Clique e assine a partir de 8,90/mês

‘Todo mundo tem de ajudar’, diz Guedes a prefeitos sobre Previdência

Durante encontro, Guedes anunciou o repasse de pelo menos 70% de recursos do fundo do pré-sal a estados e municípios

Por Da redação - Atualizado em 25 mar 2019, 18h36 - Publicado em 25 mar 2019, 17h40

No esforço de tentar conseguir apoio para aprovar a reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez um apelo para que prefeitos peçam votos a parlamentares para aprovar o texto. “Precisamos de muita ajuda, todo mundo tem de ajudar. Da mesma forma que pediram ao presidente da Câmara, do Senado, pedimos a vocês que nos ajudem, que conversem com os deputados. A pauta é boa. Para em três ou quatro meses, o pior já ter passado”, afirmou Guedes. 

Após uma manhã a portas fechadas com o presidente Jair Bolsonaro, em que a pedida foi focar na aprovação de mudanças no sistema de aposentadoria, Guedes participou da 75ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos.

Durante o encontro, o ministro da Economia reiterou que deve anunciar, nos próximos dias, mudanças no fundo social do pré-sal, que vai repassar valores para estados e municípios. “Não quero falar o que faremos para não dizer que estamos comprando votos”, comentou. “Mas vamos pegar pelo menos 70% para estados e municípios.”

Sobre o ambiente político, Guedes, afirmou que está havendo “natural problema de comunicação” ao falar sobre o ambiente político, mas assinalou que o Congresso sabe o tamanho do desafio na reforma da Previdência e que atuará à altura. Na semana passada, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou mais esforço de Bolsonaro e sua equipe na condução das negociações.

A reforma da Previdência foi enviada em fevereiro ao Congresso Nacional e ainda não avançou. O texto prevê fixar idade mínima para que os trabalhadores peçam aposentadoria, além de mexer nas regras de acesso ao sistema previdenciário de benefícios sociais de trabalhadores da iniciativa privada e servidores públicos.

Para ser aprovada, a PEC 6/2019, nome do projeto da reforma da Previdência, precisa do apoio de três quintos da Câmara e do Senado: 308 deputados e 49 senados em dois turnos de votação.

No encontro com os prefeitos, o ministro da Economia disse que o governo vai investir no pacto federativo, antiga demanda dos municípios, e na reforma tributária. “Já está tudo pronto”, disse, em relação à reforma tributária. “Estamos juntando isso tudo em um imposto único. São oito ou nove tributos que não são compartilhados e serão unificados”, afirmou. 

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade