Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Vendas do varejo sobem 0,9% em agosto, aponta IBGE

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o volume vendido no comércio registrou alta de 6,2%

Por Da Redação - 15 out 2013, 09h44

As vendas do comércio varejista cresceram 0,9% em agosto na comparação a julho, na série com ajuste sazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta terça-feira. Trata-se da sexta alta consecutiva nessa base de comparação. Já em relação ao mesmo período do ano passado, série sem ajustes sazonais, o avanço foi de 6,2%.

Oito das dez atividades pesquisadas pelo IBGE registraram avanço ante julho. A principal alta veio do setor de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, cujas vendas cresceram 7,6%. Em julho contra junho, houve alta de 3,7% nas vendas, informou IBGE.

Além disso, o setor de veículos e motos, partes e peças vendeu 2,6% mais em agosto ante julho. No mesmo período de comparação, as vendas de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos cresceram 1,1%. O setor de livros, jornais, revistas e papelaria venderam 0,9% mais do que em julho, enquanto no setor de móveis e eletrodomésticos as vendas cresceram 0,8% (em julho ante julho, a variação havia sido de 2,6%, puxada pelo programa de financiamento Minha Casa Melhor).

Também registraram alta nas vendas os setores de material de construção (0,8%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,6%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,1%). As únicas quedas foram observadas em combustíveis e lubrificantes (0,7%) e tecidos, vestuário e calçados (1%).

Publicidade

Leia mais:

Inflação oficial acelera para 0,35% em setembro

Efeito do dólar na inflação faz Copom elevar Selic para 9,5% ao ano

Ainda segundo o IBGE, em termos de receita nominal, foi registrado crescimento de 1,2% em agosto ante julho, na série com ajustes sazonais, – e de 13,6% na comparação a agosto de 2012.

Publicidade

No ano, o volume de vendas no comércio brasileiro soma alta de 3,8%, quando comparado ao mesmo período de 2012. Já a receita cresceu 11,9% nessa base de comparação. Em 12 meses, o volume e receita subiram 5,1% e 12,2%, respectivamente. A diferença de ritmo de volume e receita mostra o aumento do ticket de compra, ou seja, o brasileiro está comprando produtos mais caros.

Publicidade