O silêncio da blogueiragem profissa

Mas nem mesmo um mea-culpa?

Sempre digo que textão político é igual coque samurai: você acha que está bacana, seus amigos curtem e compartilham, mas um dia você vai se ligar como foi ridículo.

Com a evolução da Lava Jato, essa minha teoria tem feito cada vez mais sentido. Vejo inúmeros amiguinhos deixando as opiniões de lado, como quem apara as madeixas do coquinho e assume que está ficando careca.

Acho legal, acho bacana.

Ninguém ganhava dinheiro com isso mesmo, fica só aquela vergonha de ter escrito tanta groselha nessa imensa reunião de condomínio chamada Facebook.

O que acho muito louco é o silêncio da blogueiragem profissa, os que levaram a sério, durante todo esse tempo, a defesa engajada e inesgotável da classe política.

Sakamotinho esqueceu da tia Gilma e virou sommelier de reforma trabalhista. Juca Kfouri voltou a falar do Corinthians. Até o Duvivier, o maior escritor brasileiro humano, parou de escrever seus textões politicamente legais por aí.

Triste que não rolou nem uma mísera mea-culpa, nem um “foi mal tava doidão”.

Segue o jogo… Como naquela música nova do Chico Buarque…

*Texto originalmente publicado na página de Facebook do chef Raphael Durant Despirite

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Roberto Araújo

    O maior escritor humano kkkkkkkk muito boa.

    Curtir

  2. Com a palavra, a blogueiragem profissa… ou seria, órfãos das benesses do poder?

    Curtir