Blog Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

sobre

Reinaldo Azevedo, jornalista, escreve este blog desde 2006. É autor dos livros “Contra o Consenso” (Barracuda), “O País dos Petralhas I e II”, “Máximas de Um País Mínimo — os três pela Editora Record — e “Objeções de um Rottweiler Amoroso” (Três Estrelas).

A GRANDE MENTIRA SOBRE AS 200 MIL MULHERES QUE MORRERIAM EM DECORRÊNCIA DO ABORTO. PIOR: O GOVERNO BRASILEIRO AJUDA A ESPALHAR A FALÁCIA

Por: Reinaldo Azevedo

Sim, queridos, Tio Rei vai para a praia, fica com os pés na areia, mas jamais com a cabeça nas nuvens. Estávamos lá eu e meu iPad (cuidado com protetor solar gel…) navegando aqui e acolá, e eis que leio a seguinte reportagem, de Jamil Chade, de Genebra, correspondente do Estadão (íntegra aqui):
“O governo de Dilma Rousseff foi colocado contra a parede ontem por peritos da ONU, que acusam o Executivo de falta de ação sobre a morte de 200 mil mulheres a cada ano por causa de abortos de risco. Eles pedem que o País supere suas diferenças políticas e de opinião para salvar essas vítimas.
A entidade apresentou seu exame sobre a situação das mulheres no Brasil e não poupou críticas ao governo. “O que é que vocês vão fazer com esse problema político enorme que têm?”, cobrou a perita suíça Patricia Schulz. Para os especialistas, a criminalização do aborto está ligada à alta taxa de mortes por ano.”

(…)

É mesmo, é? Caberia uma pergunta de saída: quem é a ONU para “colocar o governo contra parede” num assunto como esse? Instituíram, por acaso, o governo mundial e não me encontraram para dar o recado? Teria eu bebido muita caipirinha e não entendido a mensagem? Acho que não… Mas isso importa pouco agora. O que me incomoda é a mentira estúpida veiculada logo na segunda linha do texto. É MENTIRA COMPROVÁVEL ESSA HISTÓRIA DE QUE MORREM 200 MIL MULHERES POR ANO POR CAUSA DE “ABORTOS DE RISCO”. Em outros tempos, um número como esse seria submetido à matemática elementar. Hoje em dia, tudo pode. Mas como se chegou a ele?

Essa é a conta que fazem os abortistas e aborteiros confessos — caso de Eleonora Menicucci — e acaba sendo admitida como oficial pelo próprio governo, o que é de lascar. O Estadão — e quase toda a imprensa — fica devendo a seus leitores a correção dessa barbaridade. Por que digo isso?

Comecemos pelo óbvio: INEXISTE UMA BASE DE DADOS QUE PERMITA DIZER QUANTAS MULHERES MORREM EM DECORRÊNCIA DE ABORTOS DE RISCO. Logo, de onde tiram os números? Mas isso, se querem saber, é o de menos. O maior escândalo vem agora.

Em 2010, o Censo, do IBGE, passou a investigar a ocorrência de óbitos de pessoas que haviam residido como moradoras do domicílio pesquisado. ATENÇÃO! Entre agosto de 2009 e julho de 2010, foram contabilizadas 1.034.418 mortes, sendo 591.252 homens (57,2%) e 443.166 mulheres (42,8%). Houve, pois, 133,4 mortes de homens para cada grupo de 100 óbitos de mulheres.

Vocês começam a se dar conta da estupidez fantasiosa daquele número? Segundo o Mapa da Violência (aqui), dos 49.932 homicídios havidos no país em 2010, 4.273 eram mulheres. Muito bem: dados oficiais demonstram que as doenças circulatórias respondem por 27,9% das mortes no Brasil — 123.643 mulheres. Em seguida, vem o câncer, com 13,7% (no caso das mulheres, 60.713). Adiante. Em 2009, morreram no trânsito 37.594 brasileiros — 6.496 eram mulheres. As doenças do aparelho respiratório matam 9,3% dos brasileiros — 41.214 mulheres. As infecciosas e parasitárias levam outros 4,7% (20.828). A lista seria extensa.

Agora eu os convido a um exercício aritmético elementar. Peguemos aquele grupo de 443.166 óbitos de mulheres e subtraiamos as que morreram assassinadas, de doenças circulatórias, câncer, acidentes de trânsito, doenças do aparelho respiratório, infecções (e olhem que não esgotei as causas). Chegamos a este número: 185.999!!!

