Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

SoftBank prepara oferta pela empresa de escritórios compartilhados WeWork

Depois de tentativa frustrada de oferecer ações na bolsa americana, empresa tenta se capitalizar; negócio é estimado em US$ 8 bilhões

O fundo japonês SoftBank está próximo de comprar a empresa de escritórios compartilhados WeWork. O negócio, segundo a imprensa americana, é avaliado entre 7,5 bilhões de dólares e 8 bilhões de dólares (aproximadamente 33 bilhões de reais) pela totalidade da empresa ─ o banco já possui 30% de participação na empresa. O fundo, segundo a TV estadunidense CNBC, planeja realizar aportes de até 5 bilhões de dólares na empresa de trabalho compartilhado. O acordo deve ser anunciado ainda nesta semana.

O negócio põe à prova o valor de mercado da empresa. A WeWork já foi avaliada em 47 bilhões de dólares e planejava oferecer suas ações na bolsa americana. O plano era abrir o capital da empresa a valores superiores a 40 bilhões de dólares, seguindo a Uber ─ mas registrou prejuízo de 1,6 bilhão de dólares no ano passado. Com a percepção de que a WeWork gastava demais e arrecadava de menos, o mercado mingou as avaliações da empresa e a oferta pública inicial (IPO, em inglês) foi por água abaixo. Em setembro, a empresa anunciou que havia desistido da operação.

O movimento do SoftBank confirma a empreitada da WeWork para levantar capital novo depois da entrada na bolsa ter fracassado. Rumores do mercado apontam que a empresa poderia ficar descapitalizada a partir de novembro, a menos que garantisse novos financiamentos. O SoftBank já investiu cerca de 10 bilhões de dólares na companhia.

Fundada em 2010, a empresa americana que aluga escritórios compartilhados já tem 854 postos operando ou que abrirão em breve em todo o mundo. No Brasil, eles já são 32 ─ sendo 21 deles em São Paulo, outros 6 no Rio de Janeiro, além de unidades em Porto Alegre, Belo Horizonte e Brasília.

(Com Reuters)