Clique e assine com 88% de desconto

Setor projeta recuo de 11,4% em implementos rodoviários

Por Da Redação - 17 jul 2012, 15h16

Por Wladimir D’Andrade

São Paulo – A queda de 9,35% nas vendas no primeiro semestre ante igual período do ano passado, e a demora para a economia nacional reagir aos estímulos levou a Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir) a projetar uma queda de 11,4% nos emplacamentos do setor ao final do ano, na comparação com 2011. Segundo o presidente da associação, Alcides Braga, com uma perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) tímida – estimativa do mercado é de 1,9% -, os empresários que fabricam implementos rodoviários esperam um desempenho do setor bem abaixo do verificado em 2011, quando houve recorde de vendas. “Transportes e embalagens reagem muito rápido ao ambiente macroeconômico. O setor depende de uma economia pujante”, afirmou Braga.

De acordo com ele, o recuo nos emplacamentos verificado no primeiro semestre foi provocado, além da redução da atividade econômica do País, pela troca de tecnologia nos motores de caminhões. A nova exigência da legislação determinou a fabricação de veículos, em 2012, com motor compatível com um combustível menos poluente, um diesel com menor teor de enxofre (Euro 5). Também, segundo ele, houve reflexo do tempo que o governo demorou para alterar as regras do Financiamento de Máquinas e Equipamentos (Finame) para a venda de implementos rodoviários.

Como reflexo do quadro ruim, as empresas adotaram medidas de curto prazo para ajustar a produção, que já está ociosa em 30%. O presidente da Anfir conta que há casos de férias coletivas e paralisação de linhas de produção. “São recursos de curto prazo para ajustar a produção em relação ao desempenho das vendas no primeiro semestre”, disse.

Publicidade

Braga afirmou que o setor confia na retomada das encomendas e da economia nacional na segunda metade do ano e, consequentemente, um bom desempenho em 2013 que atinja, ao menos, os números mostrados em 2011, cujo faturamento foi de R$ 9,6 bilhões. “Esperamos uma situação melhor a partir de agosto ou setembro. E um ano positivo em 2013, como foi 2011”, disse. O setor de implementos rodoviários, segundo a Anfir, emprega 71 mil funcionários diretos e indiretos.

Publicidade