Já começou a faltar mulher. Ora, para que pudessem morrer 200 mil mulheres vítimas de abortos de risco, é forçoso reconhecer, então, que essas mortes teriam se dado na chamada idade reprodutiva — entre 15 e 49 anos. É mesmo? Ocorre que, segundo o IBGE, 43,9% dos óbitos são de idosos, e 3,4% de crianças com menos de um ano. Então vejam que fabuloso:
Total de mortes de mulheres – 443.166
Idosas mortas – 194.549
Meninas mortas com menos de um ano – 15.067
Sobra – 233.550
Dessas, segundo os delirantes, 200 mil teriam morrido em decorrência do aborto — e necessariamente na faixa dos 15 aos 49 anos!!!

Para encerrar
Aquele número estupidamente fantasioso das 200 mil mulheres mortas a cada ano deriva de outro delírio: chegariam a um milhão os abortos provocados no país. Que coisa! Nascem, por ano, no país, mais ou menos 3 milhões de crianças. Acompanhem. Estima-se que pelo menos 25% das concepções resultem em abortos espontâneos. Não houvesse, pois, um só provocado, aqueles 3 milhões de bebês seriam apenas 75% do total original de concepções — 4 milhões. Segundo os abortistas, pois, o número de abortos provocados seria igual ao de abortos espontâneos. Mais: das cinco milhões de mulheres que engravidariam por ano, nada menos de 20% decidiriam interromper a gravidez. Nem na Roma pré-cristã ou na China pós-Mao…

Por que esses números não são contestados por ninguém? Ora, porque se estabeleceu que ser favorável à legalização do aborto é coisa de “progressistas”, de gente bacana, que quer um mundo melhor. Assim, que mal há que eles mintam um pouco e fraudem a lógica, a matemática e os fatos?

Por que os defensores do aborto mentem? Porque a verdade é devastadora para a sua tese. Precisam inventar a morte de milhares de mulheres para que possam justificar a morte de milhares de fetos. Somam à covardia original a covardia intelectual.

Voltar para a home
TAGs:

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

178 comentários
  1. marcela

    E a coisa fica ainda pior.
    Tem ONG de aborto que além de estimular também se aproveita para aplicar golpes. A Women on Waves você tem de fazer uma doação para abortar para eles te mandarem supostos comprimidos que não chegam. É mole ou quer mais?

  2. José Maria dos Santos

    Vi no Jornal da Cultura dois comentaristas indignados com o número de mulheres que morrem em abortos clandestinos no Brasil. Citavam números altíssimos e culpavam o governo, as leis e os políticos, e conclamavam o povo à luta. Não citaram nenhum número de criança abortada. Para eles o número é zero, pois feto não é criança, como a tempos me respondeu uma defensora da causa. É um tumor, um câncer que tem que ser extirpado à vontade da mãe, de graça, pela rede pública. Para os que pensam diferente, estamos falando de milhares de assassinatos cometidos por criminosos clientes e médicos, ao arrepio da legislação brasileira que tenta defender a vida desde a concepção.

  3. Edilberto

    e essa ONU en? Cadê e soberania desse país?

  4. Olívia

    ReinaldoXXXXXXXX na cascuda!

  5. Eugenio Bartolomeu Costa Ferraz

    Legalizar e liberar o aborto provocado (Pena de Morte) para seres humanos inocentes e crime muito pior do que aqueles cometidos pelos Nazistas na Segunda Guerra Mundial (Século XX), porque agora já estamos no Século XXI.

  6. oliver

    fala-se de aborto, mas nao se fala de HIV e outras STDs..

  7. Rosimeire

    Caros Senhores,

    É com imensa dor que leio artigo desta natureza, cada dia fica mais claro que estamos vivendo a pior ditadura de todos os tempos.

    Os defensores do aborto nunca tratam o embrião ou feto como pessoa humana. Alguém´me dia, outro dia, que a regulamentação do aborto seria a atitude mais democrática, pois, enquanto ninguém mais seria obrigado abortar se não quisessem ao menos aqueles que o desejassem, teria opção de escolha. Entendo eu se uma mulher tem o direito de matar o seu filho em seu seio, então qualquer um de nós tem o mesmo direito tem o mesmo direito de matar o filho que já nasceram.

