Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sobrevoo detecta mancha de óleo de 1km na Bacia de Campos

RIO DE JANEIRO, 17 Mar (Reuters) – Uma mancha “tênue” de óleo de cerca de 1 quilômetro de extensão foi detectada na região onde a Chevron identificou um novo vazamento de petróleo no campo de Frade, na Bacia de Campos, informou neste sábado a Marinha em comunicado.

A mancha foi detectada durante um sobrevoo realizado na região neste sábado, segundo a Marinha.

A Chevron informou na quinta-feira que um pequeno volume de óleo havia aflorado de fissuras do fundo do oceano a 3 quilômetros da região onde ocorreu o primeiro vazamento.

O novo vazamento de petróleo no campo de Frade levou a Chevron a pedir autorização à Agência Nacional do Petróleo (ANP) para suspender toda sua produção na área, o que paralisará as atividades da empresa como operadora no Brasil se o órgão regulador aprovar.

Em novembro do ano passado, uma quantidade estimada entre 2,4 a 3 mil barris de óleo vazaram do campo de Frade durante atividades de perfuração da companhia.

A decisão de pedir a suspensão das atividades em Frade foi tomada em conjunto com a Petrobras e o consórcio japonês Frade Japão Petróleo, parceiros da Chevron no campo, informou a empresa norte-americana em comunicado.

A companhia não tinha comentários de imediato sobre a “tênue mancha” detectada no sobrevoo neste sábado. A produção de Frade soma 61,5 mil barris/dia de petróleo.

A Chevron tem 51,74 por cento de participação no campo Frade; Petrobras possui 30 por cento e a Frade Japão Petróleo Ltda., uma joint-venture com a INPEX, Sojitz e JOGMEC, 18,26 por cento.