Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Telefônica Brasil lucra menos do que o esperado no 3º tri

Empresa de telecomunicações, detentora da Vivo, registrou lucro líquido de R$ 760,2 milhões

Por Da Redação 7 nov 2013, 09h48

A Telefônica Brasil teve queda de 19% em seu lucro líquido do terceiro trimestre, ao marcar 760,2 milhões de reais. O resultado está abaixo do esperado pelo mercado, de 828 milhões de reais de lucro, e é atribuído ao forte aumento de investimentos.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de 2,38 bilhões de reais, queda de 18,2% em relação ao ano passado.

Leia mais:

Telefónica vende unidade tcheca para focar em Itália e Brasil

Acordo entre Telefónica e TIM escancara concentração do setor de telefonia no Brasil

Os investimentos totalizaram entre julho e setembro 1,867 bilhão de reais, quase o dobro dos 964 milhões de reais dispendidos no terceiro trimestre de 2012. A relação entre investimento e receita líquida cresceu de 11,4% para 16,4%.

Continua após a publicidade

O aumento nos investimentos ocorreu apesar de a receita praticamente não ter crescido em relação ao terceiro trimestre do ano passado e ao segundo deste ano. A queda no faturamento com serviços de telefonia fixa foi o principal impacto negativo, apesar de a base de acessos do segmento ter se mantido estável em 15 milhões.

Na telefonia móvel, a base pós-paga, mais rentável, cresceu 23,3% em relação a 2012, para 22,14 milhões de acessos, enquanto a base pré-paga caiu 7,4%. Já a receita média por usuário (Arpu, na sigla em inglês), cresceu 6,6%, a 23,6 reais, impulsionada pela alta de 24% em serviços de dados. Neste segmento a Telefônica atua com a marca Vivo.

Leia também:

Telefónica torna-se sócia majoritária da controladora da TIM

​Brasil ainda não foi notificado sobre operação Telefónica-Telecom Italia

Enquanto isso, os custos operacionais subiram 12,4% na comparação anual, a 6,237 bilhões de reais. A Telefônica Brasil encerrou o terceiro trimestre com endividamento total de 9,2 bilhões de reais e caixa de 9,1 bilhões.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês