Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Uber, 99 e Cabify se unem contra projeto que regulamenta serviço

Entre as exigências está a obrigação dos motoristas de aplicativos possuírem carros com placas vermelhas, iguais às usadas pelos taxistas

Por Da redação - Atualizado em 25 set 2017, 18h51 - Publicado em 25 set 2017, 18h47

As rivais Uber, Cabify e 99 se uniram em uma campanha contra o projeto de lei que regulamenta os aplicativos de mobilidade urbana no Brasil. O requerimento que pede que o projeto seja votado em regime de urgência deve ser analisado nesta terça-feira no Senado.

Segundo as entidades, o projeto quer inviabilizar a atuação dos aplicativos de transporte no país. O problema, de acordo com as empresas, é que a proposta aumenta a burocracia da plataforma e diminui a chance das pessoas gerarem renda ao impor uma série de exigências que poderiam inviabilizar o modelo privado. Entre as exigências está a obrigação de motoristas de aplicativos possuírem carros com placas vermelhas, iguais às usadas pelos taxistas.

Para rebater o projeto 28/2017, os aplicativos se uniram na campanha #JuntospelaMobilidade, que coleta assinaturas em apoio a outro modelo de regulamentação de aplicativos no Brasil (saiba mais).

O Brasil é um dos mercados mais importantes para esses aplicativos. Segundo os aplicativos, o projeto não foi suficientemente debatido com a sociedade e agora corre o risco de ser votado a qualquer momento.

Publicidade

Entre os argumentos utilizados por motoristas de aplicativos é que eles não podem ser igualados aos taxistas, pois não contam com os mesmos benefícios – como desconto para compra de carro ou poder andar na faixa exclusiva de ônibus.

 

Publicidade