penitenciárias para acabar com a investigação
    13 de março de 2016

    O Brasil amanhece perplexo, sem acreditar na reportagem publicada no jornal o Globo deste domingo, 13 de março, assinada pelo jornalista THIAGO HERDY. Nela, está ESCRITO que Rodrigo Janot, Procurador Geral da República, participou de reuniões com advogados que defendiam empreiteiros e teria encaminhado um acordo para “melar” a Lava Jato.

    janotMárcio Thomás Bastos foi o mentor e articulador do acordo sinistro. Rodrigo Janot terá de explicar ao Brasil e seus colegas da Procuradoria a seguinte afirmação: ““Se arrecadar R$ 1 bilhão para fazer dez penitenciárias, estou satisfeito”, teria dito Rodrigo Janot a Bastos, segundo relato do advogado José Francisco Grossi, testemunha do encontro dos dois. Duas fontes próximas a Bastos também confirmaram o valor.

    Relata o jornal: Seis meses após o início da Operação Lava-Jato, em setembro de 2014 advogados das maiores empreiteiras brasileiras sentaram-se à mesa do ex-ministro da Justiça e advogado Márcio Thomaz Bastos para ouvir o seu diagnóstico: era melhor que todos fizessem um grande acordo para tentar encerrar as investigações. O preço era assumir a culpa em atos de corrupção envolvendo a Petrobras e pagar uma indenização a ser rateada entre as empresas. Algo estimado, na época, em R$ 1 bilhão, valor que teria sido surgido a partir de conversas de Bastos com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
    A proposta foi recusada. Dois meses depois, a Polícia Federal começou a prender executivos de empresas como Camargo Corrêa, OAS, Engevix e UTC.
    Segundo os advogados que participaram das conversas, a oposição mais contundente veio das empresas Odebrecht, OAS e Engevix. Bastos, ex-ministro do governo Lula, mirava o futuro pelo espelho do retrovisor. Primeiro, conhecia o rigor do juiz da 13ª Vara Federal em Curitiba, Sérgio Moro, de outros carnavais — principalmente em processos que envolviam lavagem de dinheiro e corrupção.

  46. Euvi

    Jararaca é ruim,ou melhor é sinônimo de sonhos ruins ,de sonhos ruins e de crença popular
    como da besta do apocalipse.Atribua-se a grande cobra A palavra apocalipse, do grego ??????????, apokálypsis, significa “revelação”, E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses.E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta.Também pode se considera que a grande serpente poderá estar ligado aos modernos movimentos satânicos:onde, existe uma interpretação por parte de muitos grupos de que o Anticristo será uma pessoa que se oporá aos mandamentos das constituições de países e ao povo cristão,Querer a realização de separação as crises,doenças insegurança,retardar a educação do povo ,desemprego ,sendo que só será destruído com uma cajadada na cabeça.

  47. Luis

    Parodiando um certo ex presidente: Nunca antes na história deste país tivemos manifestações de tal envergadura.
    E nunca antes na história deste país um ex presidente foi alvo de tamanha manifestação.
    Só para lembrar : A revolução de 32 tem muito a nos ensinar a não cometer erros do passado.
    E desta vez São Paulo não está sozinho, teremos a revolução de 2016 , e a arma desta vez será a constituição.

  48. Heitor

    Veja que o amigo deixou com Lula até os documentos, são muitos bonzinhos!
    PF apreendeu em apartamento de Lula documentos de sítio em Atibaia,

    enviado especial a Curitiba

    13/03/2016,

    Lista de itens recolhidos em buscas na casa do ex-presidente, em São Bernardo, durante a Operação Aletheia – 24ª da Lava Jato – elencam ainda celulares e carta de Emílio Odebrecht
    Edifício Hill , em São Bernardo do Campo, onde a Polícia Federal fez buscas em dois apartamentos ocupados pelo ex-presidente Lula

    Edifício Hill House, em São Bernardo do Campo, onde a Polícia Federal fez buscas em dois apartamentos ocupados pelo ex-presidente Lula

    Na cobertura do Edificio Hill House, em São Bernardo do Campo, onde mora o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher, Maria Letícia, a Polícia Federal recolheu documentos de imóvel rural em Atibaia, 9 aparelhos de telefones celular e uma carta com nome impresso Emílio Odebrecht. São alguns dos itens apreendidos na Operação Aletheia – 24ª fase da Lava Jato, deflagrada no dia 4 -, que teve Lula como alvo principal. Ele foi levado coercitivamente para depor, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e o material recolhido em sua casa enviado para Curitiba.

  49. Augusto Pedrosa

    KD A POLÍCIA VIOLENTA?????????

  50. Orange3

    Estou com a alma lavada e enxaguada! Agora é reconstruir esse país, tão maltratado pela cleptocracia que permitimos que nele se instalasse. Que sirva de alerta para quaisquer aventureiros que acharem que isso aqui é uma republiqueta de bananas que se curvará a projetos de poder tresloucados. ESTAREMOS SEMPRE VIGILANTES!