    Causa -me muito espanto a maneira pela qual os defensores do aborto levantam sua bandeira de vida, quando estão defendendo a morte, e pior a morte de inocentes indefesos . ” Segundo a Declaração da CNBB, o aborto é a morte deliberada e direta de um ser humano.” (folha, 1/9/1997).

    Mulheres ! Tome consciência de que demonstraremos nosso valor na medida em que soubermos assumir com orgulho e dignidade aquilo que somos, ao invés de querer ser o que não somos.

    A GRAÇA DA MATERNIDADE

    Se eu fosse enforcado no mais alto morro
    Eu sei que um amor me viria em socorro.
    Se eu fosse afogado no mar mais profundo,
    Eu sei que uma lágrima iria até o fundo;
    Se eu fosse maldito de corpor e alma,um dia,
    eu sei que uma prece me redimiria:
    Minha mãe !

    ( Rudyard Kipling)

    Abraços a todos defensores da vida ! Ungido de gratidão
    Rosimeire de Paiva

  8. Osvaldo A. Oliveira

    Essa ONU é uma fraude, tão grande quanto o PT. (me custa escrever essas duas letrinhas)

  9. Igor Cheron

    FANTÁSTICO!!!
    lINDO!!!
    MARAVILHOSO!!!
    ESPETACULAR!!!

    Excelente texto -como sempre-, Reinaldo Azevedo!

  10. cristiano alves

    Perfeito!!

  11. desconhecida

    Quem diria,nem uma instituição que eu pensava ser séria,escapou de ser fraudada. ..

  12. Guilherme

    Perfeito, quando eu soube que era informado dados dizendo que cerca de 800 mil abortos são feitos ao ano, não tive dúvidas de constatar que isso é algo exageradíiiiiissimo.

    Quer dizer que morrem então cerca de 2000 bebês por dia.
    O número de assassinatos no brasil são cerca de 55.000 por ano, mas então agora temos que adicionar 800 mil nesse dado então 850.000 pessoas são assassinadas no Brasil ao ano. O país mais violento do mundo!

  13. Marcio André de Gouvêa

    Um genocídio por ano,não cometido por um sanguinário, mas infelizmente pelas próprias mães. Que mundo é esse ? Não muito tempo atrás uma mãe daria sua vida por seu filho, hoje vemos mulheres arriscando a própria vida para tirar a do próprio filho. Meu DEUS,que vazio estamos vivendo.

  14. Isaias

    Por que as defensoras do aborto derramam rios de lágrimas e promovem vários protestos quando um menor infrator é abatido?Se pode matar um bebê indefeso, porque não pode abater um menor criminoso? Aí está a incoerência destas feministas, como Maria do Rosário e tantas outras. Se tais criaturas tivessem prestado atenção às aulas de biologia pelo menos uma vez na vida, saberiam que o feto não é parte do corpo dela como um dente ou uma unha. Mas há uma coisa positiva no aborto: Milhares destas feministas deixarão de virem ao mundo.

  15. Maura B. Pires

    Caríssimo – números corretos ou não, eu gostaria de salientar que mesmo que fosse 5 vidas de mulheres saudáveis morrendo por decidir não ter uma criança, já seria justificada a descriminalização do aborto. Sabe porque? Não vejo nenhuma dessas pessoas a contra a legalização do aborto, defendendo crianças de rua, marginais e milhares de inocentes que morre abortados tardiamente nas mãos da policia do estado. Que diferença faz matar um feto com 1,2,3, meses ou uma criança, um jovem, um adulto? Diga pra min. O que vocês querem é mandar na mulher. Mas vai chegar uma hora que vocês os homens não vão mandar em nossos corpos…eu estou sonhando com esse dia.

  16. Cecília

    Rei, essas mentiras não são de hoje. Certa vez, em uma aula de Psicologia na UnB (em algum momento entre os anos de 2002 e 2007), um professor, falando sobre a prática de abortos no Brasil, disse que o número de mulheres/ano que praticavam o aborto era de UM MILHÃO! Eu devia ter uns 18 anos, mas me lembro de ficar espantada com o absurdo daquela informação. Ninguém mais estranhou. Eu levantei a mão e perguntei: um milhão? Ele: isso. Eu: quer dizer que em torno de duas mulheres (assumindo que metade da população fosse de mulheres e metade dessas estivesse na idade fértil) a cada cem fazem abortos todos os anos? Ele parou, pensou um pouco e confirmou: é. Isso.
    E provavelmente continua espalhando essa mentira por aí até hoje.

  17. Sandro

    Genial Reinaldo, espetacular post. Eu não aguento mais ler as mentiras das feministas. Precisamos desmascará-las e você é um dos poucos com coragem de enfrentar essas feministas incrustadas na ONU e no governo federal

  18. Josiane

    Mas isso é óbvio. Quantas mulheres vocês conhecem que morreram abortando em clinicas clandestinas? Eu nunca conheci nenhuma, nem de ouvir falar. E sim, conheço mulheres que abortaram.

  19. Felipe Fernandes

    Não dá pra confiar na direita desse país e muito menos nesses esquerdistas, que distorcem fatos e inventam todo tipo de mentiras pra atingir seus objetivos. O aborto não mata 200 mil mulheres por ano no Brasil. As mortes por falhas de tentativa de aborto provocado, as únicas realmente registradas como tais nos dados do DataSUS, foram, respectivamente nos anos de 2002, 2003 e 2004, em número de 6, 7 e 11 mortes, só pra vocês terem uma ideia do tamanho da mentira.

  20. Rafael

    Amigo, quando vi esse número achei que só poderia ser mentira, lendo seu artigo tive certeza absoluta. Meus parabéns pelo artigo.
    Isso é bom para mostrar que nem todo Brasileiro é um idiota que não sabe nem contar.

  21. jean mesquita

    sou a favor da vida, penso q existem exageros de ambos os lados, dos pros e contras aos abortos.
    admito logo de cara q acho uma tremenda ignorância, alguns segmentos religiosos q são contra a métodos anticonceptivos.
    sou a favor de uma imensa campanha sobre o uso de métodos anticonceptivos.
    conscientizando toda a população.
    O estado e laico não deve viver sob uma ditadura religiosa conservadora q quer determinar como devemos tratar questões de saúde publica.
    a casos extremos em q a dor do nascimento de uma criança pode ser maior do q a perda dela.
    E nos sabemos disso.
    então para casos extremos , meditar, aconselhar, educar , apoiar mas deixar a mãe decidir o melhor para ela.
    psicologicamente falado.
    um abraço q paz esteja com cada um de vcs nesse natal

  22. zélia de fátima regis emediato

    Sou contra o aborto. a vida é sagrada e o homem não tem o direito de destruí-la. covardemente a vida de crianças inocentes. as crianças são bençãos noa lar. são o futuro de uma nação. salvemos as crianças no ventre materno dizendo não ao aborto.

  23. maria

    Sou contra a legalização do aborto em qualquer parte do mundo. Tanto no ponto de vista bíblico como no ponto de vista cientifico e social. Não é por falta de informarão, pois, eu já li grande parte dos arquivos na internet; os argumentos do contra e a favor etc. A vida é muito mais do matar um para salvar outro. Um bebê não é um problema é uma benção o filho é a maior herança que temos. Se não pode criá-lo dê para a adoção.
    A missão dos médicos é salvar vidas e não devem ser obrigados a fazer aborto. A mãe só conhece o que é ser mãe depois de dar a luz! E conheço muitos arrependimentos e conheço uma historia linda de uma pessoa que foi forçada e hoje ama sua filha e é excelente mãe.

  24. luciane biazini

    boa noite! cara vc é um genio, adorei sua visao, sou tecnica de enfermagem o assunto abordado, vc tem total razao!
    parabens pelo trabalho..
    gostaria de conhecer seus trabalhos.abraço…

  25. Gabriel Garrido

    É. Infelizmente eles mentem sobre todos os dados. tem que mentir, eles querem atingir uma realidade, e não responder de acordo uma que já existe. outros dados demográficos são maquiados.

  26. Fabio

    Em minha opinião isso é assassinato, ponto.
    Segundo, ao invés de legalizar esse absurdo por que não se investe um pouco mais para ensinar:

    1) Fechar as pernas (de graça)
    2) Usar camisinha (baratíssimo)
    3) Usar Anticoncepcional (barato)
    4) Pílula do dia seguinte se “algo” acontecer eventualmente (baixo custo)

  27. Roberto

    O número é realmente fantasioso, mas não deixa de ser verdade que os países que possuem o aborto legalizado, aliado à conscientização e educação sexual, principalmente nas escolas, ao fornecimento de métodos contraceptivos de emergência e campanhas de prevenção ao aborto, possuem uma porcentagem de abortos muito inferior aos países onde este é criminalizado. Mas o maior problema de todos é que apenas criminalizaram o aborto no Brasil e acham que isso já resolveria o problema, quando na verdade esse outro.

    Dados verdadeiros: Abortos ilegais estão na 5ª colocação nas causas de mortalidade materna. Eu sou contra praticar o aborto, mas reconheço que não posso impor isso à ninguém, mesmo porque é inútil. Prefiro conscientização, educação e prevenção à gravidez indesejada, mas também que haja segurança para as mulheres que decidam praticar o aborto assim mesmo.

  28. Ana

    Já que hoje é dia das crianças, vamos falar sobre o aborto no Brasil que não é questão de direitos e nem uma questão de democracia. É negocio estrangeiro em nosso país que não esta nem ai pra as mulheres brasileiras! … http://www.youtube.com/watch?v=N08kBi6EHps&feature=related

  29. Rogério

    Reinaldo,
    Parabéns pela matéria. Seguem, abaixo, um vídeo e um texto a respeito:

    http://www.youtube.com/watch?v=XjUGoSr4MWE

    http://culturadavida.blogspot.com.br/2012/05/as-3-taticas-de-dr-bernard-nathanson.html

  30. Marcello Santos Chaves

    Decididamente vc é o cara!
    Grande Reinaldo Azevedo!

  31. Daniel

    Esse vídeo fez mudar a minha opinião sobre o aborto: http://www.youtube.com/watch?v=uMhAg3VwTGI&feature=player_embedded#t=1915s

  32. Felipe

    Como o governo ajuda a espalhar essa mentira se o próprio ministro da saúde contestou os dados? Foi um belo exercício aritmético para iniciantes, Reinaldo, mas seria “intelectualmente honesto” dizer que o número foi passado errado pelo Estadão, e logo a seguir contestado até por entidades a favor do aborto. Ah, esqueci, honestidade aqui só é cobrada dos inimigos. Ok.

  33. […] disso. Lamento por estes. Considero “não esquecer” uma virtude. Já demonstrei aqui a escandalosa mentira sobre o número de mulheres mortas em decorrência de abortos clandestinos: ONGs e lobbies em favor […]

  34. […] disso. Lamento por estes. Considero “não esquecer” uma virtude. Já demonstrei aqui a escandalosa mentira sobre o número de mulheres mortas em decorrência de abortos clandestinos: ONGs e lobbies em favor […]

  35. Lucia

    Muito bom Reinaldo, eu pessoalmente não tenho posição formada sobre a descriminalização do aborto, mas acho os argumentos a favor (que costumeiramente leio na mídia )de uma indigência mental incalculável…

  36. JANETE

    Reinaldo,hoje foi a primeira vez que li seu blog,muito interessante e esclarecedor.gostei da forma como nos esclareceu sobre o nº absurdo de mulheres que morrem em decorrência do aborto.Infelizmente a grande maioria dos brasileiros não presta muita atenção aos nºs e acabam acreditando em qualquer coisa que é publicada.Precisamos de pessoas como você para nos esclarecer.
    na questão do SUS ser liberado para fazer abortos acho um absurdo sem tamanho.A duas semanas tive um tio internado no pronto socorro de Cuiabá,e sinceramente ao visita-lo sai de la muito triste ao ver como nossos governantes tratam mal quem precisa de um Hospital publico,pessoas amontoadas de qualquer geito,sem médicos e total falta de cuidados.Infelizmente meu tio faleceu,e com isso faço a pergunta:Já que tem tantas formas de evitar uma gravidez,métodos que todos nos ajudamos a pagar,POR QUE AINDA TEMOS QUE PAGAR PARA AJUDAR TIRAR UMA VIDA,SEREMOS CÚMPLICES DE ASSASSINATO,POIS QUERENDO A ONU OU QUEM QUER QUE SEJA,QUERENDO OU NÃO UM FETO É UMA VIDA.
    MUITO REVOLTANTE MESMO,NÃO PODEMOS NOS CALAR DIANTE DE TAO GRANDE ERRO.

  37. carlos

    Eu não me epanto com estes números. Marta Suplicy usava, na página 3 da Folha de S.P, 25 anos atrás, o número de 400.000 mulheres mortas por ano no Brasil em decorrência de complicações do aborto. Números da ONU.Na época eram mais abortos provocados do que gestações. Não se sabe o número exato por dois motivos simples: 1- a mulher que aborta de propósito é ré de crime;2- na maior parte das vezes os obitos pós abortamento são devidos à infecção. No atestado de óbito vai como causa infecção puerperal. Então simplesmente não dá para saber. Um chute, de um médico que trabalhou durante dois anos em um serviço de referência em obstetrícia no Paraná: talvez morram até cem mulheres por ano devido à abortos mal feitos no Brasil. É muito. Fossem dez, seria muito; e se fossem mil? As leis não podem ser feitas com base neste tipo de conta. Ou teríamos que proibir os automóveis.

  38. OBSERVANDO O MUNDO

    Os números sobre a quantidade máxima de abortos não são de maneira nenhuma ocultos. Se a mulher morrer antes de chegar a assistência médica, certamente será examinada por um médico legista que determinará a causa. Mas, na imensa maioria das vezes, será atendida antes do óbito. Em qualquer caso, a causa da morte será anotada como complicaç]ão da gravidez ou aborto (que o legista talvez não saiba se é provocado ou não). O número total de morte por aborto tem de ser muito inferior a 1.300, e é estimado corretamente em menos de duzentos.

  39. sheila

    O que esse degoverno quer? Que façam aborto no SUS????Outro dia dentro de um Pronto Socorro do SUS, uma moça chegou na emergência porque haviam cortado a sua garganta de forma profunda, perdia muito sangue e precisava de um atendimento urgente.Pois bem , não havia médico para costurar o pescoço da moça.Agora pensa bem, estão querendo encaminhar mulheres para fazerem aborto no SUS????? Aí sim a caneficina vai ser enorme!!Não tem estrutura, não tem médico, não tem remédio, não tem nada e é nesse cenário que vão fazer aborto??? Já sou radicalmemnte contra o aborto e ainda vai piorar, caso aprovem essa aberração.E outra, os poostos de saúde se eu não me engano já distribuem preservativo, pílula anticoncepcional, tudo pago com o dinheiro público(nosso dinheiro).Então porque não evitam?.Também vão fazer aborto com o dinheiro público? E o que é que o povo tem a ver se a pessoa não tem responsabilidade para evitar uma gravidez!!! Faz filho e o povo paga para tirar!!!Já não chega a distribuição de preservativo, de pílulas anticoncepcionais pagos pelo povo?????? A parte pobre da população vai parar é no SUS mesmo, caso aprovem esse ABSURDO, que só de falar já revolta.Acho que devíamos fazer como a lei da ficha limpa.O povo tinha era que assinar para derrubar toda e qualquer iniciativa destes nazistas.

  40. Getulio- SP

    Ora,tio rei,se200.000 mulheres morrem ao fazer aborto por ano no Brasil,então se legalizar vão morrer mais mulheres,pois qq uma poderá fazeR EM QQ CLINICA.NÃO É FABULOSO?

  41. Davi

    Concordo com o comentário da Helena, e adiciono ainda a seguinte pergunta: por que não se descreve também os métodos cruéis usados para fazer aborto, a fim de demonstrar à população como é que funciona essa carnificina? Do jeito que os abortistas falam, até parece que o procedimento é limpíssimo, sem sangue e sem sofrimento para o bebê(bebê sim, não feto, que remete a algo que poucos já viram, e que, no entanto, tem a aparência, reconhecível de um bebê).

  42. Leniéverson Azeredo

    Concordo com vc, Helena, pq?Seria uma causa bem mais últil a coletividade.

  43. Helena

    Não seria mais fácil evitar a gravidez com os diversos métodos existentes nos dias hoje, Porque sempre que surge uma discussão sobre legalização do aborto, não se fala sobre os métodos para evitar a gravidez. Então porque cometer este crime?

  44. Helena

    Se as feministas pregam tanto a aprovação da lei da legalização do aborto. Alegam que morrem milhares de mulheres realizando abortos clandestinos, etc. etc., mas não criticam o corte de 5 bilhões na área da saúde, onde, morrem muita gente na fila e nos corredores dos hospitais.

  45. Ricardo

    Reinaldo,
    Obrigado por abrir nossos olhos…
    Eu sempre acreditei nos 200k, e nem sei bem porquê… Reportagens talvez, aquela questão do argumento de “uma questão de saúde pública”.
    Agora vejo o quanto fui abduzido.
    Mais um mito sem comprovação se foi…

    O mais incrível é que com um pouco de matemática e lógica se pode derrubar muitos outros mitos convenientes ao PT.
    Veja outras que me vêm à cabeça:
    1. “LULA deixa o governo com a excepcional aprovação de 90%”,
    2. “Dilma venceu as eleições com “esmagadora maioria” dos votos;
    3. José Serra levou nada menos que 47% dos votos…

    Algumas coisas nestes números desta matemática não fecham…

  46. Diri

    Eu venho alertando já ha algum tempo que existe um governo diabólico mundial comandado pela O-NU, senão alguém me explique, por gentileza, por que o mundo todo exceto os muçulmanos, segue as suas determinações , tais como:( direitos humanos exclusivos para bandidos, homossexualismo, aborto, feminismo, anticristianismo, maconha, prostituição, descasamentos, aquecimento global, desmoralização da polícia, etc, etc, etc…).
    Quanto ao número escandalosamente mentiroso, pelos dados oficiais, anualmente 50 mil brasileiros morrem no transito, outros 50 mil morrem assassinados. Ora, mortes no transito são vistas por qualquer pessoa, homicídios são bastante sabidos tambem, agora, quantas mulheres vocês conhecem que morreram por causa de aborto? Parece pesquisa eleitoral, nunca fui pesquisado, não conheço ninguém que já foi, parece o caviar da música.
    Não somos idiotas, sra. O-NU, digam logo os verdadeiros motivos por que estão cobrando, exigindo isto de nós, quanto foi que vocês pagaram para agora cobrar, ou será que o Brasil está atrasado nos planos da “Nova Ordem Mundial”?
    O divórcio não basta, o preservativo não basta, as pílulas não bastam, o homossexualismo não basta, a lei maria da penha não basta, a pensão alimentícia não basta, ainda tem que vir o aborto?

  47. Jose Maschke

    Estes números são falsos, e a equipe do governo sabe disso. Segundo o Data Sus, 115, 152 e 156 são o número total de mortes maternas anuais em 2002, 2003 e 2004 por gestações que terminam em quaisquer tipos de aborto, incluindo aí os abortos espontâneos, as rupturas de gestações tubárias, as molas hidatiformes, os produtos anormais de concepção e os abortos não esclarecidos.

    As mortes por falhas de tentativa de aborto provocado, as únicas
    realmente registradas como tais nos dados do DataSUS, foram, respectivamente nestes anos de 2002, 2003 e 2004, em número de 6, 7 e 11 mortes.

  48. Kaos

    Reinaldo, números são fáceis de serem estimados ou inventados. Na história existem vários casos de manipulação, sempre por interesses escusos.

  49. Jose Maschke

    O governo brasileiro mentiu também para a ONU ao ser sabatinado em agosto de 2007 pelo Comitê do CEDAW sobre o documento entregue em agosto de 2005 em que o governo Lula reconhecia o aborto como um direito humano. Perguntado sobre a situação no Brasil do aborto provocado pelo Relator Especial do Comitê da ONU, situação que, segundo o Relator, “obriga muitas mulheres brasileiras a submeter-se em segredo a esta prática, colocando sua vida em perigo, o que supõe negar à mulher o direito à saúde”, a delegação brasileira, encabeçada pela Ministra Nilcéia Freire, respondeu que “em 2002, 2003 e 2004 ocorreram 115, 152 e 156 mortes anuais provocadas por abortos, o que faz com que o aborto se constitua na quarta causa de mortalidade materna no Brasil”.
    (Para assessar o relatório, abra o site http://www.un.org/womenwatch/daw/cedaw/39sess.htm, e em seguida clique em Brazil->Responses->Spanish).

  50. Rodrigo

    Tá chegando a hora, o PT está perdendo o controle. Viva os 44 milhões de votos contra o Pt EM 2010 !!!