Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

SP’s coloca sob perspectiva negativa o fundo de resgate europeu

A agência de classificação Standard and Poor’s (SP’s) anunciou nesta terça-feira que colocou sob perspectiva negativa a nota do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), após uma decisão similar a respeito dos principais países da Eurozona.

O FEEF pode ter sua nota AAA rebaixada em um ou dois níveis. A SP’s colocou ontem sob vigilância negativa as notas da dívida de longo prazo de 15 países da Eurozona, incluindo Alemanha e França, os dois principais contribuintes do FEEF.

O FEEF é um instrumento financeiro que arrecada dinheiro nos mercados com a garantia dos Estados da Eurozona, de maneira proporcional a sua participação no capital do Banco Central Europeu (BCE).

Atualmente, o fundo tem a nota máxima triplo A, que permite obter dinheiro emprestado a taxas reduzidas nos mercados. O dinheiro captado é emprestado depois aos países em dificuldades (Portugal e Irlanda, por exemplo) a taxas menores do que as que seriam pagas nos mercados.

“Dada a estrutura do FEEF, se tivermos que baixar a nota de um ou de vários países da Eurozona, especialmente dos que possuem o triplo A, a nota do fundo também teria que ser afetada”, indica a SP’s em seu comunicado. Isso pode pressupor uma queda de dois níveis, assim como a da França, o país com triplo A mais ameaçado pela agência SP’s.

A SP’s pode agir em um prazo de até três meses, mas deve fazê-lo “possivelmente antes”, disse a agência de classificação.

Por sua parte, o responsável pela classificação dos Estados para Europa, Moritz Kramer, afirmou que a agência se assegurará de que a reunião europeia de sexta-feira em Bruxelas “restabeleça a confiança”.

“Examinaremos se as medidas (que serão anunciadas) poderão restabelecer a confiança”, declarou Kramer em uma conferência telefônica.

O analista confirmou que a agência se pronunciará “o quanto antes” sobre as perspectivas das notas europeias ao término da reunião, já que o calendário está “majoritariamente determinado pelo que acontece com a política”.