Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Varejo dos EUA vende 1,1% a mais em fevereiro

As vendas das varejistas são um importante componente do PIB americano, respondendo por mais de dois terços da demanda econômica

Por Da Redação 13 mar 2013, 13h32

As vendas no varejo dos EUA subiram 1,1% em fevereiro ante janeiro, para o valor sazonalmente ajustado de 421,40 bilhões de dólares, segundo informou nesta quarta-feira o Departamento do Comércio. O resultado veio bem acima da previsão de economistas consultados pela agência Dow Jones, que esperavam alta de 0,6%. O ganho do mês passado foi o quarto consecutivo e o maior desde setembro. Na comparação anual, as vendas subiram 4,6% em fevereiro. O dado de vendas de janeiro foi revisado para ganho de 0,2%, de um acréscimo anteriormente estimado em 0,1%.

Excluídos o setor de automóveis, materiais de construção e gasolina, as vendas no varejo avançaram 0,36% na variação mensal. Desconsiderando-se apenas automóveis, as vendas subiram 1%, mais do que o aumento de 0,6% previsto por economistas. As vendas das varejistas são um importante componente dos gastos com consumo, que respondem por mais de dois terços da demanda na economia norte-americana. Nos postos de combustíveis, as vendas subiram 5% em fevereiro e as mercearias também apresentaram um desempenho melhor. Já nas lojas de departamento, restaurantes e lojas de móveis, as vendas recuaram no mês passado.

Leia ainda: Prioridade dos EUA é fechar acordo com 10 países no Pacífico

Importados – Ainda nesta quarta-feira, o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos divulgou os preços de importados, que subiram mais do que o esperado em fevereiro, na comparação com janeiro, impulsionados pelo maior aumento nos preços de combustíveis desde agosto. Os preços de importados aumentaram 1,1%, o mais alto desde agosto e mais do que o dobro da expectativa de 0,5% de economistas ouvidos pela agência Reuters.

Só o preço dos combustíveis aumentou 4,9% em fevereiro. Excluindo combustíveis, os preços ficaram estáveis ante o mês anterior. Regionalmente, os preços dos produtos importados da China subiram 0,1% e preços dos bens importados do Canadá, um grande fornecedor de petróleo para os EUA, aumentaram 1,5%.

Já os preços dos exportados subiram 0,8% em fevereiro, o maior ganho mensal desde setembro. Os preços mais elevados foram os do milho e da soja. assim como bens industriais e materiais, bens de capital e automóveis.

Leia também:

Déficit comercial dos EUA com a China salta 14% em janeiro

(com Estadão Conteúdo e agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade