Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Taxa de desemprego em 2010 é a menor em oito anos

Índice fechou o ano passado em 6,7%, ante 8,1% em 2009, segundo o IBGE

Por Da Redação 27 jan 2011, 09h12

O Brasil encerrou 2010 com a menor taxa anual de desemprego em oito anos. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice médio anual de desemprego ficou em 6,7% no acumulado do ano passado, ante uma taxa de 8,1% em 2009. A taxa é a menor da nova série da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), iniciada em 2002.

Ainda segundo o levantamento, realizado em seis regiões metropolitanas do país, a taxa de desemprego em dezembro recuou para 5,3% – também a menor da série histórica do IBGE. O resultado ficou dentro do previsto pelos analistas, que estimavam uma taxa entre 5,6% e 4,8% no último mês do ano passado,

Ainda segundo o instituto, o rendimento médio real (descontada a inflação) dos trabalhadores em 2010 foi de 1.490,61 reais, com aumento de 3,8% em relação a 2009. Somente em dezembro de 2010, o rendimento médio real da população ocupada foi de 1.515,10 reais.

O número de desocupados nas regiões pesquisadas em dezembro de 2010 (1,3 milhão de pessoas) recuou tanto em relação a novembro (-8%) quanto a dezembro de 2009 (-21,4%). No acumulado de 2010, os desempregados somaram, em média, 1,6 milhão de pessoas – 15% a menos que em 2009 e 39% a menos que em 2003.

Já os brasileiros ocupados somaram 22,5 milhões de pessoas em dezembro de 2010 – número que não variou na comparação mensal, mas que cresceu 2,9% em relação a dezembro de 2009. Na média de 2010, os ocupados somaram 22 milhões de pessoas, um contingente 3,5% maior que o de 2009 e 18,9% superior a 2003.

Desse contingente, o número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado chegou a 10,5 milhões nas regiões pesquisadas – o que representa 46,3% do total pesquisado e outro recorde da série histórica. A máxima anterior havia sido apurada em 2009, quando essa proporção chegou a 44,7%.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês