Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tim se antecipa à Anatel e adota nova regra de chamada

Para usuários da operadora, regra passará a valer a partir da próxima semana; exigência da Anatel, deve ser aprovada daqui a um mês

Por Da Redação 16 ago 2012, 12h04

A proposta de regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que dará 120 segundos para que os usuários de celulares possam refazer ligações que caiam é �uma oportunidade para se desfazer mal-entendidos�, na avaliação do vice-presidente da TIM, Mário Girasole. O executivo afirmou que a companhia nunca lucrou com a queda de chamadas dos planos Infinity. �Depois de um período de grande turbulência midiática, uma medida como essa dará mais clareza e transparência ao nosso modelo de serviços ilimitados. Enxergamos como uma oportunidade para limpar a mesa dessas polêmicas�, disse Girasole.

Leia mais:

TIM: nova regra começará por Estados do Nordeste

Nova regra sobre ligação telefônica deve valer em um mês

Na quarta-feira a TIM se propôs a adotar as novas regras antes mesmo da exigência da Anatel, que só deve ser aprovada daqui a um mês. Segundo informe divulgado na quarta-feira, a companhia já vai começar a aplicar na próxima semana os dois minutos de tolerância para a recuperação de ligações em seis Estados do Nordeste.

Leia também:

TIM teria quedas acima da meta, diz Anatel

Na semana passada, o Ministério Público do Paraná divulgou um relatório preliminar de fiscalização da Anatel que apontava que, em apenas um dia, a companhia teria faturado R$ 4,3 milhões pelo desligamento proposital das ligações de 8,2 milhões de usuários. Com o novo regulamento, esse cenário não voltaria a ocorrer. �Não podemos falar em perda de receita porque essa questão da queda de chamadas não gera ganhos que possam ter relevância para uma empresa do tamanho da TIM�, argumentou o executivo. Nos planos de ligações ilimitadas, como o Infinity, da TIM, o usuário é cobrado pelo número de chamadas que faz, e não pelo tempo que dura cada ligação.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade