Blogs e Colunistas

30/10/2009

às 16:13

CENAS DA BARBÁRIE BRASILEIRA – OS ESTUPRADORES DE TERCEIRO GRAU

Ainda voltarei a Honduras. Quero agora chamar a atenção de vocês para outra barbárie. Leiam o que vai abaixo. Volto no post seguinte. Confesso que raramente fiquei tão chocado com uma notícia. Algo de muito ruim se passa nas entranhas do país.

*

“Perdi a dignidade”, diz estudante humilhada em universidade

Por medo de ser reconhecida, jovem que sofreu assédio coletivo por usar vestido curto afirma não sair de casa

Por Gabriel Pinheiro, do estadao.com.br


Aluna deixa Uniban escoltada por policiais

Aluna deixa Uniban escoltada por policiais


“Perdi a dignidade, nem do portão da minha casa eu passo com medo de ser reconhecida na rua”. Para a estudante de turismo de 20 anos que teve de deixar a universidade escoltada pela polícia sob gritos e ameaças dos colegas na semana passada, a humilhação ainda está longe de acabar. “Estou na frente do computador há dias, minha mãe está em choque”, desabafou a jovem, bastante emocionada e se esforçando para segurar o choro, em entrevista ao estadao.com.br. Tudo porque ela escolheu ir à aula com um vestido curto.

Segundo a estudante, que pediu para não ser identificada, o episódio começou “como uma grande brincadeira”. Vestida para uma festa que iria naquele noite, ela conta que no início arrancou muitos elogios com seu visual, mas a situação aos poucos inverteu. No intervalo das aulas, um “verdadeiro coral ridículo de gritos de puta” a acompanhou até que deixasse o prédio. O incidente ganhou proporções ainda maiores quando as filmagens da jovem sendo ofendida no campus da Uniban de São Bernardo caíram na internet.

“Conforme foi passando o tempo, os alunos foram se aglomerando na porta da minha sala. Eu não podia sair. Eles a chutavam, pedindo ao professor que liberasse a loira gostosa. Alguns gritavam: ‘tira ela do cativeiro’”, relata a estudante. “O professor não saiu da sala em nenhum momento, minhas amigas cobriram as janelas e o coordenador do curso chegou com um jaleco, pedindo que eu vestisse.”

Depois de algum tempo, a jovem afirma que os seguranças da universidade chegaram. Mas, em vez de ajudá-la, tentaram lhe passar “lições de moral”. “Eles foram os primeiros a me recriminar, perguntaram: ‘você acha que é bonito o que está fazendo? Então comecei a chorar.” Finalmente, uma amiga resolveu chamar a polícia. “Quando soube que polícia estava vindo, um segurança mandou minha amiga calar a boca, disse que não era para ela ter feito aquilo. Um aluno acabou indo para cima dele, deu confusão.”

Por fim, de acordo com a estudante, os policias chegaram, dispersando o tumulto com spray de pimenta. “Sai de lá escoltada por seis homens, o mais rápido que pude. Mulheres colocavam celulares na minha cara, corriam atrás de mim, para filmar meu rosto chorando. Os policiais tiveram que me levar até a minha casa.” Ela ainda acusa funcionários e professores da universidade de a terem ofendido. “Vi alguns dizendo que eu mereci. Quando passei pela sala dos professores, também vi dedos apontados para mim, funcionários da limpeza me xingando. Não foram só os alunos.”

Nesta sexta-feira, a estudante terá uma reunião com a reitoria da Uniban para discutir o incidente. Ela, porém, revela que não pretende desistir do curso. “Eu paguei, pretendo voltar.”

A Uniban, em nota, afirmou que instaurou sindicância. “Alunos, professores, seguranças e também a aluna estão sendo ouvidos individualmente”, informou. A universidade “pretende aplicar medidas disciplinares aos causadores do tumulto, conforme o regimento interno”.

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

117 Comentários

  • Lu

    -

    14/5/2011 às 12:34 am

    Bem feito p essa galinha oferecida, ESCOLA, FACULDADE, ETC, É LUGAR SÉRIO, não p uma tomara que me comam, ir pelada, quer ir p festa dps, vá se trocar na casa de uma amiga!! Vadia!!!

  • paulo heinz dingler

    -

    18/11/2009 às 10:19 am

    direito de ser e de se livre expresar todos tem agora olhe bem o ambiente, acho engraçado estas pessoas defendendo um ato errado e conciente desta criatura que se mostrou amoral e tenta agora se eximir de culpa e aconselhada por terceiros subtrair vantagens com um ato negativo , e cometido propositalmente uma vez que a mesma nao deve ser deficiente ou incapaz , faltou vergonha na cara , bom censo e sobre tudo a ela e a os que a defende equilibrio e educaçao, roupas e ambientes . familia , base e dignidade de se colocar como mulher, filha e ser humano , vergonha. se morase na cidade ou fosse prof nesta iria acionar juridicamente a mesma sim. e e perfeitamente legal e justo o ato da universid

  • gladiador

    -

    12/11/2009 às 11:17 pm

    ESSA FACULDA É CONCEITO “D e E” EM QUASE TODOS OS SEUS CURSOS, É POR CAUSA DISSO QUE TENHO CERTEZA QUE PODEMOS DEFINIR OS ALUNOS DESSA FACULDADE COMO: MULHERES FEIAS, MULHERES INVEJOSAS, GAYS, IDIOTAS E, ACIMA DE TUDO UM BANDO DE COVARDES. DURANTE ESSA AÇÃO INESCRUPULOSA NÃO APARECEU UM HOMEM PARA DEFENDER A ALUNA GEYSI, ATÉ PORQUE NÃO EXISTE HOMEM NESSA FACULDADE.

    ESSA FACULDADE MAIS PARECE UM PRESÍDIO AMERICANO EM REBELIÃO.

    O REITOR DESSA FACULDADE DEVE TER SE GRADUADO NESSE LIXO DE FACULDADE.

  • Fer

    -

    11/11/2009 às 3:13 pm

    e agora ate o lula e culpado por uma aluna ir de bunda de fora pra esola ? se ela queria respeito que se auto respeitace pelo amor de deus nao foi justo o que os colegas dela fizeram nao foi mesmo agora ir com um vestido daqueles ( e pelo que eu ouvi no jornal sem calcinha ) o que ela tava querendo era vira famosa mesmo e consseguio e o povo ao inves de dar atenção a coisas mais intereçantes fica na frente da televisão com a bunda sentada olhando babaquices dessás ! eu so aluna de turismo to fazendo um curso tecnico e sinto vergonha por ela , li que ela sempre vai com essas roupás para a escola , que universsidade e essa que deixa seus alunos entrarem para estudar com roupás inadequadas ?

  • Mefistófeles

    -

    3/11/2009 às 5:40 pm

    UNIBANdidos! Precisa ser mais específico?
    Essa delinquência só age dessa forma, por pura covardia, provavelmente são inseguros e individualmente nulos, portanto só se sentem dignos de atenção quando estão na instancia coletiva, onde podem esconder suas torpezas. Em alguns talvez até taras reprimidas. E é claro um pouco da cultura da Instituição também ajuda a criar um ranço cultural que tolera esse tipo de ação.
    Quem quiser saber mais sobre a instituição pesquise sobre os seus dirigentes e ai vão entender a motivação destes vândalos.

  • Julio Cesar

    -

    2/11/2009 às 8:44 pm

    Ohhh espanto, assombro, que monstruosidade fizeram com coitadinha da moça…
    Gritar, achicalhar, “zuar” aquela mulher, é inadmissivel. O feminino hoje, RECONHECE e LUTA pelo seu valor. SABE da sua constituição, da sua flor.
    A mulher moderna tem uma muito boa orientação a seguir, sabemos e as AUTORIDADES também, que as musicas que ouvimos “por estas bandas”, são a precisa descrição da realidade fêmea desta nação. Onde estão as SENHORAS, lutando com sombras?
    Senhoras, Senhores, TESTEMUNHAS! até quando na TV, no rádio, pornografias sem fim, achincalhe, “zoeira”, musicas e danças bestiais ex. só cachorras, dança da garrafa etc etc
    Nesta tribo só não é proibido proibir decência, dignidade

  • Joelson

    -

    2/11/2009 às 1:11 pm

    O que esperar de instituições em que o esquerdismo é levado a sério.Vergonha.

  • Memyself

    -

    2/11/2009 às 11:21 am

    O mesmo país que se dedica com afinco a fazer propaganda sexual para atrair turistas, o mesmo país no qual em qualquer programa da tv aberta as mulheres são exibidas e elogiadas por seus corpos e por sua falta de pudor, acontece de uma turba taliban sair a perseguir uma moça que errou no traje.

    Tem algo muito errado mesmo. E receio que vá ficar muito pior.

  • Monk

    -

    2/11/2009 às 10:56 am

    Reinaldo,

    O comentário 5:36pm daria uma ótima análise.

  • ANTONIO ALVES

    -

    2/11/2009 às 10:34 am

    Os estudantes que fizeram aquilo…são a ralé de São Paulo.

  • Ricardo Galvão-Pouso Alegre-MG

    -

    2/11/2009 às 10:04 am

    São Bernanrdo não é o berço dp PT?
    Lula o molusco não está de beijos e abraços com o ditador do Irã?
    Claro que a uni Taleban tem tudo a ver com a ignorancia que governa o país!
    Os estudantes não pintam mais a cara porque perderam a vergonha nela.

  • Cristiano

    -

    2/11/2009 às 1:49 am

    E um vandalo puritano não pode ser um estuprador?
    A guria vai pra aula da maneira q ela quizer, mas os idiotas palhaços da direitinha (só podia ser um bando de pequenos burgueses de uma faculdadezinha particular de m….. mesmo), querem mostrar que são corretos. Bando de palhaços, o reitor idiota, no mínimo, mandou os seguranças lá pra bancar os machões da situação e repreender a menina.

  • Adelice

    -

    1/11/2009 às 4:40 pm

    O que mais me impressiona é que ninguém saiu para fora da porta e deu uns berros – Quem é o primeiro aqui que irá preso como estuprador?

    Ou então, simplesmente sair e mandar todo mundo calar a boca, com um berro bem dado. São um bando de covardes, que continuam fazendo isso, porque ninguém os enfrenta.

    Aliás, nem mesmo os policiais não fizeram nada, diante do coro quando a estavam escoltando. Até mesmo porque se um policial falasse qualquer coisa para o “estudante” ou os mandasse calar a boca, daí os lindos baderneiros iriam ser as vítimas da situação.

  • Sergio

    -

    1/11/2009 às 3:51 pm

    O pessoal dessa faculdade, dessa Uniban, é que não tem educação, não senhor, esse pessoal perdeu o respeito mais primario da pessoa: o respeito ao próximo.
    O Lula poderia? O José Serra poderia? Os professores desses alunos que são mal pagos, que tem de dar um jeito de aprovar os caras sem que eles tenham condição de passar?
    No Brasil, atualmente, ninguém pode dizer aos “alunos” que eles agiram errado. Todo mundo está errado!
    A moça, que não conheço, nem vi fotografia, deverá loguinho estar ganhando rios de dinheiro nessas revistas para homens e para lésbicas.
    Atire a primeira pedra, quem não tiver pecado!

  • Sergio

    -

    1/11/2009 às 3:51 pm

    O pessoal dessa faculdade, dessa Uniban, é que não tem educação, não senhor, esse pessoal perdeu o respeito mais primario da pessoa: o respeito ao próximo.
    O Lula poderia? O José Serra poderia? Os professores desses alunos que são mal pagos, que tem de dar um jeito de aprovar os caras sem que eles tenham condição de passar?
    No Brasil, atualmente, ninguém pode dizer aos “alunos” que eles agiram errado. Todo mundo está errado!
    A moça, que não conheço, nem vi fotografia, deverá loguinho estar ganhando rios de dinheiro nessas revistas para homens e para lésbicas.
    Atire a primeira pedra, quem não tiver pecado!

  • antonico

    -

    1/11/2009 às 1:54 pm

    ENEM pra quê ?

  • ney

    -

    1/11/2009 às 10:56 am

    A ocorrência comprova a já anunciada desqualificação da maioria de nossas universidades, onde temos discentes totalmente desfocados de seus reias objetivos naquele ambiente educacional.

  • Humberto Pinto

    -

    1/11/2009 às 9:52 am

    Ilustre Jornalista
    Reinaldo Azevedo

    Estas cenas fazem lembrar um fato da Vida de Jesus Cristo.
    A moça será versão moderna de Maria Madalena?

    Abraços.

  • Carlos

    -

    31/10/2009 às 10:35 pm

    É o caminho criado pela petralhada e por Lulla. O império da ignorância e da barbárie. Ou a UNIBAN expulsa todos os envolvidos ou faz o favor de fechar as portas. Inadmissível tanta estupidez dentro de uma universidade.

  • Tristram Shandy

    -

    31/10/2009 às 5:22 pm

    Isso resulta do liberou geral inaugurado pelo PT e favorável ao lumpesinato que representa, Babaloriá à frente, ajudado pelos esbirros políticos e econômicos de sempre. O MST, p. ex., já está em barbárie permanente: …consider, my dear lad, that fools cannot distinguise this, —and knaves will not: and thou knowest not what it is, either to provoke the one , or to make merry with the other: —whenever they associate for mutual defence, depend ypon it, they will carry on the war in such a manner against thee, my dear friend, as to make thee heeartily sick of it, and of thy life too.” Não traduzo porque o espaço é limitado. O Rei, se quiser, pode fazê-lo. Um abraço.

  • Imbecil e ignorante revoltado

    -

    31/10/2009 às 5:05 pm

    Rei

    Berzoini e seus asseclas devem estar atarefados, pois localizar toda essa turma para inscrevê-los no PT vai dar muito trabalho e, não podem perdê-los, pois são a cara do PT, são PeTralhas com todas as letras.
    Jamais em meus 68 anos imaginei que um dia veria jovens vaiando um par de belas pernas, os bambis Talibans da Unibambi me decepcionaram em todos os aspectos, morais, legais, éticos e masculinos.
    triste futuro do meu Brasil

  • MARCO

    -

    31/10/2009 às 4:09 pm

    Estudei engenharia na Poli, no outro século. Na minha turma, 176 homens e 4 mulheres. Sério! Essas pessoas, em vez de se comportarem como trogloditas, poderiam agradecer pelo visual na sala de aula deles.

    Uma abraço!

  • Politicida Plus

    -

    31/10/2009 às 4:08 pm

    O melhor desagravo seria um convite da Playboy para ela posar Nua, com um ótimo cachê que compense toda a intolerância e preconceito sofridos e faça morrer de inveja as mocréias despeitadas da Tale Uniban.

  • Mauricze

    -

    31/10/2009 às 3:23 pm

    Fico com pena do baixo nível intelectual dos “universitários” fazedores de algazarra, cretinos. Isso definitivamente não é nível superior, amebas!
    Essa nobre senhorita também se veste com tamanha vulgaridade ao ir à igreja, ao trabalhar, num velório ou numa entrevista? A Infeliz aluna fez por merecer os insultos. Faculdade é lugar de estudar, que desrespeito à figura do professor! Estúpida!

  • Moises Araújo

    -

    31/10/2009 às 2:16 pm

    Fiquei estarrecido com o fato ocorrido na üniversidade em São Paulo, primeiro porque temos tantos casos de desmandos de ordem política e moral neste país que me causou profunda revolta ver jovens universitários revoltados com um vestido curto de uma estudante;
    segundo, o já vi vestidos mais curtos que aquele em meu curso de Economia na Católica aqui em Salvador e na minha época (7 anos atrás), era motivo de olhares por parte dos homens no sentido de enaltecer a beleza da mulher em primeiro lugar ainda que a desejassemos em um segundo momento;
    Concluo: tem um monte de bicha nessa universidade. Geisa, vc tem todo o meu apoio e com certeza dos baianos qua são heteros na sua grande maioria.

  • Valbenjr

    -

    31/10/2009 às 1:42 pm

    Todos os alunos se mobilizaram rápido para denegrir não só a imagem de uma pessoa, mas o direito de expressão de uma cidadã que paga seus impostos e que certamente também paga a faculdade. Será que esses alunos desprendem essa energia toda para se mobilizarem por um estudo de qualidade, em que muitas vezes mesmo pagando não se recebe? Será que eles irão se mobilizar ao montes, aos bandos, como feito no episódio, para correrem atrás de boas bibliografias e se tornarem profissionais de qualidade e assim tirar esse país da pobreza espiritual, educacional e intelectual? O pior é pensar que muitos gastarão mais tempo discutindo se a roupa era ou não adequada.

  • Anselmo Carvalho

    -

    31/10/2009 às 12:20 pm

    Exemplo típico do “efeito manada”. Talvez muitos não soubessem o que estavam fazendo naquela multidão. É ridículo demais para ser previamente calculado.
    A jovem não estava mais “mal vestida” do que Adriane Galisteu em seu programa televisivo, por exemplo. Ela usava um vestido que ia até o MEIO DAS COXAS! Imoral é o mensalão.
    Absurdo sem explicação racional. Caso de histeria coletiva.
    Acho que a UNIBAN (e TODA a rede de educação pública e privada, desde a educação infantil) devessem ensinar liberdade, respeito, moral e civismo. O mínimo que se pode dizer é isso: exemplo típico da licenciosidade da educação pública, que, ao invés de ensinar a ler, escrever e contar, prefere o bolivarianismo

  • Marcus Meyer

    -

    31/10/2009 às 7:13 am

    Tal comportamento, de pura barbárie, explica, de uma certa forma, o tão proclamado apoio de Lula, por parte da população. Isto porque ele representa justamente a libertinagem, o desrespeito às leis e às regras. Lula representa hoje o símbolo máximo da anarquia, quando a sociedade se vê desobrigada a respeitar qualquer regra que não queira (é Tarso Genro dizendo que decisão da justiça que ele não gosta ele não cumpre!). O povão, que já é chegado em pirataria, gato, contrabando, jogo ilegal, “Lei de Gerson”, agora parte para a censura pessoal. Quem censura o vestido de uma moça porque se preocuparia com a censura à imprensa?

  • ALARICO TROMBETA

    -

    30/10/2009 às 10:45 pm

    É A CONSOLIDAÇÃO DO TALIBAN BANANEIRO!
    COM TODA A IGNORANCIA,INTOLERANCIA E SELVAGERIA
    TIPICAS DOS PETRALHAS XIITAS E AGORA ASSUMIDAMENTE
    ADOTANDO O VIÉS TALIBAN DE CONDUTA SOCIAL.
    GRAÇAS AS LIÇÕES DE ARROGANCIA E PREPOTENCIA E BOÇALIDADE DO NOÇU LIDER, O IMÃ LULA DA SILVA, QUE PREGA CRIMINOSAMENTE A INTOLERANCIA E A LUTA DE CLASSES E RACIAL.
    TALIBANS DA UNIBAN E LULLA DA SILVA/ PT, TUDO A VER!

  • Caneda

    -

    30/10/2009 às 10:34 pm

    É verdade Re, existe algo muito estranho sim na sociedade, hoje em dia qualquer troglodita entra na universidade. Tá certo a roupa da estudante não era lá muito convencional, mas afinal de contas esse é um país livre. Vivemos dias perigosos, pois parece que tudo cede à força bruta, esquece-se que existem formas civilizadas de se as diferênças. Linchamentos públicos físicos e morais são praticados livremente, sem que ninguem seja punido, as condutas dos estudantes e funcionários da instituição devem ser investigadas e castigadas exemplarmente, afinal esses atos se repetem justamente em razão da impunidade.
    O que os alunos da Uniban estão aprendendo nas aulas de ética?

  • Robes Mendes

    -

    30/10/2009 às 10:27 pm

    Lula e o PT não são, é claro, a causa dessa selvageria.

    Eles são,sim, os sintomas da mesma doença: o ATRASO!

  • Sandra

    -

    30/10/2009 às 9:57 pm

    “Já os vândalos puritanos só são valentes por estarem em bando.”

    Resolvam: são vândalos puritanos ou estupradores?

  • Sandra

    -

    30/10/2009 às 9:56 pm

    Resolvam: são vândalos puritanos ou estupradores?

  • Ari

    -

    30/10/2009 às 9:26 pm

    Lourinha, você deve ser um estouro. Despertou todos os instintos. Liga não. Imagina a inveja “delas” açulando o tesão despertado “deles”. E se cuide, mostre seu poder a quem te interessar. Será que a turba te interessaria?

  • Toni Silva

    -

    30/10/2009 às 9:06 pm

    Prezado Reinaldo,
    Por que os estudantes da Uniban não aproveitam o momento de mobilização – no lugar de ofensas a uma colega – não “pintam as caras” e partam para cima de políticos corruptos que infestam como pragas nosso País?

  • mineirinha

    -

    30/10/2009 às 9:01 pm

    Lástima. Eles deveriam é lastimar o cérebro curto de muitos professores. Quanto à moça… Lamentável também. Escola requer decoro e, ao que se saiba, b—- de fora nada tem que ver com educação do espírito.

    Já os vândalos puritanos só são valentes por estarem em bando.

  • Na

    -

    30/10/2009 às 7:38 pm

    Rei, só agora tomei conhecimento de toda a história. Meu Deus, quanto retrocesso! Fui um fiel seguidora da Mary Quant, hoje seria linchada por conta das minhas micro saias.
    Mas na verdade, a atitude desse pessoal não me espanta. Dias atrás tive uma mostra de como anda a cabeça de jovens(?) universitários classe média e seus respectivos pais. Fiquei assustada. Não relato por ser muito pessoal e envolver pessoas (as ofendidas) da minha família. Só posso dizer – é a treva.

  • Bobby

    -

    30/10/2009 às 7:35 pm

    Perfeito!

    Reinaldo -

    Uma leitora escreveu isto:

    Triste país em que os universitários se revoltam com a saia curta de uma colega, e não abrem a boca para defender o país da ação de corruptos – ou alguém viu essa cambada de indignadinhos da Uniban se revoltar com o mensalão, a indecência promovida pela família Sarney, as esculhambações do MST…?

    Essa leitora está repleta de razão. E isso que ela escreveu se aplica a muitos fatos análogos que vimos observando em nosso dia a dia.

    Bobby

  • Julia

    -

    30/10/2009 às 7:17 pm

    Mulheres, unamo-nos!

  • Marcos F

    -

    30/10/2009 às 7:06 pm

    Ô fato lastimável!
    Estamos regredindo feio. Os idiotas falam em reviver ’68, mas não aguentam uma mini-saia (ô coisa bonita!).
    Também … vestida para festa? Festa é coisa de rico. “Estamos em tempo do çossial”.
    Pobre menina. Nem a conheço, mas … como dizem os meus antepassados: “Ela é jovem” – e basta.

    É a loucura tomando conta da turba.

  • Teske

    -

    30/10/2009 às 7:05 pm

    Meus amigos dizem que são viados e lésbicas com medo da concorrência de uma gata maravilhosa. Hetero tá virando minoria. Brincadeiras à parte, concordo com quem escreveu que houve exagero da moça mas nada, nada mesmo, justifica o comportamento bárbaro da turba. No meu tempo nós babávamos e invejávamos aquele que conseguia um espaço com a gata.

  • Heitor

    -

    30/10/2009 às 6:53 pm

    As pessoas querem chamar isto de “bullying”, porém não é, não, porque trata-se de gente adulta, mas com cabeça de uma hiena, só atacam em bandos, em matilhas, pois, sozinhas, não são nada. É pura animalidade. Aqueles alunos, que atacaram uma moça, estão todos reprovados no vestibular de cidadania, e os outros, que se calaram, também. O tal “bullying” é uma palavra perversa, pois minimiza um instinto que deve ser abolido do homem, o instinto de carniceiro, pois quando o cheiro de carniça, ou de uma possível vítima, invade seu cérebro, este, então, é tomado da perversidade típica de uma matilha de hienas risonhas.

  • rêrê

    -

    30/10/2009 às 6:49 pm

    Reinaldo :acho que essa história tem dois lados:um, ingenuidade dessa moça achar que na universidade só há damas e cavalheiros de alta estirpe e que irão trata-la sempre com polidez e educação. Usar uma roupa de festa , minissaia, seja lá o que for, em um ambiente de trabalho,destoa do resto das pessoas que por lá transitam.O melhor no caso é não chamar atenção sobre si , o que me pareceu ser exatamente o contrário. Coitada,de certo achou que ia abafar ou não,mas encontrou uma turba desvairada e ensandecida que, tal qual um estouro de boiada voou em cima dela.Não sei como não lincharam a coitada da garota.Foi assustador.Temos que cair na real e ver que nem todos respeitam a diferença.Cuidado

  • Isaias Medeiros

    -

    30/10/2009 às 6:48 pm

    Professor Reinaldo, a quem respeito e admiro. Perceba a cascata de comentários politicamente-corretos e que só engrossam o caldo da esquerdalha, cada um na sua respectiva “minoria”. Concordo com o teor do seu comentário, mas discordo do tom utilizado. Abraço.

  • João Augusto

    -

    30/10/2009 às 6:34 pm

    O comportamento dos estudantes da Faculdade, em especial dos “homens”, tipico de quem não gosta de mulher, além de asqueroso, revela o quanto de imaturidade vive a nossa juventude.
    Se essa jovem fosse minha filha, com certeza não voltaria a cursar aquela faculdade, além do que exigiria – na justiça – se é que ela ainda funciona, reparação ao dano moral causado à jovem.
    O Brasil que nós não conhecíamos está sendo mostrado. E não é bom de se ver.

  • Brasileira

    -

    30/10/2009 às 6:26 pm

    O bom senso diz que existe uma roupa para cada ocasião. A própria estudante afirma que se produziu para ir a uma balada. Teve a infeliz idéia de ir para a faculdade antes. O que aconteceu a ela, dentro de uma instituição de ensino é inadimissível. Os estudantes se comportaram como verdadeiros animais. A atitude deles na porta da sala me lembra a dos habitantes de Sodoma e Gomorra. O vocabulário usado ,insolente e grosseiro, enquanto acuavam a colega, não vale a pena repetir
    O estudo de Filosofia e Sociologia passou a ser obrigatório no ensino médio para ver se humaniza um pouco os alunos, que estão cada vez mais embrutecidos e fora de controle.

  • DEMOCRATA

    -

    30/10/2009 às 6:25 pm

    PENSEI Q O BULLYING FOSSE PRATICADO APENAS POR ADOLESCENTE E CRIANÇAS!! O QUE JÁ ERA GRAVE, AGORA TORNA-SE AINDA MAIS ASSUSTADOR. OS ADULTOS, QUE DEVERIAM REPRIMIR TAIS ATOS, ESTÃO TB PRATICANDO. LAMENTÁVEL………..

  • Tania A

    -

    30/10/2009 às 6:22 pm

    De minha parte, estou estarrecida com as imagens que vi. Depois ainda tem “gente” que duvida do holocausto – imagine o que os rapazes, moças e senhores (sim, havia professores e funcionários no meio deles) da Uniban fariam na Alemanha da Segunda Guerra!
    Triste país em que os universitários se revoltam com a saia curta de uma colega, e não abrem a boca para defender o país da ação de corruptos – ou alguém viu essa cambada de indignadinhos da Uniban se revoltar com o mensalão, a indecência promovida pela família Sarney, as esculhambações do MST…?

  • Papai Sabetudo

    -

    30/10/2009 às 6:17 pm

    Isso está-me cheirando a misoginia! Pervertidos também entram no bolo.

    Porque o estuprador ataca a mulher para violentá-la, passa aos desavisados a ideia de que “gosta” de mulher, mas é o contrário: ele odeia-a!

    Geralmente não consegue consumar o ato sexual, daí a sua aversão ao contato feminino! Então, parte para a agressão, para a humilhação, para a execração pública, como no caso em análise.

    Dizem que havia mulheres participando do ato, mas, por outras razões, acredito eu. Como a garota é bem nascida, uma patricinha de bem com a vida, as suas colegas que se acham feias (sim, porque não há mulheres feias, mas as que assim se acham), aproveitaram-se da situação e botaram pra fora o seu recalque.

    Houve quem tentasse justificar a própria estupidez argumentando que a jovem se vestia como uma “garota de programa” (sic). Não dá nem para comentar isso. E, se fosse? Que a diferenciaria de uma que não fizesse programa?

    E essa faculdade, que espécies de mulheres ela tem em suas fileiras?

    Virgens pudicas?

    Vai pra lá!

  • Ricardo Frota

    -

    30/10/2009 às 6:13 pm

    O bullying está cada vez mais comum mas escolas e universidades! É uma violência praticada por pessoas que, eu seu íntimo, tem distúrbios ou realmente são frutos da má criação de pais omissos!
    A universidade deveria sofrer uma indenização por não ter coibido estes atos bizarros! Estou indignado!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados