Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vendas locais e exportações de papel crescem em maio

Por André Magnabosco

São Paulo – Os indicadores de vendas da indústria de papéis apresentaram recuperação em maio, de acordo com dados divulgados na manhã desta terça-feira pela Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). As vendas domésticas cresceram 2,3% no mês passado na comparação com o mesmo período de 2011, para 448 mil toneladas. As exportações, por sua vez, cresceram 12,1% em igual comparação, para 194 mil toneladas.

Na comparação com abril, novamente os números de maio são positivos. As vendas internas cresceram 4,7% e as exportações, 14,8%.

Associada à alta das vendas, a indústria brasileira também pode comemorar a queda de 3,3% nas importações, em ambas as comparações, para 118 mil toneladas. A retração das compras externas acompanha a queda de 1,5% no consumo aparente em maio, na comparação com o mesmo período de 2011. Sobre abril deste ano, o indicador que dimensiona a demanda doméstica por papéis apresentou alta de 0,3%.

A produção brasileira de papéis acelerou em maio e atingiu 846 mil toneladas, uma expansão de 1,6% em relação a maio de 2011 e de 3,8% ante abril deste ano.

Janeiro a maio

Os números do setor no acumulado de janeiro e maio ainda apresentam maior fragilidade, consequência do ritmo dos negócios nos primeiros meses de 2012. As vendas domésticas cresceram 1,2% ante o mesmo intervalo de 2011, para 2,125 milhões de toneladas. As exportações, por sua vez, caíram 2,9%, para 861 mil toneladas. As importações apresentam retração de 9,5%, refletindo uma queda de 0,8% do consumo aparente.

A receita brasileira com exportações somou US$ 852 milhões (preço FOB) até maio, uma retração de 8% ante o mesmo intervalo do ano passado. A queda reflete principalmente as vendas 27,7% inferiores para a China e 16,5% menores para a Europa. As vendas para as duas regiões somaram US$ 34 milhões e US$ 137 milhões, respectivamente. Principal destino do papel brasileiro, o mercado latino-americano reportou queda de 8,1%, para US$ 475 milhões.

As importações brasileiras movimentaram US$ 682 milhões entre janeiro e maio, uma retração de 7,5% ante igual intervalo de 2012.