Blogs e Colunistas

07/03/2012

às 20:55

“E os milhões mortos pela Santa Inquisição?”, perguntam. E eu respondo.

Escrevi em alguns posts que os valores essenciais do cristianismo certamente conduzem um juiz a um bom caminho — isso se o crucifixo estivesse em alguns tribunais por isso. Mas a razão, como já expliquei, é outra. Sempre que se fala do cristianismo, conjugam-se as mais variadas correntes de difamação da religião, especialmente do catolicismo, que se foram formando ao longo da história. A mais recente — historicamente falando — e mais poderosa, claro, é o marxismo. Atrocidades foram cometidas por autoridades eclesiásticas em quase dois mil anos de história? Foram, sim! E a própria Igreja se debruçou sobre isso.

Uma das técnicas da militância política, que deveria causar repúdio aos historiadores, é distorcer os fatos para vender uma ideologia. Infelizmente, no Brasil e em boa parte do mundo, quando o tema é religião, a irracionalidade predomina… em nome da razão! Nos colégios, nos cursinhos, nas universidades, professores se referem aos “milhões de mortos da Inquisição”, por exemplo, para tentar criticar não aquela Igreja do passado, mas a do presente. Parece que não há diferença entre as práticas do século 17 e as do século 21!!! Imaginem se todas as barbaridades que os cientistas já cometeram, na comparação com o que sabemos hoje, fossem usadas para considerar a ciência, então, um discurso brutalizante. “Religião não é ciência”, gritará alguém. De fato, a crença não é um objeto que possa ser dissecado à luz das leis da natureza. Mas existem uma ciência teológica e uma ciência moral que remetem ao conjunto de experiências e conhecimentos acumulados no terreno da fé. Adiante.

Ao longo do tempo, por bons e maus motivos, a Igreja foi uma inimiga poderosa de poderosos. Misturou-se e não se distinguiu da política durante um largo período. E foi, nem poderia ser diferente, alvo de difamações. Uma delas diz respeito justamente aos tais “milhões” de mortos da Inquisição. Uma leitora, Tereza Cristina, manda o comentário que segue. Ao responder a ela, respondo a dezenas, talvez centenas de outros comentários de igual teor. Leiam.

Reinaldo, você pode até discordar da Liga Brasileira de Lésbicas é um direito seu. Mas negar parte da história do Cristianismo no seu discurso é inaceitável. As acusações feitas a Liga hoje por você já foram práticas do Cristianismo. Não vamos esquecer da SANTA INQUISIÇÃO: momento que sabemos muitos morreram, foram torturados, sofreram perseguição religiosa e que a proteção da vida não foi lembrada. Seria bom também, se tivéssemos como voltar no tempo e perguntar aos africanos que vieram para o Brasil sobre PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA.Só para lembrar: A Inquisição foi um espécie de Tribunal religioso criado na Idade Média para condenar TODOS que eram contra os dogmas pregados pela Igreja Católica.Mandou para a fogueira milhares de pessoas como você mesmo falou ” crime simplesmente por não concordar com eles. De que mesmo a Liga está sendo acusada???? Contra fatos não há argumentos.

Comento
Em primeiro lugar, não acusei a “Liga Brasileira de Lésbicas” de coisa nenhuma — só de intolerância. Quanto à Santa Inquisição, republico um texto do site católico
Veritatis Splendor – Memória e Ortodoxia Cristãs, que põe as coisas nos seus devidos lugares, com as necessárias referências bibliográficas.

Quem ainda estiver disposto a aprender alguma coisa vai se surpreender com o texto. Quem já sabe ficará satisfeito com a divulgação dos fatos — ou vai se zangar porque a mentira lhe é útil. E há sempre aquele que não vai querer aprender nada: “Ah, o Reinaldo está dizendo que a Inquisição foi bolinho”. Atenção! A fase do Terror, da Revolução Francesa, matou, em um ano, milhares de pessoas — os números variam de 16 mil a 40 mil. Muitas vezes mais do que a Inquisição em quatro séculos! Fidel Castro fuzilou, sozinho, muito mais do que o Santo Ofício ao longo da história: 17 mil pessoas. Se considerarmos, então, os mais de 80 mil que morreram afogados tentando fugir da ilha… Mao Tse-Tung matou 70 milhões; Stálin, 25 milhões; Hitler, 6 milhões…

Não, senhores! Eu não estou negando que a Igreja tenha praticado brutalidades. Como vocês verão abaixo, no entanto, ela podia ser muito mais branda que os tribunais civis. Mas isso é o de menos. Invariavelmente, os que querem mandar a Igreja, mesmo a de hoje, para o banco dos réus costumam mandar para o trono Robespierre, Fidel, Mao, Stálin…

Leiam o artigo, reflitam, pesquisem.
*
A Inquisição exterminou 30 milhões de pessoas?
Para muitos estes supostos dados de “milhões de mortes” são as provas claras e literais do obscurantismo e corrupção da Igreja católica durante a “Idade das Trevas” podemos então afirmar a veracidade destes números que pressupõem que um verdadeiro “holocausto” foi promovido por parte do clero da Igreja Católica?

É comum vermos na literatura secular, em filmes e documentários, pior nas escolas do ensino fundamental e médio e até em faculdades e universidades, a afirmativa de que a Igreja “torturou e matou milhares”, alguns dizem milhões de pessoas aniquiladas pela Inquisição. Há também diversos ambientes acadêmicos no Brasil em que é nítido tal interpretação, são muitos autores e professores universitários a partilhar dessas objeções.

É inegável a atuação da Inquisição assim como os julgamentos, qualquer contraposição é uma aberração um erro grotesco de história, a crítica veiculada neste texto é dirigida aos números de mortes e incidentes referentes aos cerca de 386 anos de atuação, deste tribunal eclesiástico.

Muitos podem até dizer que números não importam, contudo ela “matou e torturou”, a questão é que nesta situação os números representam o maior pretexto e fonte de contradições a temática, pois tendem a alimentar e propagar a ideia de uma tragédia histórica, sem controle, um crime, um perverso e criminoso ato, vindo da Igreja contra a humanidade. Não levando em conta os fatores, o contexto e as posições religiosas da época estaria correto colaborar com estas argumentações e afirmações? Teria sido uma ferramenta de perseguição e extermínio de quem ousava pensar diferente? ou trata-se de posições subjetivas oriundas do homem contemporâneo?

Vale salientar que estas sociedades eram claramente ligadas ao bem e ‘alegria social’ (Pernoud, 1997) e da religião “em função da fé cristã” (Daniel Rops, Vol. III. p. 43), tinham como ferramentas de prevenção, a condenação de grupo ou individuo, para evitar a contaminação de confusões e divisões que ruíam ‘todo o sistema e ordem social da época’ (Gonzaga, 1994) além de evitar a propagação de heresias e divisões entre os fieis na Cristandade, assim os códigos penais abraçavam e previam comumente a tortura e a morte do réu. E o povo entendia que estes eram os princípios jurídicos e inquisidores (cf. Mt 18,6-7) que evitavam a expansão de cismas e heresias.

Mas seriam verdadeiros estes indicies sobre a Inquisição? Ou é maquinação vinda dos inimigos da religião que tiram proveito não só da Inquisição ou das Cruzadas, centram-se também nos erros e faltas morais de alguns filhos da Igreja para fazê-los de “cavalo de batalha na sua guerra contra a religião e para perpetuamente as estarem lançando em rosto à Igreja.” como disse o historiador e Pe. W. Devivier, S.J.  Fato que “é da natureza da Igreja provocar ira e ataque do mundo” segundo Hilaire Belloc.

A principal finalidade do artigo não é amenizar os efeitos da Instituição ou fazê-la mais branda, mas trazer a tona os fatos e verdadeiros números da referida instituição, cujos estudiosos sérios testemunham para que possamos construir uma justa interpretação do tema, sem nos veicularmos a nenhuma propaganda anticatólica.

Vamos tomar como referência as Atas do grande Simpósio Internacional sobre a Inquisição, em que 30 grandes historiadores participaram vindos de diversas confissões religiosas, para tratar historicamente da Inquisição, proposta motivada pela Igreja. O Papa João Paulo II afirmou certa vez: “Na opinião do publico, a imagem da Inquisição representa praticamente o símbolo do escândalo”. E perguntou “Até que ponto essa imagem é fiel à realidade”.

O encontro realizou-se entre os dias 29 e 31 de Outubro de 1998. Com total abertura dos arquivos da Congregação do Santo Oficio e da Congregação do Índice. As Atas deste Simpósio, foram anos depois reunidas e apresentadas ao público, sob forma de livro contendo 783 paginas, intitulado originalmente de “L’Inquisione” pelo historiador Agostinho Borromeo, professor da Universidade de La Sapienza de Roma. O mesmo historiador lembrou “Para historiadores, porem, os números têm significado” (Folha de S. Paulo, 16 junho 2004).

As atas documentais do Simpósio, já foram utilizadas em vários obras de historiadores, e continuam a ser, tais documentos são resultados de uma profunda pesquisa sobre os dados de processos inquisitoriais: as seguintes afirmações foram declaradas pelo historiador Agostinho Borromeo.

Sobre a “famigerada e terrível” Inquisição Espanhola:
“A Inquisição na Espanha celebrou, entre 1540 e 1700, 44.674 juízos. Os acusados condenados à morte foram apenas 1,8% (804) e, destes, 1,7% (13) foram condenados em “contumácia”, ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou mortos que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos.”

Sobre as famosas “caças às bruxas”.
“Dos 125.000 processos de sua historia [tribunais eclesiásticos], a Inquisição espanhola condenou a morte 59 “bruxas”. Na Itália. 36 e em Portugal 4.”

E a propaganda de que “foram milhões”.

Constatou-se que os tribunais religiosos eram mais brandos do que os tribunais civis, tiveram poucas participações nestes casos, o que não aconteceu com os tribunais civis que mataram milhares de pessoas.

Sentenças de um famoso inquisidor:
“Em 930 sentenças que o Inquisidor Bernardo Guy pronunciou em 15 anos, houve 139 absolvições, 132 penitências canônicas, 152 obrigações de peregrinações, 307 prisões e 42 “entregas ao braço secular” ([citado em] AQUINO, Felipe. Para entender a Inquisição. 1 ed. Cleofas. Lorena. 2009, p. 23).

O Simpósio conclui que as penas de morte e os processos em que se usava-se tortura, representam números pouco expressivos, ao contrario do se imaginava e foi propagado. Os dados são uma verdadeira demolição e extirpação de muitas ideias falsas e fantasiosas sobre a Inquisição.

“Hoje em dia, os historiadores já não utilizam o tema da inquisição como instrumento para defender ou atacar a Igreja. Diferentemente do que antes sucedia, o debate se encaminhou para o ambiente histórico com estatísticas sérias” (Historiador Agostinho Borromeo, presidente do Instituto Italiano de Estudos Ibéricos: AS, 1998).

Bom que tudo isto tem mudado é sinal de esperança, tomara que haja uma nova reconstrução “hermenêutica”, sendo esta necessidade histórica. Que com uma justa crítica acurada, superem-se as ambiguidades historiográficas.

Pena que as correntes históricas penduram-se e os teóricos antigos, dizem eles os “conceituados” continuam a ser as referencias “fidelíssimas”, assim na prática pedagógica e histórica; seja superior (acadêmica) ou (média e fundamental) ensinos públicos, continua à ritualista tradição a-histórica, não transparente sobre os acontecimentos e de tom feiticista e alienado, incluindo dentre destes, muitos estudiosos, professores, e jornalistas brasileiros e do resto do mundo. “Há milhões de pessoas que odeiam o que erroneamente supõe o que seja a Igreja Católica” (Bispo americano, John Fulton Sheen).

Referencias:

AQUINO, Felipe. Para entender a Inquisição. 1º ed. Cleofas. Lorena. 2009.

DEVEVIER, W. A Historia da Inquisição, curso de apologética cristã. Melhoramentos, São Paulo, 1925.

L’INQUISIONI. Atas do Simpósio sobre a Inquisição, 1998.

PERNOUD, Régine. A Idade Média: Que não nos ensinaram. Ed. Agir, SP, 1964.

ROPS. Henri-Daniel. A Igreja das Catedrais e das Cruzadas. Vol. III. Ed. Quadrante, São Paulo. 1993

Por Reinaldo Azevedo

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

206 Comentários

  1. Renato

    -

    20/02/2014 às 18:35

    A comparação entre as mortes indiretas do marxismo e a contagem das vítimas da peste negra como se fossem mortos pela igreja católica é absurda.

    1. Os comunistas mataram, DE CASO pensado perto de 100.000.000 de pessoas. as mortes indiretas por má gestão econômica acrescem a esse número, e por isso alguns falam de 170.000.000. As mortes causadas DIRETAMENTE pela ICAR ao longo dos séculos (não só inquisição)está ordens de grandeza abaixo das mortes causadas pelos socialistas em poucas décadas.
    .
    2. A Icar não mandou matar gatos, pessoas supersticiosas mataram e não há provas de que isso tenha sido relevante. Certamente a peste bulbônica faria milhões de mortos na Europa, independentemente da quantidade de gatos.
    .
    3. Os hábitos de higiene péssimos pioraram muito a epidemia, mas esses hábitos não ruins não foram criados pela ICAR. Quase todos os povos que deram origem à Europa tinha um histórico de péssimos hábitos de higiene.
    .
    4.A ICAR não foi a causadora dos fatores agravantes de peste, mas mesmo que fosse, não teria conhecimento científico sobre epidemias.
    .
    5. Mesmo considerando apenas as mortes indiretas (não planejadas) dos países socialistas, a culpa dos governos é patente. Economistas previram claramente os resultados desastrosos da aplicação do socialismo, e um simples estudo da história teria mostrado os resultados inevitáveis. MISES escreveu a melhor obra sobre o tema, mostrando exatamente como o socialismo iria falhar, e suas previsões se cumpriram. E até escritores socialistas tinham mostrado que as propostas de Marx seriam desastrosas. Os governos marxistas não apenas implantaram um sistema que se sabia inviável, mas insistiram nisso década após década, mesmo vendo os resultados desastrosos diante de seus olhos. Sua culpa é patente.

    PS: É claro que é injustificável que alguma igreja mate quem quer que seja por causa de doutrina. Mas a comparação de números é essencial. Os coletivistas tentam rebaixar seus próprios números (que, contanto as revoluções e guerras que promoveram, passam muito acima de 200.000.000) e tentam desesperadamente aumentar os números de outras ideologias. As razões porque fazem isso são claras: Querem branquear sua história para poder continuar matando. Marxistas do mundo todo sonham com os próximos genocídios que pretendem fazer.

  2. Miguel

    -

    17/02/2014 às 15:40

    Adorei seu post
    Fiz um trabalho de religião ÉPICO citando (com devido referencia) partes de seu texto
    Muito obrigado!

  3. david

    -

    15/02/2014 às 21:15

    Não são por livros feitos pela inspiração de homen que vcs vão conseguir entender alguma, e sim por livros inspirados por Deus, leiama biblia!!!

  4. david

    -

    15/02/2014 às 21:06

    Querendo ou não vcs que tentam desfarçar a palavra de Deus e encinar doutrinas erradas, e os que não acreditam nesse Deus que lhe fez e fez tudo q existe tudo se encaicha, as profecias biblicas se comprem, e tudo se comprova, por que vcs n exeperimantam ler a biblia e estudar mais para poder sair falando, sera que livro feitos por mãos humanas seria capaz de durar milenios, se n tivesse a ajuda de alguem que é rodo poderoso? Sera que algum bestseller seria capaz de mudar tantas vidas como a biblia ja mudou? Sera ainda que alguem daria a sua propria vida para divulgar alguma historia ou livro de machado de assis Como fizeram alguns homens de Deus na epoca da inquizição a qual essa mesma matou esses homens, como pode chamar de santa uma imundicia dessas?
    Olha o que fala o livro do apocalipse sobre isso.

    Apocalipse 16:1-6 NTLH

    Depois ouvi uma voz forte falando de dentro do templo, dizendo aos sete anjos: — Vão e derramem sobre a terra as sete taças da ira de Deus! O primeiro anjo foi e derramou a sua taça sobre a terra. Feridas abertas, terríveis e dolorosas, apareceram naqueles que tinham o sinal do monstro e que haviam adorado a sua imagem. Aí o segundo anjo derramou a sua taça sobre o mar. A água ficou como o sangue de uma pessoa morta, e morreram todos os seres vivos do mar. Então o terceiro anjo derramou a sua taça sobre os rios e nas fontes de água, e eles viraram sangue. Eu ouvi o anjo que tinha autoridade sobre as águas dizer: — Tu és justo nos teus julgamentos, ó Deus santo, que és e que eras! Os maus derramaram o sangue do povo de Deus e dos profetas, e por isso tu lhes deste sangue para beber. Eles estão recebendo o que merecem.

    Analizem as escrituras sagradas pesquisem mais e vejam como rudo é verdade, arranquem essa venda que cobrem os seus olhos, se vcs querem criticar falar mal ou bem da biblia e da palavra que existe nela e dizer se é mentira ou verdade que Deus existe ou não e se aquela realmente é a sua palavra, se o que fazem os catolicos que dizem que tem biblia e que usam a biblia nos seus cultos e se eles estam certos ou errados, e se aquela palvra aquele livro faz mal ou bem para o ser humano, o minimo que vc tem que fazer e o mais logico é lela e analiza-la não acham?

    P.s.: me desculpem pelos erros ortograficos estou escrevendo pelo smartphone

  5. Everto Gomes

    -

    14/02/2014 às 7:40

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  6. felipe

    -

    10/02/2014 às 11:28

    o para lembrar, ñ foi aIgreja Catolica quem matou,e sim qm governava na epoca.
    os reis ñ aceitava qualquer ato de heresia cometida pelo povo e os mandavam matar, mtos ate mataram rivais com o intuito de dizerem que eram hereges.
    a igreja criou a Santa Inquisião, justamente para que as pessoas tivessemum julgamento justo e as penas eram sempre excomulgar, so que os reis ñ aceitaram as penas que a igreja passavas.

  7. Saint-Just

    -

    24/12/2013 às 20:11

    “Sobre as famosas “caças às bruxas”.
    “Dos 125.000 processos de sua historia [tribunais eclesiásticos], a Inquisição espanhola condenou a morte 59 “bruxas”. Na Itália. 36 e em Portugal 4.”

    E a propaganda de que “foram milhões”.

    Constatou-se que os tribunais religiosos eram mais brandos do que os tribunais civis, tiveram poucas participações nestes casos, o que não aconteceu com os tribunais civis que mataram milhares de pessoas.” – Torquemada fica onde?

  8. manuel horacio

    -

    07/12/2013 às 6:28

    temos que deixar a historia no seu devido lugar, ou seja na história, e temos é que fazer o que Jesus Cristo mandou, ou seja, seguir os ensinos de Cristo:>>>>>Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
    Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
    Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
    E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
    E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
    E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.Mateus 25:35-41, ESTAMOS NOS ACUSANDO MUTUAMENTE POR ALGO FEITO NOS PASSADO???, está no sermão do monte uma oportunidade de mudarmos a historia, pois a possibilidade do amor, da caridade, está em cada esquina, mas os ”religiosos” se perdem em devaneios acusando os cristãos de hoje por atos do passado, não é o ser católico, ou evangélico, que vai nos levar a missão para a qual Jesus nos capacitou, é o exercício deste ministerio, ou seja, SER CRISTÃO!!!, isto sim vai fazer a diferença nesta época, e não a história, se queremos escrever uma nova história, façamos com atos, e não com retórica, pois o capo para a pratica está em cada esquina, que ser cristão??? então imite a Cristo, leia o sermão do monte e cumpra-o. SIMPLES ASSIM!!!!

  9. Gabriel Martins

    -

    25/11/2013 às 10:39

    É como colocar antolhos no cavalo e dizer pra ele virar a próxima esquerda, sem guiá-lo, resultado: ele vai continuar seguindo em frete. Esses anti-católicos não tão afim de saber de fatos não, eles querem mesmo é atacar a Igreja, pois assim se sobressaem de intelectuais, espertos, sabichões. Afinal, quem fala qualquer asneira contra a Igreja Católica ganha um aperto de mão junto com um belo sorriso, tapinha nas costas e quem sabe até uma nova amizade. Se você fala mal da Igreja, pronto, você entra pro gueto, e isso é o que importa. “Não não não… não interessa os fatos, números, fontes primárias, não interessa a verdade, pois queremos continuar fazendo pirraça contra a Igreja, pois se admitimos que a Igreja Católica está falando a verdade, nosso mundinho de fantasia vai todo pro ralo. Temos que continuar alimentando o teatrinho criado pelo Iluminismo, a séculos atrás, somos vítimas dele e queremos passá-lo adiante. Por favor, não nos mostre números reais, pois não queremos que ninguém destrua nosso castelinho de areia. Passar bem!”

  10. Eurico

    -

    30/10/2013 às 14:45

    No ano 33 da nossa era os romanos assassinaram Jesus e continuaram assassinando seus adeptos, por séculos. Mais de trezentos anos depois o Estado reconheceu o cristianismo como religião oficial e, usando o nome de Jesus, continuaram assassinando os que pertenciam a outras doutrinas. Jesus, em toda sua obra pregou o amor a Deus e ao próximo, portanto, a igreja católica não tinha, não tem e nem terá o direito de matar em seu nome. As justificativas apresentadas pelo fanático TOHMAS WOODS não resistem à menor crítica. A igreja católica matou em nome de Deus, milhares de pessoas que não acreditavam em seus dogmas (furados). O fanático THOMAS WOODS intencionalmente não faz referência ao papa Clemente XIV, que, tentando acabar com a SANTA INQUISIÇÃO, disse: Sei que estou assinando a minha sentença de morte e morreu envenenado depois.

  11. leandro luiz

    -

    03/10/2013 às 11:03

    parabens pelo belo esclarecimento dos reais fatos históricos…não livrando o catolicismo da culpa mais colocando os “pingos nos ís” pena que muitos iram preferir continuar na segueira e não acreditar nesses reais numeros documentados…

  12. Gilberto Conde

    -

    02/10/2013 às 22:15

    Esse texto é muito esclarecedor, obrigado. É pena que o texto Veritatis Splendor – Memória e Ortodoxia Cristãs não dá mais para aceder, gostaria muito de o ler. De qualquer forma vou procurar no google.

  13. marcelo martins

    -

    18/09/2013 às 10:37

    ReinaldoXXXXXX na cascuda!

  14. marcelo martins

    -

    18/09/2013 às 10:28

    ReinaldoXXXXXXX na cascuda!

  15. Marcos M

    -

    26/07/2013 às 18:49

    Tá rolando uma meme de que a inquisição teria matado 40/50 milhões eu eu argumento:
    - estão somando as mortes ocasionadas pela peste negra na conta?
    - que número absurdo, devem ter quase exterminado os europeus na idade média.
    - genocídio por genocídio o comunismo foi muito pior, com quase 100 milhões mortos de 1917 a 1991.

    Aparentemente o neo-ateísmo está usando a mesma tática dos órfãos da revolução socialista: mentindo descaradamente e se apresentando como donos da verdade.

  16. pedro magno de moraes

    -

    27/04/2013 às 15:49

    a biblia e a regra de fe para todos os que dizem cristao,nela encontramos em corintias 13 na integra a essencia do amor de deus na pessoa de jesus cristo.tambem nas parabolas,encontramos em linguagem figurada o amor de deus para com os homens. ensinamentos de valores geraes na vida dos homnes e seu carater. cristo curou,alimntou milhares,aconselhou,perdoou,deu vida e salvou a todos que a ele se a chequem. a inquisiçao foi nada mais que um ato brutal e irracional dos que diziam ser cristao.cristo em toda escritura so ensinou seus seguidores a fazer o bem da vida e nao tiralas. ato de crueldadee e atrocidade sao de anticristao, abuso de poder. se aproveitar do poder que lhe deram,que tais atos cometeram contra a humanidade. jesus ontem hoje e para sempre amor,amor…. todos comparecerao no tribunal de cristo para dar conta do que tem feito pelo meio do corpo quer seja bom ou mal. 2corintias 5 verciculo 10.

  17. lourival

    -

    01/04/2013 às 15:19

    tempos dificeis , uma época que tudo éra pela força ou pela dor , o mundo mudou graças aos homens inteligentes , de nossa época.

  18. Luiz Gonzaga Martins

    -

    01/04/2013 às 8:41

    Parabéns pelo excelente artigo. Costuma-se acusar a Igreja de ter prejudicado a cura da Peste Negra. Tens algum material sobre isso? Estou com dificuldade de encontrar na internet.

  19. Kleber Batista de Barros

    -

    25/02/2013 às 17:27

    Isso implica dizer que a invasão de 40.000 protestantes em 1.524 matou mais do que a inquisição em 300 anos… Essa é a moral de quem ataca a Santa Igreja. Artigo muito bom!

  20. Rosane

    -

    25/02/2013 às 17:19

    Está no tempo de serem divulgadas essas correções históricas a respeito da Inquisição, como também das Cruzadas. Essas informações falsas vêm sendo reiteradamente repassadas pelos professores de História, e tem gente que leva uma vida repetindo-as, quando discorda Igreja. Espero que agora os insatisfeitos com a Igreja Católica debatam sobre as discordâncias em si, ou assumam que realmente não querem andar sobre as pegadas de Jesus. Quanto às Cruzadas, se não tivessem acontecido, estaríamos hoje sob o jugo dos mulçumanos, que, como é sabido, têm a pretensão de islamizar o mundo inteiro, nem que seja “à bomba”.

  21. Godofredo

    -

    23/02/2013 às 23:31

    Obrigado pela bibliografia em que se apoia o texto,que varre falsas verdades e perniciosas definições,sobre a Igreja Católica no decorrer das eras,claramente com o propósito de diminui-la.

  22. kannahoot

    -

    23/02/2013 às 18:44

    Concordo em Numero grau e genero. Precisamente o modelo de argumento que o pt usa em defesa propria…espero que o RENAN e o SARNEY leiam isso, vao parecer anjos despencando do ceu .A estupidez humana nao encontra limites( e hora de os cegos começarem a vomitar sabedorias) e lamentaval ler isso!!!!!

  23. Hilda

    -

    23/02/2013 às 18:19

    Falando em inquisição…e MIGUEL SERVET? O importante médico, cientista e teólgo espanhol morto pelo CALVINISMO???
    Condenado e julgado por João Calvino foi conduzido vivo à fogueira na Espanha do século 16. O pior é que histórica igreja Presbiteriana do Brasil (ramo direto da reforma protestante) trata a morte do médico como “incidente”.
    Basta pesquisar na Universidade Makenzie. Tb nunca ouvimos referências a intolerância e o antisemitismo de Martinho Lutero.

  24. tatiane

    -

    06/02/2013 às 20:41

    As pessoas, em geral, fazem um reducionismo da história. As penas de morte, na Inquisição, quando ocorriam, era pelo braço secular e não da Igreja. Quanto à investigação e julgamento ( que durava um certo período, até meses ), pelo menos isso existiu na Inquisição. A Revolução francesa, ao contrário, em nome da liberdade criou a “lei dos suspeitos” e quem era suspeito de ser contra a revolução não tinha direito a julgamento nenhum e era guilhotinado em até 24 horas, chegando a paranoia de, no período do terror, guilhotinar um francês “suspeito” e seu papagaio porque o papagaio gritava “Vive le roi” ( Viva o rei ) e não “Vive la republique” ( Viva la república ). Isso sem contar outros vários exemplos, como na Inglaterra, onde o braço secular condenou, em um ano, mais do que no mesmo períodos os inquisidores fizeram, condenando muitos a pena de morte por roubo, simplesmente por roubar uma ovelha, etc. Não precisam acreditar em mim, apenas procurem pesquisar a fundo estes temas.

  25. soares- bombeiro

    -

    24/01/2013 às 19:09

    a intolerancia religiosa que faz muitas coisas ruin acontece jesus falou sobre isto e esas coisas acontece a te detro dos lares dos que servem a deus e os que nao serve lucas 12 v 49 jesus tras fogo e dissecao a terra o lar se torna dividido por discordar dos seus ensinamento da palavra de jesus.

  26. soares- bombeiro

    -

    24/01/2013 às 18:36

    se deus era ruin no antigo testamento ele pouco tolerava o mal como vemos genesis 6 a maldade do homem se multiplicou sobre a terra os homens hoferecia as criancas aos deuses ate que ele nao teve mais tolerancia envio jesus mudar o coracoa do homem mas o homem nao quer nao queremos que este reine sobre nos disse a multidao a pilatos.

  27. soares - bombeiro

    -

    24/01/2013 às 18:21

    caro amigo jesus disse gracas te dou ho pai porque ocultaste estas coisas aos sabios e entendidos e revelastes aos pequeninos.. pedro era presbitero tinha sobre nome simao marcos 1 v29 30 era casado tinha esposa jesus curou sua sogra de febre, presbitero 1pedro5 v1 tues pedro sobre esta pedra a pedra que jesus falou e opropio jesus 1 pedro 2 v6 quem nela cre nao sera confundido daniel 2 v44 45 .

  28. soares - bombeiro

    -

    24/01/2013 às 15:08

    o homem quer fazer do seu jeito despreza a palavra de deus que e espirito e vida no livro aos galatas paulo falou sobre as obra da carne e as do espirito onde ha oespirito de deus ha liberdade amor paz santidade benignidade fe temprenca e os que sao de cristo sao conhecidos ate hoje existe os que quere forcar o povo a cre em heresias despresado o sacrificio de jesus o unico que pode perdoar os pecados da humanidade para salvacoa eterna ficam inventado mas a palavra de deus disse que tudo que o homem semear isto tambem seifara vamos semear o que ha de melhor abraco.

  29. Brustolin

    -

    16/01/2013 às 2:00

    Concordocom o Autor e as referências.

  30. SENTTNL@

    -

    24/12/2012 às 12:37

    DEUS era mal no velho testamento e bom no novo?Em ambos o conceito de um DEUS bom e amoroso estava presente!Não esqueça-mos que ele escolheu um povo tirando-o do Egito dando ínicio a sua obra salvífica.Não esquecemos também,segundo os ditos e aprendizados históricos que a humanidade daquela época cometia atrocidades até mesmo com seus próprios filhos récem-nascidos chegando ao ponto de queimá-los vivos em nome de alguma dinvindade esperando ser beneficiada por tal ato de submissão,algo que descontentava totalmente O CRIADOR,por sua vez a nação de Israel por diversas vezes procurava-os imitar.Odeio oque foi feito nessa tal “de santa inquisição”,(que de santa não tem nada),odeio oque se faz diariamente nesse planeta,não comungo com a idéia que DEUS apóie tais práticas também.”E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.”
    Gênesis 6:5

  31. Mário Kempes

    -

    07/12/2012 às 17:35

    O que eu vejo é que a igreja é apenas um braço de algo bem maior que nós esquecemos,o antigo testamento. se ela se baseia na bíblia, então se baseia mal. Já que no antigo testamento há torturas, assasinatos,genocídios.

  32. Jarbas

    -

    13/09/2012 às 6:36

    Nao acreditei no que acabei de ler e tive que comentar. O fato de que a quantidade de pessoas mortas foi menor nao altera nada. As criticas contra a inquisiçao sao sobre sua ideologia. Mandar matar “hereges” em nome de Deus é errado, nao importa se foram duas ou dois milhoes. O que se critica é que o papa ordene matar os infieis nas cruzadas prometendo salvaçao eterna em retorno. vender indugencias dentre outras atrocidades. isso é o que esta sendo criticado atualmente. E o argumento de que ” naquela epoca era assim mesmo” me deixa perplexo. na minha modesta opiniao o cristianismo nasceu em um berço puro. As ideias de Jesus eram formidaveis e inspiradoras. Nao sei ao certo se sao mensagens de Deus e espero profundamente que tenham sido. Mas o homem as distorceu, usou a imagem e a ideia do cristianismo para conquistar o mundo(constantino) e refez as regras para seu proprio bem. O cristianismo e a ideia que cristo criara ja a muito morrera, agora seu nome seria usado para manipular pessoas e conquistar objetivos. Entendo que a fé de algumas pessoas seja grande o suficiente para nao permitir que as mesmas abrao os olhos e vejam que toda religiao envolvendo o nome de cristo ressucitado é uma grande fraude. Manipulada por poderosos da epoca para o proprio bem. Tambem entendo que a igreja e a religiao sejam necessarias para o bom funcionamento da sociedade. Mas acharia respeitoso da parte da igreja parar de tentar ludibriar e simplesmente ser honesta com os proprios fieis e admitirem os erros cometidos. admitindo que o Papa ou os lideres protestantes sao somente pessoas normais como qualquer outro, sujeitos ao erro. E foram sim, cometidas varias atrocidades. Acredito em Deus, sou um grande admirador de jesus(tenha sido homem ou santo), mas fico indignado com alguns “loucos” que ainda querem que o mundo viva sobre uma doutrina e rituais criados seculos atras por homens de carne e osso como eu e que defendem sua igreja de tal forma que fecham os olhos para a realidade dos fatos. Mas felizmente o mundo islamico(outra religiao boa de berço mas distorcida pelo homem) nao chegou as americas antes do cristianismo. Pois temo que talvez as mesmas pessoas que aqui defendem cristianismo com tanto fervor seriam, provavelmente, responsaveis por atos mais fortes do que simplesmente expressar sua “cega” opiniao. viva ao cristianismo. ” dos males, o menor”.

  33. Hipolito José Neto

    -

    07/09/2012 às 11:57

    Discutir o número de pessoas vitimadas pelos “santos” julgamentos e condenações do Tribunal do Santo Ofício, nome dado a instituição responsável pelo processo de investigação, julgamento e execução do acusado, que assim como o Supremo Tribunal Federal do Brasil, ele não carecia de provas para condenar o acusado, uma simples suposição já era suficiente, acredito que comparar o número de mortos na Inquisição, com os que morreram nas revoluções Francesa, Russa e Cubana, se torna um pouco sem coerencia, haja vista, se trtar de períodos em que a densidade demográfica é incompavelmente diferente.
    Em outras palavras, se analisarmos pela proporcionalidade, veremos que todas mataram com igual furor. Quanto a Igreja responsável pelos atos da inquisição, o que posso afirmar com convicçõa, é que ela teve a humildade de se renovar. Não é de boa fé comparar a Igreja Católica de hoje com a Igreja medieval. A própria Igreja em si, sabe dos erros que cometeu no passado e já se penitencia por isso. Não é de bom grado buscar justificativas para quem matou mais ou matou menos pessoas. O que precisamos mesmos não repetir os erros do passado sob qualquer hipótese.

  34. Antonio Vieira

    -

    04/09/2012 às 9:08

    Não compare Deus aos demônios do mundo. Agora veja e caucule:VICARIVS GENERALIS DEI IN TERRIS= VICARIVS FILII DEI= DVX CLERI= e IESVS CRISTVS FILII DEI=

    Essa ai foi de mais srsrsrrs
    Esse precisa aprender a ler porque não teve nem coragem de ler o apocalipse. rss.

  35. eduardo

    -

    03/09/2012 às 20:25

    Esquerdista é uma maquina de cuspir plavras de ordem. Não estudam nem o proprio marxismo o que dirá a historia da civilização.

  36. mauricio carlos

    -

    03/09/2012 às 19:15

    Reinaldox na cascuda!

  37. Maurício Garcia

    -

    06/07/2012 às 17:34

    O messias foi assassinado covardemente, seus discípulos e os fieis. Quais foram o motivo?
    Não compare Deus aos demônios do mundo. Agora veja e caucule:VICARIVS GENERALIS DEI IN TERRIS= VICARIVS FILII DEI= DVX CLERI= e IESVS CRISTVS FILII DEI=

  38. Cassiane da Costa

    -

    21/06/2012 às 13:01

    Fazendo uma leitura rápida parece que o texto busca revelar que a inquisição não matou tanta gente quanto se propaga. Pois, ela teria condenado à morte, imaginem, sequer 2% dos acusados. Questiono-me: os condenados não a morte saíram vivos de suas penas? Pelo que sei, direitos humanos, nutricionista, direito à visita, direito ao sol são garantias atuais. O texto “esclarecedor” citado como fonte de pesquisa ao mesmo tempo em que menciona apenas 1,8% de condenações à morte (de pessoas que praticaram o crime de não gostar de carne de porco, por exemplo – é nesse ponto que tais criminosos nao podem ser comparados aos julgados pelo Estado) cita apenas 139 absolvições no decorrer de 15 anos de julgamento. Recomendo o filme “Sombras de Goya” para que possam entender a visão que eu tenho sobre a prisão daquela época.

  39. lucia

    -

    29/03/2012 às 19:57

    eu gostaria de saber por que muitos usam este fato para deturpar a historia e diversos achados historicos e tambem como eles nao conseguem rebater as criticas começam a usar o fato da inquisiçao contra a igreja quer dizer quando eles nao podem acusar uma instituiçao religiosa eles usam de outros meios para persuardir as pessoas e perseguir uma instituiçao se aqui no brasil e no mundo prega a tal da tolerancia por que todos atacam a igreja tanto e que as lesbicas e os homossexuais podem casar no civil se podem casar no civil por que querem que a igreja catolica aceite o casamento deles na igreja eles sabem da posiçao da igreja mas porque obrigar a uma instituiçao a aceitar isso? ja que eles conseguiram esse casamento no civil nao precisa casar na igreja tanto e que varias pessoas so casam no civil por que eles nao se contentam so com o casamento civil

  40. lucia

    -

    29/03/2012 às 19:45

    Como Constantino fundou a Igreja Católica? Por que o fez? Por que nenhum cristão da época se insurgiu contra este fato? O que aconteceu com a Igreja que existia antes de Constantino? E, principalmente, como explicar que todos os dogmas de fé da Igreja aparecem em escritos cristãos séculos antes de Constantino?

  41. ligia

    -

    23/03/2012 às 2:46

    boa, reinaldo!

  42. carlos ande perin

    -

    15/03/2012 às 22:55

    procurem se informar de um e-book chamado O Índice das Mentiras contra a Igreja Católica, imprimimos algumas cópias e temos algumas cópias para vender, mas tem em e-book tbm.

    Estão difamando a Igreja porque para se implantar um governo totalitário mundial, não é possível que isso ocorra com a permanência da Igreja como autoridade moral, porque senão ela vai denunciar o regime autoritário.

    Por isso que ficam falando de padres pedófilos, sendo que tem muito mais pastores pedófilos, falando de inquisição católica, sendo que a inquisição protestante matou muito mais. Defende o lado do protestantismo porque a ideia dos globalistas é dividir as religiões para que elas percam a força da união das pessoas e lançar umas contra as outras para daqui a 100 200 anos as pessoas verem a religião com o mesmo olho de quem hoje olha para o nazismo.

  43. Pacheco

    -

    14/03/2012 às 18:13

    Prezado Reinaldo,

    Bem oportunos os esclarecimentos que você corajosamente trouxe. Parabéns pelo seu valioso trabalho.

    Em complemento, indico o excelente documentário da BBC de Londres intitulado “O mito da Inquisição Espanhola”, com a participação de grandes historiadores que são referências neste assunto: http://pud.im/inquisicao

    Abraços,
    Pacheco

  44. SAVIO

    -

    13/03/2012 às 1:09

    Para mim foi de grande serventia esse texto, que sou católico mas não muito informado sobre o tema, que sempre é usado quando se pretende criticar a Igreja. Tomei conhecimento desse artigo através de uma postagem no Facebook. Vou divulgá-lo a outras pessoas. parabéns.

  45. Almirante Kirk

    -

    11/03/2012 às 5:02

    (Continuação…)
    Quanto a livros – sabendo que os brasileiros,salvo honrosas exceções,não são afeitos a leituras -,sugiro o EXCELENTE e ESCLARECEDOR livro ” COMO A IGREJA CATÓLICA CONSTRUIU A CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL ” – o qual deu origem ao vídeo-documentário acima referido -,de Thomas E. Woods Jr, professor/pesquisador de Harvard/Columbia:

    “Se perguntarmos a um estudante universitário o que sabe do contributo da Igreja Católica para a sociedade, a sua resposta talvez se resuma a uma palavra: “opressão”, por exemplo, ou “obscurantismo”. No entanto, essa palavra deveria ser “civilização”.

    O autor destas páginas, Thomas Woods, doutorado pela Universidade de Columbia, mostra como toda a Civilização Ocidental nasceu e se desenvolveu apoiada nos valores e ensinamentos da Igreja Católica. Em concreto explica, entre muitas outras coisas:

    • Por que o milagre da ciência moderna e de uma filosofia que levou a razão à sua plenitude só puderam nascer sobre o solo da mentalidade católica;

    • Como a Igreja criou uma instituição que mudou o mundo: a Universidade;

    • Como ela nos deu uma arquitetura e umas artes plásticas de beleza incomparável;

    • Como os filósofos escolásticos desenvolveram os conceitos básicos da economia moderna, que trouxe para o Ocidente uma riqueza sem precedentes;

    • Como o nosso Direito, garantia da liberdade e da justiça, nasceu em ampla medida do Direito canônico;

    • Como a Igreja criou praticamente todas as instituições de assistência que conhecemos, dos hospitais à previdência;

    • Como humanizou a vida, ao insistir durante séculos nos direitos universais do ser humano – tanto dos cristão como dos pagãos – e na sacralidade de cada pessoa.

    Num momento em que se propaga uma imagem da Igreja como inimiga dos progressos da ciência e da técnica, e da liberdade do pensamento, este é um livro que desfaz preconceitos, corrige clichês e ensina inúmeras verdades teimosamente omitidas no ensino colegial e universitário.” Mais aqui: http://www.quadrante.com.br/Pages/loja_detalhes.asp?id=672&categoria=Pensamentos

    Grato,caro Reinaldo!

  46. Almirante Kirk

    -

    11/03/2012 às 4:58

    (Continuação – sobre Idade Média e os equívocos históricos presentes na infeliz expressão “Idade das Trevas”)
    Estes assuntos são tão vastos,profundos,complexos e delicados,que só uma pessoa muito estudiosa e determinada e com tempo disponível pode,caso queira,se debruçar sobre a análise de DOIS MIL ANOS de estudos sobre a Igreja Católica e sua benéfica e inestimável contribuição ao Mundo Civilizado!!!
    SE ATÉ AQUELES QUE SE DIZEM CATÓLICOS DEIXAM MUITO A DESEJAR, SEJA NA ANÁLISE DO QUE É A IGREJA CATÓLICA,SEJA NO QUE ELA REPRESENTOU E REPRESENTA, IMAGINE, ENTÃO, O QUE NÃO ESCREVEM E O QUE NÃO SAI DE INDIVÍDUOS NÃO-CATÓLICOS OU MESMO DE ANTICATÓLICOS, ou seja, ANTICRISTÃOS!
    Como sugestão de vídeo-documentário, sugiro este:
    1.1 A Igreja Católica: Construtora da Civilização – Introdução

    http://il.youtube.com/watch?v=t6bnO7N1AMU
    (Continua…)

  47. Almirante Kirk

    -

    11/03/2012 às 4:49

    A Idade Média, longe de ser a “Idade das Trevas”, foi um período muito importante, onde a santa Igreja Católica criava as bases ou os fundamentos da Civilização Ocidental de moral judaico-cristã!
    Com toda a informação hoje disponível acerca do referido período, causa- me espécie ler comentários onde a Idade Média seja vista ainda segundo uma infeliz, porque equivocada e tacanha, perspectiva, exemplificada pela expressão “Idade das Trevas” !
    LAMENTÁVEL!!!

  48. Almirante Kirk

    -

    11/03/2012 às 4:38

    AO anticatólico “mosciaro”
    -
    10/03/2012 às 1:58:

    Tic tac!
    Tic tac!!
    Tic tac!!!
    Tic tac!!!!
    Tic tac!!!!!
    Tic tac!!!!!!
    Tic tac!!!!!!!
    Tic tac!!!!!!!!
    Tic tac!!!!!!!!!
    Tic tac!!!!!!!!!!

    CADÊ AS FONTES???

  49. mosciaro

    -

    10/03/2012 às 1:58

    Caro Rei, longe de mim querer discordar de você, historiadores, estatisticas e dogmas, no entanto o período inquisitivo teve o seu auge na idade das trevas, tendo a igreja como protagonista de todos os fatos e ações por mais de dois séculos. Ademais os historiadores são ligados a causa e consequentemente parciais e simpaticos ao catolicismo, logo tais relatos estão longe da realidade, até mesmo porque a caixa preta da inquisição não foi aberta totalmente e jamais será. Veja bem, esta é apenas minha opinião, cuja interpretação vem de outros fundamentos e historiadores, que também a exemplo dos primeiros citados, podem ter opiniões parciais ou desfavoravel a igreja catolica. Sinceramente eu não vejo onde essa discussão pode levar, mais a inquisição foi um fato vergonhoso, indiferente do contexto e dos propósitos que queiram justifica-la. UM ABRAÇO.


    REINALDO SUGERE

    Diga as fontes. Será bom para todos nós

  50. Carlos Campos

    -

    09/03/2012 às 16:29

    “A Inquisição exterminou 30 milhões de pessoas?
    Para muitos estes supostos dados de “milhões de mortes” são as provas claras e literais do obscurantismo e corrupção da Igreja católica durante a “Idade das Trevas” podemos então afirmar a veracidade destes números que pressupõem que um verdadeiro “holocausto” foi promovido por parte do clero da Igreja Católica?”. O cidadão que escreveu isto conhece um sinal de pontuação chamado “vírgula”? Não dá pra ler um troço desse. Desconfio que um sujeito que escreve assim não deve ter lá um rigor intelectual dos mais acurados. O jeito é buscar outras fontes. Ainda, claro, que ache essa história de defender um atacando outro porque aquele matou menos que este é de um embuste intelectual e de um desprovimento de senso humanitário a qualquer prova.

  51. MINEIRIN INVOCADIN

    -

    09/03/2012 às 11:23

    Reinaldo,texto bastante esclarecedor,pecando pelos vários erros de pontuação do original(vírgulas em lugares que caberiam “ponto e vírgula”,além de “sujeito separado do predicado por vírgula”! Tais erros atrapalham o entendimento em alguns momentos,mas ,de um modo geral,não deixa de ser valioso!

  52. Felipe Aquino

    -

    09/03/2012 às 10:46

    Caro Reinaldo,
    Parabens por seus artigos corajosos em defesa da nossa fé católica; você está sempre em minhas orações.
    Fiquei muito feliz de ver que você usou nosso livro PARA ENTENDER A INQUISIÇÃO, no seu bom artigo.
    Que Deus te abençoe e proteja copiosamente.

  53. Aero Willys

    -

    09/03/2012 às 8:20

    Reinaldo;
    Sem esticar muito: não que isto seja justificativa de tortura e coisas do gênero, mas não foi a Igreja Católica que queimou bruxas em Salem. Houve atos, horriíveis, que partiram de outras vertentes cristãs.
    Ah, por isto o Cristianismo é tão mau!!!
    Não, não por isto… mas a partir da colonização das Américas, por europeus e sua Cristandade, sacrifícios humanos nos altares de tribos em permanente guerra étnica deixaram de ser hábito.
    Há páginas “tristes” do Cristianismo, mas seguramente a contribuição positiva civilizacional supera ENORMEMENTE os atos ruins.
    Prefiro entoar: ubi Charitas et Amor Deus ibi est.

  54. Almirante Kirk

    -

    09/03/2012 às 6:13

    Errata:
    Em vez de “Há, por aí, seitas e filosofias que se fazem passar por cristãs, quando não o são, visto que mandam as BASES ou os FUNDAMENTOS doutrinários da Doutrina Católica, ou seja, da Doutrina Cristã às favas?!”, o texto correto é assim, sem porto de interrogação no final:
    “Há, por aí, seitas e filosofias que se fazem passar por cristãs, quando não o são, visto que mandam as BASES ou os FUNDAMENTOS doutrinários da Doutrina Católica, ou seja, da Doutrina Cristã às favas!”
    Grato, caro Reinaldo!

  55. Almirante Kirk

    -

    09/03/2012 às 6:09

    (Continuação – com a parte final do texto, pois este é bem extenso)
    “Sempre Pedro está na frente; e junto com os Apóstolos. Não há como negar o primado de Pedro à frente da Igreja primitiva.

    A jurisdição dos Apóstolos sobre a Igreja sempre se fez valer, e jamais houve ´´igrejas independentes´´, até a triste reforma protestante de 1517:

    ´´Os Apóstolos que se achavam em Jerusalém, tendo ouvido que a Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram/lhe Pedro e João. Estes, assim que chegaram fizeram oração pelos novos fiéis, a fim de receberem o Espírito Santo … Então os dois Apóstolos lhes impuseram as mãos e receberam o Espírito Santo´´ (At 8,14/17).

    A partir deste episódio a Igreja foi descobrindo o Sacramento da Crisma, ministrado pelo Bispo. Isto mostra que os Apóstolos governavam toda a Igreja primitiva.

    Após a perseguição que se seguiu à morte de Estevão, muitos gentios se converteram em Antioquia, pela pregação dos dispersos que lá se refugiaram. A notícia dessas coisas chegou aos ouvidos da Igreja de Jerusalém. Enviaram então Barnabé à Antioquia (At 11,19/22). A Igreja de Jerusalém mantinha a vigilância. São Lucas registra que :

    ´´Em cada Igreja [os apóstolos] instituiam anciãos e, após orações com jejuns encomendavam/nos ao Senhor, em quem tinham confiado´´ (At 14,23).

    Esses fatos mostram claro que as igrejas particulares nunca foram independentes dos Apóstolos, e de Pedro especialmente, como querem os irmãos separados da Igreja Católica. Toda a Tradição apostólica confirma isto.

    São Pedro foi martirizado em Roma. As escavações realizadas sob a basílica do Vaticano nos últimos decênios, bem como os escritores antigos, confirmam isto. Os arqueólogos descobriam um túmulo cristão sob a basílica vaticana, em meio a túmulos pagãos. Esse túmulo cristão tinha acesso por uma via que devia ser muito frequentada. Foram encontradas junto a esse túmulo numerosas inscrições a carvão (graffiti), fazendo menção ao Apóstolo Pedro. Encontraram ossos de um indivíduo de 60 a 70 anos, que é muito provavelmente de S. Pedro. Quando Pedro morreu, no ano 67, os cristãos ainda não tinham cemitérios próprios, e por isso o enterraram em um cemitério pagão.

    Foi o imperador romano Constantino, filho de Santa Helena, que convertido ao Cristianismo, construiu a basílica de S. Pedro, no século IV. É importante notar que ele podia ter escolhido, ao lado do local onde a Basílica foi construída, um terreno mais adequado, plano e grande: o chamado ´´Circo de Nero´´. Ao contrário, mandou edificar a Basílica sobre um terreno fortemente inclinado e já ocupado por um cemitério, que era um local respeitado pelos romanos. Se Constantino preferiu o local acidentado e ´´desrespeitou´´ o cemitério, construindo sobre ele a Basílica, é porque deve ter tido uma razão forte, exatamente a presença do túmulo de São Pedro ali.

    Por todas essas razões os Bispos de Roma são os sucessores de Pedro, com jurisdição sobre toda a Igreja. A Igreja Católica é chamada também de Romana por ter a sua sede, a Santa Sé, em Roma. Esta denominação, embora não seja uma exigência doutrinária, não é gratuita. Firmando a sede da Sua Igreja exatamente no coração do Império Romano, aquele que quis destruir a Igreja, que sacrificou milhares de mártires, com isto Cristo mostrou ao mundo que a Sua Igreja é invencível, e que jamais os poderes do inferno a vencerão. Sua promessa se cumpre. O império romano, talvez o maior império que a humanidade já conheceu, não conseguiu vencer aqueles Doze homens simples da Galiléia; ao contrário, foi ´´engolido´´ pelo cristianismo. No ano 313 o imperador Constantino, filho de Santa Helena, assinava o Edito de Milão, que acabava com a perseguição contra os cristãos em todo o império. Pouco tempo depois, o imperador Teodósio oficializava o cristianismo como a religião oficial do império…”

    Fonte: livro “A MINHA IGREJA”, do Prof. Felipe Aquino

    Para ler na íntegra: http://www.comshalom.org/formacao/exibir.php?form_id=1195

  56. Almirante Kirk

    -

    09/03/2012 às 6:06

    (Continuação…)
    “Tu és Pedro
    2003-12-20 16:20:00

    - Ao instituir a Igreja, a partir do Colégio dos Doze Apóstolos, Jesus o quis como um grupo estável e escolheu Pedro para chefiá-lo.

    É fácil compreender essa iniciativa do Senhor. Todo grupo humano precisa ter uma Cabeça visível para manter a sua ordem e integridade. Nenhuma instituição humana sobrevive sem observar esta lei.

    O Código de Direito Canônico da Igreja, diz que:

    “O Bispo da Igreja de Roma, no qual perdura o múnus concedido pelo Senhor singularmente a Pedro, primeiro dos Apóstolos, para ser transmitido a seus sucessores, é a Cabeça do Colégio dos Bispos, Vigário de Cristo e aqui na terra Pastor da Igreja universal; ele, pois, em virtude de seu múnus, tem na terra o poder ordinário supremo, pleno, imediato e universal, que pode sempre exercer livremente”(CDC,Cân.331).

    A Igreja, que é semelhante ao próprio Jesus, isto é, ao mesmo tempo, humana e divina, precisa também ter um Chefe visível. Ela tem a sua Cabeça divina, invisível, o próprio Cristo; e tem a sua Cabeça humana, o seu chefe visível, o Papa. Cristo assim o quis. Diz o Catecismo que:

    “Somente a Simão, a quem deu o nome de Pedro, o Senhor constituiu como a pedra da sua Igreja. Entregou-lhe as suas chaves, instituiu-o pastor de todo o rebanho” (nº 881).

    “E eu te declaro: Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus” (Mt 16,18-19).

    Estas palavras de Jesus são claríssimas, e só não as entende quem não quer. Não há como distorcê-las e manuseá-las.

    Pedro é a pedra sobre a qual Ele quis edificar a Sua Igreja. É preciso notar que o Senhor diz “a Minha Igreja”. Usou um pronome possessivo “Minha”; ela é propriedade Sua, é o Seu próprio Corpo, e Ele a quis construída sobre o Papa. Não existe outra.

    Para não deixar dúvidas a respeito disto, no primeiro encontro que Jesus teve com Simão, trocou/lhe o nome para “Kefas”, que quer dizer Pedro, o mesmo que pedra em aramaico.

    Quem nos relata isso é o evangelista São João. Pedro não se deu conta da grandiosidade daquele acontecimento, no momento, mas, certamente, se lembrou dele mais tarde. Ouçamos o evangelista contar logo no início do seu Evangelho:

    “André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que tinham ouvido João [Batista] e que o tinham seguido. Foi ele então logo à procura de seu irmão e disse/lhe: “Achamos o Messias (que quer dizer o Cristo). Levou-o a Jesus e Jesus, fixando nele o olhar, disse “Tu és Simão, filho de João; serás chamado Kefas (que quer dizer pedra)” (Jo 1,40ss)´´.

    É importante observar que ´´no primeiro encontro´´ com Simão, Jesus ´´fixa nele o olhar´´ e muda o seu nome para Pedro. Isto não foi sem razão.

    Na Bíblia, quando Deus muda o nome de alguém, é porque está dando a essa pessoa uma missão. Para o judeu o nome da pessoa tinha algo a ver com a sua identidade e missão. Assim, por exemplo o Anjo disse a José:

    ´´Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus [Deus salva], porque ele salvará o seu povo de seus pecados´´ (Mt 1,21).

    Veja que o nome dado ao Messias de Deus é Jesus, designando a sua identidade divina e a sua missão salvífica (Deus salva / Jesus). ”
    (Continua…)

  57. Almirante Kirk

    -

    09/03/2012 às 6:04

    AO ” Heriberto Fernandes de Araújo”
    -
    08/03/2012 às 20:02, eu compreendo o seu enfoque, típico daqueles indivíduos que não têm Igreja, rs!Fazer o quê, né?!
    Há, por aí, seitas e filosofias que se fazem passar por cristãs, quando não o são, visto que mandam as BASES ou os FUNDAMENTOS doutrinários da Doutrina Católica, ou seja, da Doutrina Cristã às favas?!
    Com a licença do caro Reinaldo e a paciência dos não-católicos e dos anticatólicos, entre outros não crsitãos, reproduzirei algumas partes de um extenso texto referende à primazia do apóstolo Pedro e à sucessão apostólica, para efeito de eventual compreensão acerca do FATO de a santa Igreja Católica ter sido fundada por Jesus Cristo:
    (Continua…)

  58. Almirante Kirk

    -

    09/03/2012 às 5:51

    Caro Reinaldo, a propósito do tema santa Inquisição Católica, lembro aos incautos não-católicos e aos ignaros anticatólicos, que existiu outra inquisição: a INQUISIÇÃO PROTESTANTE, cujos crimes e excessos, entre outros, são atribuídos, seja por ignorância, seja por desonestidade intelectual, à referida santa Inquisição Católica!
    Recomendo o vídeo “Inquisição – A história não contada”, criado pelo “canal santaigreja”, disponível via youtube, onde trata da barbárie praticada pelos hereges cátaros ou albigenses!Ei-lo: http://www.youtube.com/watch?v=KPE1xwggBp8&feature=related

    Parece-me, caro Reinaldo, que aqueles que querem o fim do Catolicismo, ou seja, do Cristianismo, sonham ou almejam, salvo melhor juízo deste que ora escreve, um mundo paganizado, onde práticas como o sacrifício de seres humanos ( como faziam os astecas e maias, por exemplo); infanticídio; aborto; combate ao Casamento e à família; a falta de amparo aos bebês e às crianças enjeitados, bem como à falta de assistência aos idososos e doentes, entre outros, sejam a norma, já que, para estes anormais e esquizofrênicos, isto é que é “evoluir” ou ser “evoluído” – termos, estes, reiteradamente presentes em seu vocabulário…

  59. André

    -

    09/03/2012 às 0:30

    Julio Cesar 21:18

    “…entretanto o que disse é baseado em fatos e dados históricos.”
    .
    O que eu disse também é. Contraponha os dados.
    .
    .

    “O misticismo da época dizia que os gatos eram criaturas demoníacas, pelo fato, inclusive deles serem venerados por culturas pagãs antigas, como a o Egito.Quando você diz que nunca existiu nenhuma lei que impusesse tal prática, pode até ser verdade, entretanto era fato corriqueiro o massacre desses animais e outras práticas baseadas em puro misticismo propagadas pelo povo e também pela Igreja.”
    .
    Eu disse que não houve lei promulgada pela Igreja para que se exterminasse gatos. Que alguns os associavam a supertições, não discordei. No entanto, você não comentou nada sobre os outros predadores dos ratos.
    .
    .

    “Quando você diz que a abertura de feridas no corpo não contribui para a infecção de doenças ou que o extermínio de gatos não afetaria a população de ratos,mostra que você age como um cego que não enxerga o óbvio.”
    .
    O que é o óbvio? Prove que só os gatos são os predadores naturais dos ratos e que sem gatos a população de ratos explode. Prove que a Igreja mandava as pessoas se ferirem e exporem as feridas (eu não falei que feridas não trazem doenças, me referi especificamente ao contágio da peste negra, que foi o tema que você levantou). Prove que o número de pessoas que se feriam foi suficiente para impactar a epidemia.
    Repito algo que você (propositalmente?) ignorou: se a epidemia de peste negra foi intensa na Europa por causa de ações da Igreja, por que na Ásia (onde as comunidades cristãs eram pequenas e não tinham influência) ela foi tão intensa quanto na Europa?
    .
    .
    “Portanto não se comporte como um fanático que tenta a todo momento justificar os erros, você acaba dando “munição” para aqueles extremistas ateus e outros extremistas religiosos que atacam o Catolicismo.”
    .

    É fácil chamar aos outros de fanáticos. Eu não disse pra você não falar contra a Igreja porque isso é pecado. Talvez isso me fizesse um fanático. Respondi o que você escreveu com argumentos (alguns você treplicou, outros você curiosamente ignorou). Não se preocupe, não vou chamá-lo de burro. Quanto a munição para ateus, leia nossas mensagens e veja quem é que está fazendo isso.

  60. Julio Cesar

    -

    08/03/2012 às 21:18

    andre 12:05
    Andre, não tenho nada contra a Igreja, sendo inclusive católico, entretanto o que disse é baseado em fatos e dados históricos.
    O misticismo da época dizia que os gatos eram criaturas demoníacas, pelo fato, inclusive deles serem venerados por culturas pagãs antigas, como a o Egito.Quando você diz que nunca existiu nenhuma lei que impusesse tal prática, pode até ser verdade, entretanto era fato corriqueiro o massacre desses animais e outras práticas baseadas em puro misticismo propagadas pelo povo e também pela Igreja.
    Hoje a Igreja Católica pode ser considerada a mais racional existente em nossa sociedade sem aparições do demônio em missas e curas “milagrosas” ocorrendo toda hora.
    Entretanto essa racionalidade foi fruto de mudanças na sociedade, com a contribuição da Igreja, principalmente na área do Direito, onde no tempo das ordálias existias o Direito Canônico.
    É claro que existiu uma período em que muitas superstições eram tidas como verdadeiras e a Igreja fazia parte desse período.
    Quando você diz que a abertura de feridas no corpo não contribui para a infecção de doenças ou que o extermínio de gatos não afetaria a população de ratos,mostra que você age como um cego que não enxerga o óbvio.
    Qualquer doença causada por bactéria ou vírus é facilitada pela abertura de feridas,isso é um dado tão notório que qualquer aluno sabe. O nome disso é infecção.
    Portanto não se comporte como um fanático que tenta a todo momento justificar os erros, você acaba dando “munição” para aqueles extremistas ateus e outros extremistas religiosos que atacam o Catolicismo

  61. Curioso

    -

    08/03/2012 às 21:13

    Para mim religião é simplesmente ideologia. Então o comunismo é uma ideologia e matou milhões de pessoas.
    ———
    O que se tem que pensar e discutir é: A Igreja deve praticar a Religião ou a religiosidade.
    ———
    Praticar religião é praticar divisão entre os homens. A religiosidade não é uma pratica, mas pura observação. Cristo não criou uma religião, pregou isso sim a religiosidade. Basta uma frase muito simples que ele disse: “Tire primeiro a trava de seus olhos, depois tire a de seu irmão.”. Isso é claramente religiosidade, pois partiu da simples e penetrante observação. Isso não é uma religião.

  62. Heriberto Fernandes de Araújo

    -

    08/03/2012 às 20:02

    O simbolo do cristão, nos primeiros dias da igreja perseguida e temerosa, era o peixe, o do crucifixo é bem depois do periodo dos apostolos, mais da igreja dominada pelo poder romano, Jesus nunca deixou tradição, mais fé, esperança, paz, amor, perdão, e nos fez nova criatura, lavada e remida pelo o sangue do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, porque o mundo jáz no maliguino, mais Jesus, disse vos sois a luz do mundo, em MT 5-43/48, Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelo que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo? Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste. E hoje estamos vendo o que esperamos conforme as proficias, tudo se cumprindo, oh! maranata ora vem Senhor Jesus.

  63. 44%Fernando44%

    -

    08/03/2012 às 19:29

    O que? Você está provando que o número de mortos pela Inquisição é de centenas? E o “equivalente” de Fidel é dezenas de milhares? E o de Mao, Stalin e Hitler, dezenas de milhões?
    Em suma, os regimes “comunistas” mataram mais seres humanos que todos os regimes que já existiram na face da Terra(incluído o nazismo de Hitler)!
    Só estou esperando algum desses alegres vermelhinhos vir falar perto de mim sobre direitos humanos… Bando de assassinos genocidas sem escrúpulos.

  64. Heriberto Fernandes de Araújo

    -

    08/03/2012 às 19:26

    Reinaldo, o que eu mais adimiro na pessoa de Jesus, meu Senhor e Salvador, é que Ele mesmo se fez pecado, para que podesemos ser livre da maldição do pecado e da morte, e viver para Deus,muitos coloca a culpa nos judeus, por isso muitos forão mortos na inquisição, qdo o meu JESUS mesmo disse; a minha vida Eu expotaneamente a dou, ninguem a tira de mim, assim como Eu tenho o poder de dar, tenho o poder de reavela, por isso veio a ressurreição no 3º dia, não sei porque tanta polemica por um simbolo, que não deve lembra só a morte de Jesus, porque o meu redendor vive, eis ai a minha alegria e o meu contentamento, pois Ele mesmo prometeu que voltaria, e o crente vive pela fé, e não naquilo que ver.

  65. miriam

    -

    08/03/2012 às 18:46

    Ô Rei, os fatos para essa gente não significam nada!!Eles acreditam naquilo que querem acreditar. Quanto mais mentiroso , e, deletério, for o que disserem contra a igreja, para eles é melhor, a verdade não lhes interessam.

  66. Tuca

    -

    08/03/2012 às 18:21

    Amamos Cristo, independentemente se cristãos católicos ou protestantes erraram no passado. Foram homens pecadores que não entenderam o que Cristo pregou, amor, paz e sobretudo tolerancia. Reinaldo, se tirarem o crucifixo da parede, não importa, pois Êle está vivo, ressucitou e vive em nossos corações. Obrigada pelo texto, desconhecia os números.

  67. Pedro

    -

    08/03/2012 às 17:47

    Reinaldo, tem um ótimo livro sobre a Inquisição, que desfaz muitos mitos criados por historiadores anti-religiosos, mas não foi utilizado como referência para esse artigo. Chama-se “A Inquisição em seu mundo” de João Bernardino Gonzaga.

  68. Mundico

    -

    08/03/2012 às 17:09

    Houve um documentário no Discovery Channel sobre a Inquisição, que apresentou um documento confidencial da Inquisição espanhola, no qual um padre reclamava em Roma da falta de dinheiro para custear suas prisões. Os presos comuns, das prisões seculares, blasfemavam para poderem ser transferidos para as prisões da Igreja, muito melhores.

  69. Antonio Villas

    -

    08/03/2012 às 17:03

    Poxa! Excelente. Na universidade diariamente encontro professores e alunos com estes argumentos tão pouco históricos e que os repetem como papagaios. Tais falácias neste artigo estão perfeitamente e eficazmente rebatidos. Parabéns, seu Reinaldo. Antonio.

  70. Fernando Bassotelli

    -

    08/03/2012 às 16:56

    Reinaldo, seria interessante verificar no Gloria.TV, um documentário sobre “O mito da inquisição espanhola”, feito pela BBC de Londres, que pelo que me consta não é Católica.

  71. Lázaro Válter Monteiro

    -

    08/03/2012 às 16:17

    Fustel de Coulanges, em “A cidade antiga”, ensina que não podemos olhar o passado com os olhos do presente. Pois bem: há muito que ouço e leio críticas à Igreja Católica, sempre com alusão à Inquisição e a seu papel na Idade Média. Entretanto, sem pretender justificar qualquer excesso, bem muito menos os crimes perpetrados pelo clero, é justo lembrar que temos uma Igreja hoje (notadamente a partir de Leão XIII), que nada tem a ver com os tristes e inaceitáveis fatos pretéritos. A Igreja Católica hoje possui inúmeras pastorais e obras que atuam no mundo todo em benefício das populações mais carentes. Exemplo disso á a Sociedade de São Vicente de Paulo, que assiste milhões de pessoas. O mesmo se diga dos missionários que vivem nos mais longínquos pontos da Terra. Portanto, tenhamos a honestidade de reconhecer a contribuição da Igreja ao longo da história (malgrado seus já admitidos erros) e de respeitar seus seguidores. Isto também é respeito pela Constituição Federal (só para ficar na seara jurídica, como também é constitucional a manutenção dos crucifixos em órgãos públicos.

  72. luiz

    -

    08/03/2012 às 16:08

    na idade media a igreja catolica era o pmdb, do mundo . fazia todo o tipo de negocio e somente quem fosse da base tinha direito. ma musica na pintura e literatura, só se criava quem puxasse saco da santa igreja catolica. hoje ja meio sem ibope e desmoralizada ja tem até seus simbolos escurrassados das paredes . é assim mesmo um dia tudo passa e os que paensavam serem eternos poderosos ja não mais. diziam que a santa inquisição foi necessaria para impor a verdade. Mas que verdade – vc inventa uma verdade e infia goela a baixo sobre os povos e quem não aceita se ferra. porque não aplicam hoje contra os crentes , que estão corroendo as bases dela. não tem exercitos de espanha italia e portugal. es guerras punicas e as cruzadas não fizeram nada. hoje não é ontem. nems erá amanhã…

  73. Maurício

    -

    08/03/2012 às 16:06

    Reinaldo, como você suporta esse pessoal que lê Dan Brown e quer sair dando aula de história e religião???

  74. GRAZINA

    -

    08/03/2012 às 16:05

    Reinaldo, adoro quando você desmascara esses cretinos atéus comunistas. Os dados que você informa, mesmo de crimes , como da inquisição, por maiores que sejam, sempre estão muito aquem dos crimes praticados pelos ídolos dos COMUNISTAS TUPINIQUINS. Você cala quem se mete a falar sem conhecimento de causa, êles repetem muitas vêzes o que ouviram desses professôres que fazem tudo para denegrir a verdade, distorcer os fatos, no caso agora a igreja católica, em prol do seu ideal maior, através do ateismo, base do comunismo, confundirem os incautos e assim atingirem seus objetivos escuzos, maléficos para o país e o povo. Implantação do COMUNISMO no BRASÍL. Na antiga URSS, o começo foi com a Bíblia, tinha sua entrada proibida no país e as existentes eram queimadas. Em Banânia o começo está sendo pelos inofencivos CRUCIFIXOS, simbolo maior do Cristianismo católico, justamente por ter sido na cruz, que Jesus foi Crucificado.

  75. Rapaz das brasílicas highlands

    -

    08/03/2012 às 15:59

    Enfim, LUZES!!! Que caia a Ordem vigente e que venha uma era de RENASCIMENTO, Renascimento Espiritual!

  76. EINSTEIN

    -

    08/03/2012 às 15:47

    FINALIZANDO A QUESTAO: SE MALAFAIA ENCONTRAR EDIR SAI TIRO,SE EDIR ENCONTRAR VALDEMIRO SAI TIRO,SE VALDEMIRO ENCONTRAR RR SAI TIRO,SE RR ENCONTRAR GAROTINHO SAI TIRO,SE GAROTINHO ENCONTRAR CRIVELLA SAI TIRO,SE TODOS ENCONTRAREM O PAPA,BUDA,GANDI,MAOMÉ NEM PRECISO DIZER.RESPOSTA: “EVANGÉLICOS” ONDE? REALMENTE O IRÃ É AQUI!

  77. Kaos

    -

    08/03/2012 às 14:07

    Reinaldo, alguém escreveu aí embaixo ” … exatamente em função de séculos de perseguição da igreja católica, o que foi determinante para a morte de 6 milhões de judeus…”.
    Como vemos a história tem VÁRIAS “verdades”. Felizmente vivemos num país diferente da Alemanha e de outros países onde é PROIBIDO o revisionismo ou o negacionismo.
    Esta REVISÃO que está acontecendo no Brasil em relação ao cristianismo, catolicismo, etc é MUITO benéfica para que sejam esclarecidas a maneira como o cristianismo e o catolicismo entrou no Brasil, e MOTIVAM as pessoas a ESTUDAREM sobre as origens da espécie animal humana, sem deuses, almas, espíritos, céu e inferno.
    Estamos progredindo em busca da verdade!!! CIÊNCIAS!!!
    Isto é DEMOCRACIA!!!

  78. Amoedo

    -

    08/03/2012 às 14:06

    Reinaldo,

    Ótimo este texto. Já havia lido a versão digital de “A História da Inquisição” no site Permanência (www.permanencia.org.br).
    O que deve ser deixado bem claro é que as mortes decorridas das condenações do Tribunal de Inquisição foram ABUSOS cometidos pelos juízes inquisidores, que por sua vez foram veementemente sensurados pelos Papas em sua época.
    Já as mortes dos revolucionários são FERRAMENTAS e fazem parte do MÉTODO de dominação, e os seus responsáveis em nenhum momento foram sensurados ou condenados por isso.

    Um abraço,
    Amoedo

  79. leo

    -

    08/03/2012 às 13:35

    OOOps!!!!!!!
    Dois post scriptum.

    1- O comentário (12:49) saiu na base do fígado. Não pedi vênia para fazê-lo, faço-o agora.
    2- O período indicado no mesmo (538-1798) refere-se ao período entre o decreto para a construção do Templo de Jerusalém e a entrada do Gal. Berthier em Roma, aprisionando o Papa. A Santa Inquisição está descrita na Bíblia com os seguintes termos: perseguirá e magoará os santos do Altíssimo.
    Creio que, uma vez que um fato é comentado por Deus, o mesmo assume um papel de profunda importância (para Ele), e portanto está acima das demais situações parecidas.
    Isso, é claro, para quem quiser acreditar.
    Eu acredito.

  80. Narcia

    -

    08/03/2012 às 13:18

    Reinaldo,

    As pessoas deveriam lembrar que na Igreja CAtólica como em outras igrejas e em quaisquer instituições há bons e maus (como na parábola do joio e do trigo. Até Jesus foi rejeitado pelos judeus, seu povo escolhido. Até Ele tinha um discípulo traidor. E, olha, que Jesus nem expulsou o traidor. Infelizmente, os maus fazem estragos irreparáveis. Porém, por causa dos erros deles, as Igrejas e Instituições são culpadas? Uma coisa é a instituição e outra coisa são os seus membros.

  81. ESilva

    -

    08/03/2012 às 13:18

    Bem, como deveria ser sabido, a Igreja não erra (Efésios 5, 27). É preciso discernir entre a pessoa (a Igreja) e o pessoal da Igreja (os membros). Ela é formada pelo que é certo, doutrinária e moralmente. A Igreja é o suporte da verdade perene (1 Tm 3, 15). O erro de um membro o afasta da Igreja automaticamente, pois ela, sendo o Corpo de Cristo, não contém falha ou pecado. Mas o membro que errou passa a ser uma chaga, uma ferida, sem prejudicar a santidade de Cristo e Seu Corpo.

    Recomendo essa entrevista abaixo:

    http://www.uniblog.com.br/calvariano/102240/%3C!–%MembrosLink%–%3E

  82. Narcia

    -

    08/03/2012 às 13:02

    Reinaldo,

    Infelizmente, muitos só sabem culpar a Igreja Católica e esquecem que havia também Inquisição Protestante muito mais severa do que a Inquisição da ICAB. E ninguém ensina isso nas Escolas e Universidades. É uma pena.Não querem conhecer a verdade. Preferem continuar na ignorância.

  83. Anônimo

    -

    08/03/2012 às 12:59

    Nunhuma máquina de guerra matou tanta gente quanto o Comunismo. Foram, por baixo, 140 milhões de pessoas mortas “em nome de um mundo melhor” só no século XX. Agora vem esse pessoal de ONG socialista falar da Santa Inquisição? Primeiro vejam seus ex-líderes, como Stálin, Mao, Pol Pot, chamados pelo estudioso do assunto – R. J. Rummel – de grandes democidas.

  84. Maria do Rosário

    -

    08/03/2012 às 12:57

    Exercício de imaginação: os cruzados não eram tão eficientes e perderam todas; o tribunal do santo ofício achava tudo válido em nome da diversidade.
    resultado? Hoje estaríamos todas debaixo da burca!!!

    Feliz dia internacional da mulher, sem burca!

  85. Marcos F

    -

    08/03/2012 às 12:55

    Adorei essa, Rei.
    Esta é a verdade, aliás, bem pequena, não?
    Junte a isso, a falsidade – por exagêro – sobre Galileu. Mal ou bem, Galileu foi o professor mais influente de seu tempo, foi o primeiro industrial – com maquinário – da antiguidade, ficou riquíssimo fabricando seus telescópios, e viveu muuuito bem.
    Discutiu? Quebrou o pau? E daí? Fazemos isso todo dia. Se recolheu em Capri? – queria eu. Fez muito bem.

  86. Teófilo

    -

    08/03/2012 às 12:46

    Em nome da tolerância e da diversidade cultural, tolere todos os símbolos, feriados, etc de todas as religiões brasileiras nos espaços públicos. Não?! Ah, meu rei a igreja católica é milenar, histórica e coisa e tal? Já sei, como diz o ditado popular: “do Pai-nosso muitos só querem o venha a nós, mas o vosso reino…

  87. marceloh.

    -

    08/03/2012 às 12:33

    Reinaldo, esse argumento estúpido dos ateus sobre a Inquisição, nas palavras da ateia acima, “momento que sabemos muitos morreram, foram torturados, sofreram perseguição religiosa e que a proteção da vida não foi lembrada.” TAMBÉM PERSEGUIU CRISTÃOS. Muitos foram os mártires cristãos por discordarem do catolicismo-romano medieval. Esse fato derruba a insinuação ateísta QUE A PERSEGUIÇÃO DEU-SE PELO CRISTIANISMO. Até porque eles teriam de MOSTRAR NA BÍBLIA que Jesus Cristo, nosso referencial supremo de conduta, aprova a morte e a perseguição de infieis. Não podem! Sobre isso, um silêncio constrangedor!

    E é contra o cristianismo que os ateus em último caso se voltam.

  88. edson lino macedo

    -

    08/03/2012 às 12:29

    boa tarde; sou morador de campos dos goytacazes/rj, tenho 47 anos de idade e passei a ler os seus comentários ha pouco tempo; gostei do artigo, pois tirei dúvidas e aprendi um pouco; reconheço que sou um dos que tinha outra ideia do periodo da inquisição; sou católico, acredito em deus, respeito todas as religiões; como policial militar, quase aposentado, deus acompanha aqueles que tem retidão; parabens pelo trabalho.

  89. Francisco Carlos Bastos M.

    -

    08/03/2012 às 12:27

    muito coerente reinaldo.
    sei que isso nunca sera ensinado por algum professor de historia,aqui no Brasil ainda reina esse velho marxismo.

  90. Michele

    -

    08/03/2012 às 12:19

    A melhor e parcial literatura sobre a Inquisição..”A Inquisição em seu mundo” – João Bernardino Gonzaga. Os anticatólicos ouviram falar da inquisição, absurdos, claro, e só fazem repetir…nem mesmo se dão ao trabalho de estudar o assunto.

  91. Andre

    -

    08/03/2012 às 12:07

    “Não acredito em milhões de mortes. Seria uma impossibilidade logística e tecnológica para a época. Porém, um site católico é fonte confiável para este assunto? Não haveria “conflito de interesses?” Existe outra fonte de consulta (teoricamente) mais isenta?”
    .
    Se citarem a bibliografia, qual seria o impedimento?

  92. Andre

    -

    08/03/2012 às 12:07

    “O que muito me entristece é saber que a humanidade perdeu séculos em pesquisa/ciência/tecnologia em virtude do obscurantismo da fé, quanto a fé, propriamente dita, não muito me interessa desde que essa vontade de ir – retornar(?) – ao paraíso, à luz não prejudique o caminhar da humanidade… caminhar recheado de teluricidades.”
    .
    .
    Você acha que a história é uma novela onde as pessoas tem que se sacrificarem para tudo dar certo no capítulo final? Que talse volutariar como cobaia para estudos científicos então?
    .
    OS: Colocam a culpa do “atraso científico” na Igreja, mas esquecem que nesse período a influência católica se restringia à Europa. Por que, se o atraso era culpa da Igreja, as outras regiões do mundo não avançaram esses “séculos em pesquisa/ciência/tecnologia”? Curiosamente, a Europa dominou o mundo com a força de sua ciência. Mas isso a gente deixa pra lá, né?

  93. Andre

    -

    08/03/2012 às 12:06

    Cil
    “Considerando que os dados remontam a um tempo em que registros históricos de morte não existiam, e nem vamos falar de que a igreja não deixaria rastros, com registros das pessoas que morreram. Milhões devem ter morrido, ora porque não????”
    .
    .
    Só porque você quer, não é? Os processos eram judiciais, minha cara. E não foram jogados no lixo. E essa de “a igreja não deixaria rastros” é uma imbecilidade. A Inquisição nunca foi escondida e no período em que existiu tinha legitimidade junto à população. Se a “Igreja escondeu” como então sabemos da Inquisição?

    No resto de seus comentários, teologia da libertação detectada.

  94. Andre

    -

    08/03/2012 às 12:05

    “Desta maneira você deveria contar os milhões ( agora sim milhões) que foram mortos pela peste negra, já que na Inquisição a Igreja Católica mandou exterminar os gatos domésticos e também os que viviam na rua no combate a bruxaria, ocasionando uma explosão no número de ratos, que provocavam a doença, vitimando a população.
    Além disso a Igreja mandava as pessoas se flagelarem como forma de aplacar o surto de peste, o que facilitava o contágio devido a exposição de feridas.
    Acho difícil as defesas apaixonadas e cegas levarem em consideração esse fato.”
    .
    .
    Nunca existiu um lei de extermínio de gatos, os ratos tem uma infinidade de outros pedradores além de gatos (logo, mesmo que gatos fossem exterminados, não haveria um impacto de peso na população de ratos). A Igreja não mandava que as pessoas se flagelassem e expusessem feridas publicamente, e mesmo que o fizesse, não há dados que o contágio da peste negra se intensificaria por isso.
    .
    Para finalizar, a peste negra matou na Ásia (não cristã) percentuais semelhantes ao que matou na Europa. Então, é inverossímil dizer que alguma política existente na Europa (seja religiosa ou não) foi responsável pelos números da peste negra.

  95. Helena

    -

    08/03/2012 às 11:57

    No lugar do crucifixo as lésbicas vão querer colocar uma estrela vermelha, símbolo do totalitarismo. Aguardem…

  96. Desiludido

    -

    08/03/2012 às 11:46

    Valdir A. C. 08/03/2012 às 11:02

    Eu tenho muito respeito ao direito que tu tens de não concordar comigo, ok?

    Agora, vamos ao livro do Sr. Borromeo: esse livro foi escrito como uma espécie de relatório, relatório esse baseado em arquivos que estavam em poder do Vaticano.

    Não é possível que alguém, com espírito de Bórgia, tenha incinerado montanhas de autos processuais? Não estou a afirmar que isso ocorreu, mas que é possível que tenha ocorrido e é por esse motivo que eu acredito que nunca será possível saber os números corretos.

  97. Darazoom

    -

    08/03/2012 às 11:46

    Geralmente abstenho-me de “palpitar” ou “pitacar” sobre certos assuntos devido à minha formação, que não permite fazer isso sobre o que não domino em profundidade. Mas, sempre aprendo muito observando os comentários de muitos dos que frequentam este blog. E em geral vezes aquilo que eu gostaria de dizer acaba sendo dito com muito maior propriedade por algum outro leitor. Este é o caso do comentário de Rafael (07/03 às 21h 55), a quem agradeço.

  98. Victor

    -

    08/03/2012 às 11:42

    Reinaldo, em primeiro lugar, admiro sua determinação em não fugir de temas espinhosos. Seria muito mais confortável simplesmente evitar esse assunto, mas aí você não seria o Reinaldo Azevedo. Agora, deixe este seu leitor dizer o que pensa.
    Não importa que a Inquisição tenha sido mais branda do que os tribunais civis. Os tribunais civis não reclamavam autoridade divina, não pretendiam se passar por representantes de Cristo na terra, não se alcunhavam “Santa Madre”, com poder sobre a alma das pessoas. E também não importa que Stálin, Hitler, Fidel, Sadam Hussein ou quem quer que seja tenha matado mais. Não é uma disputa e os crimes da Igreja não vão parecer menores em comparação. Mais do que matar, a Igreja sufocava, asfixiava, amedrontava. A Igreja impôs as trevas por séculos, era uma máquina a quem só interessava a manutenção de seu próprio poder ilimitado. Os danos que a Igreja causou não podem ser calculados apenas em termos de hereges “relaxados” (já que a Santa Madre era hipócrita o bastante para ela mesma não se responsabilizar por morte nenhuma), mas também em termos do que ela roubou da humanidade. A Igreja trouxe, sim, benefícios para a civilização ocidental, embora, em grande parte, indiretamente e a despeito de si mesma.
    Não, eu não concordo que se tente apagar à força os vínculos culturais e afetivos do brasileiro com o catolicismo banindo crucifixos das repartições e tribunais, forçando uma barra em prol do laicismo, mas tampouco vejo como uma calamidade a decadência da religião. Para mim, que morra uma morte natural. O mundo será melhor sem o falso consolo da religião? Como dizem os ingleses, that’s anybody’s guess. Com ela, nunca foi grande coisa, no entanto.

  99. Carlos

    -

    08/03/2012 às 11:39

    Reinaldo, religiões já foram importantes para evitar guerras e normatizar condutas do povo. Esta no fim. Cada dia ficará mais difícil fazer pessoas acreditarem messas estórias.
    vc falou em historiadores, mas não existe nenhuma prova da existencia de cristo. Os cartórios romanos espalhados pelo império, registravam, como fazem até hoje, nascimento, morte e casamentos, outra instituição romana com mais de 2000 anos, mas nenhum documento sobre jesus foi encontrado. O cristianismo só é mais uma instituição romana.
    A ciência, em poucas décadas, vai exterminar as religiões.

  100. Valdir A. C.

    -

    08/03/2012 às 11:38

    Teófilo-08/03/2012 às 1:21
    Desculpe, não quero ser provocativo, mas em qual bíblia vc leu semelhante coisa e como chegou a essa conclusão? A Bíblia compilada pela Igreja Católica, sem a qual o senhor não teria Bíblia… mesmo sacando dela livros que comprometem a doutrina protestante, é muito clara em seus textos onde indica a Igreja como instituição visível, permanente, hierárquica, monarquista, com autoridade e Poder. De onde o senhor “intuiu” semelhantes absurdos??

  101. -

    08/03/2012 às 11:38

    http://lblnacional.wordpress.com/carta-de-principios/

    No endereço acima a explicação para o desatino.

    Tenho pena dessa gente, mas que são perigosas…são.

    Afinal de contas, pregam a “democracia” nos moldes que propuseram e desde que concordem com elas.

    Reinaldo, parabéns por desnudar essa “genti”.

  102. ridney

    -

    08/03/2012 às 11:35

    Sou seu leitor assíduo, mas nao concordo que:” Invariavelmente, os que querem mandar a Igreja, mesmo a de hoje, para o banco dos réus costumam mandar para o trono Robespierre, Fidel, Mao, Stálin…” pois eu nao os defenndo, aliás, ténho ogeriza dessa gente, bem como dos seus seguidores.
    Mas Robespierre, Fidel, Mao, Stálin… matavam em nome do Cristianismo?

  103. Valdir A. C.

    -

    08/03/2012 às 11:28

    José Eduardo Diniz-08/03/2012 às 8:45

    Vc faz um arrazoado de acusações injustas e medíocres. Analise e raciocine e estude.

    Noite de São Bartolomeu: Foi episódio político e não religioso e isso é história e também pesquise sobre a inquisição protestante.
    Oppus Dei: Não representa a Igreja e é apenas um prelazia e têm erros e bons frutos… e daí?.
    Priorado de Sião: Conto da corochina.
    mais de 4.000 padres pedófilos: Pedofilia na Igreja é uma minoria e os casos explorados pela mídia secular e anti-igreja são casos de homossexualismo onde existiam relações consentidas entre adolescentes e padres. A instituição religiosa com o maior número de casos (superam tudo já falado contra o Vaticano) é Associação judáica americana e outra não religiosa é a Academia de Ciências de Hollywwod.
    o Vaticano e seus segredos: O Vaticano tem arquivos e segredos sim… acaso vc sabe tudo sobre o governo do Brasil desde o descobrimento??? Vc desconhece coisas elementares sobre a história que podem ser pesquisadas numa simples biblioteca e quer que o Vaticano exponha séculos de história (a maioria não classificada) ao mundo?? Fala sério!
    as Cruzadas: Levante as mãos aos céus e agradeça a Deus pelos cruzados, pois sem eles não haveria europa e nem ocidente… vc seria um muçulmano.
    os espanhóis e suas cruzes e estandartes dizimando culturas americanas milenares: Os espanhóis salvaram milhões de vidas na américa (espanhola) e foram recebidos e aceitos como salvadores livrando os aborígenes do morrer sacrificado a deuses sedentos de sangue (em um só ritual é descrito pelos astecas o sacrifício de 80 pessoas a texaukluato (ou algo parecido))… essa tolice é velha e furada. Os EUA foram colonizados por protestantes e lá sim os peles vermelhas foram dizimados institucionalmente e sequer considerados gente. “O único índio bom é um índio morto”. “De todas as promessas que nos fizeram somente cumpriram uma: Tomar nossa terra.” Leia Enterrem meu coração na curva do rio de Dee Brawn.
    os padres pop-stars cantando , batendo palmas e louvando a Deus com suas baladas: Padres sem batina e sem fé… nisso concordamos e eles estão longe de representar seu papel com sacerdotes de Cristo e muito mal fazem às almas que deveriam salvar.
    os padres progressistas insuflando os sem-tudo: Não são padres e sim militantes da TL, marxistas comunistóides que pretendem destruir a Igreja de dentro para foras se infiltrando nos seminários e galgando a hierarquia.
    E ae… tem mais alguma falácia contra a Igreja???

  104. Marcos Araujo

    -

    08/03/2012 às 11:26

    Reinaldo,

    Com objetivo de auxiliar no debate segue alguns exemplos da atuação da Igreja Católica na formação da Civilização Ocidental:

    - A Igreja fundou a primeira universidade do mundo, em Bolonha, na Itália. A criação da instituição dá à Europa o impulso intelectual que desembocaria no Renascimento no século XIV, e na Revolução Científica, entre os séculos VXI e XVII.

    - Até 1440 foram erigidas na Europa 55 Universidades e 12 Institutos de ensino superior, onde se ministravam cursos de Direito, Medicina, Línguas, Artes, Ciências, Filosofia e Teologia. Todos fundados pela Igreja;

    - A Igreja Católica teve de empreender a tarefa de introduzir a lei do Evangelho e o Sermão da Montanha entre os povos Bárbaros, que tinham o homicídio como a mais honrosa ocupação e a vingança como sinônimo de justiça. (Christopher Dawson);

    - A Igreja Católica forneceu mais ajuda e apoio financeiro ao estudo da Astronomia, por mais de seis séculos – da recuperação do saber antigo da Baixa Idade Média ao Iluminismo -, do que qualquer outra e, provavelmente, todas as outras instituições. (J.L.Heilbron – Universidade da Califórnia, em Berkeley);

    - O nosso padrão de contar o tempo foi criado por um monge católico chamado Dionísio, por volta do início do século 4;

    - Foram os católicos escolásticos que criaram a Ciência Econômica Moderna. Foram eles que criaram a economia, e não os secularistas do Iluminismo;

    - O monge matemático Jordanus Nemorarius, além dos conhecimentos que contribuiu à matemática introduzindo os sinais de “mais” e de “menos”, iniciou a investigação dos problemas da mecânica, superando a visão dos problemas do equilíbrio. Foi o fundador da escola medieval de mecânica, foi o primeiro em formular corretamente a “lei do plano inclinado” e pesquisou sobre a conservação do trabalho nas máquinas simples.

    - O abade Nicolau Copérnico foi o astrônomo e matemático que desenvolveu a teoria heliocêntrica do Sistema Solar. Sua teoria do Heliocentrismo, que colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, contrariando a então vigente teoria geocêntrica (que considerava, a Terra como o centro), é tida como uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna.

    - O padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão (1685 -1724), foi um cientista e inventor nascido no Brasil Colônia. Famoso por ter inventado o primeiro aeróstato operacional, era chamado de “o padre voador”, é uma das maiores figuras da história da aeronáutica mundial. Ele também é o inventor de uma “máquina para a drenagem da água alagadora das embarcações de alto mar.”

    - Papa Gregório XIII, foi quem nos deu o Calendário Gregoriano, que é o calendário utilizado na maior parte do mundo e em todos os países ocidentais. A China o aprovou em 1912.

    - De acordo com o Dicionário de Biografia Científica, santo Alberto Magno, que ensinou na Universidade de París, era habilidosos em todos os ramos da ciência, “foi um dos mais famosos precursores da Ciência Moderna na Alta Idade Média”. Desde 1941 ele é declarado o “patrono de todos que cultivam as ciências naturais”;

    - Os jesuítas no século 18 contribuíram para o desenvolvimento do relógio de pêndulo, pantógrafos, barômetros, telescópios e microscópios refletores para campos científicos variados como: magnetismo, ótica e eletricidade. Eles observaram, às vezes antes que de qualquer outro, as faixas coloridas dos anéis na superfície de Júpiter, a Nebulosa de Andômeda e anéis de Saturno. Eles teorizaram sobre a circulação do sangue, independentemente de Harvey, a possibilidade teórica de vôo, o modo como a lua afeta as marés e a natureza ondular da luz, mapas estelares de hemisfério sul, lógica simbólica e medidas de controle de enchentes. Tudo isso foi realização típica dos jesuítas.

    - O padre Giabattista Riccioli foi a primeira pessoa a calcular a velocidade com que um corpo em queda livre acelera até o chão,

    - O padre Francesco Grimaldi descobriu e nomeou o fenômeno de difração da luz. Ele também participou de uma descrição detalhada de um mapa da superfície da lua. Esse mapa chamado de Selenógrafo, adorna até hoje a entrada do Museu Nacional do Ar e Espaço, em Washington D.C.;

    - Os papas estabeleceram mais universidades do que qualquer outra pessoa na Europa;

    - Os monges católicos introduziram safras e indústrias e métodos de produção que não se conheciam antes;

    - O monge italiano católico Guido d’Arezzo (992 -1050), criou as 7 notas musicais dó, ré, mi, fá, sol, lá, si utilizando ás sílabas iniciais de uma estrofe de um hino a São João para denominá-las. Ele também apresentou pela primeira vez a Pauta Musical de quatro linhas. O sistema ainda é usado até hoje;

    - Os monges católicos foram pioneiros em maquinaria e mecanização. Eles usavam a energia da água para todos os tipos e propósitos;

    - O primeiro relógio de que tivemos notícia foi construído pelo futuro papa Silvestre II, em 996;

    Obrigado.

  105. andreromeo

    -

    08/03/2012 às 11:22

    Leia Huxley…

  106. Valdir A. C.

    -

    08/03/2012 às 11:02

    Desiludido-08/03/2012 às 9:57
    Seu pensamento é muito claro: Não importa o que digam ou que provem a Igreja Católica é culpada. É muita lisura de sua parte.

  107. Bruno

    -

    08/03/2012 às 10:54

    Jesus Cristo abomina a Inquisição, o Holocausto, e tudo mais que proiba o ser humano de praticar o livre arbítrio. A Igreja errou ao julgar em nome Dele. Esses episódios só O faz lamentar o caminho errado que a humanidade insiste em seguir, que é do orgulho e egoísmo. Ficar discutindo o passado não fará de nós seres com um futuro promissor, esqueçamos os males, desprendamo-nos dos resquicios de ódio das gerações passados e tratemos o próximo com amor, para que todos possam andar juntos a caminho da plena felicidade, independente de crença ou ideologia.

  108. Rodrigo L.

    -

    08/03/2012 às 10:40

    Há ainda o livro “A Inquisição em seu mundo”, de João Bernardino Gonzaga, no qual, se não me engano, está narrado que muitos criminosos comuns, para escapar à dureza das penas seculares, blasfemavam para serem processados pela Igreja e enviados às penitenciárias – criações da Igreja (a palavra penitência não revela alguma coisa?) – onde o tratamento era muito mais humano do que nas cadeias normais, pois até comida serviam. Enfim, em comparação com as penas seculares, a Inquisição era mais humana e misericordiosa do que seus pares “estatais”. De onde se infere que, a Igreja, ontem e hoje, continua sendo exemplo de misericórdia em relação àquilo que provém apenas do homem, que sempre foi pior.

  109. Marcel Gonzatto

    -

    08/03/2012 às 10:39

    Não sei se o Reinaldo conhece mas segue uma fonte que, até agora, é a que mais se aproxima do que de fato ocorreu naqueles tempos:

    http://www.amazon.com/Spanish-Inquisition-Historical-Revision/dp/0300078803/ref=ntt_at_ep_dpt_1

    Além disso, a própria BBC já fez um documentário tratando do tema. E olhe que este caras querem ver o capeta mas não querem ver o Papa. Segue:

    http://www.youtube.com/watch?v=eMkjvCKTK3Q

    A quem interessar !

  110. Marcos Araujo

    -

    08/03/2012 às 10:23

    De 1.000 vira Milhões, deve ser dai que os abortistas tiram a conta dos 200 para 200.000 obitos em abortos clandestinos. A matemática da mentira é a mesma.

  111. Cristiano Henrique Aretz

    -

    08/03/2012 às 10:16

    Quando se fala em exterminio,Mao,Stalin,Hitler, sempre o nome do Rei Leopoldo II da Belgica e esquecido.Foram mais de 10 milhoes.Existem cartazes para safaris no Congo para se cacar nativos…Mas ele sempre e esquecido de qualquer lista.

  112. Desiludido

    -

    08/03/2012 às 9:57

    Como não tenho o costume de atribuir a um filho a responsabilidade pelos erros do pai, tenho certeza de que os católicos de hoje (desde o paroquiano até o papa)não têm culpa pelos erros da Inquisição.

    João da Silva é responsável pelos atos de… João da Silva!!!

    Agora, em relação a números, provávelmente nunca serão conhecidos os números corretos. Explica-se.

    Supondo-se que o Sr. Agostinho Borromeo tenha sido 100% honesto e mencionado todas as sentenças encontradas, quem é que pode garantir que as sentenças encontradas são todas as sentenças emitidas? É bem possível que tenha havido milhares de outros processos, cujos autos extraviaram-se, ou, talvez, tenham sido eliminados.

  113. Leitor

    -

    08/03/2012 às 9:42

    Reinaldo,
    Uma correção: Hitler não matou somente 6 milhões. Foram 6 milhões de judeus e muitos milhões mais de russos, poloneses, franceses, ingleses, alemães também, etc.

  114. Almirante Kirk

    -

    08/03/2012 às 9:22

    ESCLARECIMENTO AO “João de Recife”
    -
    08/03/2012 às 0:33:
    Sem a santa Igreja Católica Apostólica Romana, não haveria Bíblia nem Cristianismo…

  115. Christiane Rebola

    -

    08/03/2012 às 9:22

    Rei, além de tudo estes caras sao ANALFABETOS !!!

  116. Ronaldo Lana

    -

    08/03/2012 às 9:11

    Puxa vida, Reinaldo…
    Até a parte que você escrevia, o texto estava bom. Agora, quanto ao artigo de referência, não pude nem chegar na metade. Tão mal escrito! Em contraste com seu texto, e justamente por causa disso, deu-me vontade de largar a leitura no meio do caminho.

    E foi o que fiz.

  117. Hans Niemandwitz

    -

    08/03/2012 às 9:07

    Prezados co-leitores,

    Em complemento à sugestão da leitura do livro de Rodney Stark (cf. abaixo: Hans Niemandwitz 08/03/2012 às 0:16), recomendo-lhes também a leitura dos 5 artigos encontráveis sob a rubrica “THE INQUISITION” na página da web abaixo “linkada”. Em especial o artigo de Thomas F. Madden, e ainda o artigo de Fr. Brian Van Hove, S.J. Im-per-dí-veis !

    http://www.apologeticsguidebook.com/history.shtml#inquisition

  118. Nicole

    -

    08/03/2012 às 9:01

    A Inquisição foi um período interessante. A Igreja, por si só, não matou ninguém. Inquiria e enviava as pessoas para as autoridades civis. E o número de pessoas condenadas é baixo, como se pode inferir do artigo. Se considerarmos que boa parte dos condenados não foram condenados por “heresias”, mas por comportamentos realmente aviltantes à ordem social, então o argumento dos modernos militantes ateístas (que são a gente mais insuportável que já pisou neste planeta), se esvai.
    Por outro lado, o que aconteceu na Idade Média foi um bom número de julgamentos populares, uma espécie de linchamento medieval. Muitas pessoas (não sei precisar quantas, evidentemente) foram queimadas em fogueiras por vontade dos próprios aldeões, sem nenhuma ligação direta com a Igreja.
    Por fim, a Inquisição representou, no geral, um avanço no que concerne aos julgamentos. No início da Idade Média, os “procedimentos” processuais primavam pela irracionalidade. Eram as famigeradas ordálias. Uma pessoa suspeita de um crime era posta embaixo d’água. Se fosse inocente, “Deus a salvaria”, se fosse culpada, afogar-se-ia… O Tribunal da Santa Inquisição foi um sopro de racionalidade, pois dava a chance do culpado se defender, e era imbuída da tarefa de encontrar a verdade material a qualquer custo. Tanto é assim que até hoje a fase de inquérito em nosso processo penal é baseada na Inquisição.

  119. marcos paula

    -

    08/03/2012 às 8:53

    Liga Brasileira de Lésbicas? Eu, hein.

  120. Messias

    -

    08/03/2012 às 8:50

    Marcelo Machado Brum (07/03/2012 às 22:14):

    É bom lembrar que Will Durant era agnóstico, portanto, acima de qualquer suspeita.
    Isso vale também para o Reaça (08/03/2012 às 0:40).
    Outro historiador – medievalista – também agnóstico e que defendia a Idade Média foi Jacques le Goff.

  121. Sérgio Carneiro

    -

    08/03/2012 às 8:48

    Para compreender melhor a inquisição devemos retornar a sua época. A inquisição era um produto de sua época, que a torna incompreensível e repulsiva aos expectadores de hoje.

    A justiça comum e a eclesiástica trabalhavam da mesma forma. O sistema acusatório muitas vezes não permitia ao réu saber de que era acusado ou ainda de quem o acusou. Desconheciam-se as garantias individuais. Provas de fogo, provas da agua e o numero de testemunhas determinava se a pessoa seria culpada ou inocente.

    Não podemos comparar os números de mortos por Hitler, Mao ou mesmo Fidel com os números da inquisição Aqueles mataram por poder politico e estes por poder religioso.

    A inquisição não praticava a mensagem do cristianismo da forma que o conhecemos hoje.

    Não defendo a inquisição, sou ateísta agnóstico.

  122. José Eduardo Diniz

    -

    08/03/2012 às 8:45

    Bom dia a todos !

    Martelo das bruxas . Noite de São Bartolomeu , Oppus Dei ,
    Priorado de Sião , mais de 4.000 padres pedófilos sendo
    “analisados” pelo Vaticano , o Vaticano e seus segredos ,
    as Cruzadas , os espanhóis e suas cruzes e estandartes
    dizimando culturas americanas milenares , os padres pop-
    stars cantando , batendo palmas e louvando a Deus com suas
    baladas , os padres progressistas insuflando os sem-tudo ,
    as estatísticas e as mortes por cem habitantes para se
    definir quem matou mais , quem matou menos , meu Deus !!!

    Jesus ,se estivesse na cova , estaria se revirando por lá.
    Por que a turma não se retira para um monte ,em silêncio ,
    e vai buscar a paz e a força necessária para enfrentar cada um a sua prova ?
    A leitura do último domingo nos remete a este momento
    maravilhoso , da transfiguração .

    Pois é.
    Seguramente Jesus Cristo não imaginava o rolo que ia dar
    a sua mensagem .

    Sábio foi Paulo ,o de Tarso , quando disse :
    ” Sabe ,porém ,que nos últimos dias sobrevirão tempos
    perigosos , porque haverá homens egoístas , avarentos,
    altivos ,soberbos , blasfemos , desobedientes a seus
    pais ,ingratos , malvados , sem afeição , sem paz ,
    caluniadores ,incontinentes , desumanos , sem benigni-
    dade , traidores , protervos ,orgulhosos e mais amigos
    dos prazeres do que de Deus …” IITim3,1

  123. Aparecida

    -

    08/03/2012 às 8:37

    Os fariseus que acusam a Igreja, sem conhecê-la, só têm esse argumento e ainda assim, maldosamente, aumentam o seu tamanho e importância. Não levam em consideração as benemerências mil que a humanidade deve a ela. A Igreja foi fundada por Jesus Cristo, que prometeu sua assistência a ela por toda a eternidade. Por isso a Igreja é santa e seus membros são pecadores em busca da santidade.

  124. Lucas Moura

    -

    08/03/2012 às 8:35

    Meu Deus, quanta burrice. Como pode a Igreja dizer que os negros não tem almas se Santo Agostinho (Século IV) já era bispo de Hipona? Santas Perpétua e Felicidade (duas negras) foram decapitadas pelo império romano no ano 203 são aclamadas e desde então pela Igreja Católica?
    Deixem de ser desonestos e vão buscar um pouco da verdade antes de escreverem besteiras na internet.

  125. Lucas Moura

    -

    08/03/2012 às 8:23

    Reinaldo,

    É muito bom acusar a Igreja Católica sem profundidade. Vale ressaltar que quem condeva eram os Tribunais Eclesiásticos locais e não a Igreja. Os professores de história propositalmente também se esquecem de que os tribunais da inquisição eram e continuarão sendo os únicos tribunais em que se o réu se confessasse era ABSOLVIDO e pagava apenas uma pena como qualquer pessoa que fosse a um padre confessor.
    Difamar a Igreja é fácil, difícil é construir a sociedade ocidental.

  126. nelson

    -

    08/03/2012 às 7:57

    li o texto. até deu para entender, mas achei, estranhamente, muito mal escrito. você podia dar uma melhorada nele.

    []‘s

  127. david muller

    -

    08/03/2012 às 7:13

    reinaldo A CRUZ NAO REPRESENTA A INQUISIÇÃO MAIS”O PERDÃO,O AMOR PELO PROXIMO,A COMPAIXÃO”ela representa um que de melhor existe no ser humano.
    Infelizmente nazi-petismo junto com a falange das trevas do comunismo só pensão em infanticidio dai não se setirem bem, perto de um cruxifixo FAZ SETIDO!

  128. Oziel Jose

    -

    08/03/2012 às 6:54

    Reinaldo, concordo com tudo que foi exposto, mas de fato encontro uma contradição em relação a igreja, que é o fato da mesma ser um exemplo de Cristo e é aí que as coisas complicam para nós. Poderia dizer que o maior problema da Igreja não seria nem a inquisição foi o casamento forçado com o estado, acredito que durante a história de alguma igreja não existe erro maior do que esse, mas quero deixar claro que isso não se refere a essa história do crucifixo, me refiro exclusivamente ao casamento do estado daquela época.

  129. celia pinto

    -

    08/03/2012 às 6:42

    nao tenho conhecimento como muito dos de vcs, mas eu penso que estas pessoas, principalmente os homoxessuais, tem tanto odio para com a figura de Cristo, e porque quando eles olham para a cruz de Jesus Cristo , faz com que eles se lembrem que eles estao errados e estao comentendo pecado, mesmo que eles reijeitem a palavra de Deus como verdadeira, no fundo eles sabem que Jesus e real. Ao exigir que a cruz seja eliminada, eles cauterizam suas consciencias e continuam suas praticas pecaminosas com a consciencia livre, ou seja nao sao eles que tem se adequar as ensinamentos de Jesus Cristo, eles querem a aprovacao Dele e da Igreja para seu estilo de vida. Como eles nao conseguem o aval de Cristo, dai o odio e a intolerancia. Acho que esta exigencias nao nada a ver com politica ou como eles dizem , estado laico , e tenho ca minhas duvidas, se fosse outo simbolo, buda ou a estrela de davi eles teriam essa reacao e pediriam a retirada deles, e so com o cristianismo esta perseguicao. Como diz a biblia, Jesus ama o pecador mas nao ama o pecado.E eles nao se consideram pecadores, eles podem ate mesmo queimar biblias ou coisa parecida, porque nao vai mudar os fatos . Jesus e real, nao e um conto da carrochinha e vira o dia quer eles queiram ou nao, que todos se viram frente a Jesus.Agora se eles tem tanto conviccao que estao certos, porque se preocupar com pessoas como nos, nos deixe continuar na ilusao que existe um um Deus , e que Ele me amou de tal maneira que morreu por mim, e apenas quer que eu o ame tb e reconheca a axistencia Dele. Desculpe os erros.

  130. Luiz Corrêa

    -

    08/03/2012 às 2:55

    Estimado Reinaldo, uma correção:

    O notório e famigerado regime nazista não matou seis milhões de pessoas. Matou muito mais.

    Estima-se o número de judeus mortos nos campos de concentração e de extermínio, e pelos grupos de execução que percorriam os territórios ocupados, em cerca de seis milhões.

    Além disso, morreram de fome e de maus tratos cinco milhões de prisionerios soviéticos.

    Morreram ainda centenas de milhares de prisioneiros de guerra de outras nacionalidades.

    Além disso, várias minorias, como ciganos, homossexuais, etc., também foram atiradas nos campos de concentração e aniguiladas pelos carrascos nazistas.

    Acrescente-se ainda um número considerável de prisioneiros políticos dos países ocupados – comunistas, anarquistas, socialista, refugiados espanhóis da Guerra Civil que haviam fugido para a França e foram capturados pelos nazistas após a ocupação daquele país.

    E finalmente, não esquecer dos resistentes de todas as nações ocupadas, que eram sumariamente executados quando capturados, ou então mortos após serem torturados para darem informações. Somente a Iugoslávia perdeu quase dois milhões de habitantes durante a guerra. Os partisans iugoslavos não tinham a menor chance de sobreviver quando capturados. Centenas de milhares foram executados pelas tropas nazistas (isso não é invenção, é fato histórico).

    E finalmente, os combatentes das forças livres dos países ocupados – França, Polônia, Bélgica, Tcheco-Eslováquia, Noruega, etc., eram geralmente fuzilados quando aprisionados, pois os nazistas os consideravam traidores dos seus países, e não os reconheciam como combatentes, e não aplicavam a eles os critérios da Convenção de Genebra. Isso também é histórico.

    Se referir a seis milhões de vítimas do regime nazista não tem portanto consistência histórica. O número final é muito maior.

    Quanto a Stalin e Mao, bom, neste caso o passivo também é muito grande. Não contesto os números apresentados.

  131. Nausícaa

    -

    08/03/2012 às 2:55

    Eu gostaria que você, Reinaldo, assistisse as obametes, digo, rebeldes já instalação no poder em ação na Líbia na mês passado

    http://www.youtube.com/watch?v=e6HYY1A4DJM&feature=player_embedded

  132. Ivo Bitencourt

    -

    08/03/2012 às 2:42

    É interessante, os “arautos do comunismo” se apegarem aos mortos pela “Inquisição”, coisa que a Igreja já superou e hoje se redime do que seus antepassados fizeram.
    Tem que se redimir e parar também com a pedofilia.
    Quem praticou barbárie que vá para o inferno também.

  133. Paulo Duarte

    -

    08/03/2012 às 2:19

    Muito bom o seu texto, e altamente explicativo. Ainda recordo que a Igreja atua numa base de poder, assim como existe a base do poder econômico, poder social, poder político, assim existe o poder espiritual, portanto a religião foi, e é, usada pelos governantes e elites, para seus próprios favorecimentos de poder. E assim a Igreja Católica, foi usada por muitos reis e governantes, elites, poderosos que se esconderam atrás da Igreja para cometer seus atos sujos, e condenar pessoas, certamente opositores e desafetos. Assim como hoje a Liga das Lésbicas promove uma caça as Bruxas, condenando um objeto religioso, procura a finalidade de obter vantagens e benefícios para os seus próprios objetivos, igualmente como feito antes, pelos que usaram a religião para seus favores. E assim vemos estarrecidos um simbolo religioso que representa a religiosidade da grande maioria dos brasileiros, sofrendo o crime da intolerância religiosa, do abuso contra a grande maioria dos brasileiros, que segundo a constituição, tem o direito a sua religiosidade ser respeitada. Pergunto, quem está disposto a defender o direito a religião ? Fala-se muito, condenasse muito a religião, sangram em falsas virtudes e ideologias, clamam em praças públicas, se acovardam vomitando todo o seu veneno contra objetos religiosos, demonstrando toda a sua intolerância religiosa, querem seus direitos preservados, ( caso de homossexualismo, aborto, feminismo etc), mas na hora de respeitar o direito dos outros, vomitam condenações, emporcalham os valores dos outros, usam de mesquinharias para espalhar suas intransigências, preconceitos, intolerâncias, como se não fosse crime o que estão fazendo. Condenar a Igreja, inquisição etc. é uma grande burrice, ignorância pura, como ignorantes são esses da Legião das Lésbicas, do governo do Rio Grande do Sul, e do seu judiciário, por ter promovido tamanho crime, contra as liberdades religiosas da maioria do povo brasileiro, principalmente porque são maioria absoluta no sul do país.

  134. Teófilo

    -

    08/03/2012 às 1:21

    É um equívoco confundir a igreja do Senhor Jesus com uma milenar e mundialmente dominante instituição religiosa.À luz da Bíblia a igreja de Jesus é um grupo local(não universal)que crê e confessa a morte e ressurreição do Filho de Deus encarnado. Para fazer parte deste grupo(que pode ser de duas, três ou mais pessoas)é preciso ter passado pela experiência do perdão completo dos pecados, através do arrependimento e sincero. A igreja de Jesus é de natureza local. O que é universal é o seu escopo.

  135. Sandra

    -

    08/03/2012 às 1:16

    A ciência já achou que a peste negra poderia ser evitada com ervas aromáticas e que a lobotomia fosse uma técnica válida. Mas não vejo nenhum revoltado dispensando o analgésico na veia durante uma cólica renal. Não temos a opção de viver na Idade Média, e HOJE a Igreja não queima bruxas na fogueira, enquanto muitos ditadores fritam seus opositores em óleo quente. E os crucifixos são um traço de nossa cultura secular. Budismo, judaísmo, etc… NÃO SÃO. Mas não veria dada demais em ver um símbolo budista num tribunal japonês, ou um símbolo judaico em Israel.
    Ah, colegas protestantes! Antes de vibrarem, pensem que os católicos são vocês amanhã. Ou realmente acreditam que com vocês será diferente?

  136. Ze Gomes

    -

    08/03/2012 às 1:06

    Só concluindo o comentário anterio: a moderna Inquisição – que nada mais tem a ver com a igreja, mas continua sendo uma forma do Estado e do Poder manipular as massas, desviar a atenção delas para os BODES EXPIATÓRIOS da vez.
    Ninguém é acusado de ser judeu, pagão, bruxo, herege, ateu, endemoniado – para servir de bode expiatório.
    Hoje se acusa de “homofóbico, racista, anti-abortista – e da mesma forma que antigamente – nem precisam ser, só basta acusa-los, difama-los e expo-los ao público

  137. Reaça

    -

    08/03/2012 às 0:40

    Reinaldo,
    Não acredito em milhões de mortes. Seria uma impossibilidade logística e tecnológica para a época. Porém, um site católico é fonte confiável para este assunto? Não haveria “conflito de interesses?” Existe outra fonte de consulta (teoricamente) mais isenta?

  138. Mariana Alex

    -

    08/03/2012 às 0:38

    Por isso a importância da educação, da informação e de sua análise sem ideologia. Conhecimento é Tudo!!

  139. João de Recife

    -

    08/03/2012 às 0:33

    Querem reduzir o valor do cristianismo, apontando os erros da igreja (principalmente na idade média). Isto é uma “pegadinha”! O Cristianismo não é uma igreja… o Cristianismo é uma crença! Como se sabe, o próprio Cristo foi mandado a cruz, por conspiração dos seus. Lá mesmo, na idade média, homens foram perseguidos, injuriados, queimados vivos… pela própria igreja… e em nome de Deus. Eles não foram mortos por defenderem a igreja… eles foram mortos porque defendiam a sua crença… a sua Fé.Tirar os crucifixos de maneira acintosa, ofende a igreja cristã (no caso, a Católica), mas, também, avilta a CRENÇA dos católicos… e tudo leva a crer que era este o objetivo.

  140. Bruno

    -

    08/03/2012 às 0:32

    Reinaldo, ok dizer que o cristianismo tem valores que orientem o juiz (apesar de que você mesmo já escreveu que este deve ater-se ao que diz a lei – interpretação legalista estrita).
    Mas não teriam iguais bases éticas o budismo, o islamismo, o judaísmo…
    Assim sendo por que deixar sobre a cabeça do juiz um crucifixo e não uma estrela de davi ou uma lua crescente?
    Entenda que o problema não é atacar a religião mas a opção do Estado por uma religião específica, o que não condiz com a laicidade deste mesmo Estado.
    Aqueles que não compartilham da fé cristã podem ver-se submetidos a este credo quando o Estado laico o valoriza em detrimento a todos os demais e mesmo sobre a ausência de credo.

  141. Kaos

    -

    08/03/2012 às 0:29

    Reinaldo, escrevestes …”Uma das técnicas da militância política, que deveria causar repúdio aos historiadores, é distorcer os fatos para vender uma ideologia…” “…É comum vermos na literatura secular, em filmes e documentários, pior nas escolas do ensino fundamental e médio e até em faculdades e universidades, a afirmativa de que a Igreja “torturou e matou milhares”, alguns dizem milhões de pessoas aniquiladas pela Inquisição…”
    Respondo:
    1 – A igreja católica foi inventada no séc. III por Constantino usando a vida do simples mortal jesus cristo e TRANSFORMANDO-O no tal filho de deus que ressuscitou etc e etc. Ou seja a igreja católica DISTORCEU fatos (!?) para vender uma ideologia!!!
    2 – Quanto a Inquisição pelo menos a igreja católica mostra documentos para mostrar o número de mortos. Já em relação ao holocausto, não há REGISTROS, só testemunhos suspeitos (muitos já desmascarados). Ainda bem que no Brasil NÃO foi colocada a MORDAÇA do anti-negacionismo e do anti-revisionismo. Se podemos discutir a Inquisição podemos discutir o holocausto. Não dá para confiar apenas na “…literatura secular, em filmes e documentários, pior nas escolas do ensino fundamental e médio e até em faculdades e universidades…” Isto é DEMOCRACIA.
    3 – Já que falastes em holocausto, está sendo aberto em CURITIBA-PR o MUSEU DO HOLOCAUSTO.

  142. ari

    -

    08/03/2012 às 0:18

    Vou respeitosamente discordar do conteúdo deste artigo.

    Primeiramente, ainda que a inquisição propriamente dita não tenha matado milhões, a campanha de difamação de judeus e do judaismo mataram comunidades inteiras pelas mãos do povo incitado pelo antissemitismo da igreja católica e sua tese deicida.
    Em segundo lugar, é de se supor que o sangue judeu era por demais barato na Alemanha nazista e nos países europeus, exatamente em função de séculos de perseguição da igreja católica, o que foi determinante para a morte de 6 milhões de judeus. Ademais, o papel do papa Pio XII é ainda tema de muita polêmica.
    Abraços
    Ari

  143. Hans Niemandwitz

    -

    08/03/2012 às 0:16

    Prezado Mestre Reinaldo Azevedo:
    -
    Excelente artigo e em boa hora.
    -
    Permita-me, por favor, uma contribuição: sugiro aos colegas co-leitores deste Blog a leitura do livro
    :
    THE TRIUMPH OF CHRISTIANITY – How the Jesus Movement became the world´s largest religion
    -
    que é o mais recente livro de RODNEY STARK, um sociólogo da religião, nascido em berço Luterano, mas, confessadamente, um acadêmico agnóstico.
    -
    Recomendo a leitura integral desse livro magnífico, e, em especial, o capítulo 19: “The Shocking Truth about the Spanish Inquisition.” Aqui, o autor colaciona o que há de melhor (mais depurado) na historiografia sobre as inquisições católicas.
    -
    Fica-se sabendo, por exemplo, que sob a responsabilidade do Rei Henry VIII (1491-1547 > 1509-1547), entre 1534 e 1547, cerca de 72000 pessoas foram executadas (evisceradas, ou queimadas, ou decapitadas, ou fervidas, com ou sem tortura prévia). Mas, claro, não se houve falar do “Nero inglês”, só da tal “Inquisição Espanhola”…

  144. ET

    -

    08/03/2012 às 0:05

    2012 A BATALHA FINAL – RR X MALAFAIA EDIR X VALDEMIRO GAROTINHO X CRIVELLA – AO VIVO NA GLOBO ” UFC 666 ” (Unidos os Filhos do Capeta) ESSA VOCE NAO PODE PERDER! JUIZ: LULA RING GIRL: MARISA LETICIA.

  145. Julio Cesar

    -

    07/03/2012 às 23:58

    ao contabilizar milhões de mortes para o comunismo, são contadas as vítimas indiretas (que eu concordo), já que Mao e outros ditadores não mandaram fuzilar milhões, essas pessoas foram mortas por suas politicas economicas e outras loucuras, principalmente na área da agricultura.
    Desta maneira você deveria contar os milhões ( agora sim milhões) que foram mortos pela peste negra, já que na Inquisição a Igreja Católica mandou exterminar os gatos domésticos e também os que viviam na rua no combate a bruxaria, ocasionando uma explosão no número de ratos, que provocavam a doença, vitimando a população.
    Além disso a Igreja mandava as pessoas se flagelarem como forma de aplacar o surto de peste, o que facilitava o contágio devido a exposição de feridas.
    Acho difícil as defesas apaixonadas e cegas levarem em consideração esse fato.

  146. felipe

    -

    07/03/2012 às 23:49

    sempre que vêem com esse papo de inquisição eu lembro que um dos passatempos do povo durant a idade média era queimar gatos vivos ever como o bicho reagia, isso sem falar de execuções públicas que eram o jogo de futebol da época.

  147. Diego

    -

    07/03/2012 às 23:45

    Está na hora da Igreja investir em comunicação. É verdade que nosso povo praticamente cultua a ignorância, mas é recente a abertura da Igreja ao mundo, sobretudo aos seus fies!O que mais me impressiona é que as vezes os maiores inimigos da Igreja estão justamente dentro dela, ou foram formados por ela.
    Acredito que só ama verdadeiramente quem conhece e as maiores riquezas da Santa Igreja Católica ainda não foram devidamente mostrada ao povo, seja por má-fé de seus inimigos, seja por omissão de uns poucos, seja por comodismo de seus seguidores!

  148. Marcelo Machado Brum

    -

    07/03/2012 às 23:39

    Cálculos criteriosos feitos por estudiosos conceituados estimam que desde o pontificado de Lúcio III 1181-1185 quando a Inquisição foi instalada até o derradeiro auto de fé realizado em Espanha o número de vítimas foi de 245.790.Estimativas feitas pelo “Livro negro do Comunismo” dizem que este número já foi atingido pelo Khmer vermelho no Camboja já nos 6 primeiros meses do regime.

  149. Cil

    -

    07/03/2012 às 23:36

    Considerando que os dados remontam a um tempo em que registros históricos de morte não existiam, e nem vamos falar de que a igreja não deixaria rastros, com registros das pessoas que morreram. Milhões devem ter morrido, ora porque não????
    -
    A Igreja Católica de hoje merece todas as críticas com base, não (só) no seu sangrento passado, mas no seu presente. Fui criada dentro dos preceitos da mesma, mas quer saber. Aos 18 anos quando entrei numa igreja cujas paredes eram recobertas de ouro, fiquei pensando se era pra isso que as pessoas pagavam os dízimos. A própria igreja católica não honra sequer muitos de seus santos, como São Francisco, que viveu na modéstia a vida inteira. A mesma igreja católica não mandou representantes naquela audiência pública registrada por uma leitora sua alguns posts atrás.
    -
    E os crimes do presente? E o que dizer das “mulheres de padre” que, de acordo com muitas informações, são forçadas (ou não) a fazer abortos? O que dizer dos padres pedófilos??? Quantos padres pedófilos foram expulsos da igreja católica? Posso estar errada, mas não sei de nenhum caso. No máximo, eles são movidos para outras paróquias onde vão acabar continuando com suas práticas (sugiro a você procurar um vídeo de um padre de Arapiraca). Claro, os homens são falhos, mas a igreja apoia essa prática quando não pune esses homens… da mesma forma que a Desgovernada apoia as práticas de seus ministros, já que ella mesma não demitiu nenhum deles, preferindo esperar que eles se demitissem.
    -
    Enquanto cristã sem credo, considero mesmo vergonhosa a presença de símbolos cristãos de uma única religião em locais frequentados por pessoas de diferentes credos. No país de maioria católica, estão todos reclamando da saída do crucifixo, mas e se ao invés de retirá-lo fosse permitida a colocação dos símbolos de outras religiões nestes locais? Garanto que a mesma gritaria seria ouvida para retirar estes símbolos. Muito petralha isso: só serve se for pra mim, se for pros outros não.

  150. Johnny Mazzilli

    -

    07/03/2012 às 23:34

    Hitler não matou mais que 6 milhões de pessoas? Esse número, se não me engano, diz respeito apenas ao judeus mortos, mas no geral foi muito mais gente. Ciganos, homossexuais, artistas, intelectuais, e muitos civis e soldados russos, norte americanos etc.

  151. Vejam também

    -

    07/03/2012 às 23:33

    Os mitos da inquisição Espanhola (parte 1 de 4)
    http://www.youtube.com/watch?v=aGa1OXZZqBg

    Comunidade de Orkut – Museu da Mentira

    ====================
    Fabricio 07/03/2012 às 21:22

    Artigos interessantes mostrando os ataques sistemáticos de marxistas contra o cristianismo.

    http://www.escolasempartido.org/index.php?id=38,1,article,2,174,sid,1,ch

    http://www.escolasempartido.org/index.php?id=38,1,article,2,205,sid,1,ch

    Tu vai ler ou tu é petralha?

  152. José (eu)

    -

    07/03/2012 às 23:33

    Pois é, Reinaldo…
    É o Método de Gramsci, sendo aplicado na íntegra, pela Esquerda revolucionária internacional.
    Para viabilizar a implantação do “socialismo” (comunismo) no mundo ocidental, teriam que ser derrubados os três pilares que sustentam a Democracia e seu modelo econômico resultante, o Capitalismo; entre eles, a “Moral Judaico-Cristã”.
    É interessante, os “arautos do comunismo” se apegarem aos mortos pela “Inquisição”, coisa que a Igreja já superou e hoje se redime do que seus antepassados fizeram; e esquecerem do holocausto do comunismo, que semeou a morte e a desgraça por onde passou (e não se redime até hoje. Para os militantes comunistas, as mortes foram necessárias, para a implantação da “sociedade igualitária e justa”).
    Foram mais de 100 milhões de vítimas fatais, assassinadas pura e simplesmente, para impor o terror aos possíveis “reacionários”.
    “Mate! E o faça de tal forma que, a quilômetros de distância, todos tremam” – Lenin
    “Em caso de dúvida, Mate!!!” – Tche Guevara
    Levantam crimes de tirania em setores que lhes interessa destruir e até de regimes que, por ignorância, entendem ter sido de “direita”, como o Nazista de Hitler.
    Esquecem que o Partido Nazista era, antes de tudo “socialista” e o “nome completo” era
    “PARTIDO NACIONAL SOCIALISTA DOS TRABALHADORES ALEMÃES”
    Para irritar os petralhas, costumo lembrar que a maior diferença entre Stalin e Hitler, era o tamanho do bigode.
    E que, para serem coerentes, os jovens esquerdistas que ostentam o retrato de Che Guevara, Lenin, Stalin, ou Mao Tse Tung no peito, deveriam ostentar o de Hitler, nas costas, pois são apenas duas faces da mesma moeda maligna socialista.

  153. Vejam também

    -

    07/03/2012 às 23:27

    O mito da inquisição espanhola (parte1 de 4):

    http://www.youtube.com/watch?v=aGa1OXZZqBg
    ========
    Comunidade de Orkut – Museu da Mentira

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=32876590
    ======================
    Fabricio 07/03/2012 às 21:22

    Artigos interessantes sobre os ataques sistemáticos de marxistas contra a religião cristã.

    http://www.escolasempartido.org/index.php?id=38,1,article,2,174,sid,1,ch

    http://www.escolasempartido.org/index.php?id=38,1,article,2,205,sid,1,ch

    Tu vai ler ou é petralha?

  154. Hélder

    -

    07/03/2012 às 23:20

    Reinaldo, assisti, na Canção Nova, a uma parte da 1ª aula (de um total de 3) sobre a inquisição. Acredito que foi usada também a mesma base de dados. Fiquei impressionado com a seriedade da pesquisa o dos esclarecimentos que ela propiciou: o que realmente significou a inquisição, por que ela começou, que ela teve fases ao longo de sua ocorrência, e como se falseou a verdade dos fatos – principalmente em relação ao número de mortos.
    É impressionante como se manipulam os dados em nome de uma ideologia da moda que matou (e mata) imensamente mais. Tudo isso para justificar o repúdio a uma religião – o cristianismo – que não se amolda a um determinado estilo de vida.
    Acho que esses juizos de valores irracionais e equivocados só ocorrem porque há pouca divulgação do que realmente ocorreu. Nesse sentido, sua contribuição em divulgar esse aspecto esquecido da inquisição é bastante válida, pois ajuda o reestabelecimento da verdade. Se você puder postar em seu blog os vídeos das aulas ministradas pela canção nova, as pessoas, vendo tais vídeos, talvez tenham um lampejo de compreensão e não pensem tanta bobagem.

  155. Mario

    -

    07/03/2012 às 23:19

    Oi Reinaldo, sou batista e anos de escola dominical onde analisamos e refletimos sobre a palavra de Deus e até mesmo sobre a propria igreja, me habituei a ter uma atitude critica sobre todos os assuntos.
    Sim, a inquisição foi um momento vergonhoso para a cristandade, claro que foi, mas não os numeros e consequencias são totalmente exagerados! Fiz um exercicio outro dia com alguns amigos “descolados” e mostrei que em 400 anos da famigerada inquisição espanhola morreram muito menos pessoas do que os regimes adorados pela galera do “mundo melhor”.
    Esta tudo na Wikipedia, e esse pessoal tão “estudado”, “culto”, “moderno” é incapaz de fazer uma pesquisa simples no Google e chegar a uma conclusão lógica.
    Sempre pergunto, o bitolado sou eu?????????
    GRande abraço!

  156. André

    -

    07/03/2012 às 23:15

    Infelizmente a única bibliografia conhecida pela maioria dos anti-católicos é: “o meu professor do cursinho disse”.
    É impossível sequer iniciar uma discussão séria, pois as concepção que eles possuem da religião são absurdamente toscas, seus conhecimentos de história são nulos, e sua capacidade filosófica é risível.
    Repetem obstinadamente meia dúzia de chavões postos em circulação principalmente por iluministas e acham que estão montados na razão.
    Deprimente!

  157. Ze Gomes

    -

    07/03/2012 às 23:11

    Reinaldo, interessante o artigo sobre a Inquisição na “Idade das Trevas”.
    Mais interessante ainda é quando percebemos que a Inquisição nos dias atuais se modernizou, porém já não pertence mais a Igreja, foi “confiscada”.
    O artigo não explicou, por exemplo, que a grande maioria dos presos e processados, foram alvos de denúncias populares. Naquela época também existia a LISTA DE COMO DEVIAM SER AS PESSOAS “POLITICAMENTE CORRETAS” segundo aquele momento cultural da sociedade. Assim sendo, denunciavam-se “judeus”, “pagãos”, “bruxos”, “gente acusada de ter pacto com o diabo”. Na maioria das vezes o DENUNCIANTE estava mesmo era de olho nas riquezas do denunciado, fazê-lo ser preso era a forma de meter a mão em tudo que seria dele, até dos negócios.
    Hoje, Reinaldo, você pode conferir: a Inquisição voltou – mas não é feita pela Igreja: é feita pelos partidos políticos e pelo Estado!!!! Porque também existe agora uma lista de Politicamente Correto e a possiblidade de fazerem denúncias – hoje não se acusa mais a pessoa de ser judeu, pagão, bruxo, herege, ateu.. Hoje, acusa-se até gratuitamente a pessoa de “racista”(sendo ou não, acaba grudando a pecha) de homofóbico, de “anti-abortista”, etc. E as pessoas que denunciam querem que sejam mesmos queimados vivos, torturados, cria-se um clima de linchamento de inquisição mesmo, a opinião pública é manipulada para apoiar prematuramente qualquer acusado destas novas “heresias sociais”, assim como naquele passado remoto da Inquisição´Católica, o povo adorava e apoiava, porque tudo aquilo era “politicamente correto, assim acreditavam.
    DIGA AÍ, REINALDO: QUEM SÃO OS MODERNOS INQUISIDORES CONDENANDO TUDO NO PRECONCEITO em nome de interesses pessoais e partidários?
    Dig

  158. Wagner

    -

    07/03/2012 às 23:11

    Reinaldo,
    os mortos pela Igreja ou com a sua conivência, nao se resumem aos condenados nos tribunais.
    Assim como nao o sao os mortos pelos regimes ditatoriais (de direita ou esquerda). E geralmente nem todos os mortos sao contabilizados.
    Realmente o texto traz luz para mim sobre um fato que eu desconhecia: que a taxa de penas de morte nos tribunais da Inquisicao era baixa.
    Mas daí a dizer que conceitos católicos mataram pouco, porque está nos documentos oficiais, é fechar os olhos para uma realidade histórica.
    Os próprios números que você cita para Mao, Stalin, Hitler, sao estimativas históricas, nao foram oficialmente registrados.
    Desta vez seu argumento é, a meu ver, fraco. Coisa que raramente vejo nesse blog, porém.
    Note bem: nao entro no mérito dos crucifixos, já escrevi minha opiniao em outro post.

  159. Jayme Vasconcellos

    -

    07/03/2012 às 23:11

    Deveríamos dizer aos doutos contestadores adeptos do pensamento mágico: É A BIBLIOGRAFIA, ESTÚPIDO!

  160. os396

    -

    07/03/2012 às 23:04

    Meus Deus! Eu imaginava que a maioria tivesse suprimido a ignorância com relação às mentiras contra a Igreja sobre a Inquisição. Eu acho que é falta de vontade de buscar a verdade.

  161. ivan

    -

    07/03/2012 às 23:00

    Apenas uma observação. O final do artigo é extraído de uma pubicação católica chamada VERITATIS SPLENDOR de outubro de 2010, sem identificação do autor.

  162. André

    -

    07/03/2012 às 22:51

    “Incrivel.. Body counting no site do reinaldo… A Igreja torturou sim. E com o aval das mais altas autoridades católicas, que se diziam infalíveis. Alguém querer dizer que era parte do mundo da época é ridículo. A igreja não se manifestou também por negros não terem almas?”
    .
    .
    .
    A tortura era comum a todos os interrogatórios. O que a Igreja fez foi criar um processo judicial onde antes existia na maioria dos casos uma execução sumária. Cabe dizer que esses processos muitas vezes terminavam inocentando o acusado. Em relação à tortura, o que a Inquisição fez foi limitá-la (onde antes não havia limites), proibindo qualquer uma que trouxesse risco de vida ou derramasse sangue. É horrível falar em tortura? É. Mas não sejamos anacrônicos.
    E a crença na infalibilidade papal não se aplicava a punições. Estude aquilo que critica, nem que seja para fazer uma crítica consistente. A crença na infalibilidade se resume a Dogmas de Fé.
    A história de que diziam que negros não tinham alma não é verdadeira, tanto é que os negros eram batizados, existiam igrejas e santos africanos que datam dos primeiros séculos de Cristianismo. Essa lenda sobre negros e índios não terem alma é oriunda de boatos que os escravocratas da época disseminavam (mas jamais foram regra de fé da Igreja) e por causa da elaboração de documentos e concílios para afirmar que eles possuíam SIM uma alma. Daí os críticos dizem que se foi feito um concílio para dizer que eles possuíam alma é porque antes havia dúvida. Isso não é real. Os documentos e concílios foram feitos para eliminar definitivamente a história de que eles não possuíam alma (espalhada pelos escravocratas, que possuíam alguns clérigos a seu serviço, assim como hoje o PT possui os seus clérigos da teologia da libertação, que jamais foram a voz oficial da Igreja).

  163. Meier Ginzel

    -

    07/03/2012 às 22:38

    Reinaldo, na Europa e nos EUA tambem estah acontecendo um grande movimento para erradicar simbolos cristaos. Soh que orquestrada por muculmanos e simpatizantes. Jah sao varias igrejas e templos desativados sendo transformados em mesquitas. Em sua opiniao, pode haver alguma relacao entre lah e aquih?

  164. André

    -

    07/03/2012 às 22:37

    “Os princípios cristãos nada mais são do que princípios humanos universais, dos quais todas culturas civilizadas, independente da religiosidade, desenvolveram. Creditá-las à condição cristão soa tão ignorância histórica como dizer que a Inquisição matou milhçoes.”
    .
    .
    .
    No entanto, não se desenvolveram fora dos ambientes influenciados pelo Cristianismo. Estes só aderiram a esses princípios quando assimilaram de ambientes cristãos.

  165. André

    -

    07/03/2012 às 22:37

    “Os princípios cristãos nada mais são do que princípios humanos universais, dos quais todas culturas civilizadas, independente da religiosidade, desenvolveram. Creditá-las à condição cristão soa tão ignorância histórica como dizer que a Inquisição matou milhçoes.”

    No entanto, não se desenvolveram fora dos ambientes influenciados pelo Cristianismo. Estes só aderiram a esses princípios quando assimilaram de ambientes cristãos.

  166. MD

    -

    07/03/2012 às 22:31

    Muito bom, o Artigo. Estive há pouco em Toledo, na Espanha, onde há un museu da tortura, que informa números como esses.

    Mas há um viés diferente, que li já não sei mais onde – os reis católicos, Isabel e Ferdinando, responsáveis pelo período de maior atividade da Santa Inquisição (sob o comando do famigerado Torquemada), deram um prazo para os judeus se mudarem da Espanha ou se converterem ao cristianismo, sob pena de serem mortos. Assim fizeram porque queriam unificar a Espanha e entendiam que a religião não só era um bom divisor de águas em relação aos então recém-expulsos dominadores muçulmanos, mas também porque serviria para dar a unidade que a formação do pais carecia.

    Enfim – e tudo com a superficialidade que o comentário num blog permite – as razoes da Inquisição, ao menos na Espanha, onde foi mais cruel e atuante, não foram só religiosas. Foram também políticas. A política sempre matou mais, e melhor, que a religião.

  167. tico tico

    -

    07/03/2012 às 22:28

    E viva a Grande Impostura!

  168. Sergio Accioly

    -

    07/03/2012 às 22:24

    “Invariavelmente, os que querem mandar a Igreja, mesmo a de hoje, para o banco dos réus costumam mandar para o trono Robespierre, Fidel, Mao, Stálin…”

    Pegando a deixa, contra fatos não há argumentos.

    Egora Tereza?

  169. Chacon

    -

    07/03/2012 às 22:24

    Reinaldo, se me permite, há um livro muito bom que é: Biografia no Autorizada del Vaticano, de Santiago Camacho. Também está cheio de referências e conta a história do Vaticano, não na Inquisição, mas no século XX. Entre outras coisas nos conta o envolvimento do Vaticano com a morte de milhares (esses são milhares mesmo) de pessoas entre Judeus, Sérvios e Ciganos, na Croácia, e a ajuda que o Vaticano deu para esconder os culpados. Falcatruas do Banco para as Obras da Religião, presidido por Paul Marsinkus, e outros escândalos. O livro é cheio de detalhes. O link é para baixar o livro é este: http://www.herbogeminis.com/IMG/pdf/biografia-no-autorizada-del-vaticano-santiago-camacho.pdf

  170. SIDNEY

    -

    07/03/2012 às 22:23

    Caro Reinaldo, não sou aquele que destila ódio – desnecessário, claro!, rancor ou aversão ao prazer, logo, já percebera que, a mim, o cristianismo não empolga, mas irei direto ao assunto: essa história de “milhões” de assassinados pela santa igreja, não muito me incomoda, primeiro: por não crer que sejam milhões os mortos, por fim, se a igreja não tivesse assim agido, estaria, hoje, no anonimato, seria insignificante; ou seja, foram ações, politicamente, orientadas com um único fim: a hegemonia. Muito semelhante às práticas dos companheiros vermelhos da foice e martelo. O que muito me entristece é saber que a humanidade perdeu séculos em pesquisa/ciência/tecnologia em virtude do obscurantismo da fé, quanto a fé, propriamente dita, não muito me interessa desde que essa vontade de ir – retornar(?) – ao paraíso, à luz não prejudique o caminhar da humanidade… caminhar recheado de teluricidades.

  171. A.Carlos

    -

    07/03/2012 às 22:18

    Reinaldo, Boa noite!

    Parabéns Reinaldo!

    O que esses mesmos “professores” não falam é sobre a JIhad e o expansionismo Islamismo. E que partir das cruzadas foram criadas pela Igreja Católica os Hospitais a partir das Ordens dos Hospitares criada para acompanhar as cruzadas.
    Com a prioridade dada aos inimigos feridos em batalha e só depois os católicos. E para permitir que os católicos pudessem fazer suas peregrinações a Terra Santa.
    O expansionismo Islamismo criou uma guerra que durou 800 anos até a reconquista Ibérica.
    Curioso Reinaldo, um fato recente com poucos anos passados, em que, um meu conhecido, em uma livraria na França comentava com outro um livro que falava sobre o baixo crescimento populacional na França e demais países europeus e sem cerimonias,um senhor Islamico adentrou a conversas e sentenciou: Vamos retomar a Europa com o ventre de nossas esposas… Curioso não é mesmo?! Aqui no Brasil temos uma ministra que junto a essa minoria quer a descriminalização do aborto.
    Que ondas mais virão? Quem patrocina tudo isso no Ocidente Católico? Onde está nosso clero (diga-se CNBB) diante de tudo isso?

    Pois é Reinaldo, excelente materia essa sua pena ter somente o apoio das ovelhas pois que nosso clero está cuidando… A sei lá. Veja a campanha da fraternidade desse ano e verás!

    Boa noite Reinaldo.

  172. Marcelo Machado Brum

    -

    07/03/2012 às 22:14

    Will Durant em seu livro “A Idade da Fé”,livro este com certeza hoje esquecido e defenestrado pelos historiadores(sic) dialéticos de hoje,tem um capítulo muito bom sobre a Inquisição medieval.Uma das frases que mais me marcou foi esta “A justeza do julgamento da inquisição era tão notória que não era incomum ocorrer de presos comuns blasfemarem de propósito apenas para poderem ver examinadas pela inquisiçao as suas acusações”.
    Existiram inquisidores sem escrúpulos ou fanáticos demais mas foram muito mais uma rara exceção do que a regra.Bernard de Guy é um inquisidor considerado exemplar mas que sofreu a propaganda negativa do comunista Umberto Ecco em seu famoso romance “O nome da Rosa”.As mentiras contra a Santa Inquisição tem origem na propaganda protestante do século XVI e nas deslavadas mentiras propagandeadas como achados científicos pelos iluministas,ancestrais dos fascistas,comunistas e irreligiosistas de hoje.

  173. L.

    -

    07/03/2012 às 22:13

    Esse papo de milhões já deu! Só Stálin não matou ninguém e todos descendemos da gloriosa civilização marxista.Aff!!!

  174. Messias

    -

    07/03/2012 às 22:11

    Errata: Comentário com os links na ordem certa:

    Recomendo também o livro “Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental”, de Thomas E. Woods Jr.

    http://www.erealizacoes.com.br/ecom/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=901

    A partir desta página há vários videos do mesmo autor falando sobre o mesmo tema:
    http://www.youtube.com/watch?v=t6bnO7N1AMU

    Outro também que quero ler e deve elucidar várias questões é esse é “Luzes e sombras na Igreja” de Alfonso Aguiló:
    http://www.quadrante.com.br/livrariavirtual_detalhes.asp?id=759&cat=Apologetica&s=home

  175. Laudelino

    -

    07/03/2012 às 22:11

    A igreja terrena é a igreja dos pecadores. Nessa igreja surgiram obras de valores incalculáveis. Surgiram homens que não mereciam chamar-se cristãos. Nessa igreja surgiram gigantes, mas também surgiram anões. O ateu não está presente nessa discussão, pois ele não se importa com a presença ou não de um crucifixo, tratando-se apenas de peça de decoração. Aquele que se movimenta no sentido de retirá-lo, não é decorador de ambientes, mas sim, anti-cristão militante, senão um autêntico satanista. A justiça é laica mas o brasil não é ateu. A justiça é laica porque não faz julgamento religioso, ela se atem as leis que regem a sociedade, que possui uma formação cristã e vê com bons olhos a presença do símbolo que representa muito dos valores presentes nas leis. O crucifixo não é o enfeite na parede, ele é o pilar dos valores que ajudarão aqueles senhores de preto a manter-se íntegros. Em estudo recente de um historiador americano da universidade do Havaí, mostra que a quantidade de mortos pela inquisição não passam de 15.000 em 200 anos. Esse mesmo estudo mostra que em todas as guerras da história humana até o século 20, mostrou que morreram ~160 milhões de pessoas, mas somente no século 20 os comunistas mataram em tempos de paz, 160 milhões de pessoas desarmadas. um século de comunismo produziu mais mortes que toda a história humana. O primeiro que tentar levantar os “milhões” de mortos da inquisição contra qualquer coisa, deve levar na hora uma boa cusparada no meio da cara….

  176. Messias

    -

    07/03/2012 às 22:09

    Recomendo também o livro “Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental”, de Thomas E. Woods Jr.

    http://www.erealizacoes.com.br/ecom/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=901

    Outro também que quero ler e deve elucidar várias questões é esse é “Luzes e sombras na Igreja” de Alfonso Aguiló:

    http://www.quadrante.com.br/livrariavirtual_detalhes.asp?id=759&cat=Apologetica&s=home

    A partir desta página há vários videos do mesmo autor falando sobre o mesmo tema:

    http://www.youtube.com/watch?v=t6bnO7N1AMU

  177. PARTIDO - PÊQUEPÊ

    -

    07/03/2012 às 22:04

    .
    CARISSIMO REINALDO,
    .
    SE DEIXASSE, O pt JA ESTARIA FAZENDO A “NADA SANTA INQUISIÇAO” DELES
    .
    NA VERDADE VERDADEIRA ,O QUE ELES NAO SUPORTAM É CONCORRENCIA.
    .
    REINALDO, COMO VOCE BEM SABE, AQUELA GENTALHA TEM A PRETENÇAO DE TOMAR O LUGAR DA IGREJA NA VIDA DAS PESSOAS
    .
    COMO NAO PODEM APARELHAR A IGREJA; SALVO A COISINHA LA DAQUELES BISPÓIDES PSEUDO-COMUNO-CAPITALISTAS-COISINHA UNB OU COISA DO TIPO; E COMO DIZIA ; ELES NAO PODEM APARELHAR A IGREJA , ENTAO VAO TENTAR DESTRUI-LA
    .
    ESSA GENTE VOMITA SOBRE OS VALORES MAIS CAROS DOS “OUTROS”.

    E LAMBEM O VOMITO ESPALHADO NO CHAO, PROVENIENTE DE SEUS COMPARSAS
    .
    A IGREJA JA RECONHECEU O ERRO QUE OS ANTIGOS COMETERAM ! OS PETRALHAS JA RECONHEERAM A EXISTENCIA DO MENSALAO ? NAO, NE ? MAS ISSO NAO MUDA O FATO E TEREM ROUBADO E DE SEREM LADROES E/OU CORRUPTOS, CERT ? NAO MUDA, MA MOSTRARIA DIGNIDADE E RECONHECIMENTO ENTR O CERTO E O ERRADO

  178. Livre

    -

    07/03/2012 às 22:03

    Sobre a questao da relevância moral dos números, vale insistir numa obviedade que as esquerdas brasileiras não querem enxergar: conquanto não se possa afirmar que um INDIVÍDUO responsável por um número maior de mortes que algum outro seja necessariamente moralmente pior, é ululantemente claro que a existência de uma INSTITUIÇÃO ou REGIME que mata mais que seus rivais se constitui num mal superior. Uma vez mais, o comunismo não é superado nisto por ninguém.

  179. explicação.

    -

    07/03/2012 às 22:03

    Meus filhos, o crucifixo não é um simbolo católico, e sim um simbolo Cristão, portanto se estamos em uma democracia, cabe a vontade da maioria, pois no Braasil, mais de 90% de declaram Cristãos.

  180. joao

    -

    07/03/2012 às 22:02

    OLHA REINALDO POR ESTAS E OUTRAS É QUE EU NÃO ACREDITO NEM CONFIO EM PESSOAS DE CONDUTA DESVIADA. VAI VER DAQUI UNS DIAS VÃO QUERER MUDAR TAMBÉM O RITUAL DE PREGAÇÃO DAS IGREJAS. ERA SÓ O QUE FALTAVA!

  181. explicação.

    -

    07/03/2012 às 22:02

    Meus filhos, o crucifixo não é um simbolo católico, e sim um simbolo Cristão, portanto se estamos em uma democracia, cabe a vontade da maioria, pois no Braasil, mais de 90% de declaram Cristãos.

  182. Paulo

    -

    07/03/2012 às 22:01

    E os números da Inquisição Protestante?

  183. Rafael

    -

    07/03/2012 às 22:00

    Quanto ao outro comentário infeliz de que a Igreja dizia que “os negros não tinham alma”, só mostra o quanto é cansativo debater com que não conhece história. Se a Igreja considerasse que negros “não tinham alma” jamais os batizaria – como fazia – e muito menos os canonizaria, não existindo nenhum santo negro. Ai, meu saco…

  184. MAE

    -

    07/03/2012 às 21:58

    PRIMEIRA CARTA AOS CORÍNTIOS 1,Cristo não me enviou para batizar, mas para anunciar o Evangelho, sem recorrer à sabedoria da linguagem, a fim de que não se torne inútil a cruz de Cristo. 18 Pois a linguagem da cruz é loucura para aqueles que se perdem. Mas, para aqueles que se salvam, para nós, é poder de Deus. 19 Pois a Escritura diz: «Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos inteligentes.» 20 Onde está o sábio? Onde está o homem culto? Onde está o argumentador deste mundo? Por acaso, Deus não tornou louca a sabedoria deste mundo? 21 De fato, quando Deus mostrou a sua sabedoria, o mundo não reconheceu a Deus através da sabedoria. Por isso através da loucura que pregamos, Deus quis salvar os que acreditam. 22 Os judeus pedem sinais e os gregos procuram a sabedoria; 23 nós, porém, anunciamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos. 24 Mas, para aqueles que são chamados, tanto judeus como gregos, ele é o Messias, poder de Deus e sabedoria de Deus. 25 A loucura de Deus é mais sábia do que os homens e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.

  185. Rafael

    -

    07/03/2012 às 21:55

    O comentário da leitora bem reflete o grau de morbidez a que a ignorância a respeito da história da Igreja e o motivo dos processos da Inquisição chegaram. Lendas cretinas propagadas por professores, “intelectuais” e palpiteiros profissionais são repetidas cegamente com ares de fatos histórico “provado”. Propagar a lenda de que a Inquisição perseguia “quem não concordava com a Igreja” parece ser um dever cívico, que de tão repetido virou um mantra. A inquisição JAMAIS perseguiu não católicos em processos sobre heresia, porque a heresia consiste em propagar como católico um dogma não-católico. Nada mais que isto. Portanto, somente um católico poderia ser acusado de heresia num tribunal da Inquisição, sendo que os processos poderiam levar anos, havendo debates entre inquisidor e acusado, sendo fato sobejamente documentado que incontáveis absolvições ocorreram, mostrando que o tribunal não ouvia ninguém apenas pro forma, mas ouvia com interesse genuíno no deslinde da questão. Portanto, é ridículo afirmar que a Igreja perseguia “quem não concordasse com ela”, já que os processos de heresia tinham objeto restrito aos limites da doutrina católica, sendo absolutamente indispensável que os processados fossem católicos. Desconhecer isto só mostra que a mentalidade popular foi inteiramente adestrada a só ressoar mentiras e deformações históricas. Aliás, foi justamente o tribunal da Inquisição que acabou por proibir o uso da tortura, coisa que hoje parece óbvia de se condenar mas que na Idade Média foi uma revolução em prol dos direitos humanos. Por outro lado, retirar um símbolo (o crucifixo) das salas dos tribunais é atitude contraditória, porque o próprio Direito é impregnado de valores cristãos. O epicentro da ordem jurídica brasileira (e até de todo o Ocidente) se funda sobre o princípio da dignidade da pessoa humana, princípio que surge pela primeira vez no cristianismo. Portanto, se de um lado se tira crucifixos de salas de tribunais, por outro lado estes mesmos tribunais devem fundar todas as suas decisões num valor trazido ao Direito pelo cristianismo, princípio que vai desde proibir penas cruéis até servir de base de interpretação para se cobrar licitamente uma dívida. O problema é que a grossa maioria dos juízes não estuda história em geral e nem história do Direito e assim não sabe como os diversos ordenamentos jurídicos ocidentais se impregnaram de valores cristãos. Quanto ao “Estado laico”, até onde se sabe este foi o maior torturador e assassino da história universal. Foi o “Estado laico” que criou os campos de concentração e os Gulags; Foi o “Estado laico” que matou populações inteiras, causando mais mortes no século XX do que em toda história humana anterior, fazendo do genocídio uma forma de política.

  186. Anonimo

    -

    07/03/2012 às 21:54

    REi, não sou a favor da retirada do crucifixo.Cada um deve respeitar o outro, assim como as lésbicas querem ser repeitadas.
    Agora, qto a inquisição, eu acho a comparação com o julgamento do tribunal civil não deveria existir pelo simples fato que a inquisição, vindo de uma instituição religiosa cristã, JAMAIS deveria ter praticado UM assassinato, qto mais esses números que estão nos estudos acima citados.
    Diz o mandamento: NÃO MATARÁS.
    Toda religião é válida desde que ela (a religião)leve o homem para o caminho do bem através dos ensinos do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.
    Conhecerás a Verdade e a Verdade vós libertará.

  187. Livre

    -

    07/03/2012 às 21:54

    É evidente que a Inquisição foi um erro deplorável. Mas é ridículo fazer de conta que a Igreja perpetrou horrores comparáveis aos que foram levados a cabo por tiranias seculares. E a triste verdade é que, dentre estas, as tiranias comunistas foram as mais criminosas. Fato!

  188. Messias

    -

    07/03/2012 às 21:53

    Fabricio – 07/03/2012 às 21:22
    (…) A igreja não se manifestou também por negros não terem almas?

    Não Fabrício. A Igreja jamais disse isso. A menos, é claro, que o Sr. tenha algum documento oficial, de algum papa que afirme isso.

    Vai aí um link de um comentário meu que fiz neste blog e que foi copiado em outro site: http://www.cafeimpresso.com.br/blog/2007/10/09/a-igreja-e-a-escravidao/

  189. Valdir A.C.

    -

    07/03/2012 às 21:50

    Fabricio-07/03/2012 às 21:22

    Contesto suas afirmações e o desafio a apresentar os seus argumentos, dados e referencias para embasar suas baboseiras!

  190. Geraldo Iunes Filho

    -

    07/03/2012 às 21:49

    Meu falecido Pai sempre me ensinou “Se não conheces ou entendes um assunto qualquer que seja ele, não de pitaco fica na tua. Estude, leia, procure informações se aprofunde no assunto. Quando você estiver craque . Ai sim você pode contestar, emitir opiniões, concordar etc.” O que se percebe neste País infelizmente é isto as pessoas não conhecem nadica de nada na maioria das vezes são maioria vai com as outras “emprenham pelos ouvidos” e ficam fazendo comentários sem saber na verdade o que estão falando ou escrevendo.Que esta sua brilhante aula sirva de exemplo.
    Valeu Tio Rei

  191. Valdir A.C.

    -

    07/03/2012 às 21:46

    Caro periodista, o texto é bastante incompleto, ainda que eficáz. Faltam coisas como: A Inquisição foi uma imposição de nobres e plebeus (povão) e a Igreja apenas respondeu, depois de ponderar, a esse anceio. A condenação a morte foi instituída quando do combate ao catarismo (em suas inúmeras vertentes). Os criminosos comuns e principalmente dicidentes políticos, ao serem presos proferiam heresias, pois assim teriam o direito de serem julgados pela inquisição onde receberiam tratamento respeitoso e humano. Se qualquer herege renunciasse a suas heresias, mesmo estando já no cadafausto, imediatamente era retirada a condenação e o fulano salvo. A inquisição espanhola (Torquemada) foi instituída pelos reis de espanha à revelia do Papa reinante e portanto era um braço do poder do rei e assim era usada contra os inimigos da coroa. Ainda a constituíção do que chamamos hoje civilização (todo o conjunto de valores e referencias e medidas morais que temos) se deve a Igreja Católica Romana e a Idade Média (Idade da Luz) porque a Igreja era o poder (algumas pessoas são capazes de infartar só de pensar nesses fatos históricos). Os professorzinhos esquerdopatas deveriam ensinar que o ensino não existiria sem a Igreja… não existiriam universidades.
    Para os detratores da Idade Média (inocentes ou cooptados) aqui vai algo para pensarem: Sabe o que povão fazia na idade das trevas e do obscurantismo? O povão acorria à praças públicas para assistir a debates filosóficos… bandeirolas eram colocadas nos quatro cantos das praças para que o povo soubesse a direção do vento e assim se colocasse nos melhores lugares para ouvir os debatedores. Digam agora o que faz o povão hoje??? Ex.: Vai pagar pra ver o curintia e ser enganado pela máfia do futebol.

  192. Marcio

    -

    07/03/2012 às 21:44

    Excelente post, Reinaldo. Recordo bem dos meus anos de colégio em que ouvi todas essas deturpações e exageros gritantes acerca da Inquisição, inclusive com exibições de filmes que seguem essa linha, como “O Nome da Rosa” e “O Poço e o Pêndulo”. Bela iniciativa essa de jogar um pouco de luz sobre esta enorme manipulação histórica.

  193. Ade

    -

    07/03/2012 às 21:35

    estamos esperando que os comunistas façam o mesmo.abram o seus arquivos e enfrentem os seus crimes .sim, porque quem silencia sobre os milhões de vítimas é cumplice moral dos genocidas stalin ,mao,guevara etc.é fácil apontar os crimes da igreja mas eles aconteceram em um tempo e contexto que só a história pode julgar.os acontecimentos revolucionários tinham e têem esta meta, o extermínio de populações inteiras.na guarida da igreja você podia até fingir uma conversão já, por exemplo na Coréia do Norte,você pode fingir que está desolado com a morte do ditador mas se cismarem que é mentira você vai correr pra onde?

  194. José Luiz

    -

    07/03/2012 às 21:27

    Excelente post Reinaldo. Espero que sirva para desmistificar um pouco a história da Inquisição. Afinal, milhares de professores propagam a tese dos “milhões de mortos” diariamente. Sou católico de formação e ateu por opção. Considero, porém, a decisão dos juízes do Rio Grande do Sul estúpida. Não deixa de ser um sinal preocupante a posição dos nossos doutos magistrados. O símbolo da Justiça tem os olhos vendados, como todos sabemos, mas os juízes não devem fechar os olhos para a história.

  195. Lopes

    -

    07/03/2012 às 21:23

    Marechal Reinaldo,

    Permita-me uma correção: os algarismos que se referem aos séculos não devem vir em romano (e.g., Século XXI)?

    Soldado Lopes.

  196. Fabricio

    -

    07/03/2012 às 21:22

    Incrivel.. Body counting no site do reinaldo… A Igreja torturou sim. E com o aval das mais altas autoridades católicas, que se diziam infalíveis. Alguém querer dizer que era parte do mundo da época é ridículo. A igreja não se manifestou também por negros não terem almas? Os homens mudam.. Mas a religião não deveria ser eterna? O Papa não deveria ser infalível? Os ensinamentos de Cristo não deveriam ser os mesmos em qualquer época? Como acreditar em 2012 em algo que estava tão errado em 1700?

  197. Franz S. Borges

    -

    07/03/2012 às 21:21

    Acho que todos estão discutindo a coisa errada, o que se condena é a unilateralidade dos símbolos religiosos em órgãos públicos. O catolicismo é 100% dominante. Deveria ter também homenagens a Lutero, Iemanjá, Chico Xavier, Buda e outros para ser democrático e representativo da população brasileira.

  198. Anónimo

    -

    07/03/2012 às 21:20

    Se a Inquisição tivesse matado milhões de pessoas, como afirmam certos idiotas, a população européia simplesmente teria sido dizimada.

  199. alberto santo andre

    -

    07/03/2012 às 21:16

    em cada momento da historia, existiu a exacerbacao do poder, que se materializa em massacre de inocentes ,porem o simbolo maior da ignorancia humana, e cultuar estas exacerbacoes acontecidas,nos tempos atuais ,e a coroacao em alto estilo da mediocridade daqueles que o fazem.

  200. Gustavo Almeida

    -

    07/03/2012 às 21:16

    Obrigado pela aula de história, Reinaldo!

  201. Epamimondas

    -

    07/03/2012 às 21:12

    Se vamos por essa ótica, os skinheads merecem consideração pois foi o nazismo situado no passado que exterminou.

    Por certo neste caso é diferente; afinal, nossa cultura não foi fundada dentro de princípios nazistas. Mas creio que seus crimes históricos não seria relevados mesmo nestas condições.

    Mas voltando então para a atualizadade: E quanto a Igreja interferir em campanhas de educação sexual? Numa nítida desconexão com a realidade da natureza humana, propõe abstinência ao ser humano ao invés de um método seguro. Método este sempre acompanhado de algumas vantagens. Mas o principal deles, é a parte sobre “educação” do “educação sexual”.

    Poderia me deter aqui no lobby contra as pesquisas com células tronco, mas isto é patinar na questão do aborto. Já sabemos as opiniões e argumentos de ambos os lados.

    Os princípios cristãos nada mais são do que princípios humanos universais, dos quais todas culturas civilizadas, independente da religiosidade, desenvolveram. Creditá-las à condição cristão soa tão ignorância histórica como dizer que a Inquisição matou milhçoes.

  202. Tibiriça Ramaglio

    -

    07/03/2012 às 21:12

    Reinaldo,

    É bom lembrar também que popularmente se fala muito da Inquisição da Idade Média e, como diz o artigo da Veritatis Splendor, os autos de fé datam especialmente do século XVI, quando a Idade Média já cedera lugar à Idade Moderna. Aliás, a própria expressão “Idade das Trevas”, com que se designa o interregno entre o fim do Império Romano e o dito renascimento, é produto do anticlericalismo. Como chamar de “Idade das Trevas” uma época que produziu luminares como Agostinho de Hipona, Duns Escoto e Tomás de Aquino, para não falar em Raimundo Lúllio? A verdadeira Idade das Trevas começou com o Iluminismo e a Revolução Francesa.

  203. Edgar Ehara

    -

    07/03/2012 às 21:10

    Perfeito, Rei. Não se pode comparar a Igreja Católica de séculos atrás com a Igreja Católica de hoje.
    Seria como questionar o Poder Judiciário atual em razão dos ordálios praticados no passado.

  204. morg

    -

    07/03/2012 às 21:10

    Reinaldo,
    1 – ponto final no título
    2 – na penúltima linha antes de Leiam o…: “…réus costumam…”
    morg

  205. Marcelo

    -

    07/03/2012 às 21:05

    Esse é mesmo um blog diferenciado. A estatística sobre as execuções durante a Inquisição eu desconhecia. Parei, li e aprendi mais um pouco. Em outros blogs é só gritaria. Aqui o conhecimento flui.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados