Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Vivo lança serviço de rádio para concorrer com Nextel

Aparelhos já estão disponíveis no Rio de Janeiro e em agosto devem alcançar todo o território nacional

Por Da Redação - 18 jul 2011, 13h55

A Vivo lançou, nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, um serviço de rádio (PTT) complementar aos planos pós-pagos da operadora. Com isso, a Vivo entra para competir com a Nextel no mercado corporativo e de pessoa física, de olho em sua própria base de assinantes e nos 3,6 milhões de clientes da concorrente. A previsão é de que o serviço esteja disponível a partir de agosto em território nacional.

“Vamos tirá-la (Nextel) da zona de conforto”, afirmou o presidente da unidade de mercado individual da Telefônica/Vivo, Paulo César Teixeira. “Nosso nível de ambição é alto”. O serviço, batizado de Vivo Direto, custará 29,90 reais sobre o preço do pacote pós-pago do cliente, sendo o mais barato vendido a 46 reais, somando 75,90 reais. O pacote de rádio mais barato da Nextel custa 89 reais. Os aparelhos custarão a partir de 99 reais, contra 299 reais da Nextel. Não é necessário mudar o número de celular.

Hoje, a Vivo tem 63 milhões de clientes no Brasil, sendo apenas 3 milhões no mercado corporativo. Segundo Teixeira, a empresa está focando nesse nicho, mas também no segmento jovem, que fala com a família e com grupos de amigos. “Fizemos um estudo de mercado e observamos que havia uma demanda muito forte vinda dos clientes para falar à vontade, sem preocupação com a fatura no fim do mês”, disse.

A primeira cidade a testar o serviço foi Curitiba, em junho, e em São Paulo pode ser lançado comercialmente ainda neste mês. A tecnologia usada pela Nextel é a Idem e a da Vivo será 3G. A cobertura será a mesma da operadora no segmento de voz, 3.663 municípios, contra 385 da Nextel.

Publicidade

O serviço não estará disponível no segmento pré-pago nem, por enquanto, internacionalmente. Clientes Nextel usam o serviço de rádio para falar com os Estados Unidos, onde a tecnologia está disponível. Teixeira disse que a empresa planeja para o curto prazo o lançamento do Vivo Direto internacional. Estão em estudo países da América Latina, América Central e América do Norte, segundo o executivo.

De acordo com ele, a tecnologia para uso em território nacional já está disponível e funcionando, inclusive em São Paulo. Falta apenas a chegada dos aparelhos nas lojas para o lançamento comercial. Até o quarto trimestre haverá sete opções de aparelhos.

A Vivo tem investimentos programados de 2,5 bilhões de reais em 2011 e detém 29,5% de participação de mercado, segundo dados de maio. No pós-pago, a fatia de mercado é de 35,9%. O foco de crescimento da Vivo tem sido no mercado de dados. Para competir nesse segmento, neste mês a TIM anunciou a compra da AES Atimus, que lhe dará 5,5 mil quilômetros de rede de fibra ótica. Para Teixeira, da Vivo, o negócio não representa ameaça. “Eles estão corrigindo um gap”, disse.

(Com Agência Estado)

Publicidade