Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Telecom Italia avalia aquisição da Oi, diz agência

Grupo italiano teria conversado com conselheiros para usar a TIM Participações para comprar a Oi

A Telecom Italia está avaliando uma possível aquisição da operadora de telecomunicações Oi, segundo noticiou a agência Bloomberg nesta terça-feira. O grupo italiano teria conversado com seus conselheiros sobre o uso de sua unidade no país, a Tim Participações, para comprar a Oi, em um movimento para desafiar a rival espanhola Telefónica. A transação precisaria da aprovação regulatória brasileira. Após a notícia, as ações da Oi cotadas na Bovespa fecharam em alta de 2,01%.

No mês passado, a Telecom Italia perdeu para a Telefónica uma batalha para assumir o controle da GVT.

Um eventual comprador da Oi teria que assumir quase 20 bilhões de dólares em dívida líquida. Se o acordo se concretizar, a Tim, segunda maior operadora de telefonia móvel do Brasil, teria direito a usar a rede de telefonia fixa da Oi para vender serviços de banda larga. A Telecom Italia se recusou a comentar a notícia. O relatório afirma que nenhuma abordagem havia sido feita até o momento.

Leia mais:

Portugal Telecom aprova termos da fusão com a Oi

Oi quer se unir a Claro e Vivo para comprar a TIM

Vivo e Claro pedem impugnação do edital do leilão de 4G; TIM quer mudanças

Uma eventual oferta da Telecom Italia também pode inverter os planos da Oi de adquirir uma participação na Tim. No mês passado, a Oi contratou o Banco BTG Pactual para ajudá-la a adquirir uma participação na Tim. A Tim tem um valor de mercado avaliado 14 bilhões de reais. A Telecom Italia detém 6% da operadora brasileira.

“Nós sempre deixamos claro que a nossa flexibilidade financeira é um dos nossos pontos fortes”, disse o presidente da Tim, Rodrigo Abreu, em entrevista na semana passada, em Nova York. A afirmação foi feita após ser perguntado se a empresa estava disposta a assumir uma dívida para financiar uma expansão da empresa. “Somos uma companhia com um baixo nível de endividamento. Nós poderíamos fazer tomar uma decisão quando surge uma oportunidade, como foi o caso quando fizemos aquisições anteriores”, disse.