Blogs e Colunistas

07/02/2007

às 5:15

Cartilha do governo Lula estimula alunos de 13 a 19 anos a narrar suas “transas”

Por Leila Suwwan, na Folha desta quarta:
O governo federal elaborou e vai distribuir para estudantes de escolas públicas de 13 a 19 anos uma “agendinha” com dicas sobre beijo, sedução, masturbação e saúde. Polêmica, a cartilha inclui até uma lista a ser preenchida com as melhores “ficadas” -relacionamentos-relâmpago entre jovens.Na parte sobre beijos, a cartilha orienta que “beijar muitos desconhecidos numa única noite não é tão bom assim”, pelo risco de doenças. Mas compara o beijo ao chocolate, por “aguçar todos os sentidos” e “liberar endorfinas”, com a vantagem de ainda “queimar calorias”, ao contrário do doce.O material faz parte do programa Saúde e Prevenção nas Escolas – Atitude para Curtir a Vida e aborda temas variados que vão dos efeitos colaterais do aumento de peso (espinha e preguiça) até homenagem ao cantor Cazuza, morto por Aids.A cartilha foi elaborada pelos ministérios da Saúde e da Educação ao longo de 2006 e testada com alunos do Distrito Federal. A primeira tiragem teve 40 mil exemplares e o governo pretende encomendar 400 mil cópias adicionais.Um item que pode instigar polêmica entre pais são as duas páginas dedicadas às “ficadas”. Em uma delas, há espaço para o aluno preencher os detalhes das mais espetaculares de sua vida -com o esclarecimento de que a “ficada” compreende várias coisas: beijar, namorar, sair e transar.Nas páginas sobre o uso da camisinha, o caderninho ensina a colocar o preservativo sob o título “O pirata de barba negra e de um olho só encontra o capuz emborrachado”.Entre os cinco motivos para usar camisinha há a “sedução”, além da “proteção”: “Colocar o preservativo pode ser uma excelente brincadeira a dois. Sexo não é só penetração. Seduza, beije, cheire, experimente!”.
Assinante lê mais aqui
CAMISINHA - O Ministério da Saúde anunciou ontem que pretende ampliar a distribuição de camisinhas para jovens nas escolas públicas após uma pesquisa constatar que 45% dos estudantes ouvidos tinham vida sexual ativa e que 30% não haviam usado preservativo na sua mais recente relação.O governo rejeita que exista uma estimulação sexual precoce com a medida e avalia, com base em pesquisa da Unesco, que é necessária uma política pública sobre o tema que não seja omissa. Hoje, o programa de DST/Aids tem como meta anual a distribuição de 100 milhões de camisinhas para a faixa etária de 13 a 24 anos.Ainda não há previsão de quando e como será feita a distribuição, mas pelo menos uma das formas será por meio de máquinas eletrônicas -já existe um concurso para o desenho do equipamento nas escolas técnicas federais. “Já existe uma decisão concreta de expansão”, disse ontem o ministro da Saúde, Agenor Alvares.
Assinante lê mais aqui
Por Reinaldo Azevedo
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados